A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AULA 8 - O Barroco e o Rococó. Missão artística francesa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AULA 8 - O Barroco e o Rococó. Missão artística francesa."— Transcrição da apresentação:

1 AULA 8 - O Barroco e o Rococó. Missão artística francesa.

2 O Barroco desenvolveu-se no Brasil durante o século XVIII e perdurou ainda no início do século XIX. Nessa época, na Europa, os artistas há muito tinham abandonado esse estilo, e a arte voltava-se novamente para os modelos clássicos.

3

4 Como se caracteriza a arte barroca: Revela profunda emoção Dá ilusão de movimento Focaliza tema religioso Excede em ornamentos Contrastes fortes entre luz e sombra Apresenta muitas curvas e dobras

5

6 O Barroco brasileiro é claramente associado à religião católica. Por todo o país, são inúmeras as igrejas construídos segundo os princípios desse estilo. Mas há também edifícios civis – como cadeias, câmaras municipais, moradias de pessoas ilustres – e chafarizes que apresentam nítidas características barrocas.

7

8 Interior da Igreja de São Francisco de Assis, Salvador, Bahia.

9

10 Interior da Igreja de Nossa Senhora do Pilar, Ouro Preto, Minas Gerais.

11 Já nas regiões onde não existia nem açúcar nem ouro, a arquitetura teve outra feição. Aí as igrejas apresentam talhas modestas e trabalhos realizados por artistas menos experientes e famosos do que os que viviam nas regiões mais ricas. Altar do Convento de Santo Antônio, João Pessoa, Paraíba.

12 O Barroco em Salvador, primeira capital do Brasil Encontramos em Salvador igrejas riquíssimas, como a Igreja e o Convento de São Francisco de Assis, que possui o interior todo revestido de talha dourada.

13

14

15

16

17 Já a fachada da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, considerada por alguns pesquisadores como um projeto de Gabriel Ribeiro, mostra um trabalho caprichoso de escultura decorando a arquitetura. As figuras de santos, anjos, atlantes e motivos florais esculpidos em pedra, juntamente com os balcões que revelam certa influência do barroco espanhol, fazem desta obra a única no gênero no Brasil.

18 Fachada da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis de Salvador.

19

20 No século XVIII, Recife conheceu um grande crescimento econômico, pois foi sede, a partir de 1759, da Companhia Comercial de Pernambuco e Paraíba, empresa que promoveu a produção e a comercialização do açúcar, tabaco algodão e da madeira de lei. O crescimento econômico fez de Recife um importante centro de negócios e provocou o desenvolvimento da cidade. São dessa época as construções barrocas mais cuidadas, que ainda hoje testemunham o período de riqueza da capital pernambucana.

21 Fachada da Igreja de São Pedro dos Clérigos, em Recife.

22 Interior da Igreja de São Pedro dos Clérigos, em Recife.

23 Pintura do teto da Igreja de São Pedro dos Clérigos, em Recife, feita por João de Deus Sepúlveda, entre 1764 e 1768.

24 Capela Dourada do Convento de São Francisco. Recife, PE. O dourado intenso nos leva a outras considerações, como a de envolvimento total e quase asfixiante do poder divino sobre o humano.

25

26

27 Outra construção importante dessa época é a Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro. Constitui uma das primeiras plantas de igreja barroca brasileira com nave poligonal. A primeira planta, à esquerda, é da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, no Rio de Janeiro.

28 Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro (cerca de 1720), Rio de Janeiro. Projeto de José Cardoso Ramalho.

29 Interior da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, Rio de Janeiro.

30

31 Vista parcial do Convento de Nossa Senhora da Luz, em São Paulo. A construção desse convento, iniciada aproximadamente em 1600, só terminou por volta de 1770.

32

33 Museu da Arte Sacra, São Paulo.

34 Na realidade, as imagens representativas do Barroco paulista são muito simples. Em virtude da pobreza da cidade, nenhum grande artista dirigia-se para essa região. Por isso, as imagens são rústicas, primitivas.

35 Teto da capela-mor da Igreja do Carmo, em Itu- SP. Pintura de frei Jenuíno Monte Carmelo. Frei Jenuíno não dominava os recursos mais equilibrados da pintura, sobretudo da composição em perspectiva. Ele foi autodidata; aprendeu a pintar por conta própria; daí a ingenuidade e simplicidade de sua pintura.

36 Barroco mineiro: o surgimento de uma arquitetura brasileira A evolução da arquitetura mineira não foi rápida. A princípio, tentou-se utilizar como técnica construtiva a taipa de pilão, um processo tipicamente paulista. Mas não deu certo, devido ao terreno duro e pedregoso, pouco favorável ao fornecimento de terras argilosas. Depois, paulistas e portugueses tentaram outros processos, até chegarem às construções com muros de pedra.

37 No entanto, as construções de pedra foram surgindo lentamente. Enquanto isso, o que se usava mesmo era a taipa de pilão, que não permitia aos construtores projetarem espaços muito complexos. Assim, as construções constituíam-se de paredes paralelas, que criavam interiores retangulares, com muros lisos, sem as sinuosidades tão comuns ao estilo barroco.

38 A Igreja de Nossa Senhora do Pilar de Ouro Preto, por exemplo, ainda foi construída em taipa. Por esse motivo, para que pudesse receber de modo mais adequado sua rica decoração, foi necessário remodelar seu espaço interior. Assim, o artista português Francisco Antônio Pombal, em 1736, revestiu internamente as velhas paredes da igreja, de tal maneira que estabeleceu uma planta poligonal. Sobre esse projeto, entalhadores, escultores, pintores e douradores criaram um dos interiores de igreja mais ricos do Brasil.

39

40 Igreja Nossa Senhora do Pilar, Ouro Preto, MG.

41 Antônio Francisco Lisboa nasce escravo e filho natural do arquiteto e mestre-de-obras português Manoel Francisco Lisboa com a escrava Isabel. Sua formação artística dá-se precocemente nas oficinas locais. Aprende com o pai o risco arquitetônico e as técnicas de marcenaria e carpintaria. Por volta de 40 anos de idade, começa a desenvolver uma doença degenerativa nas articulações. Não se sabe exatamente qual foi a doença, mas provavelmente pode ter sido hanseníase ou alguma doença reumática. Aos poucos, foi perdendo os movimentos dos pés e mãos. Pedia a um ajudante para amarrar as ferramentas em seus punhos para poder esculpir e entalhar.

42 Seu projeto para a Igreja de São Francisco, em Ouro Preto, por exemplo, bem como a sua realização, expressam uma obra de arte plena e perfeita. Desde a portada, com um belíssimo trabalho de medalhões, anjos e fitas esculpidos em pedra- sabão, o visitante já tem certeza de que está diante de um artista completo.

43

44 Detalhe – medalhão – Igreja de São Francisco, Ouro Preto, MG.

45 Ao contemplar a talha dos altares e a surpreendente decoração do teto da capela-mor e do arco cruzeiro, o observador reconhece um estilo barroco com características próprias. Trata-se de um ambiente leve, no qual paredes brancas fazem fundo para esculturas repletas de linhas curvas, motivas florais, anjos e santos.

46

47 Pintura do teto da Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto, feita por Manuel da Costa Ataíde.

48

49

50 Congonhas do Campo: o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos

51 Além de extraordinário arquiteto e decorador de Igrejas, Aleijadinho foi também incomparável escultor. Existem inúmeras esculturas suas nos museus e igrejas, principalmente em Ouro Preto. Mas é a cidade de Congonhas do Campo que abriga o mais importante conjunto escultórico desse artista. O Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas do Campo, é constituído por uma igreja em cujo adro estão as esculturas em pedra-sabão de doze profetas.

52 Cada um desses personagens está numa posição diferente e executa gestos que se coordenam. Parece que as figuras de pedra estão se movimentando.

53 Os Passos da Paixão: são esculturas em madeira feitas por Aleijadinho e pintadas por Ataíde que representam o calvário de Cristo. Estão dispostas em 6 capelas ao longo do Morro do Maranhão, diante da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos (em Congonhas do Campo).

54

55

56 Aleijadinho. Passo da Ceia, Madeira policromada, em tamanho natural. Santuário de Bom Jesus do Matosinhos. Congonhas, MG.

57

58 Nessa cidade, o soberano começou uma série de reformas administrativas, socioeconômicas e culturais, para adaptá-la às necessidades dos nobres que vieram com ele e sua família. Assim, foram criadas as primeiras fábricas e fundadas instituições como o Banco do Brasil, a Biblioteca Real, o Museu Real e a Impressa Régia. A partir de então, o Brasil recebe forte influência da cultura europeia, que começa a assimilar e a imitar. Essa tendência europeizante da cultura da colônia se afirma ainda mais com a chegada da Missão Artística Francesa, oito anos depois da vinda da família real.

59

60 1816 – Funda-se a Escola das Ciências, Artes e Ofícios – passa a ser chamada de Real Academia de Desenho, Pintura, Escultura e Arquitetura Civil e, em 1824, de Academia Imperial de Belas- Artes. Em 1826, o nome foi mudado para Escola de Belas-Artes.

61 Deu origem ao Museu Nacional de Belas Artes, que hoje ocupa o magnífico prédio (1909) no centro do Rio de Janeiro.

62 Escola Nacional de Belas Artes criada por D. João VI. Hoje, Museu Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro - RJ


Carregar ppt "AULA 8 - O Barroco e o Rococó. Missão artística francesa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google