A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia

2 2 continuação dos: PRINCIPAIS PROBLEMAS AMBIENTAIS DA ATUALIDADE RELACIONADOS COM O USO E GERAÇÃO DE ENERGIA 1. poluição do ar urbano 2. chuva ácida 3. efeito estufa e as mudanças climáticas

3 O efeito estufa é bom ou é ruim para a terra e os seres humanos? 3 o o efeito estufa é um efeito natural que permite a existência de vida na Terra; o ele mantém a Terra aquecida ao impedir que os raios solares sejam refletidos para o espaço e que o planeta perca seu calor; o sem ele a Terra atingiria temperaturas médias abaixo de 10ºC negativos. o aumento da quantidade de gases, oriundos, geralmente, da queima de combustíveis fósseis, tem ampliado este efeito e TEM CAUSADO O AUMENTO DA TEMPERATURA NA TERRA

4 gases causadores do efeito estufa: dióxido de carbono ( CO 2 ) gás incolor, inodor e não venenoso; é o mais significativo e preocupante; devido à grandes quantidade emitidas; e a longa duração de seus efeitos na atmosfera; usado em bebidas, extintor de incêndio; produzido pela queima de combustíveis fósseis (carvão, GN, e petróleo) e pelas queimadas, uso do solo, produção de cimento. 4

5 5 metano (CH 4 ) produzido pela decomposição anaeróbica de resíduos de esgoto, decomposição de matéria orgânica em lagos de usinas, digestão animal, produção e distribuição de combustíveis fósseis (carvão, GN, e petróleo); potencial de aquecimento global é 21 vezes maior que que o CO 2; tempo de permanência na atmosfera é de 12,2 ± 3 anos.

6 6 6 Fonte: Alvalá, 2011 – Metano na Atmosfera

7 7 óxido nitroso (N 2 O) gás do riso (hilariante), provoca contrações faciais; queima da biomassa, de combustíveis fósseis; fabricação de ácido nítrico; emprego de fertilizantes em atividades agrícolas; processos industriais; potencial de aquecimento global é 310 vezes mais que o CO 2; tempo de permanência na atmosfera é de 120 anos.

8 8 cloroflurcarbonetos (CFCs) gás sintetizado industrialmente; não existem fontes naturais; usados em: ar condicionado; refrigeradores; aerossóis; espumas de estofamento. não se dissolvem na baixa atmosfera e sobem até a alta atmosfera, destruindo a camada de ozônio; potencial de aquecimento global é a vezes maior que o CO 2 ; tempo de permanência na atmosfera é de 102 anos. fluidos refrigerantes

9 9 hidrofluorcarbonos (HFC) (não tem cloro) produzidos comercialmente como substitutos dos CFCs usados em: refrigeração; fabricação de semicondutores; espumas de estofamentos e isolamento. potencial de aquecimento global é a vezes maior que o CO 2; tempo de permanência na atmosfera é de 12,1 anos.

10 10 hexafluoreto de enxofre (SF6) usado na indústria pesada como isolante em transformadores; equipamentos elétricos; auxilia na produção de sistemas de resfriamentos de cabos; o potencial de aquecimento global é vezes maior que o CO 2 ; tempo de permanência na atmosfera é de anos. - somente o bromo e o cloro são prejudiciais à camada de ozônio - o bromo é empregado na fabricação de produtos de pulverização, agentes não inflamáveis, produtos para a purificação de águas, corantes, brometos empregados em fotografia (brometo de prata, AgBr), desinfetantes, inseticidas e outros.

11 11 Efeitos destes gases: grande resfriamento estratosférico (2ª camada da atmosfera); aquecimento global médio da superfície; aumento da média global de precipitação; redução do gelo do mar; aquecimento da superfície no inverno polar; aquecimento/ressecamento continental; aumento da precipitação em latitudes altas; aumento da média global do nível do mar.

12 12 Fonte: Quanto maior a concentração dos gases na atmosfera, maior será a quantidade de radiação infravermelha que fica retida no planeta.

13 13 Protocolo de Kyoto é o resultado da reunião da Conferência das Partes no Japão, em 1997; instrumento legal da UNFCCC (Convenção sobre Mudanças Climáticas da ONU); entrou em vigor em 16 Fevereiro de 2005; requer que os países desenvolvidos reduzam em média 5,2 % de suas emissões de gases de efeito estufa no período , comparado aos níveis de 1990; cesta de gases de efeito estufa (CO 2, CH 4, N 2 O, CFCs, HFCs, SF 6 ); isto é apenas um primeiro passo rumo à estabilização.

14 14 ALGUNS DADOS MUNDIAIS E NACIONAIS DE TEMPERATURAS E EMISSÕES

15 15 Fonte: da Nasa/GIS (Goddard Institute for Space Studies), 2011 as anomalias foram calculadas a partir da diferença de temperatura mensal e a média da temperatura entre o período entre 1951 e Esse período de três décadas é a referência para todas as análises apresentadas.

16 16 As marcas destacam os anos mais quentes da história. Em 2005 a anomalia ficou 0.62ºC acima da média. Em 2010 esse valor foi superado, atingindo 0.63ºC acima da média. Em 2011 o valor caiu para 0.52ºC. Fonte: de Nasa/GIS (Goddard Institute for Space Studies), 2011

17 17 Fonte: IEA, CO2 EMISSIONS FROM FUEL COMBUSTION, H I G H L I G H T S

18 18 O Anexo I é a relação dos 40 países e a Comunidade Européia, listados na Convenção do Clima, que assumiram compromissos de reduzir emissões de gases de efeito estufa (GEE). São eles: Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Bielo-Rússia, Bulgária, Canadá, Comunidade Européia, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Federação Russa, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Japão, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Mônaco, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, República Tcheca, Romênia, Suécia, Suíça, Turquia, Ucrânia e Estados Unidos. Os países não-Anexo I" (países em desenvolvimento) são aqueles que não se comprometeram em assumir metas obrigatórias de redução de emissão, apesar de alguns adotarem ações voluntárias nesse sentido.

19 19 Fonte: IEA, CO2 EMISSIONS FROM FUEL COMBUSTION, H I G H L I G H T S

20 20 Fonte: histórico e previsão

21 21 O Relógio Carbônico tem o objetivo de mostrar o incremento de CO 2 na atmosfera a cada instante, apresentando em tempo real uma estimativa da concentração do gás na atmosfera. Para funcionar, o Relógio Carbônico utiliza os dados gerados pelo Laboratório de Monitoramento e Diagnóstico do Clima, localizado a 3500 metros de altitude no observatório de Mauna Loa, no Havaí. Fonte:

22 22 Fonte: IEA, CO2 EMISSIONS FROM FUEL COMBUSTION, H I G H L I G H T S 29 GT

23 23 Fonte: IEA, CO2 EMISSIONS FROM FUEL COMBUSTION, H I G H L I G H T S

24 24 Fonte: IEA, CO2 EMISSIONS FROM FUEL COMBUSTION, H I G H L I G H T S

25 41 Fonte: IEA, CO2 EMISSIONS FROM FUEL COMBUSTION, H I G H L I G H T S

26 26

27 Países da OECD Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Grécia, Islândia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Holanda, Noruega, Portugal, Suécia, Suíça, Turquia, Reino Unido, Alemanha, Espanha, Canadá, Estados Unidos, Japão, Finlândia, Austrália, Nova Zelândia, México, República Tcheca, Hungria, Polônia, Coreia do Sul, Eslováquia, Chile, Eslovênia, Israel, Estônia. 27


Carregar ppt "GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google