A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Teoria Geral da Administração CHIAVANATO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral da Administração.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Teoria Geral da Administração CHIAVANATO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral da Administração."— Transcrição da apresentação:

1 1 Teoria Geral da Administração CHIAVANATO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral da Administração

2 2 TGA - Teoria Geral da administração A palavra administração vem do latim ad (direção para, tendência) e minister (subordinação ou obediência), isto é, aquele que presta um serviço a outro. Hoje, a tarefa da administração foge da definição inicial e sua tarefa é interpretar os objetivos propostos pela organização e transformá-los em ação organizacional através do planejamento, organização, direção e controle de todos os esforços realizados em todas as áreas e em todos os níveis da organização, afim de alcançar os objetivos da maneira mais adequada.

3 3 TGA - Teoria Geral da administração A teoria geral da administração começou com o que chamamos de ênfase nas tarefas (atividades executadas pelos operários em uma fábrica) com a administração científica de Taylor. Cada uma das teorias administrativas buscaram privilegiar uma destas cinco variáveis: Tarefas Estrutura Pessoas Ambiente Tecnologia

4 4 TGA - Teoria Geral da administração 1903 Teoria da Administração Científica - Taylor, Gilberth 1909 Teoria da burocracia - Weber 1916 Escola dos Princípios de Administração - Fayol 1932 Escola das relações Humanas - Mayo e Lewin 1947 Teoria das decisões - Simon 1951 Teoria dos Sistemas - Bertalanffy,Kast e Rosenzweig 1953 Teoria dos Sistemas Sociotécnicos - Emery e Trist 1954 Teoria Neoclássica da Adm - Newman, Druker 1957 Escola Comportamental da Adm - McGregor 1962 Escola do Desenvolvimento Organizacional - Bennis 1972 Teoria da contingência - Woodward,Laurence e lorsch

5 5 TGA - Teoria Geral da administração Todas as teorias apresentadas são válidas e surgiram como uma resposta para os problemas empresariais mais relevantes em sua época e todas foram bem sucedidas. De certo modo são aplicáveis aos dias de hoje e o administrador precisa conhecê-las para ter a sua disposição alternativas interessantes para cada ocasião. Por exemplo, a moderna indústria automobilística utiliza em suas linhas de montagem os mesmos princípios da Administração Científica, enquanto os gerentes se preocupam com a Teoria do Comportamento Organizacional.

6 6 TGA - Teoria Geral da administração As cinco variáveis, até hoje constituem os principais componentes no estudo da Administração de Empresas. O comportamento desses componentes é sistêmico e complexo, cada qual influencia e é influenciado pelos outros componentes. Modificações em um provocam modificações em maior ou menor grau nos demais. Na realidade a adequação destas cinco variáveis (tarefa, estrutura, pessoas, tecnologia e ambiente) constitui o principal desafio da administração.

7 7 TGA - Teoria Geral da administração Pode se dizer então que a tarefa básica da administração é fazer coisas através das pessoas, com os melhores resultados. A administração é a própria atividade organizacional e tornou-se vital e indispensável. Em uma sociedade de organizações, onde a complexidade e a interdependência das organizações são o aspecto crucial, a administração avulta como fator chave tanto para a melhoria da qualidade de vida quanto para a solução dos problemas mais complexos que afligem a humanidade hoje.

8 8 TGA - Abordagem Clássica da administração No início do século XX dois engenheiros desenvolveram os primeiros trabalhos a respeito da Administração. Um era americano Wilson Taylor e desenvolveu a Escola da Administração Científica. ( aumento da eficiência da indústria através da racionalização do trabalho do operário. O outro era europeu, Henri Fayol, e desenvolveu a chamada Teoria Clássica, preocupada em aumentar a eficiência através da estruturação e disposição dos órgãos componentes das organizações e suas inter- relações. Estas duas orientações juntas formam então o que chamamos de Abordagem Clássica ou Tradicional da Administração.

9 9 Administração Científica Antes de Taylor Sistema de Iniciativa e Incentivo Baixa produtividade Baixos salários Importância de Taylor: Pioneirismo: análise sistemática de organizações Ciência, em lugar de empirismo Harmonia de interesses entre patrão e empregado (?) Alta produtividade Altos salários

10 10 TGA - Abordagem Clássica da administração Abordagem Clássica da Administração Científica Teoria Clássica Taylor Fayol Ênfase nas Tarefas Ênfase na Estrutura

11 11 TGA - Administração Científica A preocupação em criar uma Ciência da Administração começou com a experiência concreta e imediata do trabalho de operários e com ênfase nas tarefas. No primeiro período de sua obra Taylor voltou-se exclusivamente para a racionalização do trabalho dos operários. No segundo período a definição de Princípios Administrativos aplicáveis a todas as situações da empresa.

12 12 TGA - Administração Científica A Organização racional do trabalho se fundamenta nas seguintes análises do trabalho operário: Estudo dos tempos e movimentos Fragmentação das tarefas especialização do trabalhador Buscava-se a eliminação do desperdício, da ociosidade operária e a redução dos custos de produção Nesta fase a única forma de se obter a colaboração do operário era através de incentivos salariais e prêmios de produção. O salário era a única fonte de motivação

13 13 Administração Científica Primeiro Período de Taylor Shop Management (1903) Boa Adm: métodos científicos : custo unitário Princípios e processos padronizados Adequação dos materiais e condições de trabalho dos empregados, que devem ser cientificamente distribuídos por seus postos de trabalho de acordo com as suas funções. Adestramento do trabalhador Boas relações entre adm e trabalhadores

14 14 Administração Científica Elementos de ORT (Organização Racional do Trabalho) tempos e movimentos estudo da fadiga divisão e especialização do trabalho desenho de cargos e tarefas incentivos salariais conceito de homo economicus condições de trabalho padronização de métodos e máqs. supervisão funcional Fluxograma ORT: Adm. Científica

15 15 Administração Científica Tempos e Movimentos Análise do Trabalho Decomposição de tarefas Eliminação de movimentos inúteis Simplificação de movimentos úteis Cálculo do tempo médio, tempos mortos e elementares = t. padrão Seleção de pessoal qualificado Treinamento adequado Uniformização do trabalho (nem excesso, nem ociosidade) Salários eqüitativos Therbligs de Gilbreth Ênfase na eficiência (E = P / R)

16 16 Administração Científica Estudo da Fadiga Fadiga causa: produtividade, qualidade rotatividade, doenças e acidentes capacidade de esforço Divisão+Especialização do Trab. Desenho de Cargos e Tarefas Simplificação de cargos acarreta: baixos custos de treinamento redução de erros facilidade de supervisão Incentivos Salariais e Prêmios Estabelecida a eficiência padrão (100%), seriam dados maiores salários aos trabalhadores mais produtivos (> 100%)

17 17 Administração Científica Homo Economicus O homem não gosta de trabalhar; o faz exclusivamente por necessidades financeiras Condições de Trabalho Padronização de Máqs. e Equips. Supervisão por Funções > especialização, < variedade de funções

18 18 Administração Científica Segundo Período de Taylor: Princípios de Adm. Científica (1911) Sub-utilização do trabalho crença dos trabalhadores de que um maior rendimento homem / máquina resulta em desemprego sistema de produção por peças, em que o trabalho mais produtivo diminui o salário empirismo amador dos métodos de produção. desconhecimento da gerência do potencial de ganho por tempos e movimentos Falta de uniformidade dos métodos de trabalho Adm. Científica: 75% de análise, 25% de bom senso Visão de Homem: irresponsável, vadio e negligente

19 19

20 20 TGA - Administração Científica O desenho de Cargos e Tarefas enfatizava o trabalho simples e repetitivo, as padronizações e condições de trabalho que assegurassem a Eficiência. Verificou-se que somente os operários trabalhando de forma organizada e científica não garantiam o sucesso da empresa se os chefes, gerentes e diretores continuassem a trabalhar da mesma forma que antes. Surgiria assim os primeiros Princípios de Administração capazes de balizar o comportamento dos chefes e gerentes.

21 21 Administração Científica Princípios de Taylor Princípio do Planejamento: separar quem pensa e quem faz Princípio do Preparo: selecionar os melhores e treiná-los de acordo com o melhor método de execução Princípio do Controle: aderência ao planejamento de tarefas através de rigorosa supervisão Princípio da Execução: não cabe somente aos operários a boa execução das tarefas - os diretores são co-responsáveis. Princípio da Exceção: os adms. devem concentrar- se apenas nos desvios dos processos.

22 22 Administração Científica Críticas ao Taylorismo Mecanicismo Visão Atomizada do Homem Superespecialização Empiricismo Abordagem parcial da organização Abordagem prescritiva Empresa como sistema fechado

23 23 TGA - Administração Científica As principais críticas a esta administração científica são: Super especialização que robotizam o operário Visão microscópica do homem, como sendo apenas um apêndice isolado da maquina industrial Abordagem envolvendo apenas a organização formal Contudo, estas limitações não apagam o fato de que este foi o primeiro passo na busca de uma Teoria Administrativa

24 24 TGA - Teoria Clássica da administração Henri Fayol Caracteriza-se pela ênfase na estrutura que a organização deve possuir para ser eficiente. Divisão da empresa em seis grupos Funções Técnicas - produção Funções Comerciais - compra e venda Funções Financeiras - procura e gerência de capitais Funções de segurança - preservação dos bens e pessoas Funções contábeis - balanços,inventários, registros e custos Funções Administrativas - coordenam e sincronizam as demais funções

25 25 TGA - Teoria Clássica da administração Fayol define o ato de administrar como sendo : Prever, Organizar, comandar, coordenar e controlar Estes elementos constituem o chamado Processo Administrativo, e são pertinentes a todas as áreas e níveis da administração da empresa. Ou seja todo chefe, gerente ou diretor, desempenham atividades ligadas a estes elementos. Não devemos confundir Funções Administrativas com Direção da empresa.

26 26 TGA - Teoria Clássica da administração Funções Universais da Administração: Previsão - avaliação do futuro e aprovisionamento em função dele. Unidade, continuidade e flexibilidade são os aspectos de um bom plano de ação. Organização - Proporciona todas as coisas úteis ao funcionamento da empresa e pode ser dividida em Material e Social. Comando - Leva a organização a funcionar. Seu objetivo é alcançar o máximo retorno de todos os empregados no interesse dos aspectos globais.

27 27 TGA - Teoria Clássica da administração Coordenação - Harmoniza todas as atividades do negócio, facilitando seu trabalho e sucesso. Sincroniza todas as ações em suas proporções certas e adapta os meios aos fins. Controle - Consiste na verificação para certificar se todas as coisas ocorrem em conformidade com o plano adotado, as instruções e os princípios estabelecidos. O objetivo é localizar as fraquezas e erros no sentido de retificá-los e prevenir a recorrência.

28 28 TGA - Teoria Clássica da administração Para Fayol existe uma proporcionalidade da função administrativa, ou seja, ela não é exclusividade da alta direção, mas é distribuída proporcionalmente entre todos os níveis hierárquicos. Administração Organização Administração tem um conceito mais amplo que abrange aspectos como previsão, comando e controle, que a Organização por si só não envolveria.

29 29 TGA - Teoria Clássica da administração Para Fayol então a palavra organização pode ter dois significados: Organização como uma unidade ou entidade social, na qual as pessoas se integram entre sí para atingir objetivos comuns. Formal - Organização oficial Informal - Relações impostas pela organização formal para o desempenho dos cargos. Organização como função administrativa e parte do processo.

30 30 TGA - Teoria Clássica da administração Como toda ciência deve ser baseada em leis ou princípios, Fayol tentou definir o que ele chamou de Princípios gerais da administração. Divisão do trabalho Autoridade e responsabilidade Disciplina Unidade de comando Unidade de direção Subordinação dos interesses individuais aos Globais Remuneração pessoal

31 31 TGA - Teoria Clássica da administração Princípios universais de Fayol (cont.) Centralização Cadeia Escalar Ordem Eqüidade Estabilidade e duração do pessoal Iniciativa Espírito de equipe

32 32 TGA - Teoria Clássica da administração Todos os autores da teoria Clássica descrevem a organização apenas em termos lógicos, formais, rígidos e abstratos. Apesar de considerar o seu conteúdo psicológico e social, nenhum deles deu a sua devida importância. O racionalismo da Teoria Clássica visa a eficiência do ponto de vista técnico e econômico, ou seja, a organização é um meio de atingir a eficiência máxima sob o aspecto técnico e econômico. Por este fato alguns autores chamam a Teoria Clássica de Teoria das máquinas

33 33 TGA - Teoria Clássica da administração Princípios gerais de Administração Divisão do Trabalho Especialização Unidade de comando Amplitude de controle Organização Formal Máxima Eficiência Abordagem prescritiva e normativa da Teoria Clássica

34 34 Teoria Clássica da Administração Na segunda década deste século, surge uma doutrina administrativa que passou a ser conhecida como Teoria Clássica de Administração. Surgiu na França e, rapidamente, propagou- se pela Europa. Seu maior expoente foi o engenheiro de minas Henri Fayol.

35 35 Ampliação do campo de estudo da administração: ênfase na estrutura. visão no todo organizacional. atenção para a complexidade do trabalho do gestor. Fayol: Dados Interessantes construiu sua carreira como executivo. ganhou reputação de administrador eficiente. em1888, assumiu o comando de uma grande empresa às portas da falência. Quando se afastou da empresa, ela era uma das mais prósperas da França. Teoria Clássica da Administração

36 36 Prever: importância do planejamento. prever é já agir. Organizar: é constituir o duplo organismo, material e social, da empresa. é muni-la (a empresa) de tudo o que é necessário ao seu funcionamento. é definir e estabelecer a estrutura geral da empresa... organização do corpo material. organização do corpo social. Teoria Clássica da Administração

37 37 Comandar: dirigir o pessoal. constituído o corpo social, é preciso fazê-lo funcionar. a finalidade do comando é obter o maior aporveitamento possível dos agentes que trabalham sob suas ordens. Coordenar: harmonizar esforços e ações para a perfeita realização do todo. compensação da divisão do trabalho. Controlar: verificar se os trabalhos acontecem como previstos. comparação com os padrões. Teoria Clássica da Administração

38 38 Princípios gerais: divisão do trabalho. autoridade e responsabilidade. direito de dar e ser obedecido. disciplina. observação de preceitos e normas. unidade de comando. unidade de direção. um líder e um plano para cada grupo. interesses gerais acima dos interesses individuais. remuneração justa para o pessoal. Teoria Clássica da Administração

39 39 Teoria Clássica da Administração Princípios gerais: centralização. cadeia escalar. ordem. cada coisa em seu lugar. estabilidade do pessoal. a rotativiadde prejudica a eficiência da empresa. iniciativa. espírito de equipe


Carregar ppt "1 Teoria Geral da Administração CHIAVANATO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral da Administração."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google