A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL DA FLORICULTURA BRASILEIRA Profa: Jaine Aparecida de Camargo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL DA FLORICULTURA BRASILEIRA Profa: Jaine Aparecida de Camargo."— Transcrição da apresentação:

1 IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL DA FLORICULTURA BRASILEIRA Profa: Jaine Aparecida de Camargo

2 Histórico produção de orquídeas em Petrópolis/RJ; Binot, filho do francês Jean Baptiste Binot, encarregado de projetar e executar os jardins do Palácio Imperial; O orquidário de renome internacional, possui inúmeras variedades de orquídeas e exporta para os Estados Unidos, Alemanha e Japão; (REVISTA SEBRAE DE AGRONEGÓCIOS, 2005).

3 Histórico os alemães Dierberger iniciam a produção de outras espécies de flores no Brasil, como as dálias; Da firma dos alemães Dierberger saíram os irmãos Boettcher, que foram os pioneiros na produção de rosas no Brasil; (REVISTA SEBRAE DE AGRONEGÓCIOS, 2005).

4 Histórico Produção de rosas - início em 1929; Pioneirismo na produção de rosas e no marketing de comercialização; Desenvolveram uma série de atividades p/ promoção de seus produtos tais como: - exposição de flores; - abertura da fazenda para visitações públicas; - promoção da festa anual das rosas; - realização de cursos para Floristas; - paisagistas e outros interessados. (REVISTA SEBRAE DE AGRONEGÓCIOS, 2005).

5 Histórico imigrantes holandeses se instalaram no leste paulista e fundaram a Cooperativa Agropecuária de Holambra, dedicada a várias atividades entre elas as flores. (VENCATO et. al, 2006) Produção ainda muito amadora; Privação do espaço devido à proliferação de conjuntos habitacionais; (REVISTA SEBRAE DE AGRONEGÓCIOS, 2005).

6 Histórico foi criada uma empresa para se dedicar especificamente a comercialização dos produtos; a floricultura passa a fazer parte da agenda de políticas públicas, com a implantação do Programa de Desenvolvimento de Flores e Plantas Ornamentais do Ministério da Agricultura. (REVISTA SEBRAE DE AGRONEGÓCIOS, 2005).

7 Importância das ornamentais

8 Beleza; Comercialização. Sofisticação; Fonte: de-luxo-mansoes-luxuosas.html Fonte: decoracao/album/plantas_ambientes_inter nos_album.htm Fonte:http://sofotos.org/fotos-de- paisagismo-e-jardinagem Fonte: ex.php?option=com_content&view=article&i d=306&Itemid=23

9 Mercado nacional - 10 % - últimos 5 anos; - 4,4 bilhões. Andrade (2011). Exportações US$ 23,81 milhões.; 8,43% < que ano anterior. Junqueira e Peetz (2014).

10 > centros de comercialização; Veiling; Ceasa Campinas –SP.

11 Figura 1.Veiling Holambra Fonte: Carvalho, s.d.

12 Veiling Holambra Ocupa uma área de 800 mil m 2 ; Contando com uma área construída de 62 ha; Possui138 docas para carregamento; Possui m² em área de câmara fria; 338 terminais de compra; alas para os clientes exporem seus produtos, etc.

13 Figura 2. Salão onde os produtos são manejados, seja para o leilão ou para serem entregues ao comprador. Foto: CAMARGO, J.A

14 Figura 3. Sala destinada à exposição de produtos, ou seja, aqui o produtor pode expor o seu trabalho. Foto: CAMARGO, J.A

15 Figura 4. Sala destinada à exposição de produtos, ou seja, aqui o produtor pode expor o seu trabalho. Foto: CAMARGO, J.A

16 Figura 5. Sala destinada à exposição de produtos, ou seja, aqui o produtor pode expor o seu trabalho. Foto: CAMARGO, J.A

17 Figura 6. Sala destinada à exposição de produtos, ou seja, aqui o produtor pode expor o seu trabalho. Foto: CAMARGO, J.A

18 Figura 7. Sala destinada à exposição de produtos. Foto: CAMARGO, J.A

19 Veiling Holambra Sistema de vendas através de leilão; Atende somente atacadistas cadastrados.

20 Figura 8. O 1º Klok utilizado nos leilões do Veiling Holambra. Foto: CAMARGO, J.A

21 Figura 9. Os Kloks que são utilizados atualmente e como funciona a demonstração dos produtos. Foto: CAMARGO, J.A

22 São exibidas todas as informações relevantes sobre o produto leiloado, tais como: - preço; - tamanho de vaso; - altura de haste; - número de embalagens do produto; - ponto de maturação; - tipo de tratamento específico; - se foi acondicionada em algum tipo de embalagem especial, etc.

23 O preço mínimo do produto é atribuído pelo produtor; Veiling aumenta este valor em 40%, sendo este o preço lançado inicialmente no Klok; que posteriormente vai abaixando até que um comprador aperte o botão; Se não alcançar o preço mínimo, o produto é descartado. Esse procedimento é adotado com o intuito de se controlar o mercado.

24 Figura 10. Compradores durante o leilão. Foto: CAMARGO, J.A. 2010

25 Figura 11. Detalhe do painel, pelo qual são efetuadas as compras. Foto: CAMARGO, J.A

26 Fonte: Figura 12. CEASA - Campinas

27 CEASA - Campinas Vendas no atacado e no varejo; Funcionamento diário.

28 Ceasa Campinas O Mercado movimenta 6 mil toneladas por mês; R$ 10 milhões mensais; 11 mil clientes cadastrados paisagistas, arquitetos, hotéis, decoradores, empresários, supermercados, floriculturas, etc. Recebe mais de 30 mil pessoas por mês abastecendo as 5 regiões do País.

29 Tabela 1. Evolução das exportações dos produtos da floricultura, em US$ FOB, ,50 milhões 11,97milhões 23,81 milhões

30 Principais produtos exportados em 2013: Bulbos, tubérculos, rizomas e similares em repouso vegetativo (53,54%); Mudas de plantas ornamentais (35,77%); Rosas e seus botões frescos (0,12%); não exportou rosas, cravos ou orquídeas cortadas.

31 Tabela 2. Principais produtos setoriais exportados pelo Brasil em ProdutosValor (US$)Paises importador Bulbos, Tubérculos, Rizomas, Tubérculos e Similares, em repouso vegetativo US$14,547 milhões Holanda, EUA, Canadá e Chile Mudas de Plantas Ornamentais US$ 8,801 milhões EUA, Itália, Holanda, Japão, Bélgica, Canadá, Uruguai, Colômbia e Argentina. Flores frescas de corte US$ 298,761 milPortugal, EUA(rosas); Demais: Holanda, Uruguai e Portugal Fonte: Hórtica, 2013.

32 Tabela 3. Balança Comercial dos Produtos da Floricultura (US$ FOB), Fonte: Hórtica, 2013.

33 Tabela 3. Balança Comercial dos Produtos da Floricultura (US$ FOB), Fonte: Hórtica, 2014.

34 Tabela 4. Estados brasileiros de origem das mudas de plantas ornamentais exportadas em2012. EstadosQuantidade (%)Cresc./Retração São Paulo73,10%8,04% Rio Grande do Sul26,42%11,96% Santa Catarina0,13%88,67% Mato Grosso0,31%50,50% Ceará0,05%79,20% Fonte: Hórtica, 2013.

35 Empregos A produção de flores e plantas ornamentais no Brasil é desenvolvida na > parte por pequenos produtores; Atraídos pela alta rentabilidade e; Expressiva capacidade de geração de ocupação e renda da floricultura que é muito grande; Emprega aproximadamente 120 mil pessoas, sendo que 80% da mão de obra formada por mulheres, além de 18,7% do total ser de origem familiar; A floricultura destaca-se por empregar, em média, de 10 a 15 funcionários por ha, superando em dez vezes os demais cultivos. (VENCATO et. al, 2006).

36 Empregos Gerando uma renda de R$ 50 mil a R$ 100 mil, Mesma área de fruticultura abre cinco postos de trabalho e um retorno de R$ 25 mil. SOBER, 2008

37 Potencial O principal mercado para a floricultura brasileira é o interno; Possui grande potencial de expansão; Consumo per capita, em torno de US$ 4,70/habitante; Suíça -consumo per capita de aproximadamente US$ 170/habitante.

38 Obrigada!!!


Carregar ppt "IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL DA FLORICULTURA BRASILEIRA Profa: Jaine Aparecida de Camargo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google