A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Literatura Gêneros literários Eduardo Batista. I.Literatura e história A literatura começou a existir no Brasil através da colonização européia pelos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Literatura Gêneros literários Eduardo Batista. I.Literatura e história A literatura começou a existir no Brasil através da colonização européia pelos."— Transcrição da apresentação:

1 Literatura Gêneros literários Eduardo Batista

2 I.Literatura e história A literatura começou a existir no Brasil através da colonização européia pelos portugueses. Até então, a literatura portuguesa, formada e influenciada pela literatura greco-romana, seguia a tradição da divisão padronizada dos gêneros literários, a qual se fundamentou nos dias de hoje por meio do filósofo Aristóteles. Esta separação facilita a identificação das características temáticas e estruturais das obras, sejam elas em prosa ou em verso.

3 O que é Gênero textual? Surge em situações e contextos históricos diferentes; Cumpre uma finalidade específica: atender necessidades sociais de interação verbal; Gênero literário: gênero discursivo próprio da esfera artística e cultural e são utilizados com finalidade a estética e artística. Logo, quanto ao conteúdo (tema) e estrutura, podemos enquadrar as obras literárias nos gêneros literários seguintes:

4 I.Épico A. É a narrativa com temática histórica; B. São os feitos heróicos de um determinado povo ressaltando a figura de um herói (são aventuras, guerras, viagens...); Obs.: Há presença de figuras fantasiosas que ajudam ou atrapalham no curso dos acontecimentos. C. É em verso; D. Apenas observa e relata os feitos objetivamente, sem interferência, o que faz a narrativa ser objetiva; E. Verbos e pronomes na 3ª pessoa; F. Os poemas épicos intitulam-se epopéias; G. Exemplos: Os Lusíadas, Eneida, Ilíada, Caramuru, O Uruguai. Passar o vídeo de TRÓIA

5 CANTO I I De um varão em mil casos agitado, Que as praias discorrendo do Ocidente, Descobriu o Recôncavo afamado Da capital brasílica potente: Do Filho do Trovão denominado, Que o peito domar soube à fera gente; O valor cantarei na adversa sorte, Pois só conheço herói quem nela é forte. III E vós, Príncipe excelso, do Céu dado Para base imortal do Luso Trono; Vós, que do Áureo Brasil no Principado Da Real sucessão sois alto abono: Enquanto o Império tendes descansado Sobre o seio da paz com doce sono, Não queirais de dignar-vos no meu metro De pôr os olhos, e admiti-lo ao cetro.

6 II. Dramático A. É o gênero ligado diretamente à representação de um acontecimento por atores; B. Expõe o conflito dos homens e seu mundo, manifesta a miséria humana; C. Tipos de drama: Tragédia: representação de um fato trágico que causa catarse a quem assiste, ou seja, provoca alívio emocional da audiência. Comédia: representação de um fato cômico, que causa riso. Tragicomédia: é a mistura de elementos trágicos e cômicos. Farsa: peça teatral de caráter puramente caricatural, de crítica à sociedade, porém, sem preocupação com questionamento de valores.

7 CORO DOS ANCIÃOS DE TEBAS A ação passa-se em Tebas (Cadméia), diante do palácio do rei ÉDIPO. Junto a cada porta há um altar, a que se sobe por três degraus. O povo está ajoelhado em tomo dos altares, trazendo ramos de louros ou de oliveira. Entre os anciãos está um sacerdote de Júpiter. Abre-se a porta central; ÉDIPO aparece, contempla o povo, e fala em tom paternal. ÉDIPO Ó meus filhos, gente nova desta velha cidade de Cadmo, por que vos prostemais assim, junto a estes altares, tendo nas mãos os ramos dos suplicantes?1 Sente-se, por toda a cidade, o incenso dos sacrifícios; ouvem-se gemidos, e cânticos fúnebres. Não quis que outros me informassem da causa de vosso desgosto; eu próprio aqui venho, eu, o rei Édipo, a quem todos vós conheceis. Eia! Responde tu, ó velho; por tua idade veneranda convém que fales em nome do povo. Dize-me, pois, que motivo aqui vos trouxe? Que terror, ou que desejo vos reuniu? Careceis de amparo? Quero prestar-vos todo o meu socorro, pois eu seria insensível à dor, se não me condoesse de vossa angústia.

8 III. Lírico A. gênero essencialmente poético, que expõe a subjetividade do autor e diz ao leitor o estado emocional do eu-lírico (sentimentos, ideias, impressões); B. Predominam verbos e pronomes na 1ª pessoa; C. Explora a musicalidade. D. Tipos: Elegia – vem do grego e significa canto triste; poesia lírica que expressa sentimentos tristes ou morte. Um exemplo freqüente é O cântico do calvário de Fagundes Varela. Idílio e écloga – são poemas breves com temática pastoril. A écloga, na maioria das vezes, apresenta diálogo. Epitalâmio – na literatura grega é um poema de homenagem aos noivos no momento do casamento. Logo, é uma exaltação às núpcias de alguém. Ode ou hino – derivam do grego e significa canto. Ode é uma poesia que exalta algo e hino que glorifica a pátria. Sátira – poesia que ridiculariza os defeitos humanos ou determinadas situações. Passar vídeo da música EU SEI QUE VOU TE AMAR

9 Fonte: Português linguagens

10 Exercícios 1.Pl. Pg. 32


Carregar ppt "Literatura Gêneros literários Eduardo Batista. I.Literatura e história A literatura começou a existir no Brasil através da colonização européia pelos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google