A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Módulo de Hospitalar e Agroindústria – AULA 5 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Módulo de Hospitalar e Agroindústria – AULA 5 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."— Transcrição da apresentação:

1 Módulo de Hospitalar e Agroindústria – AULA 5 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho

2 OBRIGAÇÕES E COMPETÊNCIAS DA NR-31 Identificar os problemas de segurança e saúde, estabelecer as prioridades de ação, desenvolver os métodos efetivos de controle dos riscos e de melhoria das condições de trabalho; Avaliar periodicamente os resultados da ação; Prescrever medidas de prevenção dos riscos no observado os avanços tecnológicos; Avaliar permanentemente os impactos das atividades rurais no meio ambiente de trabalho;

3 OBRIGAÇÕES E COMPETÊNCIAS DA NR-31 Elaborar recomendações técnicas para os empregadores, empregados e para trabalhadores autônomos; Definir máquinas e equipamentos cujos riscos de operação justifiquem estudos e procedimentos para alteração de suas características de fabricação ou de concepção; Criar um banco de dados sobre acidentes, doenças e meio ambiente.

4 RISCOS NA AGROINDÚSTRIA- NR-09

5 USO DOS AGROTÓXICOS Agrotóxicos ou Praguicidas ou Pesticidas ou Defensivos Agrícolas são substâncias químicas utilizadas para prevenir, combater ou controlar uma praga.

6 USO DOS AGROTÓXICOS Pela definição citada, incluem-se nas pragas: insetos, carrapatos, aracnídeos, roedores, fungos, bactérias, ervas daninhas ou qualquer outra forma de vida animal ou vegetal danosa a saúde e ao bem estar do homem, a lavoura, a pecuária e seus produtos e a outras matérias primas alimentares. Incluem-se ainda os agentes desfolhantes ( agentes destruidores dos vegetais), os dessecantes ( substâncias químicas capazes de absorver água) e as substâncias reguladoras do crescimento vegetal.

7 Uso do enxofre como acaricida e fungicida Ac. Arsênio branco : usado na Idade Média Sulfato de cobre e nicotina são usados como pesticidas desde o século XVIII Piretro século XIX, rotenona usada pelos índios para pesca - DDT (Dicloro Difenil Tricloroetano), usado como inseticida desde Proibido em HISTÓRICO

8 Insumos modernos da prática agrícola: Adubos Fertilizantes Agrotóxicos Transgênicos USO DOS AGROTÓXICOS NO BRASIL

9 Polêmica - Agrotóxicos X Defensivos Agrícolas - Riscos ao Meio Ambiente e ao Homem X Risco do Comprometimento de Safras Agrícolas - Ecologistas e defensores do meio ambiente X indústrias produtora USO DOS AGROTÓXICOS NO BRASIL

10 Brasil utilizou na safra 1970/71 cerca de 27 mil toneladas de agrotóxicos. Na safra de 1980 passa a usar cerca de 81 mil toneladas, colocando o país entre os grandes consumidores de agrotóxico no mundo. Brasil representa um mercado de 2,3 bilhões de dólares em uso de agrotóxicos. Estímulos a elevação do consumo.

11 Década de 70 programas nacionais de desenvolvimento, entre eles o de defensivos agrícolas. Implantação de fábricas para produção nacional de agrotóxicos. Impulso a monoculturas agrícolas – ex. pró-álcool em Brasil é um país de clima favorável a desenvolvimento de pragas agrícolas com temperatura elevada e umidade importantes.

12 Insumos modernos da prática agrícola: Adubos Fertilizantes Agrotóxicos Transgênicos USO DOS AGROTÓXICOS NO BRASIL

13 Em relação aos tipos de culturas agrícolas onde são mais utilizados os agrotóxicos estão: 38% para a soja; 11,5% para cana de açúcar e, 9% para algodão.

14 Atualmente o Brasil se encontra em 10 o. lugar mundial no consumo de agrotóxicos com média de utilização de 3,2 quilos por hectare, sendo a Holanda a primeira com 17,5 quilos por hectare (fonte SINDAG) Entre janeiro a outubro de 2003 foram importados cerca de 78 mil tons de produtos, sendo 46 mil de Herbicidas, 12 mil de fungicidas, 16 mil de inseticidas e 2 mil de acaricidas e cerca de 500 toneladas de outros produtos. Em relação aos tipos de produtos utilizados o maior aumento ficou por conta dos herbicidas com aumento de 88% nas importações.

15 Inseticidas Fungicidas Herbicidas Outros - Raticidas - Acaricidas - Nematicidas - Molusquicidas - Fumigantes CLASSIFICAÇÃO DOS AGROTÓXICOS

16 a – Organoclorados – persistem por mais tempo no ambiente, chegando a permanecer por um período de 30 anos. A absorção desse agente se dá pela mucosa oral, respiratória e pele, alcançando o sistema nervoso central e periférico. Estes são responsáveis por causar câncer e, por esse motivo, seu uso foi eliminado em diversos países. Ex. DDT, BHC, Aldrin, Heptacloro, etc... INSETICIDAS

17 b – Organofosforados e Carbamatos – são inseticidas amplamente utilizados na atualidade e também apresenta absorção pela via oral, respiratória e dérmica. Estes agrotóxicos são responsáveis por levar a problemas funcionais da musculatura do corpo, cérebro e glândulas. Organofosforados Ex. Dissulfoton, Malation, Paration, etc... Carbamatos - Ex. Aldicarb, Carbaril, etc... INSETICIDAS

18 d – Piretróides – inseticidas domésticos e repelentes para insetosinseticidasrepelentes para insetos Ex. Permetrina, Deltametrina, etc... e - Fumigantes - Ex. brometo de metila, fosfina INSETICIDAS

19 19 Uma pesquisa feita pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), em 12 países latino-americanos, revelou que o envenenamento por produtos químicos, especialmente o chumbo e os pesticidas, simbolizam cerca de 15% de todas as doenças profissionais notificadas.chumbopesticidas Contudo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) assegura que apenas 1/6 dos acidentes são oficialmente registrados e que, aproximadamente, 70% dos casos acontece em países em desenvolvimento, com os organofosforados representando 70% das intoxicações agudas. Os agrotóxicos têm feito vítimas fatais, além de provocar aborto, malformação fetal, suicídios, câncer, dermatose, entre outras doenças. De acordo com a OMS, ocorrem óbitos/ano devido à manipulação, inalação e consumo indireto de pesticidas, nos países em desenvolvimento, como o Brasil. INTOXICAÇÃO POR AGROTÓXICOS

20 a - Compostos Inorgânicos de Cobre (oxicloreto de cobre) b - Mercuriais Orgânicos (aretan – tilex) c - Dimetil-ditio Carbamatos (ferban – ziran) d - Derivados da Tiouréia (tiofanato) e - Compostos Fenólicos dinitrofenóis(dinozeb – DNOC) Clorofenóis (pentaclorofenol) f - Fumigantes (brometo de metila) FUNGICIDAS

21 g - Compostos orgânicos de estanho(brestan – duter) h - Etileno-bis-ditio carbamatos (maneb – mancozeb) i - Outros grupos químicos (captan – difolatan – óleo mineral) FUNGICIDAS

22 a - Arsenicais Inorgânicos (arsenito de sódio) b - Carbamatos (clorprofan) c - Compostos Fenólicos (dinitrofenóis e clorofenóis) d - Derivados do Ácido Fenoxiaceticos(2,4-D e 2,4,5- T) e - Triazinas (ametrina – simazina) f - Triazólios (amino triazol) HERBICIDAS

23 g - Derivados da Anilina (trifluralina – nitralina) h - Dipiridílios (diquat – paraquat) i - Tiol carbamatos (bentio carbe, butilato) j - Derivados da uréia ( carbutilato – diuron) k - Agentes desfolhantes ( DEF – Merfós – folex) HERBICIDAS

24 a - de uso restrito (fluoracéticos, fosfatos metálicos, cianeto de cálcio e brometo de metila) b - produtos de venda ao público: norbormidacila vermelha e anticoagulantes (cumarínicos e indandiona). RATICIDAS

25 Classe 1 A: Extremamente tóxico. Algumas gotas podem matar uma pessoa. DL 50 oral (mg/Kg) < 5 Classe 1 B: Altamente tóxico. Algumas gotas a uma colher de chá podem matar uma pessoa. DL 50 oral (mg/Kg) Classe 2: Regularmente tóxico. Uma colher de chá a duas colheres de sopa podem matar. DL 50 oral (mg/Kg) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA

26 Classe 3: Pouco tóxico. Há necessidade de duas colheres de sopa a dois copos para serem letais a uma pessoa. DL 50 oral (mg/Kg) Classe 4: Muito pouco tóxicos. Há necessidade de dois copos a um litro para serem letais. DL 50 oral (mg/Kg) > 5000 CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA

27 Aguda - onde os sintomas surgem rapidamente, algumas horas após a exposição excessiva, por curto período, a produtos altamente tóxicos. Subaguda - ocasionada por exposição moderada ou pequena a produtos altamente tóxicos ou medianamente tóxicos. Tem aparecimento mais lento e os principais sintomas são subjetivos e vagos, tais como dor de cabeça, fraqueza, mal-estar, dor de estômago e sonolência. TIPOS DE INTOXICAÇÃO

28 Crônica - caracteriza-se por ser de surgimento tardio, após meses ou anos de exposição pequena ou moderada a produtos tóxicos ou a múltiplos produtos, acarretando danos irreversíveis como paralisias e neoplasias. TIPOS DE INTOXICAÇÃO

29 Uma das atividades agrícolas mais desumanas é a pulverização de lavouras com o uso de aviões agrícolas. Há a necessidade de uma ou mais pessoas sinalizarem as linhas por onde o avião deverá passar e, estas, pessoas geralmente levam um arrepiante banho de agrotóxicos.

30 O nº de crianças com déficit de aprendizado cresceu 191% de 1977 – 1994 nos EUA. Tal prejuízo tem sido atribuído à exposição aos agrotóxicos e outros produtos químicos neurotóxicos. A OMS estima em 25 mil o nº de casos/ano de sequelas neurocomportamentais persistentes. Pesquisas com filhos de mulheres que ingeriram peixes contaminados com DDT e dioxinas mostram retardo no desenvolvimento neurológico destas crianças. Em Venâncio Aires uma pesquisa aponta os agrotóxicos utilizados na produção de fumo como suspeitos de serem responsáveis pelos elevados índices de suicídio na região.

31 Na região de Camaquã, Candelária, Rio Pardo e Venâncio Aires foram entrevistados 1298 alunos entre 6 e – 18 anos: - 9,24 % pulverizavam agrotóxicos; - 34,3 % pulverizavam agrotóxicos em Camaquã; - 12,2 % relataram algum caso na família de internação hospitalar por intoxicação por agrotóxicos. Em Passo Fundo, uma pesquisadora detectou uma incidência de anencefalia 5 x maior (1 caso por ) do que aquela estimada como aceitável pela OMS (1 caso por )

32 32

33 ATIVIDADE 1ª Parte: Pesquise em sua cidade ou região, se existem atividades relacionadas a agricultura, pecuária, silvicultura, exploração florestal ou aquicultura e complete as seguintes informações: - Nome da Empresa – pode ser um nome fictício; - Código Nacional de Atividade Econômica – CNAE; - Número de funcionários; - Atividades desenvolvidas por essa empresa. Obs: Caso não tenha empresa na região pode fazer a pesquisa pela internet

34 ATIVIDADE 1ª Parte - CONTINUAÇÃO Escolhida a empresa faça um levantamento, baseado nos riscos ambientais descritos no quadro da NR-09-Programa de Prevenção de Riscos Ambientais apresentado nessa aula, explique quais são as atividades realizadas pela empresa e a que riscos os trabalhadores estão expostos.

35 ATIVIDADE 2ª Parte: Você foi contratado como Técnico em Segurança no Trabalho para atuar na empresa citada na 1ª parte mas, o administrador não tem certeza se é necessária a implantação do SESTR – Serviço Especializado em Segurança e Saúde no Trabalho Rural nem da CIPATR – Comissão Interna para Prevenção de Acidentes do Trabalho Rural.

36 ATIVIDADE 2ª Parte: Continuação Faça esse dimensionamento, conforme a NR-31, dos profissionais que deverão compor o SESTR e da quantidade de participantes da CIPATR e quais são as atribuições dos profissionais que farão parte desses grupos. Não esquecer de identificar o item da norma que trata sobre esses assuntos.

37 3ª Parte: Para concluir essa atividade faça uma pesquisa sobre 5 (cinco) produtos que são considerados agrotóxicos e explique quais os riscos a saúde que cada produto pode trazer.ATIVIDADE


Carregar ppt "Módulo de Hospitalar e Agroindústria – AULA 5 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google