A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO."— Transcrição da apresentação:

1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO

2 O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO É : um processo de diálogo em que as duas partes interagem respeitando a autonomia e a personalidade de cada uma. É : um processo de diálogo em que as duas partes interagem respeitando a autonomia e a personalidade de cada uma. Não é : um processo de ensinamento instrucional, um conjunto de aulas particulares. Não é : um processo de ensinamento instrucional, um conjunto de aulas particulares.

3 O PAPEL DO ORIENTADOR É : de educador, cuja experiência mais amadurecida interage com a experiência em construção do orientando. É : de educador, cuja experiência mais amadurecida interage com a experiência em construção do orientando. NÃO É : de pai, de tutor, de advogado de defesa, de analista. Como também não é de feitor, de carrasco ou de senhor de escravos. NÃO É : de pai, de tutor, de advogado de defesa, de analista. Como também não é de feitor, de carrasco ou de senhor de escravos.

4 Relação orientador e orientando É uma relação de enriquecimento recíproco, pressupõe um trabalho conjunto em que ambas as partes crescem. É uma relação de enriquecimento recíproco, pressupõe um trabalho conjunto em que ambas as partes crescem. Não se espera do orientador que ele reescreva capítulos, que ele indique bibliografias ou informe fontes. Não se espera do orientador que ele reescreva capítulos, que ele indique bibliografias ou informe fontes. Espera-se dele a sugestão de pistas, de caminhos a serem seguidos, ajudando a clarear a proposta de pesquisa. Espera-se dele a sugestão de pistas, de caminhos a serem seguidos, ajudando a clarear a proposta de pesquisa.

5 SEVERINO A. J. Metodologia do Trabalho Científico, 22 ed., São Paulo: Cortez Editora, 2000 PORTANTO O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO CONSISTE BASICAMENTE NUMA LEITURA E DISCUSSÃO CONJUNTAS, NUM EMBATE DE IDÉIAS, DE APRESENTAÇÃO DE SUGESTÕES E DE CRÍTICAS, DE RESPOSTAS E ARGUMENTAÇÃO. PORTANTO O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO CONSISTE BASICAMENTE NUMA LEITURA E DISCUSSÃO CONJUNTAS, NUM EMBATE DE IDÉIAS, DE APRESENTAÇÃO DE SUGESTÕES E DE CRÍTICAS, DE RESPOSTAS E ARGUMENTAÇÃO.

6 DELIMITAÇÃO DO TEMA Todo raciocínio desenvolvido num trabalho é uma demonstração que visa solucionar determinado problema. Todo raciocínio desenvolvido num trabalho é uma demonstração que visa solucionar determinado problema. Portanto antes da elaboração /desenvolvimento do trabalho é preciso ter idéia clara do problema a ser resolvido, da dúvida a ser superada, da solução a ser encontrada. Portanto antes da elaboração /desenvolvimento do trabalho é preciso ter idéia clara do problema a ser resolvido, da dúvida a ser superada, da solução a ser encontrada. O TEMA DEVE SER PROBLEMATIZADO! O TEMA DEVE SER PROBLEMATIZADO!

7 LEVANTAMENTO DA BIBLIOGRAFIA É o levantamento da documentação, do conhecimento existente sobre o assunto É o levantamento da documentação, do conhecimento existente sobre o assunto Livros, Artigos, Livros, Artigos, Boletins, Catálogos, Boletins, Catálogos, Periódicos. Periódicos. Registro das informações Registro das informações Fichas catalográficas Fichas catalográficas No próprio documento No próprio documento No computador No computador

8 Do registro Assunto: Assunto:AUTOR:Título: Documento de origem: Resumo Resumo Lembre-se que você usará tais referências no trabalho final. Registre todas as informações de origem !

9 Leitura e documentação 1o. Passo: triagem de todo material levantado na fase anterior, nem tudo interessa devidamente. 1o. Passo: triagem de todo material levantado na fase anterior, nem tudo interessa devidamente. 2o. Passo: leitura criteriosa e crítica, iniciando-se pelo material mais recente. Elementos desta leitura visam reforçar, apoiar e justificar suas idéias iniciais. 2o. Passo: leitura criteriosa e crítica, iniciando-se pelo material mais recente. Elementos desta leitura visam reforçar, apoiar e justificar suas idéias iniciais. 3o. Passo: Apontamentos durante a leitura de consulta e pesquisa. Estes apontamentos servem de matéria prima para o trabalho e funcionam como um primeiro estágio de rascunho 3o. Passo: Apontamentos durante a leitura de consulta e pesquisa. Estes apontamentos servem de matéria prima para o trabalho e funcionam como um primeiro estágio de rascunho

10 CONSTRUÇÃO DO TRABALHO EXIGE UMA ORDEM LÓGICA. EXIGE UMA ORDEM LÓGICA. AS PARTES DO TRABALHO (capítulos e interior deles) DEVEM TER UMA SEQUÊNCIA DETERMINADA PELA ESTRUTURA DO DISCURSO. AS PARTES DO TRABALHO (capítulos e interior deles) DEVEM TER UMA SEQUÊNCIA DETERMINADA PELA ESTRUTURA DO DISCURSO. ESTRUTURA BÁSICA: ESTRUTURA BÁSICA: * Introdução * Introdução * Desenvolvimento * Desenvolvimento * Conclusões * Conclusões

11 INTRODUÇÃO Levanta o estado da questão. Levanta o estado da questão. Indica a relevância do trabalho. Indica a relevância do trabalho. Manifesta as intenções do autor e os objetivos do trabalho. Manifesta as intenções do autor e os objetivos do trabalho. Deve ser sintética. Deve ser sintética. Deve esclarecer o leitor a respeito do teor do trabalho. Deve esclarecer o leitor a respeito do teor do trabalho. É a última parte a ser escrita. É a última parte a ser escrita.

12 Exemplo Diversas questões motivaram o desenvolvimento da tese, entre as quais destacam-se: ( a ) como ocorreu a evolução e como tem sido a tendência sobre os modelos de gestão e exploração dos serviços de saneamento no Brasil; ( b ) em que medida a atual política de saneamento e a política nacional de recursos hídricos trazem diretrizes que impactam as formas de gestão dos serviços de saneamento; ( c ) quais são os instrumentos regulatórios que podem ser aplicados no contexto dos serviços públicos de saneamento; ( d ) quais são as medidas usuais de desempenho utilizadas no setor de saneamento e em que medida elas são abrangentes o suficiente para garantir a representação do interesse público; ( e ) como os instrumentos disponíveis da análise multiobjetivo podem ser estruturados para utilização na avaliação de empresas concessionárias de serviços de saneamento e ( f ) como são os desempenhos de diferentes empresas operando municípios com administração local comparados com empresas operando municípios com administração regional no contexto do Brasil. Diversas questões motivaram o desenvolvimento da tese, entre as quais destacam-se: ( a ) como ocorreu a evolução e como tem sido a tendência sobre os modelos de gestão e exploração dos serviços de saneamento no Brasil; ( b ) em que medida a atual política de saneamento e a política nacional de recursos hídricos trazem diretrizes que impactam as formas de gestão dos serviços de saneamento; ( c ) quais são os instrumentos regulatórios que podem ser aplicados no contexto dos serviços públicos de saneamento; ( d ) quais são as medidas usuais de desempenho utilizadas no setor de saneamento e em que medida elas são abrangentes o suficiente para garantir a representação do interesse público; ( e ) como os instrumentos disponíveis da análise multiobjetivo podem ser estruturados para utilização na avaliação de empresas concessionárias de serviços de saneamento e ( f ) como são os desempenhos de diferentes empresas operando municípios com administração local comparados com empresas operando municípios com administração regional no contexto do Brasil. Visando obter respostas às questões formuladas apresenta-se, no Capítulo 2, um breve resumo das relações entre o estado e os serviços de infra estrutura; um histórico da evolução dos serviços de saneamento no Brasil e o recente processo de descentralização e desestatização (respondendo à questão do item (a) ). Visando obter respostas às questões formuladas apresenta-se, no Capítulo 2, um breve resumo das relações entre o estado e os serviços de infra estrutura; um histórico da evolução dos serviços de saneamento no Brasil e o recente processo de descentralização e desestatização (respondendo à questão do item (a) ).

13 Desenvolvimento Corresponde ao corpo do trabalho. Corresponde ao corpo do trabalho. A estrutura deve ter lógica e clareza. A estrutura deve ter lógica e clareza. Deve formar uma unidade com sentido para o leitor que não participou de sua elaboração. Deve formar uma unidade com sentido para o leitor que não participou de sua elaboração. Subdividir em capítulos, seções,itens Subdividir em capítulos, seções,itens Os títulos dos capítulos ou itens devem dar idéia exata do conteúdo. Os títulos dos capítulos ou itens devem dar idéia exata do conteúdo.

14 Conclusão Síntese para a qual caminha o trabalho. Síntese para a qual caminha o trabalho. Deve ser breve e visa recapitular os resultados da pesquisa. Deve ser breve e visa recapitular os resultados da pesquisa. Sintetiza as respostas às questões elencadas na introdução. Sintetiza as respostas às questões elencadas na introdução. O autor manifesta seu ponto de vista e eventualmente sugere temas ou aspectos que poderão ser explorados por outrem. O autor manifesta seu ponto de vista e eventualmente sugere temas ou aspectos que poderão ser explorados por outrem.

15 INTRODUÇÃO – anuncia-se o que se pretende dizer. INTRODUÇÃO – anuncia-se o que se pretende dizer. DESENVOLVIMENTO – desenvolve-se a idéia anunciada. DESENVOLVIMENTO – desenvolve-se a idéia anunciada. CONCLUSÃO – resume-se ou sintetiza-se o que se conseguiu desenvolver. CONCLUSÃO – resume-se ou sintetiza-se o que se conseguiu desenvolver.

16 APRESENTAÇÃO GERAL DO TRABALHO CAPA CAPA PÁGINA DE ROSTO PÁGINA DE ROSTO SUMÁRIO SUMÁRIO LISTA DE TABELAS E/OU FIGURAS LISTA DE TABELAS E/OU FIGURAS CORPO DO TRABALHO CORPO DO TRABALHO APÊNDICES E ANEXOS APÊNDICES E ANEXOS BIBLIOGRAFIA BIBLIOGRAFIA

17 CAPA PÁG. ROSTO NOME DA UNIVERSIDADE NOME DA UNIVERSIDADE TÍTULO DO TRABALHO TÍTULO DO TRABALHO AUTOR AUTOR Cidade ano Cidade ano NOME DA UNIVERSIDADE NOME DA UNIVERSIDADE TÍTULO DO TRABALHO TÍTULO DO TRABALHO AUTOR AUTOR Orientador Orientador Explanação Explanação da natureza da natureza do trabalho do trabalho Cidade ano Cidade ano

18 OPCIONAL ENTRE PÁGINA DE ROSTO E SUMÁRIO EPÍGRAFE: página em se transcreve um pensamento de outro autor (embaixo à direita). EPÍGRAFE: página em se transcreve um pensamento de outro autor (embaixo à direita). AGRADECIMENTOS: onde se mencionam pessoas e/ou instituições que efetivamente contribuíram para a realização do trabalho (do centro para baixo). AGRADECIMENTOS: onde se mencionam pessoas e/ou instituições que efetivamente contribuíram para a realização do trabalho (do centro para baixo). DEDICATÓRIA: onde o autor homenageia pessoas queridas (embaixo à direita ) DEDICATÓRIA: onde o autor homenageia pessoas queridas (embaixo à direita )

19 SUMÁRIO Esquematiza as principais divisões do trabalho (capítulos,seções) indicando a página em que cada divisão inicia. Esquematiza as principais divisões do trabalho (capítulos,seções) indicando a página em que cada divisão inicia. NÃO CONFUNDIR com Índice: que vem ao final e trata-se de uma lista de assuntos, autores, pessoas ou instituições em ordem alfabética. NÃO CONFUNDIR com Índice: que vem ao final e trata-se de uma lista de assuntos, autores, pessoas ou instituições em ordem alfabética.

20 APÊNDICES E ANEXOS Só se acrescentam quando exigidos pela natureza do trabalho. Só se acrescentam quando exigidos pela natureza do trabalho. APÊNDICES: servem para complementar o raciocínio, não necessitam fazer parte do corpo do trabalho para não truncá-lo. APÊNDICES: servem para complementar o raciocínio, não necessitam fazer parte do corpo do trabalho para não truncá-lo. ANEXOS: são documentos que sevem de complemento ao trabalho e fundamentam a pesquisa. ANEXOS: são documentos que sevem de complemento ao trabalho e fundamentam a pesquisa.

21 BIBLIOGRAFIA É apresentada segundo ordem alfabética de sobrenome dos autores. É apresentada segundo ordem alfabética de sobrenome dos autores. Quando houver mais de uma obra do mesmo autor usa-se a ordem cronológica de publicação e substitui- se o nome do autor por um traço. Quando houver mais de uma obra do mesmo autor usa-se a ordem cronológica de publicação e substitui- se o nome do autor por um traço.

22 ELEMENTOS DO TRABALHO E DO TEXTO PAGINAÇÃO: a numeração se inicia na página de rosto (não aparece grafada / impressa) com algarismos romanos minúsculos até as Listas. PAGINAÇÃO: a numeração se inicia na página de rosto (não aparece grafada / impressa) com algarismos romanos minúsculos até as Listas. A paginação propriamente dita, em algarismos arábicos se inicia na Introdução. A paginação propriamente dita, em algarismos arábicos se inicia na Introdução. A cada início de capítulo a página não deve ser grafada / impressa. A cada início de capítulo a página não deve ser grafada / impressa.

23 CITAÇÕES:elementos retirados dos documentos pesquisados.Podem ser transcrições literais (aparece entre aspas) ou uma síntese do trecho que se quer citar. (Indicar Fonte sempre) CITAÇÕES:elementos retirados dos documentos pesquisados.Podem ser transcrições literais (aparece entre aspas) ou uma síntese do trecho que se quer citar. (Indicar Fonte sempre) NOTAS DE RODAPÉ:considerações complementares que no corpo do texto deixa-o longo / pesado. Devem ser numeradas em ordem seqüencial e aparecem na página da chamada. NOTAS DE RODAPÉ:considerações complementares que no corpo do texto deixa-o longo / pesado. Devem ser numeradas em ordem seqüencial e aparecem na página da chamada.

24 NBR 6023:2000 – Referências Bibliográficas ELEMENTOS ESSENCIAIS: Autor,título do documento, edição, local da publicação, editora e data. ELEMENTOS ESSENCIAIS: Autor,título do documento, edição, local da publicação, editora e data. ELEMENTOS COMPLEMENTARES: ELEMENTOS COMPLEMENTARES: Indicação de responsabilidade (organização,tradução,revisão), descrição física do documento (no.de páginas, ilustrações), indicação de série ou coleção, número de registro ISSN(revista) ou ISBN (livro) Indicação de responsabilidade (organização,tradução,revisão), descrição física do documento (no.de páginas, ilustrações), indicação de série ou coleção, número de registro ISSN(revista) ou ISBN (livro)

25 ELABORAÇÃO DA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA DESTAQUES:sobrenome do autor em maiúscula e título do documento em itálico, negrito ou grifo. DESTAQUES:sobrenome do autor em maiúscula e título do documento em itálico, negrito ou grifo. SINAIS DE SEPARAÇÃO: Sobrenome(vírgula) nome(ponto final) título do documento(ponto final) local da publicação(dois pontos) editora(vírgula) data(ponto final) SINAIS DE SEPARAÇÃO: Sobrenome(vírgula) nome(ponto final) título do documento(ponto final) local da publicação(dois pontos) editora(vírgula) data(ponto final) Todos os sinais de separação são seguidos de espaços vazios. Todos os sinais de separação são seguidos de espaços vazios. AZEVEDO, Israel B. de. O prazer da produção científica. 8. ed. São Paulo: Prazer de Ler, AZEVEDO, Israel B. de. O prazer da produção científica. 8. ed. São Paulo: Prazer de Ler, 2000.


Carregar ppt "TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google