A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Luiz Roberto Melo de Oliveira Departamento de Oftalmologia 5º Período - FMUFMG 2002 MANIFESTAÇÕES OCULARES DE DOENÇAS SISTÊMICAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Luiz Roberto Melo de Oliveira Departamento de Oftalmologia 5º Período - FMUFMG 2002 MANIFESTAÇÕES OCULARES DE DOENÇAS SISTÊMICAS."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Luiz Roberto Melo de Oliveira Departamento de Oftalmologia 5º Período - FMUFMG 2002 MANIFESTAÇÕES OCULARES DE DOENÇAS SISTÊMICAS

2 Sem Oft 5.o - LRMO - Aula 72 MANIFESTAÇÕES OCULARES DE DOENÇAS SISTÊMICAS Conhecer Sinais, Sintomas e Seqüelas Oculares Diabetes mellitus Hipertensão Arterial Distireoidismo Sarcoidose e Condições Inflamatórias Síndrome de Imunodeficiência Adquirida Infecções Sistêmicas

3 Sem Oft 5.o - LRMO - Aula 73 DIABETES MELLITUS E OLHO Atendimento Médico Primário Alterações: Refracionais, Catarata, Retinopatia Diabética Retinopatia Diabética (D.M. tipo I e tipo II) Têm R D: 23% após 5 anos e 80% após 15 anos do diagnóstico de Diabetes Mellitus –Não-proliferativa (microaneurismas, hemorragias puntiformes, exsudatos duros e edema macular). 40% dos casos severos desenvolvem a proliferativa. –Proliferativa: Neovascularização, hemorragias vítreas, fibrose, tração, descolamento de retina. Glaucoma. Desencadeada pela isquemia retiniana (capilares obstruidos). –Fundoscopia anual ou + frequente (grávida DM 3 em 3 meses)

4 Sem Oft 5.o - LRMO - Aula 74 HIPERTENSÃO ARTERIAL E OLHO Retinopatia Hipertensiva –Alterações devidas à esclerose arteriolar Alterações do reflexo do dorso arteriolar Alterações dos cruzamentos artério-venosos Dependem da duração e severidade da Hip.Arterial Pode ser difícil diferenciar alterações escl. arter. senís das hipertensivas. –Alterações devidas à hipertensão arterial Constricção arteriolar na elevação moderada e aguda da P.A Exsudatos algodonosos, hemorragias em chama de vela e edema isquêmico da retina (pela necrose fibrinoide da parede vascular) - nos aumentos severos e agudos da P. A. Papiledema - na hipertensão arterial malígna, muito severa.

5 Sem Oft 5.o - LRMO - Aula 75 OFTALMOPATIA DE GRAVES COM OU SEM DISTIREOIDISMO Retração das pálpebras superiores e inferiores Pálpebra superior não acompanha olhar para baixo (sinal de von Graeffe) Exoftalmia (proptose) uni ou bilateral. Cirurgia Típico olhar tireoidiano Ressecamento corneano ( lágrimas artificiais) Olhos vermelhos e inchados Diplopia por envolvimento muscular (cirurgia) Compressão dos nervos ópticos. Perda de visão

6 Sem Oft 5.o - LRMO - Aula 76 SARCOIDOSE: Uveíte anterior ( íris e corpo ciliar) e posterior (coróide). Perivasculite, hemorragias e neovasos periféricos retinianos. Neuropatia óptica. Paralisia do VI nervo. Hemianopsias (via óptica). Granulomas não-caseosos oculares. Afro-americanas jovens. Raios-X de Tórax alterado. Cálcio sérico e Enzima conversora de angiotensina elevados. Biópsia conjuntival ou glândula lacrimal. Olhos secos (pela infiltração da glând. lacrimal). OLHO SECO: Comum após 40 anos em pessoas saudáveis. Lubrificantes. Pode ser Lupus Eritematosus Sistêmico e Artrite Reumatóide. Artrite Reumatóide Juvenil pauciarticular: Irite assintomática, catarata, glaucoma, calcificação da córnea. Referir ao oftalmologista. CÂNCER: Ocular é raro. Metástases de mamário e pulmonar (coróide, nervo óptico, músculos). Infiltração leucêmica em crianças. Radioterapia próxima ao olho pode ocasionar catarata.

7 Sem Oft 5.o - LRMO - Aula 77 SARCOIDOSE: Uveíte anterior ( íris e corpo ciliar) e posterior (coróide). Perivasculite, hemorragias e neovasos periféricos retinianos. Neuropatia óptica. Paralisia do VI nervo. Hemianopsias (via óptica). Granulomas não-caseosos oculares. Afro-americanas jovens. Raios-X de Tórax alterado. Cálcio sérico e Enzima conversora de angiotensina elevados. Biópsia conjuntival ou de glândula lacrimal. Olhos secos (pela infiltração da glând. lacrimal). CONDIÇÕES REUMATOLÓGICAS:. Olhos secos (comum após 40 anos em pessoas saudáveis) - lágrimas artificiais. Pode ser sintoma de Lupus eritematosus sistêmico ou de artrite reumatóide. Lembrar que artrite reumatóide juvenil pauciarticular causa irite assintomática, catarata, glaucoma e calcificação de córnea. Referir ao Oftalmologista. CÂNCER: Ocular é raro. Melanoma e Retinoblastoma. Metástases de mamário e pulmonar (coróide, nervo óptico, músculos) mais comum. Infiltração leucêmica em crianças. Radioterapia próxima ao olho pode ocasionar catarata. ACOMETIMENTO OCULAR EM VÁRIAS PATOLOGIAS - Generalidades -

8 Sem Oft 5.o - LRMO - Aula 78 ACOMETIMENTO OCULAR EM VÁRIAS PATOLOGIAS - Generalidades - Síndrome de Imunodeficiência Adquirida - SIDA –Exsudatos algodonosos (retinopatia aidética) –Retinite por Citomegalovírus (25% dos pacientes) –Sarcoma de Kaposi - conjuntiva palpebral ou bulbar Herpes Zoster Oftálmico –Ramo oftálmico do nervo trigêmeo –Ceratite (fluoresceina) –Uveite anterior –Neurite óptica –Paralisia do nervo oculomotor –Referir ao Oftalmologista


Carregar ppt "Prof. Luiz Roberto Melo de Oliveira Departamento de Oftalmologia 5º Período - FMUFMG 2002 MANIFESTAÇÕES OCULARES DE DOENÇAS SISTÊMICAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google