A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

2º Encontro de Ciência e Tecnologia do Paraná Guarapuava, 28 de outubro de 2008 Resgate da ciência pela cultura – O papel do jornalismo Marcelo Leite

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "2º Encontro de Ciência e Tecnologia do Paraná Guarapuava, 28 de outubro de 2008 Resgate da ciência pela cultura – O papel do jornalismo Marcelo Leite"— Transcrição da apresentação:

1 2º Encontro de Ciência e Tecnologia do Paraná Guarapuava, 28 de outubro de 2008 Resgate da ciência pela cultura – O papel do jornalismo Marcelo Leite

2 Sumário da apresentação 1. Ciência e Cultura 2. Jornalismo Científico Fontes Critérios Texto 3. Meios e fins Reportagens Colunas (opinião) Blog Livros

3 Informações biográficas Escrevo aos domingos a coluna Ciência em Dia, no caderno mais! da Folha, da qual fui editor de Ciência, Opinião, Mundo e Ombudsman (defensor do leitor) Autor de 12 livros sobre ciência, de Folha Explica/Os alimentos transgênicos (2000) a Ciência, Use com Cuidado (coletânea de colunas, Ed. Unicamp) No prelo: Fogo Verde (série de ficção infanto-juvenil paradidática Ciência em Dia, Ed. Ática) Blog Ciência em Dia:

4 Informações biográficas Graduado em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP em 1979 Doutorado em Ciências Sociais pela Unicamp em 2005 – tese publicada pela Editora Unesp sob o título Promessas do Genoma (2007) Prêmio José Reis de Jornalismo Científico de 2005 Em , Nieman Fellow na Universidade Harvard (EUA) Bolsista da Fundação Krupp na Alemanha ( ), com estágios na revista Bild der Wissenschaft e no diário Stuttgarter Zeitung

5 Sumário da apresentação 1. Ciência e Cultura 2. Jornalismo Científico Fontes Critérios Texto 3. Meios e fins Reportagens Colunas (opinião) Blog Livros

6 CIÊNCIA E CULTURA O que é cultura? André Lalande: A. No sentido mais estrito e mais próximo do sentido material, desenvolvimento (ou resultado do desenvolvimento) de certas faculdades, do espírito ou do corpo, por um exercício apropriado).

7 CIÊNCIA E CULTURA O que é cultura? André Lalande: B. Mais genericamente e usual: 1. Característica de uma pessoa instruída e que desenvolveu seu gosto, seu senso crítico e seu juízo por meio dessa instrução; 2. educação que tem por efeito essa característica.

8 CIÊNCIA E CULTURA O que é cultura? Nelson Abbagnano: O termo tem dois significados básicos. O primeiro e mais antigo é aquele pelo qual significa a formação do homem, o seu melhorar-se e refinar-se.

9 CIÊNCIA E CULTURA O que é cultura? Nelson Abbagnano: O segundo significado é aquele pelo qual se indica o produto dessa formação, isto é, o conjunto dos modos de viver e de pensar cultivados, civilizados, que se costumam também indicar pelo nome civilização. A passagem do primeiro ao segundo significado operou-se no séc. XVIII por obra da filosofia iluminista.

10 CIÊNCIA E CULTURA O que é cultura? Immanuel Kant, Crítica do Juízo: A produção, em um ser racional, da capacidade de escolher os próprios fins em geral (e portanto de ser livre) é a cultura

11 CIÊNCIA E CULTURA QUEM FOI…? Machado de Assis, Guimarães Rosa Tarsila do Amaral, Victor Brecheret Ludwig van Beethoven, J.S. Bach Ernesto Nazareth, Heitor Villa-Lobos Platão, Sócrates, Aristóteles Alfred Hitchcock, Ingmar Bergman Cartola, Nelson do Cavaquinho Dom João VI, Dom Pedro I...

12 CIÊNCIA E CULTURA QUEM FOI…? Jacques Monod, François Jacob James Watson, Francis Crick Paulo Vanzolini, Aziz Ab´Sáber Erwin Schrödinger, Erwin Chargaff Linus Pauling, Ernst Mayr César Lattes, José Leite Lopes Richard Dawkins, Edward O. Wilson Rosalind Franklin, Barbara McClintock...

13 CIÊNCIA X CULTURA? Para a maioria das pessoas, a ciência natural não faz parte do mundo da cultura Como ser livre (autônomo), no mundo contemporâneo, sem ter noção do que se passa no campo da pesquisa tecnocientífica?

14 DEMANDA POR ENTENDIMENTO Agenda política internacional e de cada país está cheia de temas complexos mudança climática global dilemas éticos sobre biotecnologias (células-tronco, pesquisa com embriões humanos, privacidade genética, reprodução assistida, clonagem, transgênicos) energia nuclear, hidrelétricas na Amazônia e energias alternativas escassez de água biodiversidade, biopirataria etc.

15 A ALIENAÇÃO DA CIÊNCIA Especialização desenfreada: até os cientistas são leigos nas áreas em que não são... especialistas Acesso cortado a uma das áreas mais vivas da cultura (Iluminismo) Vocações científicas sufocadas no berço

16 A ALIENAÇÃO DA CIÊNCIA Imperativo: resgatar ciência natural para a esfera da cultura O resgate se faz por meio de tradução Tradutores juramentados: Educação científica (a praia dos professores) Divulgação científica (revistas, ensaios, museus, documentários etc.) Jornalismo científico (e crítica de ciência...)

17 A CIÊNCIA NÃO É INFALÍVEL Como qualquer outra atividade humana, a ciência é: imperfeita interessada inconclusiva incompreendida Em uma palavra, discutível

18 ATITUDE CRÍTICA Debater a ciência é a missão primeira do jornalismo científico E não reproduzir acriticamente uma ideologia de objetividade, consenso ou clarividência Os próprios cientistas não operam mais com base nessa ideologia

19 A ARMADILHA DA POLARIZAÇÃO Exemplo de fracasso: controvérsia sobre transgênicos no Brasil Jornalistas chegaran muito tarde ao tema (soja RoundupReady aprovada em set/1998) Debate definitivamente polarizado entre fundamentalistas (irracional)

20 INFORMAÇÃO PARA CIDADANIA Mínima condição do público para participar, de maneira informada e democrática, do debate acerca de transgênicos, genômica, mudança climática, florestas tropicais etc. Erro: concluir que isso diminua seu direito de participar no debate Dever de todos os atores, sobretudo jornalistas: fornecer informação compreensível, qualificada, contextualizada

21 Sumário da apresentação 1. Ciência e Cultura 2. Jornalismo Científico Fontes Critérios Texto 3. Meios e fins Reportagens Colunas (opinião) Blog Livros

22 PAPEL DO JORNALISMO CIENTÍFICO O papel do jornalista é fazer pensar, em qualquer seção do jornal – inclusive na de ciência, tecnologia e ambiente Divertir, maravilhar e revelar, também, mas o objetivo principal deve sempre ser reflexão Jornalismo científico – não é um compêndio de curiosidades, nem livro didático em prestações, mas informação básica para que o cidadão possa pensar, participar e exercer seus direitos

23 CIÊNCIAS NATURAIS Alguns conceitos básicos Periódicos (journals) – revistas indexadas, com peer-review Indexação – Controle de periodicidade, comitê editorial, peer-review, pelo ISI Thomson (cerca de 25 mil publicações) Peer-review (revisão por pares) – leitura crítica por especialistas anônimos

24 CIÊNCIAS NATURAIS Alguns conceitos básicos Citações – nº de vezes que artigo é citado por outros = indicador de qualidade e repercussão Fator de impacto – nº médio de citações que um periódico traz Primeiro autor (carrega o piano); último autor (dono do piano) Periódicos (Nature, Science) X revistas de divulgação científica (Ciência Hoje, New Scientist)

25 COMO ENCONTRAR – FONTES Newsletters Jornal da Ciência Online (SBPC) Jornal da Ciência Online Boletim da Agência Fapesp Notícias da ABC (Academia Brasileira de Ciências) Notícias da ABC Manchetes Socioambientais (ISA, Instituto Socioambiental) Manchetes Socioambientais

26 COMO ENCONTRAR – FONTES Revistas de divulgação científica Pesquisa Fapesp Ciência Hoje Scientific American Brasil New Scientist

27 COMO ENCONTRAR – FONTES Periódicos científicos (Journals) Nature Science Cell PNAS

28 COMO ENCONTRAR – FONTES Portais Portal Periódicos (Capes) Portal Periódicos SciELO Eurekalert Eurekalert também em Alemão, Espanhol, Francês e até JaponêsAlemão EspanholFrancêsJaponês

29 COMO ENCONTRAR – FONTES Blogs Ciência em Dia Ciência e Idéias Ciência Brasil The Loom Qualquer um deles pode ser o início de uma longa navegação (blogroll)

30 COMO SELECIONAR – CRITÉRIOS Regra geral O papel do jornalismo científico é: Tornar interessante o que é importante E não... Tornar importante o que (só) é interessante

31 COMO SELECIONAR – CRITÉRIOS Relevância para a ciência Peer-review e destaque em journals é pista importante, mas falível Sempre é bom verificar com especialista de confiança Com o tempo, repórter desenvolve familiaridade com o setor e pode ele próprio julgar (por conta e risco)

32 COMO TRADUZIR – TEXTO Abertura e títulos Em jornalismo, compete-se pela atenção do leitor Títulos e primeiro parágrafo (lide) são a porta de entrada do leitor Devem ser ao mesmo tempo informativo e chamativos

33 COMO TRADUZIR – TEXTO Abertura e títulos ASSIM SIM: Homens andam na Lua ASSIM NÃO: A Lua no bolso

34 COMO TRADUZIR – TEXTO Abertura e títulos ASSIM SIM (abertura de revista): É estranho pensar que eu ainda consigo me lembrar do cheiro depois de todo esse tempo. O ano era 1978, não muito depois de meu aniversário de 15 anos, e eu tinha me esgueirado até o quarto de meu irmão. Ali ficavam, numa parede de prateleiras que se erguiam até o teto, os livros mais pesados que tínhamos em casa – 24 volumes da Encyclopedia Britannica. As lombadas castanhas estavam recobertas de um filme de poeira, recordo. As páginas cheiravam como se uma almofada velha tivesse sido recoberta de menta. (continua)

35 COMO TRADUZIR – TEXTO Abertura e títulos (continuação): Puxei com cuidado o volume marcado HALICARNASSUS a IMMINGHAM e fui até o verbete sobre mal de Hodgkins. Demorou um tempão para eu ler a meia dúzia de parágrafos, o livro pesado aberto sobre o colo como uma Bíblia. Havia uma conversa de um misterioso sistema linfático, de granulomas e raios gama, como se a doença – aquela que o doutor acabara de dizer que eu tinha – fosse algo saído da ficção científica. Mas a última linha eu entendi muito bem: 75% das pessoas com ela morreriam dentro de cinco anos.

36 COMO TRADUZIR – TEXTO Abertura e títulos ASSIM NÃO (nariz-de-cera, num diário): A astronomia já viveu grandes revoluções em sua história. Das esferas de cristal que sustentavam os astros em seus postos fixos à revolução de Nicolau Copérnico ( ) e às elipses de Johannes Kepler ( ), muitos séculos de observação foram necessários para mudar a imagem do céu. O século 20 não poderia fugir à regra. Uma descoberta anunciada ontem...

37 COMO TRADUZIR – TEXTO Metáforas e analogias Leitor comum não domina jargão Texto precisa encontrar equivalências no universo cultural para reencarnar conceitos e processos O preço da metáfora é a eterna vigilância

38 COMO TRADUZIR – TEXTO Metáforas e analogias ASSIM SIM A informação genética que fica armazenada no DNA pode ser comparada com os verbetes de uma enciclopédia, que as células de um organismo consultam sempre que necessitam.

39 COMO TRADUZIR – TEXTO Metáforas e analogias ASSIM NÃO O DNA contém o Livro da Vida, a chave para desvendar todas as características e problemas que um organismo vai enfrentar durante sua existência.

40 Sumário da apresentação 1. Ciência e Cultura 2. Jornalismo Científico Fontes Critérios Texto 3. Meios e fins Reportagens Colunas (opinião) Blog Livros

41 MEIOS E FINS Reportagem de jornal ou revista Temas mais quentes = atuais e de interesse ou repercussão geral Exs: células-tronco no STF; taxa de desmatamento; estudo sobre regeneração de Mata Atlântica (UFPR) Problema: contar, descrever e explicar tudo em caracteres Desafio: escrever para o leigo e para o especialista ao mesmo tempo Simplificar sem empobrecer

42

43 MEIOS E FINS Coluna de jornal ou revista Tema inédito ou quase, de interesse público, mas nem sempre notícia Menos perecível; propício para suscitar reflexão e opinião Exs.: prêmios Nobel de ciências; livro recém-lançado; relatório sobre CT&I Texto: mais expressivo, registro mais elevado, tom mais pessoal

44

45

46 MEIOS E FINS Blog ou página de internet Blog <= weblog (diário na rede) Espaço para notas e comentários pessoais (de um jornalista...) Temas similares aos da coluna, mas com liberdade para idiossincrasia Leitor vai lá porque quer, sabe quem escreve e o que esperar Sem limitação de espaço (ex.: listas com índices h de cada área da ABC)

47

48 MEIOS E FINS Paradidáticos de ficção ou não-ficção Temas que vão permanecer no ar: Transgênicos Biomas brasileiros (Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica) DNA, genética, genômica Biotecnologias (clonagem, experimentos com animais etc.) Biocombustíveis: energia, alimentos Foco: interface ciência/sociedade

49

50 MENSAGEM PARA GUARDAR Tornar interessante o que é importante, e não Tornar importante o que (só) é interessante OBRIGADO


Carregar ppt "2º Encontro de Ciência e Tecnologia do Paraná Guarapuava, 28 de outubro de 2008 Resgate da ciência pela cultura – O papel do jornalismo Marcelo Leite"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google