A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Equipe: JESSICA BARZENSKI JOAO MORO SIMONE CECCON SIDNEI ASSUNÇÃO WILLIAN WESTPHAL Prof.: ÉRICO ODA Código padronizado na geração de números de inscrições.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Equipe: JESSICA BARZENSKI JOAO MORO SIMONE CECCON SIDNEI ASSUNÇÃO WILLIAN WESTPHAL Prof.: ÉRICO ODA Código padronizado na geração de números de inscrições."— Transcrição da apresentação:

1 Equipe: JESSICA BARZENSKI JOAO MORO SIMONE CECCON SIDNEI ASSUNÇÃO WILLIAN WESTPHAL Prof.: ÉRICO ODA Código padronizado na geração de números de inscrições do COREN CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

2 HISTÓRIA Associação Brasileira de Enfermagem 12 de julho de 1973 foram criados: Conselhos Regionais de Enfermagem COREN e o COFEN Conselho Federal de Enfermagem Vinculados ao Ministério do Trabalho e Previdência Social. CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

3 OBJETIVO O Conselho Federal e os Conselhos Regionais são: Órgãos disciplinadores do exercício da profissão de enfermeiro e das demais profissões compreendidas nos serviços de Enfermagem.

4 FINALIDADE Fiscalização do exercício profissional. O objetivo é zelar pela qualidade dos profissionais de Enfermagem, pelo respeito ao Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem e cumprimento da Lei do Exercício Profissional

5 LOCALIZAÇÃO E COMPOSIÇÃO Presente em todos os Estados Sede nas Capitais 9 membros e 9 suplentes Assembléia dos Delegados Regionais

6 COMPETÊNCIAS Cabe ao Conselho Regional de Enfermagem (COREN) Inscrições no Conselho e seu cancelamento; Disciplinar e fiscalizar o exercício profissional; Cédula de identidade profissional, indispensável ao exercício da profissão. Fiscalizar ; Ética Profissional impondo as penalidades cabíveis; Propor a melhoria do Exercício Profissional; CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

7 SISTEMAS DE DISCIPLINA E FISCALIZAÇÃO Área disciplinar normativa Área disciplinar corretiva Área Fiscalizatória CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

8 Objetivo do código COREN A identificação da pessoa autorizada a praticar determinada função na área de enfermagem. CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

9 O Código COREN O software do próprio conselho regional de enfermagem é que gera o número Para cada função, há uma faixa específica de valores que o profissional pode ser inscrito; O novo inscrito assume o próximo número não ocupado por outrem na faixa específica da função. CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

10 Número de inscrição Todos os números de inscrição contém 6 dígitos; o primeiro dígito da esquerda para a direita é sempre 0; segundo dígito pode variar entre 1, 2 e 3, dependendo da função na qual ela se inscreveu; CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

11 Número de inscrição Função: Enfermeiro(a) - possuem um valor entre e Técnico(a) em Enfermagem - possuem valores entre e Auxiliar em Enfermagem - possuem valores entre e CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

12 Número de inscrição Cada COREN local (estadual) possui essa faixa de função; Para completar o código, é inserido a sigla do estado na qual a pessoa se inscreveu; Exemplo: COREN no PR CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

13 Vantagens dessa codificação Ao empregador, saber qual função ela está habilitada legalmente através da leitura do número de inscrição da carteira através da faixa de função; O profissional pode ter mais de um número, pois é possível exercer mais de uma função. A quantidade de cada faixa funcional pode ser multiplicada por 27 (quantidade total de estados no Brasil) CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

14 Desvantagens dessa codificação Essa codificação é limitada; Limita a quantidade de autorizações em torno de pessoas em cada função; Apesar de ser cada estado, o máximo de pessoas que podem ser cadastradas é de profissionais em uma função em todo o país; Só é possível ter profissionais de enfermagem, técnicos e auxiliares CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

15 Análise do contexto Atualmente, não é suficiente pra demanda atual das empresas que exploram o ramo de atividade relacionada com a saúde; A quantidade de inscrições é maior que os cancelamentos, mesmo reaproveitando os números CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

16 Análise do contexto Exemplo: Uma Auxiliar de Enfermagem que se inscreveu em 09 de dezembro de 2011 no COREN do Paraná possui o número de inscrição , ou seja, está próximo do limite da faixa de valores estipulada para sua função CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

17 Soluções Atualmente, a COFEN (Conselho Federal de Enfermagem) gera a carteira definitiva utilizando o mesmo número de registro das CORENs mas estuda-se uma forma de geração de inscrições padronizada, na qual não necessite descrever qual COREN o profissional foi registrado e possa ser ilimitado a quantidade de inscrições. CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO PARANÁ


Carregar ppt "Equipe: JESSICA BARZENSKI JOAO MORO SIMONE CECCON SIDNEI ASSUNÇÃO WILLIAN WESTPHAL Prof.: ÉRICO ODA Código padronizado na geração de números de inscrições."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google