A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TRA CURSO CAPACITAÇÃO 2010 TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO TRA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TRA CURSO CAPACITAÇÃO 2010 TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO TRA."— Transcrição da apresentação:

1 TRA CURSO CAPACITAÇÃO 2010 TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO TRA

2 PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO Professores: Antonio Monnerat Aline Monnerat Thainan Marinho Gabriela Salvador

3 TRA Programa FO –UERJ /11 12/11 9:00 ÀS 11:30 – AULA TEÓRICA 11:30 ÁS 12:15 – EXPERIÊNCIAS 13:30 ÀS 14:30 – DEMONSTRAÇÃO TRA 14:30 ÀS 16:30 – PRÁTICA LABORATORIAL] 16:30 ÀS 17:00 – EQUIPE DA ESCOLA DIA 26/11

4 TRA TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO TRA

5

6 TRA Se baseia na remoção de tecido dentário desmineralizado através de instrumentos manuais e preenchimento da cavidade, assim como selamento dos sulcos e fissuras adjacentes com um material adesivo, relativamente estético e que libera flúor. 30/5/ :46

7 TRA TRA Se baseia na remoção de tecido dentário desmineralizado através de instrumentos manuais e preenchimento da cavidade, assim como selamento dos sulcos e fissuras adjacentes com um material adesivo, relativamente estético e que libera flúor. 30/5/ :46

8 TRA TRA - Histórico Tanzânia Tailândia Programa de Saúde Oral Brazzaville (África) Dr. S. Thorpe mais de 80% dos dentes na África permanecem sem tratamento 30/5/ :46

9 TRA DOENÇA CÁRIE ! população ainda sofre da DOENÇA CÁRIE ! Razão : Odontologia Tradicional 30/5/ :46

10 TRA Material Restaurador de Escolha Cimento de Ionômero de Vidro CIV

11 TRA Ionômero para TRA Menor tempo de Presa Fuji IX - GC Vitro Molar – DFL Ketac Molar – ESPE 3M Fuji VIII Meron ART - Voco

12 TRA Liberação de flúor Adesividade Biocompatibilidade Coeficiente de expansão térmica linear próximo à estrutura dental Bom selamento marginal Radiopacidade Baixa Resistência Coesiva CIV - Propriedades

13 TRA CIV - Liberação de Flúor Efeito anticariogênico; Inversão do processo desmineralização; Capacidade de reincorporação de flúor; Liberação ocorre com maior intensidade nas primeiras 24 / 48 horas.

14 TRA Ionômero de Vidro - inovações Imazato SImazato S. Bio-active restorative materials with antibacterial effects: new dimension of innovation in restorative dentistry. Dent Mater J Jan;28(1):11-9 Incorporação de clorexdina a 1% ao CIV reduz a contaminação na dentina infectada e não-infectada

15 TRA Ionômero de Vidro - Cuidados Dosagem e manipulação Consistência Fluida

16 TRA Ionômero de Vidro - Cuidados Dosagem e manipulação Contaminação com Látex

17 TRA Ionômero de Vidro - Cuidados Dosagem e manipulação Contaminação com Látex

18 TRA Ionômero de Vidro - Cuidados Dosagem e manipulação Sem Brilho

19 TRA Tratamento Restaurador Atraumático Comunidades rurais e não-rurais; Não necessita de equipamentos odontológicos; Tecido necrosado removido com instrumentos manuais; Cavidade preenchida com CIV. 30/5/ :46

20 TRA Tratamento Restaurador Atraumático Ambientes Odontológicos Nova Visão do TRA Reduz Custo Reduz tempo de cadeira Reduz Dor Tratamento Biológico 30/5/ :46

21 TRA Tratamento Restaurador Atraumático Saúde Pública: Decíduos Permanentes Posteriores Classe I Permanentes Anteriores Classe III (peq) Permanentes Classe V (cárie) Classe II (?) Isolamento Absoluto (Kemoli et al. 2010) Matriz parcial Cunha 30/5/ :46

22 TRA Tratamento Restaurador Atraumático Outros Grupos Odontologia Hospitalar Home Care Odontogeriatria Pacientes Especiais Pacientes HIV positivos 30/5/ :46

23 TRA O programa de saúde oral da OMS acredita que este seja um dos mais valiosos programas de controle da doença cárie, devendo ser aplicado em programas de atenção primária em saúde oral e sua divulgação pelos países é um de seus maiores objetivos. 30/5/ :46

24 TRA PROMOÇÃO GLOBAL DO TRA OMS O ART deve ser parte integrante de um pacote compreensivo de saúde, que inclui: educação para a saúde prevenção cuidados emergenciais 30/5/ :46

25 TRA ART restorations and glass ionomer sealants in Zimbabwe: survival after 3 years ( ) Frencken, J.E.; Makoni, F.; Sithole, W.D. 297 restaurações uma-face ART em 142 estudantes e 95 selantes (FUJI IX) em 66 estudantes de alto risco Após 3 anos: média de 88.3% dependendo do operador um total de 28 ART em 25 pacientes falharam. Razões : material (5.3%); operador (5.3%); cárie adjacente a restauração (0.5%) Selantes : 71.4% variando de 100 a 55.6% por operador. 96.3% não desenvolveram cáries. Conclusões : operadores experientes contribuem para a longevidade do ART ART /selantes com CIV promovem cuidados preventivos e restauradores de alta qualidade para a população de estudantes Community Dent Oral Epidemiol 1998;26: /5/ :46

26 TRA Vantagens do ART Técnica Democrática Cavidades Ultra-Conservadoras Dor é rara, minimiza anestesia Liberação de Flúor do CIV Reduz cáries secundárias Mineraliza dentina cariada Dois em um = restaurador e preventivo em um procedimento Fácil reparo Baixo custo 30/5/ :46

27 TRA Possibilita que pessoas de um nível sócio-econômico mais desfavorecido tenham acesso à saúde oral. 30/5/ :46 Kevin David

28 TRA Limitações ART Baixa resistência à compressão do CIV Fadiga Muscular (mãos) CIV – Sensível à dosagem e manipulação Ausência de sofisticação da técnica - distanciamento de profissionais – população desinformada 30/5/ :46

29 TRA J Appl Oral Sci Apr;17(2): Dental practitioners' attitudes, subjective norms and intentions to practice atraumatic restorative treatment (ART) in Tanzania. Kikwilu ENKikwilu EN, Frencken JE, Mulder J, Masalu JR.Frencken JEMulder JMasalu JR Apesar da redução de cárie em 93% na Tanzânia, os autores relatam que a maior barreira ao desenvolvimento do programa é a atitude preconceituosa do CD.

30 TRA Principais Questionamentos Uso de remoção química da cárie Longevidade Classe II – falhas proximais Novos materiais – mais resistentes

31 TRA J Appl Oral Sci Apr;16(2): Comparison of two minimally invasive methods on the longevity of glass ionomer cement restorations: short-term results of a pilot study. Barata TJBarata TJ, Bresciani E, Mattos MC, Lauris JR, Ericson D, Navarro MFBresciani EMattos MCLauris JREricson DNavarro MF Carisolv e ART convencional Não há diferenças entre TRA convencional e Remoção Química- mecânica qto à longevidade. Uso de remoção química da cárie

32 TRA Longevidade J Adhes Dent Jun;10(3):233-7 Six-year evaluation of the atraumatic restorative treatment approach in permanent-tooth Class III restorations. Prakki APrakki A, Nunes MC, Cefaly DF, Lauris JR, Navarro MFNunes MCCefaly DFLauris JRNavarro MF 6 Anos de Estudo em Classes III 73,6% de manutenção das restaurações livres de cárie 13,9 % soltaram parcialmente – sem cárie 9,5% foram substituídas 3% estão infiltradas ou desgastadas

33 TRA Classe II – falhas proximais Clin Oral Investig Dec;11(4): Epub 2007 Aug 21 van Gemert-Schriks MCvan Gemert-Schriks MC, van Amerongen WE, ten Cate JM, Aartman IHvan Amerongen WEten Cate JMAartman IH Three-year survival of single- and two-surface ART restorations in a high- caries child population Estudo Longitudinal de TRA em crianças – Classe II Restaurações Classe II utilizando CIV convencional mostrou baixa longevidade – 43%

34 TRA Classe II – falhas proximais J Appl Oral Sci Apr;16(2): Comparison of two minimally invasive methods on the longevity of glass ionomer cement restorations: short-term results of a pilot study. Barata TJBarata TJ, Bresciani E, Mattos MC, Lauris JR, Ericson D, Navarro MFBresciani EMattos MCLauris JREricson DNavarro MF 568 cavidades classe II 54% de retenção após 2 anos.

35 TRA Novos materiais – mais resistentes J Dent Child (Chic) Sep-Dec;74(3):203-8 Cefaly DFCefaly DF, Barata TJ, Bresciani E, Fagundes TC, Lauris JR, Navarro MF.Barata TJBresciani EFagundes TCLauris JRNavarro MF Clinical evaluation of multiple-surface ART restorations: 12 month follow-up Comparação do Ketac Molar e Fuji VIII GP – 12 meses 100% de retenção no Fuji VIII GP 93% de retenção com Ketac Molar

36 TRA TRA Convencional ou Clássico TRA Modificado ou Clínico

37 TRA Atividades Educativas Palestra e IHO individualizada Palestras a Pais, Professores e Líderes Comunitários Anamnese e Exame Clínico com coleta de dados Escolha por um quadrante Profilaxia (escova e creme dental) TRA Convencional ou Clássico

38 TRA Escolha por um quadrante TRA Convencional ou Clássico

39 TRA Acesso com Cinzel ou Machado Remoção do Tecidos Cariado com Colher de Dentina Pouco Afiada TRA Convencional ou Clássico

40 TRA Acesso com Cinzel ou Machado TRA Convencional ou Clássico

41 TRA Remoção do Tecidos Cariado com Colher de Dentina Pouco Afiada TRA Convencional ou Clássico

42 TRA Limpeza da cavidade com Clorexdine (opcional) Isolamento relativo Secagem da cavidade com algodão Manipulação do CIV Utilização de espátula ou dedo para inserção Compressão com dedo indicador com vaselina Aguardar 4 a 5 minutos Remoção de excessos com sonda dou holemback Aplicação de resinoso Adesivo químico TRA Convencional ou Clássico

43 TRA TRA Convencional ou Clássico

44 TRA TRA Convencional ou Clássico

45 TRA TRA Convencional ou Clássico

46 TRA TRA Convencional ou Clássico

47 TRA TRA Convencional ou Clássico

48 TRA TRA Convencional ou Clássico

49 TRA TRA Convencional ou Clássico

50 TRA TRA Convencional ou Clássico

51 TRA Possibilidades CIV Foto em classes II CIV Foto em dentes tratados endodonticamente Resinas em cavidades estéticas Utilização de pinos pré-fabricados convencionais TRA Modificado ou Clínico

52 TRA APROVEITEM A OPORTUNIDADE DE RECEBER ALGO MAIS DA SUA PROFISSÃO: TRANSFORME AQUILO QUE VOCÊ SABE EM SORRISOS PARA QUEM NÃO TEM O QUE DAR EM TROCA

53 TRA OBRIGADO!


Carregar ppt "TRA CURSO CAPACITAÇÃO 2010 TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO TRA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google