A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANTIVIRAIS Tratamento / Profilaxia de doenças causadas por vírus. Menores seres infecciosos. Vida exclusivamente parasitária. Acido Nucleico (RNA/DNA)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANTIVIRAIS Tratamento / Profilaxia de doenças causadas por vírus. Menores seres infecciosos. Vida exclusivamente parasitária. Acido Nucleico (RNA/DNA)"— Transcrição da apresentação:

1 ANTIVIRAIS Tratamento / Profilaxia de doenças causadas por vírus. Menores seres infecciosos. Vida exclusivamente parasitária. Acido Nucleico (RNA/DNA) com envoltório proteico (capsídeo)

2 ANTIVIRAIS Material Genético – DNA ou RNA - informações necessárias para a produção de novos vírus. Capsídio – envoltório protéico do vírus. Protege o ácido nucléico e tem a capacidade de combinar-se quimicamente com substâncias na superfície da célula. Alguns vírus podem apresentar lipídio, proveniente da membrana da célula onde se originaram. Vírion – partícula viral quando fora da célula hospedeira. Especificidade viral – vírus só consegue infectar a célula que tiver em sua membrana substâncias às quais ele possa se ligar - ataca apenas determinados tipos de células.

3 ANTIVIRAIS Virus Vírus - não possuem parede celular e sistemas enzimáticos não suceptíveis a antibióticos Quimioterapia antiviral: Replicação viral X células de mamíferos Diagnóstico tardio – estágio final da multiplicação do vírus Infecção viral - resposta imunológica - linfócitos B - sistema secretor IgA - linfócitos T

4 ESQUEMA GERAL DOS MODOS DE INFECÇÃO VIRAL

5 INFLUENZA: O VÍRUS DA GRIPE

6 TERAPIA ANTIVIRAL Características desejadas: Amplo espectro Inibição completa da replicação viral Capacidade de atingir o alvo sem interferir com o sistema imune do hospedeiro Toxicidade mínima Atividade frente a mutantes resistentes

7 TERAPIA ANTIVIRAL VIRUCIDAS (atuam na partícula viral intacta) ANTIVIRAIS (inibição da replicação) IMUNOMODULADORES (modificam a reposta imunológica)

8 PLANEJAMENTO RACIONAL DE AGENTES ANTIVIRAIS Inibição da fixação, penetração e liberação do material genético viral Inibição da síntese de ácidos nucléicos Inibição da tradução do RNAm viral Inibição da transcriptase reversa (TR) Inibição das proteases virais

9 Fármacos que atuam inibindo a fixação, penetração e estágios iniciais da replicação viral

10 ADAMANTANAS Infecções por influenza (influenza A) e hepatite C crônica Inibe penetração da partícula viral no hospedeiro Bloqueia desencapsulação do genoma viral e transferência deste para a célula hospedeira impedimento estérico do canal iônico formado pela proteína viral M2

11 INTERFERON Fator antiviral natural Glicoproteínas produzidas por células de mamíferos em bactérias por técnicas de recombinação genética. Tipos: a, b e g - apenas o a é utilizado em infecções virais. Liga em receptores de superfície em células infectadas ® inibe transcrição e tradução de RNAm viral Eficazes em infecções por vírus da Hepatite B, hepatite C, papilovírus, herpes e cancer (sarcoma de Kaposi).

12 HEPATITE VIRAL Conceito: a hepatite viral ocorre quando um vírus causa infecção e inflamação do fígado. Os vírus que causam hepatite viral são denominados de vírus da hepatite A, B, C, D e E. Todos esses tipos de vírus causam uma hepatite viral aguda. Porém, os vírus das hepatites B, C e D podem causar infecção crônica e prolongada, às vezes por toda a vida. A Hepatite crônica (ou prolongada) pode causar cirrose, insuficiência hepática (mau funcionamento do fígado) e também câncer hepático. Outros tipos de vírus que menos freqüentemente afetam o fígado e causam hepatite são o citomegalovirus (CMV); Epstein- Barr vírus (EBV), herpes vírus; parvovirus e adenovirus.

13 VIRUS HEPATITE A

14 VIRUS HEPATITE B

15 VIRUS HEPATITE C

16 NOVAS CHANCES CURA Dois novos remédios contra hepatite C começarão a ser vendidos no mercado americano este ano para reduzir a duração do tratamento e elevar a porcentagem de cura para 75%. A medicação disponível até o momento para essa doença só é efetiva em 40% dos pacientes que sofrem da variação mais comum do vírus. A droga também pode causar graves efeitos colaterais. Espera-se que a agência de vigilância sanitária dos EUA, Food and Drug Administration (FDA), aprove os novos remédiosno meio do ano. Muitos pacientes diagnosticados recentemente decidiram adiar o tratamento para poder usar esses novos remédios. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças a hepatite C é a infecção crônica transmitida pelo sangue mais comum nos Estados Unidos, com 3,2 milhões de portadores. Dois terços das pessoas com hepatite C nasceram no baby boom dos anos 1960 (período em que a natalidade cresceu de forma acentuada), e têm o vírus há anos, já que a doença pode demorar duas ou três décadas para se manifestar. Um comitê consultivo americano votou por unanimidade a favor de um segundo medicamento para a hepatite C, o Telaprevir, da Vertex Pharmaceuticals, um dia depois de ter aprovado o remédio do laboratório Merck para combater a doença, que ataca o fígado.O comitê, que faz recomendações à agência americana de controle de medicamentos (FDA), havia dado seu apoio na quarta-feira ao Boceprevir da Merck.

17 INIBIDORES DE NEUROAMINIDASE Atuam em vírus influenza Neuraminidase – cliva ligações glicosídicas entre ácido siálico e açúcar adjacente danos à ligação do vírus ao alvo pelas HA Fármacos inibidores semelhantes ao estado de transição cristalografia da NA sítio e mecanismo de ligação com ác. siálico

18 Fármacos que atuam interferindo com a replicação de DNA/RNA viral

19 URIDINAS Uridinas Análogos da timidina Ativos contra DNA-vírus trifosfato de idoxuridina é incorporado no DNA viral formação de proteínas virais defeituosas TRIFOSFATO DE IDOXURIDINA

20 ACICLOVIR Aciclovir, AGENTE ANTIHERPÉTICO Análogo sintético da 2-desoxiguanosina Início da terapia antiviral seletiva Ativo contra DNA-vírus Tratamento de: Herpes Vírus e Varicela- Zoster.

21 RIBAVIRINA Ribavirina Ativo em infecções por DNA e RNA-vírus (amplo espectro) Hepatite A, B e C; influenza A e B; parainfluenza e herpes Análogo da guanosina

22 VIDARABINA Vidarabina Ativo em infecções encefálicas por HSV-1 e HSV-2 resistentes a aciclovir, idoxuridina e citarabina

23 FOSCARNETO Foscarneto Ativo contra citomegalovírus em pacientes imunocomprometidos, HSV-1 e HSV-2, cepas resistentes a aciclovir Análogo sintético não-nucleosídeo do pirofosfato inorgânico

24 AIDS Mais de 30 milhões de pessoas infectadas no mundo Vírus – habilidade de mutar – rápido desenvolvimento de resistência TRATAMENTO: 1 o estágio: fármacos específicos inibidores de transcritase reversa inibidores de proteases de HIV 2 o estágio: infecções oportunistas – fármacos variados

25 VÍRUS HIV

26 COMO O HIV SE REPRODUZ

27 ZIDOVUDINA Zidovudina (AZT) Análogo da timidina azidotimidina Ativo contra RNA-vírus tumorais (retrovírus) Potente contra HIV-1 e HIV-2, EB vírus Bloqueio da síntese da cadeia de DNA pois não tem o grupo 3-OH Causa anemia macrocítica, neutropenia, granulocitopenia

28 DIDANOSINA Didanosina (DDI) Análogo da inosina (H nas posições 2e 3) Pró-fármaco bioativo da didesoxiadenosina trifosfato (ddATP)

29 Inibidores da Trancriptase Reversa Não Nucleosídeos. nevirapina infecções por HIV resistente a AZT Uso em combinação com AZT e DDI nas células CD4 Derivado da dipiridodiazepinona liga na transcritase reversa TR de HIV-2 e DNA polimerase humana não são inibidas por nevirapina.

30 Não Nucleosideos:Inibidor da Trancriptase Reversa. efavirenz Potente inibidor da transcritase reversa em cepas resistentes e mutantes de HIV-1 Uso em combinação com indinavir nas células CD4 Muito utilizado em terapias combinadas

31 Não Nucleosideos:Inibidor da Trancriptase Reversa. efavirenz Potente inibidor da transcritase reversa em cepas resistentes e mutantes de HIV-1 Uso em combinação com indinavir nas células CD4 Muito utilizado em terapias combinadas

32 PROTEASE DE HIV Enzima aspartílica essencial para o crescimento do vírus Responsável pelas modificações póstradução que geram as proteínas estruturais

33 FARMACOS RECENTES fumarato de disoproxil tenofovir Anti-HIV inibidor da transcritase reversa USA, Gilead Science Viread TM

34 FARMACOS 2002 cloridrato de valganciclovir pró-fármaco do ganciclovir Ativo contra citomegalovirus Suíça, Roche/USA Valcyte TM

35 FARMACOS 2003 atazanavir Inibidor de protease 1 o fármaco da classe aprovado para dose única ao dia Menos lipodistrofia e hipercolesterolemia como efeitos colaterais

36 FARMACOS 2003 enfuvirtida (peptídeo biomimético) Inibidor da fusão (1 o fármaco de nova classe de anti-retrovirais) Custo estimado da terapia nos EUA - USD$ ao ano uso contra HIV multi-resistente Mecanismo de ação: rompe o maquinário molecular do HIV-1 no estágio final de fusão com a célula alvo, previnindo a infecção de novas células

37 FARMACOS 2003 entricitabina (FTC) - Emtriva ® ( Gilead Sciences) Inibidor da transcritase reversa nucleosídico Análogo da citidina Semelhante à lamivudina (3TC) – resistência cruzada

38 FÁRMACOS 2003 fosamprenavir - Lexiva ® (GlaxoSmithKline) Pró-fármaco do amprenavir (inibidor de protease) Liberação lenta de amprenavir – diminuição do n o de comprimidos necessários

39 FARMACOS 2005 Tipranavir - Aptivus ® (Boehringer Ingelheim) Inibidor de protease não-peptídico ativo em vírus resistentes a outros inibidores de protease Resitência só ocorre com mutações múltiplas

40 FARMACOS EM ESTUDO viramidina (ICN 3142) – Valeant Pharmaceuticals Testes clínicos em humanos - Fase III Pró-fármaco da ribavarina (amplo espectro) Melhor direcionamento para o fígado promessa para hepatite viral e febre amarela


Carregar ppt "ANTIVIRAIS Tratamento / Profilaxia de doenças causadas por vírus. Menores seres infecciosos. Vida exclusivamente parasitária. Acido Nucleico (RNA/DNA)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google