A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MACROECONOMIA II Prof. Nivaldo Camilo SEÇÃO 1. A Curva de Phillips: Desemprego e Inflação –Curva de Phillips de Curto Prazo – 50/60 –Curva de Phillips.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MACROECONOMIA II Prof. Nivaldo Camilo SEÇÃO 1. A Curva de Phillips: Desemprego e Inflação –Curva de Phillips de Curto Prazo – 50/60 –Curva de Phillips."— Transcrição da apresentação:

1 MACROECONOMIA II Prof. Nivaldo Camilo SEÇÃO 1

2 A Curva de Phillips: Desemprego e Inflação –Curva de Phillips de Curto Prazo – 50/60 –Curva de Phillips de Longo Prazo – 70/80 –Curva de Phillips Ampliada pelas Expectativas Conteúdo da Seção 2 SEÇÃO 1

3 Qual é a relação entre esses dois aspectos: crescimento e inflação? A forma mais tradicional de verificar essa relação é a chamada Curva de Phillips, segundo a qual existe uma relação inversa entre taxa de inflação e taxa de desemprego. Crescimento x Inflação 3 SEÇÃO 1

4 Quanto maior a primeira, menor será a segunda e vice-versa. Assim, se o governo quiser reduzir a taxa de desemprego por meio de uma política expansionista, ele acabará gerando mais inflação. Desemprego x Inflação 4 SEÇÃO 1

5 Para analisar a Curva de Phillips, considere-se o conceito de taxa natural de desemprego. Esta corresponde à taxa de desemprego quando a economia se encontra no produto potencial, isto é, produto de pleno emprego. Taxa de Desemprego 5 SEÇÃO 1

6 Quando a economia está na taxa natural, pode-se assumir uma igualdade entre oferta e demanda agregada, não existindo pressões para alteração dos preços. Quando a taxa de desemprego for superior, significa que existem fatores de produção desempregados, excesso de oferta; assim, haverá uma pressão por queda nos preços. Taxa de Desemprego 6 SEÇÃO 1

7 E, quando a taxa de desemprego for inferior à taxa natural, estarão faltando fatores e haverá excesso de demanda, pressionando a elevação dos preços. Assim, pode-se escrever a Curva de Phillips como sendo: П = - β (μ - μ N ) П = taxa de inflação β = elasticidade da inflação em relação aos desvios da taxa de desemprego μ = taxa de desemprego μ N = taxa natural de desemprego. Desemprego x Fatores de Produção 7 SEÇÃO 1

8 П = - β (μ - μ N ) Note-se que, de acordo com esta equação, quando a taxa de desemprego for igual à taxa natural, a taxa de inflação será zero. A inflação será positiva se o desemprego estiver abaixo da taxa natural e será negativa (deflação) se o desemprego estiver acima. ( Essa relação pode ser vista no gráfico a seguir ) Taxa Natural e Inflação 8 SEÇÃO 1

9 Análise Gráfica Inflação x Desemprego 9 SEÇÃO 1

10 Se essa relação for estável, abre-se a possibilidade para o governo manter a economia sempre com uma baixa taxa de desemprego, desde que aceite determinada taxa de inflação. Tal visão foi criticada por vários autores por desconsiderar as expectativas dos agentes econômicos. Esses autores alegam que, quando se tem uma inflação recorrente, os agentes passam a se antecipar à inflação, remarcando seus preços sem alterar a quantidade produzida. Taxa Natural e Inflação 10 SEÇÃO 1


Carregar ppt "MACROECONOMIA II Prof. Nivaldo Camilo SEÇÃO 1. A Curva de Phillips: Desemprego e Inflação –Curva de Phillips de Curto Prazo – 50/60 –Curva de Phillips."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google