A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA LICENCIATURA EM ORGANIZAÇÂO E GESTÃO DE EMPRESAS 2º SEMESTRE – ANO LECTIVO 2004/2005 Economia Global.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA LICENCIATURA EM ORGANIZAÇÂO E GESTÃO DE EMPRESAS 2º SEMESTRE – ANO LECTIVO 2004/2005 Economia Global."— Transcrição da apresentação:

1 INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA LICENCIATURA EM ORGANIZAÇÂO E GESTÃO DE EMPRESAS 2º SEMESTRE – ANO LECTIVO 2004/2005 Economia Global Aula teórica 8: O crescimento económico

2 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre O Crescimento Económico Alguns factos do crescimento económico O modelo de Solow Pressupostos do modelo Caracterização do equilíbrio Considerações sobre os efeitos da política económica Os resultados do modelo e a evidência empírica Os modelos de crescimento endógeno: O modelo AK Os pressupostos do modelo Caracterização do equilíbrio A convergência no contexto do modelo AK Modelo de Solow vs Modelo AK: uma análise comparada

3 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Bibliografia Bibliografia fundamental: Mankiw (2000), Macroeconomics, Capítulos 4 e 5, Worth Publishers, New York. Mankiw Bibliografia complementar: Mendes, V. e Vale, S. (2002), "Conhecimento e Novas Perspectivas sobre o Crescimento Económico" Mendes, V. e Vale, S. The Economist (2000), "Knowledge is Power" The Economist The Economist (1997), "Knowledge Factory" The Economist The Economist (2001), "Technology and Development" The Economist UNCTAD (1999), World Development Report 1999 - Chapter 02 (The Global Race for Knowledge) UNCTAD

4 Porque razão: mais elevado O rendimento real de um cidadão europeu é hoje dez vezes mais elevado que no início do século XX? O rendimento real de um cidadão europeu é hoje 45 vezes superior que início do século XIX? Nas últimas décadas: Alguns países se desenvolveram muito rapidamente? E outros que eram pobres, permanecem hoje nessa condição?

5 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Teorias do crescimento económico O modelo de Solow - Ponto de partida das teorias modernas do crescimento - Explica o crescimento económico com base: - 1. Na acumulação de factores: - Aumento do stock de capital - Aumento da população activa - 2. No progresso tecnológico Crescimento económico Acumulação de factores Progresso tecnológico

6 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre economia Empresas Produzem bens e serviços a partir de inputs Famílias Oferecem trabalho Poupam uma fracção constante do seu rendimento – s Poupança = s*Rendimento = s * Y Esta poupança é canalizada para investimento Os níveis iniciais de capital, trabalho e tecnologia são dados o modelo não explica as diferenças nos pontos de partida das várias economias

7 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Função de produção Estabelece a ligação entre os factores de produção e o produto Factores de produção: Factores de produção: Trabalho (L) Trabalho (L) Cresce à taxa constante - n Stock de capital (K) Stock de capital (K) Deprecia-se à taxa constante - δ Tecnologia (E) Tecnologia (E) Progresso tecnológico (PT) Cresce à taxa constante e exógena – g PT actua tornando os trabalhadores cada vez mais eficientes Outras características da função de produção: Outras características da função de produção: Rendimentos constantes à escala (i.e. duplicação das quantidades de factores provoca a duplicação do produto). Produtividade marginal do capital é: Positiva ( k y) Decrescente ( k y cada vez menores) A função de produção Y =F(K, E*L) Z*Y=F(z*K, z*E*L)

8 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Função de produção Passando das variáveis em níveis para variáveis por trabalhador eficiente vem: ou seja, Rendimento por trabalhador eficiente (y) Racio capital-trabalho eficiente (k) y = f(k) Produto

9 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre hipóteses sobre progresso tecnológico (e) Y=F(K,L*E) E E representa a eficiência do trabalho depende do: Conhecimento dos trabalhadores sobre avanços nas técnicas de produção ( conhecimento trabalhadores tornam-se mais produtivos) Saúde Educação Qualificações Hipótese Hipótese: PT apresenta uma taxa de crescimento constante g Tx de crescimento da força de trabalho em unidades de eficiência Tx de crescimento da força de trabalho em unidades de eficiência = = taxa de crescimento da população (n) + taxa de PT (g) = Dos trabalhadores = n+g

10 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre A dinâmica de transição - Em cada período … O stock de capital: sofre uma depreciação devido ao: desgaste da utilização () progresso tecnológico (g) crescimento populacional (n) sofre um reforço resultante do investimento Expansão do stock de capital = s f(k) Depreciação total do stock de capital =(+ g+ n)k Variação do stock de capital por trabalhador eficiente no processo de transição:

11 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Caracterização do equilíbrio o conceito de estado estacionário (EE) EQUILÍBRIO = ponto que designamos por ESTADO ESTACIONÁRIO DEFINIÇÃO - ponto no qual: DEFINIÇÃO - ponto no qual: Taxa de crescimento do stock de capital em unidades de trabalho eficiente é nula. Poupança = s f(k) = sy Depreciação do stock de capital = ( +n +g)k Poupança = Depreciação do stock de capital por trabalhador eficiente

12 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre A representação gráfica do equilíbrio Investimento Depreciação Racio capital-trabalho eficiente (k) sy = sf(k) investimento ( +n +g)k depreciação de k ESTADO ESTACIONÁRIO No estado estacionário: k*k*

13 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre quando o estado estacionário é alcançado: A economia mantém-se nesse ponto (é um ponto de equilíbrio) Δk=0 Δy=0 VariávelTx crescimento no EE Capital por trabalhador eficientek = K/(E * L)0 Produto por trabalhador eficientey = Y/(E * L)0 Produto por trabalhadorY/L = y * Eg Produto totalY= y * E * Ln+g As taxas de crescimento das variáveis no estado estacionário:

14 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre E se a economia não estiver no estado estacionário? Se k 0 < k*? Investimento Depreciação sy = sf(k) ( +n +g)k ESTADO ESTACIONÁRIO k k0k0 k*k* De que modo se processa o ajustamento? Em k 0 - a poupança é maior que os recursos necessários para compensar a depreciação do stock de capital stock de capital por trabalhador eficiente no período seguinte a economia estará em k 1 Este processo continuará até se alcançar k* - ponto no qual a taxa de crescimento do stock de capital por trabalhador eficiente é nula k1k1

15 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre E se a economia não estiver no estado estacionário? Se k 0 > k*? Se k 0 > k* - a poupança acumulada em cada período não compensa a depreciação do stock de capital k sy = sf(k) ( +n +g)k k k0k0 k*k* Investimento Depreciação K diminui porque a depreciação é superior ao investimento

16 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Resumindo Modelo de Solow Interpretação: independentemente do ponto inicial ou grau de desenvolvimento, as dinâmicas existentes na economia conduzem-na ao equilíbrio Quando a economia não está no estado estacionário, encontra-se a convergir para esse equilíbrio.

17 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Que variáveis condicionam o EE? Taxa de desgaste do stock de capital Taxa de crescimento da população Taxa de poupança Taxa de progresso tecnológico O bem-estar (em termos do rendimento per capita e do consumo per capita) é tanto maior quanto: > a taxa de poupança < a taxa de crescimento da população > taxa de PT

18 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre O que acontece quando a taxa de poupança aumenta? Processo de ajustamento para o novo ponto de equilíbrio: Em k 1 * : investimento > depreciação do stock de capital O stock de capital aumenta até se atingir k 2 *. Durante a transição: y, c e k crescem a taxas mais elevadas. Quando k 2 * é alcançado a economia atinge o novo EE a taxa de crescimento de k regressa a zero Taxa de poupança A economia terá um novo ponto de equilíbrio Caracterizado por: Consumo e rendimento per capita mais elevados

19 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre A dinâmica de uma economia Figura: Os estados de um processo dinâmico: (i) a situação inicial; (ii) o processo de transição dinâmica; (iii) o equilíbrio de longo prazo Fonte: Mendes, V. e Vale, S. (2002), "Conhecimento e Novas Perspectivas sobre o Crescimento Económico"Mendes, V. e Vale, S.

20 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Os efeitos de um aumento exógeno da taxa de crescimento da população sy ( 0 +n 0 +g 0 )k k k0*k0* Investimento Depreciação ( 0 +n 1 +g 0 )k ( 0 +n 0 +g 0 )k ( 0 +n 1 +g 0 )k k1*k1* Taxa de crescimento da população A economia terá um novo ponto de equilíbrio Caracterizado por: Consumo e rendimento per capita mais baixos

21 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Os efeitos de um aumento exógeno da taxa de progresso tecnológico y 1 = f(k) y 2 = f(k) Rendimento por trabalhador eficiente (y) Racio capital-trabalho eficiente (k) PT - permite um crescimento no bem-estar

22 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre políticas públicas para aumentar o bem-estar das populações Política de estimulo à poupança Poupança total = poupança privada + poupança publica Governantes podem contribuir para o aumento de poupança através: Diminuição das despesas publicas (redução do défice orçamental) Benefícios fiscais que incentivem a poupança privada Políticas de investimento publico que direccionem recursos para: Infra-estruturas Capital humano Políticas que impulsionem o progresso tecnológico – exemplo: Consolidação do sistema nacional de patentes Apoio a projectos de I&D Subsídios a departamentos de investigação das universidades...

23 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre De acordo com o modelo de solow … É previsível que os níveis de desenvolvimento das economias se aproximem? Resposta: DEPENDE Se as economias tiverem as mesmas características estruturais (i.e. taxas de crescimento da população, de poupança e de progresso tecnológico iguais) irão aproximar-se No processo de convergência a economia mais atrasada apresentará taxas de crescimento maiores do que as mais desenvolvidas Exemplo: Japão e Alemanha no pós IIGG face aos EUA Se as economias tiverem características estruturais distintas Cada economia convergirá para o seu EE O processo de aproximação/convergência entre economias não ocorrerá Exemplo: Bangladesh ou Uganda face aos EUA SIM NÃO

24 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre se duas economias apenas se diferenciarem pelos níveis de capital iniciais, o que esperar? Exemplo: Japão e Alemanha depois da IIGG face às outras economias desenvolvidas. A economia mais pobre por contar com um stock de capital mais reduzido tem uma produtividade marginal do capital mais elevada pelo que apresentará taxas de crescimento mais elevadas. sy = sf(k) ( +n +g)k ESTADO ESTACIONÁRIO k k0k0 k*k*

25 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre e se duas economias se diferenciarem em mais do que nos níveis de capital iniciais? o que esperar? Fonte: Mendes, V. e Vale, S. (2002), "Conhecimento e Novas Perspectivas sobre o Crescimento Económico"Mendes, V. e Vale, S.

26 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Os modelos de crescimento end ó geno: O modelo AK No modelo de Solow A tx de crescimento de longo prazo apenas depende da taxa de PT – mas o modelo não especificava qualquer determinante desta tx Surgimento de teorias que explicam as taxas de crescimento a partir de decisões sociais como sejam as decisões de poupança modelos de crescimento endógeno: O modelo AK

27 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre será que a hipótese de rendimentos marginais decrescentes admitida no modelo de solow se justifica sempre? Supondo que a função de produção apresenta rendimentos constantes à escala e não rendimentos marginais decrescentes, de que modo se alteram as conclusões? y k sy k y=f(k) Rendimentos marginais decrescentes y k sy k y=f(k) Rendimentos marginais constantes Deixa de haver Estado Estacionário k0k0 k0k0 k*k*

28 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Com rendimentos constantes à escala Ex. de uma função de produção com rendimentos constantes à escala:Y=AK Como explicar esta especificação? Considerando que K abrange: capital físico+capital humano Evolução do stock de capital nesta economia: ΔK= sY – δK Realizando algumas manipulações vem: ΔY/Y = sA – δ Se sA > δ o produto cresce indeterminadamente e este crescimento será tanto maior quanto maior for s

29 Economia Global Ano lectivo 2004/2005 – 2º semestre Modelo de Solow vs Modelo AK: uma an á lise comparada - Um aumento da taxa de poupança provoca: Qual o modelo que mais se aproxima da realidade? - Depende do conceito de capital que mais se adequar ao contexto em análise No modelo de Solow - Stock de capital mais elevado - Aumento do nível de rendimento mas uma vez alcançado o EE: - a economia volta a registar às txs de crescimento iniciais No modelo AK - inicia-se um processo de crescimento permanente


Carregar ppt "INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA LICENCIATURA EM ORGANIZAÇÂO E GESTÃO DE EMPRESAS 2º SEMESTRE – ANO LECTIVO 2004/2005 Economia Global."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google