A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 ISEL ECONOMIA – Inflação Inflação Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Economia: Aula P8 Prof. Jorge Mendes de Sousa

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 ISEL ECONOMIA – Inflação Inflação Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Economia: Aula P8 Prof. Jorge Mendes de Sousa"— Transcrição da apresentação:

1 1 ISEL ECONOMIA – Inflação Inflação Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Economia: Aula P8 Prof. Jorge Mendes de Sousa

2 2 ISEL ECONOMIA – Inflação Inflação Conteúdo 1. Introdução 2. Caracterização da inflação 3. Impactos económicos da inflação 4. Curva de Phillips 5. Tópicos para discussão

3 3 ISEL ECONOMIA – Inflação Introdução Inflação. Taxa de inflação A inflação ocorre quando o nível geral de preços aumenta. O cálculo da inflação é efectuado com base em índices de preços dos quais o Índice de Preços no Consumidor (IPC) é o mais importante. O IPC quantifica o preço médio de um conjunto de bens e serviços (designado por cabaz) comprados pelos consumidores. A taxa de inflação é a variação percentual do IPC de um ano para o outro.

4 4 ISEL ECONOMIA – Inflação Introdução Evolução dos preços no consumidor

5 5 ISEL ECONOMIA – Inflação Introdução Evolução da inflação

6 6 ISEL ECONOMIA – Inflação Caracterização da inflação Três graus de inflação 1. Inflação moderada É caracterizada pelo aumento lento e previsível dos preços. Pode definir-se como uma inflação anual de um só dígito. A maior parte dos países industriais passou por inflação moderada na última década. 2. Inflação galopante É uma inflação de dois, três dígitos, de 20, 100 ou 200%. Muitos países latino-americanos como a Argentina, o Chile e o Brasil, tiveram taxa de inflação de 50 até 700% ao ano nas décadas de 1970/ Hiperinflação Ainda que as economias pareçam sobreviver com uma inflação galopante, nada de bom se pode dizer de uma economia em hiperinflação, onde os preços aumentam um milhão por cento ao ano. Entre Janeiro de 1922 e Novembro de 1923, o índice de preços da República Alemã de Weimar aumentou de 1 para Com obrigações alemãs no valor de 300 milhões de marcos em 1922 não se conseguiria comprar um bombom dois anos mais tarde.

7 7 ISEL ECONOMIA – Inflação Caracterização da inflação A hiperinflação alemã

8 8 ISEL ECONOMIA – Inflação Caracterização da inflação Inflação antecipada vs. não antecipada Duma forma geral, pensa-se que a inflação antecipada a taxas moderadas tem um efeito reduzido sobre a eficiência económica, ou sobre a distribuição do rendimento e da riqueza, na medida em que as pessoas ajustam o seu comportamento a uma medida variável. No entanto, na realidade a inflação não é geralmente antecipada. Por exemplo, o povo russo viveu acostumado a preços estáveis durante muitas décadas. Quando os preços foram libertos do controlo do planeamento central em 1992, os preços subiram % ao longo dos 5 anos seguintes. As pessoas que tinham a sua riqueza em rublos viram as suas poupanças ficar sem qualquer valor.

9 9 ISEL ECONOMIA – Inflação Impactos económicos da inflação Redistribuição e distorções dos preços Redistribuição do rendimento Redistribuição do rendimento O principal impacto redistributivo da inflação ocorre através do seu efeito sobre o valor real da riqueza das pessoas. Em geral, a inflação não prevista redistribui a riqueza dos credores para os devedores, ajudando quem deve e prejudicando quem emprestou. Distorções dos preços relativos A inflação prejudica a eficiência económica porque distorce os preços relativos. Numa economia com inflação elevada, é muito mais difícil distinguir entre variações nos preços relativos e variações no nível geral de preços.

10 10 ISEL ECONOMIA – Inflação Curva de Phillips Níveis de preços vs. inflação – curto-prazo

11 11 ISEL ECONOMIA – Inflação Curva de Phillips Tx desemprego não aceleradora de inflação NAIRU A taxa de desemprego não aceleradora de inflação - NAIRU (do inglês desemprego consistente com uma taxa de inflação constante. Os estudos de Edmund Phelps (prémio Nobel 2006) e Milton Friedman mostraram que a curva de Phillips com inclinação negativa apenas se verifica no curto prazo. No longo prazo a curva de Phillips pode ser vertical, devido à incorporação da expectativa nonaccelerating inflation rate of unemployement) é a taxa de de inflação.

12 12 ISEL ECONOMIA – Inflação Curva de Phillips A deslocação da curva de Phillips

13 13 ISEL ECONOMIA – Inflação Tópicos para discussão 1. Explique os impactos da inflação em: a. Distorções dos impostos b. Redistribuição do rendimento e da riqueza c. Custos relativos ao tempo dispendido 2. A deflação não prevista também produz custos sociais importantes. Indique esse impacto nas seguintes situações: a. Durante a Grande Depressão, os preços das principais colheitas reduziram-se. O que terá acontecido aos agricultores que tinham grandes dívidas hipotecárias? b. O Japão experimentou uma deflação suave nos anos Qual o impacto num estudante que tinha obtido um empréstimo para pagar a sua educação?

14 14 ISEL ECONOMIA – Inflação Inflação Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Economia: Aula P8 Prof. Jorge Mendes de Sousa


Carregar ppt "1 ISEL ECONOMIA – Inflação Inflação Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Economia: Aula P8 Prof. Jorge Mendes de Sousa"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google