A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso de Pedagogia – disciplina: Interação do mundo natural: Ciências da natureza I - Profª Lucia Helena Amim CIÊNCIA E RELIGIÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso de Pedagogia – disciplina: Interação do mundo natural: Ciências da natureza I - Profª Lucia Helena Amim CIÊNCIA E RELIGIÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Curso de Pedagogia – disciplina: Interação do mundo natural: Ciências da natureza I - Profª Lucia Helena Amim CIÊNCIA E RELIGIÃO

2 Ao longo da história da civilização, a relação entre ciência e religião foi marcada por momentos conflituosos. Há quem acredite que ambas caminham juntas, como também existem aqueles que consideram-nas temas totalmente incongruentes. O século XVI foi marcado por uma grande pressão da Igreja sobre os cientistas e outros discordantes da religião dominante na Europa.

3 Teorias: Criacionismo e Evolução

4 Criacionismo Criacionismo é a teoria que afirma que o homem, a terra, e o resto do universo foram originalmente criados e não espontaneamente explodidos do nada para a existência pelo acaso. Não há de fato uma teoria criacionista oficial, mas em geral é uma posição conflitante com a ciência sobre a origem do universo, origem da vida e evolução das espécies. Para os criacionistas, tais fatos ocorreram assim como descritos em escrituras sagradas, como a bíblia ou o alcorão. A maioria dos argumentos criacionistas baseiam-se em refutar ou desacreditar as evidências que suportam a teoria da evolução. Mais adiantam vamos ver algumas dessas refutações e suas devidas respostas.

5 Criacionismo Numa tentativa de solidificar mais o movimento, os criacionistas se referem as suas crenças como Teoria do Design Inteligente, inserida na Ciência da Criação. Também outro termo criado por eles. Segundo essa teoria, todas as coisas do universo foram projetadas por um ser que possui inteligência e vontade e atribuiu significado e sentido a sua criação. Um argumento muito utilizado é o da improbabilidade da vida e do universo. Segundo esse argumento a vida é muito complexa para ter se originado do caos, assim como o nosso planeta é perfeito demais para a existência dos seres. Logo deve ter havido uma vontade ou uma inteligência que moldasse o universo de forma a permitir o surgimento da vida.

6 Criacionismo A questão da complexidade irredutível diz que um determinado órgão ou componente de um ser vivo é complexo demais para ter evoluído aos poucos ao longo do tempo. E temos também temos aqueles que alegam que a teoria da evolução não pode ser comprovada (e nunca será) devido a falta de fósseis transacionais, fósseis que demonstram a transformação de uma espécie em outra.

7 Evolucionismo Teoria da Evolução Darwin: Seleção Natural Anatomia comparada Presença de fósseis Estruturas vestigiais Evidências genéticas

8 Evolucionismo O evolucionismo, ou teoria da evolução, propõe que a diferenciação e surgimento das espécies é um processo contínuo gerado pela seleção natural. Apesar da idéia de mudanças em animais ao longo do tempo já terem sido sugeridas por outros cientistas, foi Charles Darwin que propôs a seleção natural como vetor dessas transformações. A seleção natural explica o processo de adaptação e especialização dos seres vivos de uma forma simples e elegante, embora nem sempre seja facilmente observável. Segundo esse processo, características hereditárias favoráveis tornam- se mais comuns em gerações futuras enquanto características desnecessárias tendem a desaparecer, pois os portadores dessa característica não conseguem competir em pé de igualdade com seus competidores mais adaptados ao longo do tempo.

9 Evolucionismo Mas quais as evidências que suportam o evolucionismo? A primeira delas e a mais simples de entender é a anatomia comparada. Percebemos por exemplo que primatas partilham de uma mesma postura quase-ereta e cetáceos possuem nadadeiras com estrutura óssea muito semelhante a pata de um mamífero terrestre. Possui lógica pensar que esses grupos de animais possuíram ancestrais em comuns durante o seu caminho evolutivo e que posteriormente sofreram diferenciação, mas ainda possuem uma semelhança estrutural. Fósseis são talvez a maior evidência da evolução pois nos mostram que em períodos passados, a Terra era habitada por animais diferentes dos atuais e que sofreram mudanças ao longo do tempo, tornando-se mais complexos (isso pode ser verificado pois a idade de um fóssil equivale a idade dos sedimentos em que ele se encontra).

10 Estruturas vestigiais são órgãos ou componentes que desempenhavam um papel ativo em um ancestral de um animal mas que por uma adaptação ao meio foi perdendo uso e se atrofiando. Podemos citar como exemplo pequenos tocos que crescem no feto de um golfinho no lugar onde seriam seus membros inferiores e que na metade da gestação esses tocos desaparecem e o animal só fica com os membros superiores (nadadeiras). Também muito importante para evidenciar o caráter verdadeiro da teoria, a análise de DNA comprovou que seres supostamente descendentes de um mesmo ancestral possuem muita semelhança genética. Evolucionismo

11 Algoritmo para a seleção natural Seis passos resumem a conclusão chegada por Darwin no seu livro A Origem das Espécies. 1.Haver reprodução 2.Herança de características 3.Variação das características 4.Ambiente com recursos limitados 5.Espécimes mais adaptados ganham dos concorrentes (sobrevivem) 6.Suas características prevalecem enquanto outras tendem a desaparecer.

12 Os 200 anos de Charles Darwin – link OS+ANOS+DE+CHARLES+DARWIN,00.html OS+ANOS+DE+CHARLES+DARWIN,00.html série com 4 vídeos. A teoria criacionista de Charles Darwin - tempo: 25:06 A+TEORIA+CRIACIONISTA+DE+CHARLES+DARWIN,00.htmlhttp://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM A+TEORIA+CRIACIONISTA+DE+CHARLES+DARWIN,00.html


Carregar ppt "Curso de Pedagogia – disciplina: Interação do mundo natural: Ciências da natureza I - Profª Lucia Helena Amim CIÊNCIA E RELIGIÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google