A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vantagem Competitiva Prof. Dr. Rogério Monteiro Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação em Engenharia de Produção.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vantagem Competitiva Prof. Dr. Rogério Monteiro Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação em Engenharia de Produção."— Transcrição da apresentação:

1 Vantagem Competitiva Prof. Dr. Rogério Monteiro Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação em Engenharia de Produção

2 Prioridades Competitivas - Tendências Os Processos de Transformação estão trabalhando mais proximamente de clientes e fornecedores A Cadeia de Valor é o conjunto de todos os passos que agregam valor ao produto sem a distinção quanto ao local onde são agregados. A Eliminação dos passos que não agregam valor (tais como inspeção e estoque) resulta em um alto grau de dependência entre as funções de valor agregado que estão conectadas na cadeia.

3 Aldeia Global (Motivações) Os fatores que motivam a maior integração entre as empresas e o conseqüente surgimento de uma aldeia global são: a) Avanço contínuo em Tecnologia de Informação Rápida transferência de dados em longas distâncias b) Redução de barreiras de comércio NAFTA, União Européia, MECOSUL c) Redução dos custos de transporte d) Surgimento de mercados de alto crescimento e altos lucros

4 Triângulo Estratégico É o resultado do cotejo entre o propósito da organização o ambiente e a capacitação na formulação da estratégia para a construção do futuro da organização. Propósito o que nós queremos ser? Ambiente o que nos é permitido fazer? Capacitação o que nós sabemos fazer? Estratégia o que nós vamos fazer?

5 Estratégias Corporativas É o que a organização decide fazer para construir o seu futuro e cumprir seu propósito, em grandes linhas, levando-se em conta as restrições, oportunidades e ameaças no ambiente externo, os clientes e os concorrentes, atuais e futuros, e eventuais limitações e potencialidades de sua capacitação. Propósito AmbienteCapacitação Estratégia Futuro

6 Relações Estratégicas Corporativas Mercado Consumidor Estratégia Corporativa Estratégia de Pesquisa e Desenvolvimento Estratégia de operações Estratégia de Recursos Humanos Estratégia de Finanças Estratégia de Marketing

7 Estratégia de Produção Como a função operações contribui para obter vantagem competitiva em um mercado específico Até os anos 60 a Estratégia de produção foi desprezada pelas empresas norte americanas devido à baixa concorrência que sofria. Estratégia de produção ocupa-se com o desenvolvimento de um planejamento de longo prazo para determinar como maximizar a utilização dos principais recursos da empresa, alinhando essa utilização e a estratégia corporativa de longo prazo da companhia Divide-se em três categorias: –Planejamento Estratégico –Planejamento Tático –Controle Operacional

8 Funções de Planejamento Planejamento Estratégico: Decisões amplas, geralmente de longo prazo, abordam as necessidades dos clientes e devem estar alinhadas com a estratégia corporativa, ex: –Como fazer o produto? –Onde localizar a fábrica? – Quanta capacidade necessitamos? Planejamento Tático: Aborda a questão de como enquadrar materiais e mão de obra de forma eficiente, ex: – Quantos trabalhadores precisamos? – Devemos ter um estoque de produtos acabados? Planejamento Operacional: Decisões restritas e de curto prazo, ex: – A quem atribuir tais tarefas? – Quais trabalhos têm Prioridade?

9 Elementos de Análise / Níveis Organizacionais MISSÃO OBJETIVOS ESTRATÉGICOS ESTRATÉGIA EMPRESARIAL ESTRATÉGIA DE UN. DE NEGÓCIO ESTRATÉGIAS FUNCIONAIS Nível Tático Nível Operacional Nível Estratégico

10 Matriz BCG Mapeamento do Portfólio - É o resultado de uma avaliação da atratividade e da competitividade de cada uma das áreas estratégicas do portfólio (carteira de Produtos ou serviços). O resultado desta análise é representado em um esquema gráfico constituído de quatro quadrantes, denominados: –Pontos de Interrogação - São aquelas áreas estratégicas em início do ciclo de vida e para as quais a atratividade é alta, mas a competitividade ainda é baixa. Elas são mapeadas no quadrante de nascedouro. –Estrelas - São aquelas áreas estratégicas que estão na fase de crescimento em seu ciclo de vida e para as quais tanto a atratividade como a competitividade estão em posição de alta. –Vacas-leiteiras - São aquelas áreas estratégicas que estão no auge de seu ciclo de vida e para as quais a competitividade ainda é alta, mas a atratividade já caiu para posição mais baixa. Elas são em uma fase de desfrute, gerando caixa para toda a organização. –Abacaxis - São aquelas áreas estratégicas que já cumpriram seu ciclo de vida e para as quais tanto a atratividade como a competitividade já caíram para a posição de baixa. Elas já estão numa posição de sucumbência.

11 Matriz BCG (Boston Consulting Group) Vacas Leiteiras Estrelas Abacaxis Pontos de Interrogação Alto Baixa Competitividade Baixa Forte Atratividade

12 Ciclo de Vida de um Produto Estágios Lucro $ Introdução Crescimento Maturidade Declínio

13 Ciclo de Vida das Áreas Estratégicas Tempo Atual Nível de Atividade

14 Dez Ms do autodiagnóstico São dez aspectos, ou áreas internas, mnemonicamente escolhidos de forma a se iniciarem todos com a letra M, a serem avaliados em detalhes, para se elaborar um autodiagnóstico da organização. Os dez fatores são, por ordem alfabética: management, mão de obra, máquinas, marketing, materiais, meio ambiente, meio físico, mensagens, métodos e money. Gráfico-radar Forma visual de representação dos resultados de avaliação de diagnósticos, através do qual se representa, em cada um dos dez raios de um círculo, o resultado de avaliação de cada um dos dez aspectos examinados. Os pontos resultantes da avaliação, em cada raio, são ligados através de uma poligonal, cujo formato final dá uma idéia do grau de adequação do ambiente interno da organização para o cumprimento do seu propósito. Pode ser usado, também, para representar o resultado da análise diagnóstica detalhada de cada área crítica.

15 Auto diagnóstico e Gráfico dos Dez Ms Mão de Obra Máquinas Marketing Materiais Meio Ambiente Meio físico Mensagens Métodos Money Management

16 Prioridades Competitivas A chave para desenvolver uma estratégia de produção efetiva está em compreender como criar ou agregar valor para os clientes. O Valor é agregado ao cliente através das Prioridades Competitivas básicas, são elas: –Custos – Operações de Custo Reduzido –Qualidade – Projeto de Alto Desempenho, Qualidade consistente –Tempo – Prazo de Entrega Rápido, Entrega Pontual, Velocidade no Desenvolvimento –Flexibilidade – Customização, Flexibilidade de Volume –Serviços – Padronizados, Atendimento por Encomenda, Serviços Customizados

17 Custos Fornecer produtos de baixo Custo Competência básica para a empresa que deseja competir em nichos de mercado baseados em custo baixo –Produtos tipo commodities (farinha, petróleo, açúcar) –Cliente não distingue os produtos feitos por duas empresas diferentes, o custo é determinante Segmento de mercado de grande concorrência Expectativa de altos lucros devido ao grande volume negociado Alto índice de insucessos

18 Qualidade Dimensão qualidade é definida pelo cliente Importante quesito para manter-se no mercado –Projeto de Alto Desempenho Características superiores em relação à concorrência Tolerâncias menores Maior durabilidade Cortesia e disponibilidade dos empregados –Qualidade Consistente Avalia a freqüência no atendimento às especificações Nível de Qualidade Aceitável (NQA) Processos monitorados constantemente para minimizar erros

19 Tempo Prazo de Entrega Rápido –Tempo entre o recebimento do pedido e seu atendimento –Armazenagem e contratação de fornecedores cativos podem contribuir nesse processo –Fator determinante para a decisão de compra em certos nichos de mercado Entrega Pontual –Freqüência no cumprimento das promessas de prazo de entrega Velocidade no Desenvolvimento –Avalia a velocidade com que novos produtos são introduzidos no mercado –Antecipar-se à concorrência proporciona vantagem difícil de ser suplantada Concorrência Baseada no Tempo –Economizar tempo sem prejudicar a qualidade –Metodologia utilizada em Engenharia Simultânea –Lucro e participação no mercado são diretamente proporcionais à velocidade de entrega em relação à concorrência

20 Flexibilidade Habilidade da empresa de oferecer uma ampla variedade de produtos a seus clientes É a rapidez com que uma empresa converte seus processos a partir da produção de uma linha antiga de produtos para a produção de uma linha nova Capacidade de responder à imprevisibilidade do mercado –Customização Satisfazer às necessidades específicas de cada cliente –Flexibilidade de Volume Acelerar o desacelerar a velocidade de produção rapidamente em função das flutuações de demanda

21 Serviço Serviços Padronizados –Processos com pouca variedade e volumes elevados (Correios, FedEx) Serviços de Atendimento por Encomenda –Processos padronizados para o atendimento às necessidades dos clientes (Telefonia celular, Acesso à Internet) Serviços Customizados –Fornecimento de serviços individualizados –Caracteriza-se por volumes reduzidos As Próximas Vantagens Competitivas Produtos que não agridam o meio ambiente Processos comprovadamente não poluentes Responsabilidade social das empresas Ética Empresarial

22 Linha do tempo para estratégias de produção Linha do tempo: Custos Qualidade Entrega Flexibilidade Serviço Prioridade Competitiva Paradigma: Minimização de Custos Maximização de Valor Fonte da vantagem competitiva: Tecnologia baseada na manufatura Tecnologia baseada na informação

23 Ganhadores de Pedidos: Características de uma empresa que a distinguem de sua concorrência, de forma que esta é selecionada como a fonte da compra. Qualificadores: Características mínimas de uma empresa ou de seus produtos para serem considerados como uma fonte de compra. 50% 100% Custos Qualidade EntregaPersonalização Custos Custos e Qualidade Custos, Qualidade e Entrega Tempo Custos Qualidade Entrega Personalização Porcentagem de concorrentes que oferecem diferenciais Ganhadores de Pedido Qualificadores de Pedidos

24 Dez Estratégias Típicas 6.Simplicidade Organizacional 6.1 Alinhamento Estratégico 6.2 Poucos Níveis Hierárquicos 7.Novo Tipo de Líder e Gerente 7.1 Disposto a buscar alianças 7.2 Disposto a aprender e ensinar 8.Novo Tipo de Colaborador 8.1 Alinhado à Estrat. Corporativa 8.2 Pronto para aprender 9.Tecnologia da Informação 9.1 Dominar recursos de informática 9.2 Instituição sem papel 10.Internacionalização 10.1 Resultados em Padrões Mundiais 10.2 Parcerias internacionais 1.Tratamento ao Cliente 1.1 Ouvir o cliente, sempre 1.2 Antecipar-se às suas necessidades 2.Ênfase em Qualidade 2.1 Tornar a qualidade uma bandeira 2.2 Apurar custos da falta da qualidade 3.Operação em Rede 3.1 Organizar-se em rede de empresas 3.2 Buscar as melhores na modalidade 4.Concentração e Foco 4.1 Explicitar o posicionamento estratégico da empresa 4.2 Atentar aos Fatores Críticos de Sucesso 5.Liquidez e Leveza 5.1 Alugar em vez de comprar 5.2 Buscar investimento de retorno rápido


Carregar ppt "Vantagem Competitiva Prof. Dr. Rogério Monteiro Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação em Engenharia de Produção."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google