A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Desenvolvimento Sustentável Quebra de um Paradigma Energético M.Sc. in Engineering Policy and Management of Technology Macroeconomia miguel faria 2.6.2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Desenvolvimento Sustentável Quebra de um Paradigma Energético M.Sc. in Engineering Policy and Management of Technology Macroeconomia miguel faria 2.6.2006."— Transcrição da apresentação:

1 Desenvolvimento Sustentável Quebra de um Paradigma Energético M.Sc. in Engineering Policy and Management of Technology Macroeconomia miguel faria

2 Introdução ao Conceito Paradigma Actual Modelos de Crescimento Económico Análise dos Resultados Paradigma Futuro Conclusões Índice

3 Conceito "Sustainable development is development that meets the needs of the present without compromising the ability of future generations to meet their own needs." Brundtland Report, 1987 Teoria de Malthus 1798 Clube de Roma 1968 World Business Council for Sustainable Development Brundtland Report, UN

4 Conceito População Exponencial Recursos Crescimento Arimético 1, 2, 4, 8, 16, 32, 64, 128, 256, 512, … 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, … Consequência : Fim das Civilizações

5 Evolução Histórica Madeira 200 anos passaram e nada aconteceu!!! Regime Energético Carvão Petróleo Desflorestação: Avanços na Agricultura Mudanças Transportes Indústria... Máquina a Vapor: Revolução Industrial ??? Fase de Maior Expansão Económica da História

6 Paradigma Actual Total Dependência dos Combustíveis Fósseis Dependência dos Países Produtores: Instabilidade Geopolítica Efeitos Ambientais: efeito estufa, acidez dos solos, nevoeiros fotoquímicos, eutroficação Limitação das Reservas (Bottleneck na Oferta) Menor Crescimento Económico: Efeito Cascata: Aumento dos Preços: Aumento Inflação, Aumento das Taxas de Juro, Diminuição do Consumo (particulares), do Investimento (empresas) e da Factura Energética (Estado)

7 Paradigma Actual PEGADA ECOLÓGICA forma de medir o impacto humano na Terra. Este conceito exprime a área produtiva equivalente de terra e mar necessária para produzir os recursos utilizados e para assimilar os resíduos gerados por uma dada unidade de população Indicador de Sustentabilidade

8 Modelos de Crescimento Económico Endógenos: AK e Schumpeter Vantagem do Modelo de Schumpeter pois permite diferenciar inovação de outros tipos de investimento em actividades menos correlacionadas com o conceito de desenvolvimento sustentável. Exógeno: Solow-Swan (Modelo Analisado)

9 Modelo de Solow-Swan Em que: Y - Output B - tecnologia K - capital L - Trabalho Acumulação de Capital Função Produção Em que: s – investimento n – crescimento população d – depreciação g – progresso tecnológico

10 Modelo de Solow-Swan Economias caminham para o Steady-State A esquerda desse ponto (k 0 ) A rapidez do crescimento depende do capital inicial (k 1 ) À direita do mesmo entra-se numa situação de retorno decrescente do capital A variável que permite fazer incrementar os níveis do steady-state é progresso Tecnológico Desenvolvimento Económico Sustentado: Situação em que as variáveis (dependentes e independentes) do modelo estão a crescer a taxas constantes Observações ao Modelo

11 Recurso: Terra Em que: T - terra Taxa de Crescimento Função Produção Em que: g y – crescimento económico g – progresso tecnológico n – crescimento da população

12 Recurso: Terra β = 0 Conclusões Crescimento Económico = Progresso Tecnológico Para se manter um crescimento sustentado há que manter o ritmo de progresso tecnológico a crescer a taxas superiores ao efeito multiplicativo do crescimento populacional com o efeito do recurso fixo: Terra

13 Recursos não Renováveis Função Produção Em que: E – energia necessária à produção Quando o Sistema usa uma certa quantidade de recursos o seu stock futuro diminui à taxa: Considerando a Fracção de Energia remanescente no Sistema: Intensidade Energética

14 Recursos não Renováveis Função Produção Em que: R 0 – stock inicial do recurso Função Energia

15 Recursos não Renováveis Função Produção Comentários A intensidade energética (s E ), aparece duas vezes na equação representando sinais contraditórios: Um uso mais intensivo de energia aumenta o output do sistema pelo efeito multiplicativo no stock inicial do recurso. Por outro lado, se o recurso é usado de forma mais intensiva isto irá fazer com que a quantidade do mesmo vá diminuindo mais rapidamente no sistema (expoente da equação com sinal negativo).

16 Recursos não Renováveis Conclusões Para se manter um crescimento sustentado há que manter o ritmo de progresso tecnológico a crescer a taxas superiores ao efeito multiplicativo do efeito dos recursos não renováveis pelo crescimento populacional mais a intensidade com que é usado o recurso

17 Conclusões do Modelo Terra + Recursos Não Renováveis os recursos não renováveis e a terra têm um efeito negativo no crescimento económico tendo o progresso tecnológico a missão de crescer a uma taxa superior a estes recursos de forma a manter g y (taxa de crescimento do output) positivo.

18 Análise de Resultados Terra não é um Recurso Fixo! Com o uso de tecnologia, fertilizantes, métodos organizacionais mais avançados aliados ao crescimento económico acelerado no último século, a exploração deste recurso tornou-se numa forma de produção intensiva elevando a quantidade de solos áridos (não aproveitáveis para a produção). Taxa de Crescimento Económico Em que: s T – intensidade do uso do recurso Terra

19 Análise de Resultados Efeito da Poluição não é considerado! Quantificação de Externalidades Alterações Climáticas Todas estas variáveis – terra, recursos não renováveis, poluição – estão em contínuo desafio com o progresso tecnológico. Quando a taxa de crescimento do progresso tecnológico (g y ) não for suficiente para contrabalançar os efeitos das varáveis referidas em epígrafe, o desenvolvimento económico entrará em declínio podendo mesmo caminhar para o zero. Teoria de Malthus

20 Paradigma Futuro Quebra do actual regime Energético? MadeiraCarvãoPetróleoHidrogénio

21 Paradigma Futuro Peak Oil: limitação do recurso energético Curva de Sino de Hubbert

22 Paradigma Futuro Emergência dos BRIC Rapidez de Crescimento: distância ao Steady-State crescimento Demográfico Politicas Institucionais Estratégia de Mercado

23 Paradigma Futuro Consequências: - Aumento acentuado da poluição, uma vez que são países menos eficientes na alocação de recursos energéticos à produção; - Pressão adicional na procura de energia. - Pressão demográfica, ao analisar quantitativamente as populações que emergirão destes países.

24 Paradigma Futuro Quantificação de Externalidades - Como é calculada e aplicada esta taxa e a que produtos? - Como é que são penalizados as empresas que não cooperam? -Internalização dos custos -Principio do Poluidor-Pagador: Taxa Pigouviana Dúvidas

25 Paradigma Futuro Desenvolvimento Sustentável 3 Pilares Fundamentais: -Protecção do Ambiente -Desenvolvimento Económico -Coesão Social O sector energético apresenta fortes impactos e oportunidades a explorar em cada um destes pilares.

26 Paradigma Futuro Futurologia! Matéria-prima ilimitada que está ao acesso de todos, induzindo na sociedade o conceito de produção descentralizada de energia. convertendo o actual paradigma vertical e centralizado num regime democrático e horizontal, uma vez que cada um poderá processar a sua energia. A adopção de novas fontes de energia contribuirá para um crescimento económico mais sustentado aliado a uma maior equidade e distribuição de riqueza e, desta formas, contribuir para uma crescente coesão social Economia do Hidrogénio

27 Conclusões do modelo de crescimento económico de Solow-Swan, concluiu-se que o uso de recursos não renováveis (no qual mais tarde se provou que a variável Terra faz parte) tem um efeito nefasto no crescimento económico, somente sendo suprimido pelo efeito do progresso tecnológico. No passado as transições energéticas ocorridas vieram responder à procura crescente de Energia por parte das populações. Somente nos últimos anos, a sociedade tem despertado a consciência para a crise energética existente com o uso de combustíveis fósseis. Não só existe uma total dependência desta matéria-prima nos nossos dias (rigidez na procura) como também a oferta está limitada às suas finitas e decrescentes reservas.

28 Conclusões A mudança de paradigma energético é vital para fortalecer os 3 pilares do desenvolvimento sustentável: -Protecção do Ambiente: Adopção de tecnologias mais limpas e eficientes. 1 -Desenvolvimento Económico: 2 B – aumenta pela adopção de novas tecnologias (progresso tecnológico) - o coeficiente s E vai deixar de ter um impacto negativo na equação pela adopção de Hidrogénio (inesgotável) 3 -Produção descentralizada de Energia: Maior Equidade e distribuição de Riqueza.


Carregar ppt "Desenvolvimento Sustentável Quebra de um Paradigma Energético M.Sc. in Engineering Policy and Management of Technology Macroeconomia miguel faria 2.6.2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google