A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CRIATIVIDADE Ferramenta para obtenção de diferencial competitividade Prof. Luiz Alberto Machado Jundiaí 10 de outubro de 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CRIATIVIDADE Ferramenta para obtenção de diferencial competitividade Prof. Luiz Alberto Machado Jundiaí 10 de outubro de 2007."— Transcrição da apresentação:

1 CRIATIVIDADE Ferramenta para obtenção de diferencial competitividade Prof. Luiz Alberto Machado Jundiaí 10 de outubro de 2007

2 OBJETIVO DA PALESTRA Desenvolver o potencial criativo existente Desenvolver o potencial criativo existente em cada um em cada um Solte a imaginação !!! Todos são criativos !!! Só depende de você !!!

3 Considerações gerais a respeito de política econômica Necessidade de articular ações macro com ações microeconômicas.

4 Nos últimos tempos houve uma preocupação excessiva e quase exclusiva com a macroeconomia, especialmente com as questões das taxas de juros e de câmbio. Desbalanceamento

5 Há 2 fatores básicos a serem considerados. Se bem resolvidos a economia funciona; caso contrário, não há sistema que funcione: Devem privilegiar a eficiência e recompensá -la (e não aos detentores de privilégios D e p a r t a m e n t o 2 QUALIDADE DOS JOGADORES 1 REGRAS DO JOGO D e p a r t a m e n t o Em economês - Capital Humano: Resultado de investimento em educação, em treinamento, em preparação profissional A importância das instituições

6 Burocracia para abrir uma empresa O Brasil tem o sexto pior desempenho da lista. Como houve empates, os 133 países classificados pelo Banco Mundial no documento Fazendo Negócios 2004 foram distribuídos em 78 posições. O Brasil ficou em um péssimo 73º lugar. ColocaçãoPaís Duração do processo (em número de dias) 1ºAustrália2 2ºCanadá / Nova Zelândia3 3ºDinamarca / Estados Unidos4 4ºPorto Rico6 5ºCingapura8 6ºHong Kong / Letônia / Holanda11 7ºIrlanda12 8ºSuécia16 9ºInglaterra18 10ºPanamá19 73ºBRASIL152

7 Burocracia para fechar uma empresa O Brasil é o segundo pior país do mundo nesse processo. Aqui também houve diversos empates e os 133 países foram distribuídos por 48 posições. O Brasil só perdeu a última colocação para a Índia, cuja burocracia exige 11,3 anos para encerrar a atividade de uma empresa. Todos os países industrializados e outros emergentes estão melhor que o Brasil, deixado na incômoda vizinhança do Chade (10 anos), Mauritânia (8 anos) e Omã (7 anos). ColocaçãoPaís Anos de Espera 1ºIrlanda0,4 2ºJapão0,6 3ºCingapura0,7 4ºCanadá / Taiwan0,8 5ºBélgica / Finlândia / Noruega0,9 6ºAustrália / Hong Kong / Inglaterra1 7ºJamaica1,1 8ºAlemanha / Letônia / Lituânia1,2 9ºÁustria / Itália1,3 10ºCoréia do Sul / Polônia / Rússia / Espanha1,5 47ºBRASIL10

8 Qualidade das leis trabalhistas O Brasil ficou na penúltima colocação nesse quesito, em que o Banco Mundial classificou os países pelo grau de adequação da legislação trabalhista à necessidade de geração de empregos formais. Só o Panamá e Portugal têm leis menos flexíveis. Contando os empates, os 133 países foram classificados em 49 posições no ranking que avalia o grau de desestimulo das leis à criação de empregos formais. Ele vai de 20 (desestímulo menor) a 79 (desestímulo maior). O Brasil está em penúltimo lugar. Panamá e Portugal (com 79 pontos no índice) empatam na posição de países com leis trabalhistas menos flexíveis. ColocaçãoPaísÍndice 1ºCingapura20 2ºEstados Unidos22 3ºDinamarca / Malásia25 4ºNova Guiné26 5ºHong Kong / Zimbábue27 6ºInglaterra28 7ºÁustria30 8ºNova Zelândia32 9ºCanadá / Jamaica / Quênia34 10ºBotsuana / Gana35 48ºBRASIL78

9 Funcionamento da Justiça O Brasil tem a trigésima mais lenta do mundo quando um credor recorre a ela para fazer valer um contrato ou receber uma dívida. Com os países empatados ocupando a mesma posição na classificação, o ranking que mede o tempo gasto em tribunais para receber uma dívida não paga tem 92 posições. Mais uma vez, estamos muito mal colocados. Com 380 dias de tramitação, o Brasil ocupa o 63º lugar do ranking e tem, portanto, a 30ª Justiça mais lenta do mundo. ColocaçãoPaís Duração do processo (em número de dias) 1ºTunísia7 2ºHolanda39 3ºNova Zelândia / Cingapura50 4ºBotsuana56 5ºJapão60 6ºArmênia65 7ºLituânia74 8ºCoréia do Sul75 9ºHaiti76 10ºDinamarca83 63ºBRASIL380

10 Todos esses fatores elevam nossos custos de transação, tirando competitividade dos produtos e serviços brasileiros

11 O que é globalização ?

12 A globalização não é apenas palavra da moda, mas a síntese das transformações radicais pelas quais vem passando a economia mundial desde o início dos anos 80. Suas dimensões básicas, que estão revolucionando a atividade produtiva e o modo de vida neste fim de milênio, são a aceleração do tempo e a integração do espaço. O paradoxo é que embora façamos as coisas que desejamos em cada vez menos tempo, falte também cada vez mais tempo para fazer aquilo que desejamos. Quanto mais economizamos tempo, mais carecemos dele. GIANNETTI DA FONSECA, Eduardo Globalização, Transição Econômica e Infra-estrutura no Brasil em Competitividade na Infra-estrutura para o Século XXI Pág. 52

13 NUMA TENTATIVA DE DEFINIÇÃO, PODERÍAMOS DIZER QUE A GLOBALIZAÇÃO RESULTA DA CONJUNÇÃO DE TRÊS FORÇAS PODEROSAS: 1. A TERCEIRA REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA (tecnologias ligadas à busca, processamento, difusão e transmissão de informações; inteligência artificial; engenharia genética); 2. A FORMAÇÃO DE ÁREAS DE LIVRE COMÉRCIO E BLOCOS ECONÔMICOS INTEGRADOS (União Européia, Nafta, Mercosul etc.); e 3. A CRESCENTE INTERLIGAÇÃO E INTERDEPENDÊNCIA DOS MERCADOS FÍSICOS E FINANCEIROS EM ESCALA PLANETÁRIA.

14 GANHAM IMPORTÂNCIA NA ECONOMIA GLOBALIZADA 1.A estabilidade e a previsibilidade macroeconômicas; 2.O capital humano (não só no seu componente cognitivo, necessário para interagir com as novas tecnologias, mas também no que diz respeito à ética e à confiabilidade interpessoal); 3.A agilidade e a flexibilidade empresariais.

15 , , , , , ,00 QUANTO CUSTARIAM ALGUMAS MERCADORIAS SE O GOVERNO NÃO TIVESSE CORTADO 9 ZEROS DA MOEDA E DIVIDIDO TUDO POR CR$ 2.750,00, QUANDO DA IMPLANTAÇÃO DO REAL PREÇOS EM CRUZEIROS ATUALIZADOS PELA INFLAÇÃO ACUMULADA DE JANEIRO/1980 A JUNHO/1995 A inflação acumulada seria de % Quanto seria hoje em CR$1980 em Cr$1995 em R$ Ônibus9,000,65 Cafezinho15,000,50 Leite C ( I )16,730,63 Fogão7.290,00242,00 Geladeira9.990,00460,00 Televisão35.390,00395,00

16 POR OUTRO LADO E SIMETRICAMENTE PERDEM IMPORTÂNCIA 1.A noção de Estado nacional soberano e o ativismo macroeconômico keynesiano; 2.A mão-de-obra barata e os recursos naturais abundantes como fatores de competitividade e atração de investimento direto estrangeiro; 3.A auto-suficiência econômica como objetivo nacional.

17 A CRIATIVIDADE E O CONHECIMENTO SOBRE O CÉREBRO HUMANO A intensificação dos estudos e pesquisas a respeito do cérebro nos últimos 20 ou 30 anos foi, seguramente, um dos fatores fundamentais para que a humanidade despertasse para a importância da criatividade.

18 C É REBRO TRI Ú NICO Quando falamos em cérebro humano, estamos nos referindo a um complexo sistema que compreende, na verdade, três subsistemas: Reptiliano relacionado aos nossos instintos Límbico relacionado às nossas emoções Neocortical o mais sofisticado deles, relacionado ao nosso intelecto

19 PRINC Í PIOS DO C É REBRO Seguem-se os chamados princípios de funcionamento do cérebro, ou, em outras palavras, leis aparentes que regem as interações entre as diversas estruturas de células dentro deste fantástico órgão. As explicações dadas a cada princípio tem por objetivo clarificar o seu funcionamento, de forma que se possa lançar mão dos mesmos.

20

21 LADO ESQUERDO DO CÉREBRO Controla o lado direito do corpo, estimula a lógica, a análise, a linearidade etc. e é onde está assentado o pensamento convergente LADO DIREITO DO CÉREBRO Controla o lado esquerdo do corpo, Estimula a criatividade, a imaginação, as fantasias etc. e é onde está assentado o pensamento divergente HEMISFÉRIOS CEREBRAIS E PROCESSOS MENTAIS DO CÉREBRO

22 CARACTER Í STICAS DOS HEMISF É RIOS CEREBRAIS Hemisfério Esquerdo Mecânico Substância Preto e branco Linguagem Fechado Cauteloso Verbal Cético Detalhista Hemisfério Direito Criativo Essência Cores Meditação Aberto Aventureiro Visual Receptivo Amplo

23 O LADO DIREITO DO CÉREBRO CONTROLA O LADO ESQUERDO DO CORPO O LADO ESQUERDO DO CÉREBRO CONTROLA O LADO DIREITO DO CORPO

24 Dominância cerebral 1.PENSADOR _____ 2.SONHADOR_____ 3.DETALHISTA_____ 4.VISIONÁRIO_____ 5.FALANTE_____ 6.IDEALISTA_____ 7.ORGANIZADO_____ 8.EXCÊNTRICO_____ 9.PRECISO_____ 10.IMAGINATIVO_____ 11.CONTROLADO_____ 12.MUSICAL_____ 13.PERSISTENTE_____ 14.ARTÍSTICO_____ 15.MATEMÁTICO_____ 16.EMOTIVO_____ 17.CALCULISTA_____ 18.CRIATIVO_____ 19.PREVISÍVEL_____ 20.ROMÂNTICO_____

25 Quadralidade Cerebral (Modelo de Ned Herrmann) Analisa, quantifica, é lógico, é crítico, é realista, gosta de números, entende de dinheiro, sabe como as coisas funcionam. Conjectura, imagina, especula, arrisca-se, é impetuoso, quebra regras, gosta de surpresas, é curioso, brinca. Adota ação preventiva, estabelece procedimentos, faz as coisas. Confiável, organiza, pontual, esmerado, planeja. Fala bastante, sente, gosta de ensinar, toca as pessoas, é sensível com os outros, é expressivo, é emocional, é suportivo. A RACIONAL D EXPERIMENTAL B SALVAGUARDADOR C CINESTÉSICO

26 Estado Emocional Velho paradigma 2

27 Estado Emocional Novo Paradigma O estado emocional das pessoas exerce poderosa influência na criatividade. Para desenvolver o potencial criativo de forma plena, precisamos buscar o equilíbrio e a estabilidade nos três planos constituidores da pessoa humana: no plano físico (corpo), no plano mental (cabeça) e no plano emocional (coração). Distúrbios em qualquer desses planos acabam por acarretar prejuízos aos demais.

28 O desenvolvimento do potencial criativo começa com Valores Crenças Preconceitos Paradigmas Percepções Floriano Serra aprender a desaprender que consiste em rever, questionar, atualizar, descobrir novos:

29 OS SEIS PÊS BLOQUEADORES: 1.Pais 2.Professores 3.Patrões 4.Perfeição 5.Proibições 6.Preguiça

30

31 O QUE A CRIATIVIDADE NÃO É? DOM NATURAL DOM NATURAL Com o qual alguns nascem e outros não MAGIA MAGIA As pessoas criativas conhecem algum truque MISTÉRIO MISTÉRIO A fonte da criatividade é algo misterioso LOUCURA LOUCURA As pessoas criativas são excêntricas

32 É uma função inventiva da imaginação criadora

33

34 CAPACIDADE DE OLHAR A MESMA COISA QUE TODOS OS OUTROS, MAS VER ALGO DIFERENTE NELA Charles Chic Thompson

35 Criatividade é a capacidade de fazer existirem coisas novas ou únicas e que agreguem valor.

36 C = Criatividade Co = Conhecimento I = Imaginação A = Avaliação C = f (Co, I, A) = f (,, ) LASAM

37 Estratégias para Resultados Criativos... Senso de Propósito e/ou Urgência Ambiente Seguro Convite à Diferença

38 AS QUATRO DIMENSÕES DA CRIATIVIDADE

39 Por que perdemos nosso potencial criativo? Apego ao estabelecido Conformidade com a 1ª solução Medo de errar Dar ouvidos à opinião alheia Temor ao desconhecido Fé cega na estatística Isso não tem lógica Isso é muito difícil Deve ser proibido Eu não sou criativo Apego ao estabelecido Conformidade com a 1ª solução Medo de errar Dar ouvidos à opinião alheia Temor ao desconhecido Fé cega na estatística Isso não tem lógica Isso é muito difícil Deve ser proibido Eu não sou criativo Deixe-me ouvir seus bloqueios Deixe-me ouvir seus bloqueios

40 QUATRO GERAÇÕES NO ESTUDO DA CRIATIVIDADE 1ª. Pensamento Criativo Ênfase: Desenvolvimento de Habilidades (anos 50) 2ª. Solução Criativa de Problemas Ênfase: Produtividade (liderança - Buffalo) 3ª. O Viver Criativo Ênfase: Auto-Transformação 4ª. Criatividade como Valor Social Ênfase: Solução de problemas sociais, aberta à vida, à juventude, ao cotidiano

41 Processo Criativo Motivação Preparação Incubação Iluminação Verificação Implementação

42 Esquema de solução de problemas ??? I Um enredo II Busca de fatos III Seleção dos fatos que definem o problema IV Busca de possíveis soluções V Vislumbra-se a solução viável VI Implementação da solução

43 O modelo Osborn-Parnes de solução criativa de problemas PENSAMENTO CONVERGENTE PENSAMENTO DIVERGENTE Definição de objetivo Coleta de Dados Definição do problema Geração de idéias Definição de solução Definição de Aceitação Implemen- tação DOCDDPGIDSDADI

44 A CRIATIVIDADE, A APRENDIZAGEM E O MEIO AMBIENTE Quando nos referimos ao ambiente, estamos considerando dois aspectos distintos: os aspectos físicos, tais como luminosidade, temperatura, acústica, disposição dos móveis, cores das paredes e outros fatores que podem estimular ou comprometer a criatividade; e também os aspectos ambientais, capazes de deixar qualquer pessoa mais confortável e descontraída.

45 Eunice Soriano de Alencar utonomia e flexibilidade presentes. alorização das idéias inovadoras. ncorporação de criatividade, novos procedimentos políticos e experiências. olerância e aceitação das diferenças e diversidades entre seus membros. dministração orientada para o futuro. ntensa atividade de treinamento e aperfeiçoamento de seus quadros. espeito, no ambiente de trabalho, à dignidade e valorização dos indivíduos. apacidade de adaptação em um mundo em rápida mudança, marcado pela incerteza, competição crescente e turbulências. O perfil de uma organiza ç ão criativa

46 ESTADO MENTAL POSITIVO A criação de um estado mental positivo, auxiliado por uma rica variedade de estratégias de apresentação, tais como música, jogos, movimentos e exercícios, mantém os níveis de energia e concentração. Deve-se respeitar, dependendo da idade, o limite de tempo de concentração em uma única atividade. Saber manter o estado mental positivo das pessoas envolvidas – ou o alto astral – reflete a capacidade de liderança do profissional. Aliás, capacidade de liderança é uma das características cada vez mais valorizadas nas organizações contemporâneas.

47 AUTO-ESTIMA A auto-estima e as expectativas pessoais podem afetar intensamente a motivação e o progresso. As atitudes relacionadas ao desenvolvimento da criatividade e da capacidade de aprendizado das pessoas são adquiridas e confirmadas em casa, na escola e na empresa e influem por toda a vida. Pessoas destituídas de auto-estima (ou com este sentimento fortemente abalado) tendem a se tornar excessivamente hesitantes e encontram enorme dificuldade para se defrontar com situações adversas, inesperadas ou desconhecidas.

48 VENCEDORES E PERDEDORES Um vencedor é sempre parte da resposta Um vencedor é sempre parte da resposta Um perdedor é sempre parte do problema Um perdedor é sempre parte do problema Um vencedor sempre tem um programa Um vencedor sempre tem um programa Um perdedor sempre tem uma desculpa Um perdedor sempre tem uma desculpa Um vencedor diz: Deixe-me ajudá-lo Um vencedor diz: Deixe-me ajudá-lo Um perdedor diz: Não é minha obrigação Um perdedor diz: Não é minha obrigação Um vencedor enxerga uma resposta para cada problema Um vencedor enxerga uma resposta para cada problema Um perdedor enxerga um problema para cada resposta Um perdedor enxerga um problema para cada resposta Um vencedor diz: Pode ser difícil, mas é possível Um vencedor diz: Pode ser difícil, mas é possível Um perdedor diz: Pode ser possível, mas é tão difícil Um perdedor diz: Pode ser possível, mas é tão difícil Seja um vencedor!!!

49 INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS A teoria das inteligências múltiplas, de Howard Gardner, sob a ótica do estilo individual de aprendizagem, é largamente aceita como importante fator para o desenvolvimento da criatividade e da AA (Aprendizagem Acelerada). LÓGICO / MATEMÁTICA INTRAPESSOAL CORPORAL / CINESTÉSICA NATURALISTA VERBAL / LINGUÍSTICA INTERPESSOAL VISUAL / ESPACIAL MUSICAL / RÍTMICA

50 IMAGINA Ç ÃO Recomenda-se a utilização de jogos imaginativos e outras atividades combinadas com movimentos físicos, cores e emoções positivas. Técnicas de visualização contribuem para melhorar a criatividade, a memorização, a verbalização, a escrita e outras habilidades. Eu olho para as coisas como elas sempre foram e pergunto: Por quê ? Eu olho para as coisas como elas poderão vir a ser e pergunto: Por que não ? George Bernard Shaw

51 SUGESTÃO Sugestão é algo que deve estar sempre presente nas atitudes do profissional: na linguagem corporal, na escolha das palavras e na expectativa em torno dos colegas. As conquistas dos profissionais, grandes ou pequenas, precisam ser comemoradas

52 COOPERA Ç ÃO

53 Atividades cooperativas permitem que profissionais de todas as habilidades beneficiem-se na realização de suas tarefas, melhorem a comunicação interpessoal e a capacidade de administrar o tempo, além de desenvolverem talentos criativos. Como os métodos tradicionais de ensino – largamente utilizados em nossas escolas e faculdades, e até mesmo em muitos programas de treinamento – priorizam atividades individuais, este item deve merecer uma atenção especial por parte dos educadores/facilitadores, quer na área acadêmica, quer nos programas de treinamento empresarial. Modelo Pedagógico Predominante nas Escolas e Faculdades Ensino Padronizado com Avaliação Individualizada + Método da Memorização

54 CLAREZA E TRANSPARÊNCIA DOS OBJETIVOS Quem não sabe o que procura não percebe quando encontra Caio Domingues

55 O PROCESSO DE APERFEI Ç OAMENTO DA CRIATIVIDADE Se você aprender apenas uma palavra em japonês, que seja KAIZEN Masaaki Imai

56 O dicionário é o único lugar em que o sucesso vem antes do trabalho Mas, pode apostar, vale a pena tentar, pois o resultado é super gratificante. Portanto, mãos à obra: arregace as mangas, prepare-se para um trabalho árduo e boa sorte!!!

57 Provérbio Chinês Quando precisares que façam alguma coisa por ti, procura sempre o homem mais ocupado, pois os outros nunca têm tempo...


Carregar ppt "CRIATIVIDADE Ferramenta para obtenção de diferencial competitividade Prof. Luiz Alberto Machado Jundiaí 10 de outubro de 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google