A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O valor da pontuação no texto Camile Baccin. O VALOR DA PONTUAÇÃO Um homem rico, sentindo- se morrer, pediu papel e pena, e escreveu assim: "Deixo os.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O valor da pontuação no texto Camile Baccin. O VALOR DA PONTUAÇÃO Um homem rico, sentindo- se morrer, pediu papel e pena, e escreveu assim: "Deixo os."— Transcrição da apresentação:

1 O valor da pontuação no texto Camile Baccin

2 O VALOR DA PONTUAÇÃO Um homem rico, sentindo- se morrer, pediu papel e pena, e escreveu assim: "Deixo os meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres". Não teve tempo de pontuar - e morreu. A quem deixava ele a fortuna que tinha? Eram quatro os concorrentes. Chegou o sobrinho e fez estas pontuações numa cópia do bilhete: "Deixo os meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate. nada aos pobres".

3 A irmã do morto chegou em seguida, com outra cópia do escrito; e pontuou-o deste modo: "Deixo os meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres". Surgiu o alfaiate que, pedindo cópia do original, fez estas pontuações: "Deixo os meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres". O juiz estudava o caso, quando chegaram os pobres da cidade; e um deles, mais sabido, tomando outra cópia, pontuou-a assim: "Deixo os meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres"

4 A doação do Joãozinho no parque Joãozinho pede dinheiro a sua mãe para dar a um velhinho a mãe sensibilizada dá o dinheiro mas pergunta ao filho para qual velhinho você vai dar o dinheiro meu anjo para aquele ali que está gritando "Olha a pipoca quentinha

5 Pontuar é sinalizar gramatical e expressivamente um texto. Celso Cunha, Gramática do Português Contemporâneo, p.618.

6 Texto I – Que bom vento o trouxe a Catumbi a semelhante hora? perguntou Duarte, dando à voz uma expressão de prazer, aconselhada não menos pelo interesse que pelo bom-tom. – Não sei se o vento que me trouxe é bom ou mau, respondeu o major sorrindo por baixo do espesso bigode grisalho; sei que foi um vento rijo. Vai sair? – Vou ao Rio Comprido. – Já sei; vai à casa da viúva Meneses. Minha mulher e as pequenas já devem estar: eu irei mais tarde, se puder. Creio que é cedo, não? Lopo Alves tirou o chapéu e viu que eram nove horas e meia. Passou a mão pelo bigode, levantou-se, deu alguns passos na sala, tornou a sentar-se e disse: – Dou-lhe uma notícia, que certamente não espera. Saiba que fiz... fiz um drama. – Um drama! Exclamou o bacharel. Machado de Assis, Contos.

7 Texto II A Chegada E quando cheguei à tarde na minha casa lá no 27, ela já me aguardava andando pelo gramado, veio me abrir o portão pra que eu entrasse com o carro, e logo que saí da garagem subimos juntos a escada pro terraço, e assim que entramos nele abri as cortinas do centro e nos sentamos nas cadeiras de vime, ficando com nossos olhos voltados pro alto do lado oposto, lá onde o sol ia se pondo, e estávamos os dois em silêncio quando ela me perguntou que que você tem?, mas eu, muito disperso, continuei distante e quieto, o pensamento solto na vermelhidão lá do poente, e só foi mesmo pela insistência da pergunta que respondi você já jantou? e como ela dissesse mais tarde eu então me levantei e fui sem pressa pra cozinha (ela veio atrás), tirei um tomate da geladeira, fui até a pia e passei uma água nele, (...) Raduan Nassar, Um copo de cólera.

8 O SOBRINHO Deixo os meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres". A IRMÃ "Deixo os meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres". O ALFAIATE Deixo os meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres". OS POBRES Deixo os meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate? Nada! Aos pobres"


Carregar ppt "O valor da pontuação no texto Camile Baccin. O VALOR DA PONTUAÇÃO Um homem rico, sentindo- se morrer, pediu papel e pena, e escreveu assim: "Deixo os."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google