A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Igreja e Sociedade: Diálogo ou rivalidade? por Wagner Amaral 54ª ASSEMBLÉIA DA AIBRECES ÁGUAS DE LINDÓIA, 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Igreja e Sociedade: Diálogo ou rivalidade? por Wagner Amaral 54ª ASSEMBLÉIA DA AIBRECES ÁGUAS DE LINDÓIA, 2012."— Transcrição da apresentação:

1

2 Igreja e Sociedade: Diálogo ou rivalidade? por Wagner Amaral 54ª ASSEMBLÉIA DA AIBRECES ÁGUAS DE LINDÓIA, 2012

3 AIBRECES TENSÃO Eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo (João 17.16). crise de identidade sociedade indevida O que é acertar o alvo?

4 AIBRECES Tensão: Religião e Política Israel SingularteocraciaSingularteocracia

5 AIBRECES ISRAELIGREJA DiferençasDiferenças Nação terrena Localidade definida Constituição Relacionamento político Promessas terrenas Povo espiritual Sem terra, sem localidade definida Sem lei Sem relacionamento político Promessas celestiais

6 AIBRECES ISRAELIGREJA SemelhançasSemelhanças Povo formado por Deus Santificado Com a tarefa de evangelizar Com promessa de vida eterna

7 AIBRECES Tensão: Religião e Política Israel SingularteocraciaSingularteocracia Igreja Primeiro como perseguida Depois como coadjuvante E, então, como poderosa Solidificando sua identidade; acertando o alvo. Tendo uma crise de identidade. Assumindo sociedade indevida.

8 AIBRECES Surge a época da igreja, politicamente falando; reis e escravos, pais e filhos, ricos e pobres, todos buscavam não contrariar o lado divino, deixando de atender alguma exigência de sua porta-voz na terra, a igreja. A verdade era determinada pelos absolutos que a própria igreja selava. Nesse sentido Igreja e sociedade se confundiam. Tanto o público como o privado era determinado pelo religioso. A igreja perdeu sua identidade original; assim como sua característica de santa; e sua missão de evangelizar; cedendo ao poder. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo (1 João 2.16).

9 AIBRECES Tensão: Religião e Política Israel SingularteocraciaSingularteocracia Igreja Primeiro como perseguida Depois como coadjuvante E, então, como poderosa MODERNIDADE

10 AIBRECES Duas noções fundamentais estão diretamente relacionadas ao moderno: A IDÉIA DO PROGRESSO A VALORIZAÇÃO DO INDIVÍDUO A modernidade foi alcançando todos os segmentos da sociedade, influenciando os pensamentos e decisões, imprimindo seu humanismo. FILOSOFIA ARTE MÚSICA CULTURA TEOLOGIA A Igreja reagiu a explosão externa da Renascença com a força que lhe restava. Mas, sucumbiu com a implosão, vinda com a Reforma Protestante.

11 AIBRECES Tensão: Religião e Política Israel SingularteocraciaSingularteocracia Igreja Primeiro como perseguida Depois como coadjuvante E, então, como poderosa A religião retorna ao papel de coadjuvante, e a política assume o papel principal A política é elevada ao público; e a religião é destinada ao privado. Surge, então, a TOLERÂNCIA. MODERNIDADE

12 AIBRECES Para resolver os conflitos dogmáticos que naturalmente se transformariam em conflitos civis, vieram as tentativas teológicas, como os colóquios de Haguenau, Worms, e Ratisbonne, em podemos facilmente nos convencer que é impossível que a paz chegue da parte de um consentimento mútuo dos teólogos; pois se pudesse, as penas e cuidados infatigáveis dos ministros há quarenta anos teriam certamente conseguido esta paz O Estado, então, concorrente da Igreja, aproveitou a oportunidade. Se a solução não poderia ser religiosa, deveria ser política. Subordinou-se estritamente ao Estado o poder espiritual. Assumiu com vigor o papel de estabelecer a lei; e estabeleceu-se a tolerância. Tolerância implica em renunciar o estar de acordo para viver em paz. Tolerância implica em resignar-se a viver no desacordo sobre o que há de mais importante naquilo que se crê. Assim, a paz vem da pluralidade.

13 AIBRECES Tensão: Religião e Política Israel SingularteocraciaSingularteocracia Igreja Como perseguida Como coadjuvante Como poderosa A religião retorna ao papel de coadjuvante, e a política assume o papel principal A política é elevada ao público; e a religião é destinada ao privado Surge a TOLERÂNCIA MODERNIDADE Ciência AtualAtual SociologiaAntropologiaPsicologiaSociologiaAntropologiaPsicologia Processo de secularização Reencan- tamento do mundo

14 AIBRECES SociologiaAntropologia e outras ciências Processo de secularização Desencantamento do mundo Com o surgimento de novos movimentos religiosos Declínio da secularização Reforço da secularização Reencantamento do mundo

15 AIBRECES Tensão: Religião e Política Israel SingularteocraciaSingularteocracia Igreja Como perseguida Como coadjuvante Como poderosa A religião retorna ao papel de coadjuvante, e a política assume o papel principal A política é elevada ao público; e a religião é destinada ao privado Surge a TOLERÂNCIA MODERNIDADE Ciência AtualAtual SociologiaAntropologiaPsicologiaSociologiaAntropologiaPsicologia Processo de secularização Reencan- tamento E NÓS?

16 AIBRECES Qual é a nossa visão? Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno (1Jo. 5.19). Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre (1Jo ). Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo? (2Co )

17 AIBRECES Qual é a nossa tensão? Vivemos em um país laico. Com influência religiosa diversificada; mas, predominantemente cristã. Queremos usufruir do que nos é conveniente: 1. Tolerância para conosco. 2. Benefícios institucionais. 3. União ao Estado em projetos. 4. Separação do Estado (privado). 5. Liberdade de expressão. 6. O mundo como oposição.

18 AIBRECES Qual é a nossa tensão? Vivemos em um país laico. Com influência religiosa diversificada; mas, predominantemente cristã. Mas, nos incomodamos com a conveniência dos outros: 1. Intolerância a outras crenças. 2. Questionamento a benefícios. 3. Tentativa de conversão do Estado (público). 4. Discussão, arranjos e parceria política (público). 5. O mundo como nós.

19 AIBRECES Qual é a nossa tensão? Exemplos: 1. Postura e posicionamento em época de eleição. 2. Decepção diante da conduta inadequada dos políticos. 4. Participação antiética nos pecados da sociedade. 5. Expectativa de vivência dos princípios divinos por parte da sociedade (filhos honrar pais e mães). 6. Disputa nas tendências, assimilando a influência mundana; e, ignorando seu verdadeiro objetivo. 3. Decepção com o conteúdo apresentado pela sociedade.

20 AIBRECES O que é acertar o alvo? Não é tornar-se amigo, ou semelhante ao mundo, afinal a expectativa de Cristo era exatamente a impossibilidade disso. Não é assumir parceria para projetos; por mais que estes cooperem com o bem estar da sociedade. Não é viver a expectativa de que a sociedade entenda, aceite, e viva em conformidade com os princípios divinos; pois para isso se faz necessário conversão. Acertar o alvo, como igreja, nos direciona para o seu propósito. Eu lhes tenho dado a tua palavra, e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como também eu não sou (Jo ). Eles procedem do mundo; por essa razão, falam da parte do mundo, e o mundo os ouve. Nós somos de Deus (1Jo a).

21 AIBRECES Qual é a nossa ação? Adorar ao Senhor, servindo através da evangelização, do discipulado e do louvor que o glorifica. Implica em ter um caráter santo. Implica em ter a tarefa de evangelizar. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos (Mt ). Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados (Ef. 4.1). Portanto digo isto, e testifico no Senhor, para que não mais andeis como andam os gentios, na verdade da sua mente, entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração (Ef ). E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai (Cl. 3.17).

22 AIBRECES Como igreja, ou mesmo como associação de igrejas (movimento), temos sido coerentes com nossa fé; e corretos em nossa expectativa e relacionamento com o mundo? Temos assumido nossa missão; realçando o caráter santo de nosso Deus; e entendido que nosso relacionamento com o mundo visa a evangelização e não a parceria?

23


Carregar ppt "Igreja e Sociedade: Diálogo ou rivalidade? por Wagner Amaral 54ª ASSEMBLÉIA DA AIBRECES ÁGUAS DE LINDÓIA, 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google