A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Inflação. Sumário Introdução Formas de controle inflacionário Inflação e desemprego: a curva de Phillips Inflação no Brasil.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Inflação. Sumário Introdução Formas de controle inflacionário Inflação e desemprego: a curva de Phillips Inflação no Brasil."— Transcrição da apresentação:

1 Inflação

2 Sumário Introdução Formas de controle inflacionário Inflação e desemprego: a curva de Phillips Inflação no Brasil

3 INTRODUÇÃO FORMAS DE CONTROLE INFLACIONÁRIO INFLAÇÃO E DESEMPREGO: A CURVA DE PHILLIPS INFLAÇÃO NO BRASIL Guia

4 Introdução O quê é a inflação? A inflação pode ser conceituada como um aumento contínuo e generalizado do nível geral de preços. Pode também ser é a queda do valor de mercado ou poder de compra do dinheiro.

5 Introdução Quais são os efeitos da inflação? Podemos resumi-los em: 1. Efeito sobre a distribuição de renda; 2. Efeito sobre o balanço de pagamentos; 3. Efeito sobre os investimentos; 4. Efeito sobre o mercado de capitais.

6 Introdução 1. Efeito sobre a distribuição de renda: Uma das distorções mais sérias provocadas pela inflação diz respeito à redução do poder aquisitivo das classes que dependem de rendimentos fixos, que possuem prazos legais de reajuste assalariados. Os seus orçamentos vão ficando mais reduzidos, assim como o seu poder de compra, até a chegada de um novo reajuste. Distribuição desigual de renda

7 Introdução 2. Efeito sobre o balanço de pagamentos: Elevadas taxas de inflação, em níveis superiores ao aumento de preços internacionais, encarecem o produto nacional relativamente ao produzido no exterior; Aumento das importações e redução das exportações. Queda do saldo da balança comercial

8 Introdução Círculo vicioso: Para minimizar o déficit da balança desvalorização da moeda nacional aumento da exportações queda nas importações importações essenciais se tornam mais caras aumenta o custo do produto aumentando a inflação.

9 Introdução 3. Efeito sobre os investimentos: Outra distorção provocada por elevadas taxas de inflação prende-se à formação de expectativas sobre o futuro e, portanto, sobre a decisão de investir no setor privado. Queda nos investimentos

10 Introdução 4. Efeito sobre o mercado de capitais: Num processo inflacionário intenso, o valor da moeda deteriora-se rapidamente, ocorrendo o desestímulo à aplicação de recursos no mercado de capitais. Mas no Brasil, este efeito foi minimizado pelo mecanismo de correção monetária dos papéis públicos e das cadernetas de poupança.

11 Introdução Quais são as principais causas da inflação? Excesso de demanda; Aumento dos custos.

12 Introdução Excesso de demanda: A inflação de demanda, o tipo clássico de inflação, é quando a demanda é superior à oferta gerando os aumento dos preços:

13 Introdução Aumento dos custos: A inflação de custos pode ser associada a uma inflação tipicamente de oferta. O nível de demanda permanece o mesmo, mas os custos de certos insumos aumentam e eles são repassados aos preços dos produtos:

14 INTRODUÇÃO FORMAS DE CONTROLE INFLACIONÁRIO INFLAÇÃO E DESEMPREGO: A CURVA DE PHILLIPS INFLAÇÃO NO BRASIL Guia

15 Controle da inflação São duas as principais estratégias adotadas de controle de inflação: Sistema de Metas de Inflação; Núcleo de Inflação.

16 Controle da inflação Sistema de Metas de Inflação: Trata-se de uma política criada na Nova Zelândia e empregada na Inglaterra, Chile e outros países, em que se estabelece uma faixa para a inflação futura, controlada através de política monetária, principalmente pela taxa de juros. No Brasil, este sistema foi adotado a partir de As autoridades monetárias fixam os limites de variação para os próximos 2 anos. E a cada 45 dias, o BC controla a taxa de juros básica (Selic), de acordo com as expectativas do mercado: Viés de alta; viés neutro; viés de baixa.

17 Controle da inflação Núcleo de inflação: É um índice de preços em que são eliminadas as variações transitórias (geadas, elevação do preço do petróleo), que não provocam pressões persistentes sobre os preços, após cessado o período crítico, a produção e os preços tendem a voltar aos níveis anteriores. É o sistema adotado pelos Estados Unidos. O controle da taxa de juros baseia-se nas variações do no núcleo da inflação, em que são expurgados os preços de energia e de alimentação. A taxa de inflação somente irá aumentar se houver um excesso persistente de demanda em relação à capacidade produtiva.

18 INTRODUÇÃO FORMAS DE CONTROLE INFLACIONÁRIO INFLAÇÃO E DESEMPREGO: A CURVA DE PHILLIPS INFLAÇÃO NO BRASIL Guia

19 A curva de Phillips A curva de Phillips é um trade-off entre inflação e desemprego, que permite analisar a relação entre ambos, no curto prazo. Segundo esta teoria, desenvolvida pelo economista neozelandês Willian Phillips, quanto mais alta a taxa de desemprego, menor a de inflação, e vice-versa. Essa relação, entretanto, não é válida no longo prazo, porque não há nenhuma troca significante entre inflação e desemprego, uma vez que a taxa de desemprego é basicamente independente da taxa de inflação conforme outras variáveis vão se alterando.

20 A curva de Phillips

21 Em 1960, Friedman e Phelps concluiram que inflação e desemprego e não são relacionados no longo prazo como resultado, a curva de Phillips de longo prazo é vertical na taxa natural de desemprego. A curva de Phillips

22

23 No fim dos anos 60, começaram a surgir trabalhos enfatizando o papel das expectativas dos agentes, principalmente sobre a inflação esperada; Contestou-se a estabilidade da curva de Phillips, alegando-se que quando há inflação recorrente, os agentes passam a se antecipar à inflação, remarcando os seus preços sem alterar a produção Curva de Phillips acelerada.

24 A curva de Phillips

25 Nessa versão, pode ocorrer inflação simplesmente porque os agentes acreditam que haverá inflação, ou seja, não existe mais um trade- off estático entre a inflação e o desemprego.

26 INTRODUÇÃO FORMAS DE CONTROLE INFLACIONÁRIO INFLAÇÃO E DESEMPREGO: A CURVA DE PHILLIPS INFLAÇÃO NO BRASIL Guia

27 A inflação no Brasil No Brasil, podemos perceber três correntes de pensamento quando tratamos do assunto inflação, são elas: Estruturalistas; Liberais; Inercialistas.

28 A inflação no Brasil Estruturalistas: pressupõe que a inflação está associada estreitamente a tensões de custos. Segundo essa corrente, as causas da inflação no Brasil são resultado das pressões: Os capitalistas lucro O governo impostos Os trabalhadores salários

29 A inflação no Brasil Liberais: associa a inflação brasileira ao desequilíbrio crônico do setor público. A necessidade de financiar a dívida pública leva ao aumento das emissões e ao excesso de moeda e conseqüentemente de demanda, resultando na elevação dos preços. Os economistas desta corrente advogam por uma economia de mercado, com menor intervenção do estado na atividade econômica.

30 A inflação no Brasil Inercialistas: os mecanismos de indexação formal (contrato, aluguéis, salários) e informal ( reajustes de preços no comércio, tarifas públicas) provocam a perpetuação da taxa de inflação anteriores, que são sempre repassadas a preços correntes. Mesmo sem aumento dos custos, muitos setores elevam os seus preços pela inflação geral do país, divulgada pelas instituições de pesquisa.

31 Revisão 1. Conceitue inflação 2. Quais são os seus principais efeitos 3. O quê é inflação de demanda? 4. Quais são as principais causas da inflação? 5. Comente a curva de Phillips


Carregar ppt "Inflação. Sumário Introdução Formas de controle inflacionário Inflação e desemprego: a curva de Phillips Inflação no Brasil."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google