A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

OFERTA AGREGADA E DEMANDA AGREGADA: CURVAS DE CURTO E LONGO PRAZO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "OFERTA AGREGADA E DEMANDA AGREGADA: CURVAS DE CURTO E LONGO PRAZO."— Transcrição da apresentação:

1 OFERTA AGREGADA E DEMANDA AGREGADA: CURVAS DE CURTO E LONGO PRAZO

2 Modelo OA-DA 46. (AFRF 2000) Considerando o modelo de oferta e demanda agregada; considere ainda que, no longo prazo os preços são flexíveis, mas no curto prazo, verifica-se rigidez total nos preços. Então, é correto afirmar que: a)deslocamentos na demanda agregada afetam o produto agregado tanto no curto quanto no longo prazo. A diferença entre os dois casos está apenas no grau de intensidade dos efeitos da demanda sobre o produto. b)deslocamentos na demanda agregada no longo prazo só afetam o nível de preços; já no curto prazo, tais deslocamentos só afetam o produto agregado. c)no longo prazo, deslocamentos na demanda agregada afastam o produto agregado do seu nível de pleno emprego. Tal efeito, entretanto, não ocorre no curto prazo. d)tanto no curto quanto no longo prazo, deslocamentos na demanda agregada afastam o produto do seu nível de pleno emprego. A diferença está nos efeitos desses deslocamentos sobre a inflação. e)tanto no curto quanto no longo prazo, o produto agregado encontra-se em seu nível de pleno emprego. Assim, deslocamentos da demanda agregada só causam efeitos sobre a inflação, cuja intensidade é maior no longo prazo.

3 48. (AFTN 1998) A respeito da demanda agregada derivada do modelo IS/LM, é correto afirmar que: a) se for válida a Teoria Quantitativa da Moeda, a curva de demanda agregada é vertical. b) se a demanda por moeda for infinitamente elástica em relação à taxa de juros, a demanda agregada será horizontal. c) uma queda na taxa de juros associada a uma queda no nível de preços levará ao deslocamento da demanda agregada para a direita devido ao aumento do investimento. d) um aumento do gasto público, ao provocar uma elevação da taxa de juros, levará a um deslocamento da demanda agregada para a esquerda. e) um aumento da oferta de moeda levará a um deslocamento da demanda agregada para a direita, pois para qualquer nível de preços teremos menores taxas de juros. Modelo OA-DA

4 52. (BACEN, Analista) Com relação ao modelo de oferta e demanda agregada, é incorreto afirmar que: a) se os preços e salários são fixos no curto prazo, deslocamentos da demanda agregada afetam o emprego. b) uma redução na oferta monetária só afeta o nível de produto se houver alguma rigidez de preços e salários. c) a diferença entre curto e longo prazo no modelo é explicada pela rigidez nos preços e salários. d) se os preços e salários são perfeitamente flexíveis, deslocamentos na curva de demanda agregada tendem a exercer grande influência sobre o produto. e) não é necessário rigidez total de preços e salários para que deslocamentos na demanda agregada afetem o produto. Modelo OA-DA

5 OFERTA AGREGADA E DEMANDA AGREGADA: CHOQUES DE OFERTA

6 44. (AFRF, 2002) Considere o modelo de oferta e demanda agregada, sendo a curva de oferta agregada horizontal no curto prazo. Considere um choque adverso de oferta. Supondo que não ocorram alterações na curva de demanda agregada e que o choque de oferta não altere o nível natural do produto, é correto afirmar que: a) no curto prazo, ocorrerá o fenômeno conhecido como "estagflação": uma combinação de inflação com redução do produto. No longo prazo, com a queda dos preços, a economia retornará a sua taxa natural. b) no curto prazo, ocorrerá apenas queda no produto. No longo prazo, ocorrerá inflação e a economia retornará para o equilíbrio de longo prazo. c) no curto prazo, ocorrerá apenas inflação. No longo prazo, o produto irá cair até o novo equilíbrio de pleno emprego. d) se o governo aumentar a demanda agregada em resposta ao choque adverso de oferta, ocorrerá deflação. e) se a economia encontra-se no pleno emprego, ocorrerá inflação que será mais intensa no longo prazo em relação ao curto prazo. Modelo OA-DA

7 45. (AFRF ) Considere: curva de demanda agregada derivada do modelo IS/LM curva de oferta agregada de longo prazo horizontal (VERTICAL) curva de oferta agregada de curto prazo vertical (HORIZONTAL Considere a ocorrência de um choque adverso de oferta como, por exemplo, uma elevação nos preços internacionais do petróleo. Supondo que este choque não desloca a curva de oferta agregada de longo prazo, é correto afirmar que: a) uma elevação na demanda tenderá a intensificar a queda no produto que decorre do choque de oferta. b) o choque adverso de oferta aumenta os custos e, portanto, os preços. Se não houver alterações na demanda agregada, teremos uma combinação, no curto prazo, de preços crescentes com redução do produto. No longo prazo, com a queda dos preços, a economia retornará ao seu nível de pleno emprego. c) se não ocorrer deslocamentos na curva de demanda agregada, o choque de oferta causará deflação. d) o choque de oferta alterará apenas o produto de pleno emprego. e) não ocorrerá alterações nem nos preços nem no nível do produto, tanto no curto quanto no longo prazo, uma vez que, se o choque de oferta não desloca a curva de oferta de longo prazo, também não deslocará a curva de oferta de curto prazo. Modelo OA-DA

8 OFERTA AGREGADA E DEMANDA AGREGADA: INFLAÇÃO INERCIAL

9

10 47. (AFRF 2000) Considere a seguinte equação: t - t-1 = A onde: t = taxa de inflação em t ( t-1 = taxa de inflação em t -1); A = choques exógenos; e > 0. Com base nesta equação, pode-se afirmar que: a)a trajetória da inflação dependerá de A e. Se A > 0 ou se > 0, a inflação será crescente; mas se A = 0, independente de, a inflação será estável. b)a trajetória da inflação dependerá principalmente de A. Neste sentido, a inflação será estável somente se A = 0. c) Supondo a ausência de choques exógenos a trajetória da inflação dependerá exclusivamente do termo. Se > 1, a inflação será explosiva; se = 1 a inflação será inercial; e se < 1, a inflação será decrescente. d)a trajetória da inflação, pela equação, será sempre crescente, independente dos valores de A e. e)não é possível, a partir da equação, prever uma situação de inflação inercial. Modelo OA-DA

11 OFERTA AGREGADA E DEMANDA AGREGADA: CURVA DE PHILLIPS

12 51. (AFTN 1996) É verdade que: a) de acordo com a curva de Philips, quando o emprego cai abaixo da taxa natural, a inflação tende a permanecer constante. b) a teoria das expectativas racionais afirma que as pessoas formam expectativas usando otimamente toda informação disponível, exceto a informação sobre políticas correntes, para prever o futuro. c) de acordo com a hipótese da taxa natural, no curto prazo, produto e desemprego são potencialmente afetados por flutuações na demanda agregada e choques de oferta agregada. d) se a inflação esperada depende da inflação observada recentemente, então a inflação tem um componente inercial. Isto implica que reduzir inflação requer um choque de oferta positivo ou um período de desemprego brando. e) se as pessoas têm expectativas racionais, a política monetária pode ser utilizada para aumentar o nível do produto no longo prazo. Modelo OA-DA

13 49. (AFTN 1998) Em relação à curva de Phillips é correto afirmar que: a) com expectativas racionais, a taxa de desemprego diferente da taxa natural está associada à variação não antecipada na inflação. b) considerando expectativas racionais, o desemprego sempre estará na taxa natural. c) choques de oferta não afetam a inflação. d) a persistência do desemprego abaixo da taxa natural só é possível se a inflação for crescente e valerem as expectativas racionais. e) considerando expectativas adaptativas, o governo pode reduzir o desemprego permanentemente sem aumento da inflação. LINK PAD Modelo OA-DA


Carregar ppt "OFERTA AGREGADA E DEMANDA AGREGADA: CURVAS DE CURTO E LONGO PRAZO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google