A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oficina de Trabalho Coordenadorias Regionais de Educação e Coordenadorias Regionais de Saúde/RS Porto Alegre, 14 de abril de 2010 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oficina de Trabalho Coordenadorias Regionais de Educação e Coordenadorias Regionais de Saúde/RS Porto Alegre, 14 de abril de 2010 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Oficina de Trabalho Coordenadorias Regionais de Educação e Coordenadorias Regionais de Saúde/RS Porto Alegre, 14 de abril de 2010 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA HEPATITE B NA POPULAÇÃO DE 11 A 19 ANOS DE IDADE, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL.

2 Vírus Hepatite B

3 Os principais objetivos das diferentes estratégias de vacinação contra hepatite B são: Prevenir a doença aguda; Impedir a cronificação da hepatopatia, sua evolução para cirrose e/ou hepatocarcinoma; Contribuir para minimizar a transmissão viral.

4 Recém-nascidos preferencialmente nas primeiras 12 horas de vida; Crianças e adolescentes menores de 20 anos de idade. Vítimas de abuso sexual; Comunicantes sexuais de portadores do VHB; Vítimas de acidentes com material biológico positivo ou fortemente suspeitos de infecção por VHB; Profissionais de saúde; Hepatopatas crônicos e portadores de hepatite C; Doadores de sangue; Quem vacinamos?

5 Transplantados de órgãos sólidos ou de medula óssea; Doadores de órgãos sólidos ou de medula óssea; Potenciais receptores de múltiplas transfusões de sangue ou politransfundidos; Nefropatas crônicos/Dialisados/Portadores de Síndrome Nefrótica; Comunicantes domiciliares contínuos com portadores do vírus da hepatite B; Populações indígenas; Quem vacinamos?

6 Gestantes, após o primeiro trimestre de gestação; Lésbicas, bissexuais e transgêneros; Manicures, pedicures e podólogos; Populações de assentamentos e acampamentos; Portadores de DST; Caminhoneiros; Portadores de doenças do sangue; Imunodeprimidos; Profissionais do sexo; Homens que fazem sexo com homens; Coletadores de lixo domiciliar ou hospitalar; Bombeiros, policiais militares, civis e rodoviários; Profissionais envolvidos em atividades de resgate; Hemofílicos. Quem vacinamos?

7 As vacinas contra hepatite B utilizadas nos serviços de saúde são produzidas pela técnica do DNA recombinante, aplicadas em três doses, pela via intramuscular. Em se tratando de hepatite B, a imunoprofilaxia é a medida de maior custo-benefício para controlar a infecção causada pelo vírus, a infecção crônica e a transmissão viral. A vacina contra a hepatite B tem eficácia de 90 a 95%.

8 No Estado, as coberturas vacinais nas diferentes faixas etárias, não têm atingido 95%, valor estimado como ideal para assegurar o controle da doença. Entre as justificativas dos resultados da vacinação contra hepatite B, ressaltam-se: as questões comportamentais de parte da população-alvo (os adolescentes que resistem a vacinação) e o esquema vacinal necessário de três doses, com intervalo longo de 6 meses entre a primeira e a última dose, facilitando o abandono.

9 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA HEPATITE B NA POPULAÇÃO DE 11 A 19 ANOS DE IDADE, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Objetivo Geral: Implementar a vacinação contra o vírus da hepatite B na faixa etária de 11 a 19 anos de idade. Objetivos Específicos: Vacinar, seletivamente, com três doses de vacina contra hepatite B, a população da faixa etária dos 11 aos 19 anos de idade. Realizar atividades de educação em saúde, informando as medidas de prevenção contra as hepatites virais.

10 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA HEPATITE B NA POPULAÇÃO DE 11 A 19 ANOS DE IDADE, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. O Estado do Rio Grande do Sul vem trabalhando em parceria entre as Secretarias Estadual da Saúde e da Educação, com o apoio do Ministério da Saúde e das Secretarias Municipais de Saúde e Educação, para realizar a implementação da vacinação.

11 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA HEPATITE B NA POPULAÇÃO DE 11 A 19 ANOS DE IDADE, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Ações de Comunicação: O CEVS divulgará Nota Técnica para encaminhar à Secretaria da Educação com vistas às 30 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) e para as Coordenadorias Regionais de Saúde. Os profissionais de saúde, professores, pais, comunidade em geral, e a mídia deverão receber ampla informação sobre a estratégia de implementação da vacinação contra hepatite B para a faixa etária de 11 a 19 anos.

12 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA HEPATITE B NA POPULAÇÃO DE 11 A 19 ANOS DE IDADE, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. As Secretarias Municipais de Saúde e de Educação se organizarão de modo a disponibilizar espaço e horário na Rede Estadual de Ensino para a divulgação da proposta de trabalho e para a efetivação da estratégia de vacinação. Nas estratégias de vacinação realizadas nas Escolas, os pais ou responsáveis deverão assinar um Termo de Conhecimento informando não consentir que o aluno sob sua responsabilidade seja vacinado.

13 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA HEPATITE B NA POPULAÇÃO DE 11 A 19 ANOS DE IDADE, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. As doses de vacinas aplicadas serão registradas nos formulários utilizados pelo Programa de Imunizações. Os dados consolidados mensalmente, seguirão o fluxo normal do Sistema de Informações SI-API. SALIENTAMOS QUE AS DOSES APLICADAS DEVERÃO SER REGISTRADAS NA CADERNETA DE VACINAÇÃO.

14 Bióloga Mariana Porto Divisão de Vigilância Epidemiológica


Carregar ppt "Oficina de Trabalho Coordenadorias Regionais de Educação e Coordenadorias Regionais de Saúde/RS Porto Alegre, 14 de abril de 2010 IMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google