A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Antônio José Polanczyk TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL 19 de julho de 2001 ABM - Associação Brasileira de Metalurgia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Antônio José Polanczyk TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL 19 de julho de 2001 ABM - Associação Brasileira de Metalurgia."— Transcrição da apresentação:

1 Antônio José Polanczyk TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL 19 de julho de 2001 ABM - Associação Brasileira de Metalurgia e Metais 56º congresso Anual As múltiplas dimensões da competitividade

2 O sudeste brasileiro é atualmente uma das melhores localizações mundiais para uma usina siderúrgica O sudeste brasileiro é atualmente uma das melhores localizações mundiais para uma usina siderúrgica Vale do aço e Ferrovia do Aço : 2 eixos siderúrgicos Ferrovias Usinas Siderúrgicas Portos Quadrilátero ferrífero Vale do Aço 1) Infra-estrutura

3 1) Infra-estrutura 1) Infra-estrutura Acesso a matérias primas As matérias primas básicas estão concentradas em poucos países : Minério de ferro Carvão Brasil e Austrália CVRD, RTZ e BHP dominam 2/3 do comércio transoceânico EUA, Austrália, Polônia, China, Canadá e Colômbia

4 Influência da distribuição sobre os preços Produtos planos Preços de venda (EUR/t) 1) Infra-estrutura 1) Infra-estrutura

5 1) 1) Produção fragmentada entre inúmeros produtores % - 90% - 80% - 70% - 60% - 50% - 40% - 30% - 20% - 10% - 0 % - Número de produtores Siderurgia Alumínio Aço inoxidável Alumina Ind. automobilística Infra-estrutura

6 2) Tecnologia 2) Tecnologia Predominância dos processos LD e Forno Elétrico Produção de aço : Oxigênio56% Elétrico34% SM 4% Lingotamento contínuo83%

7 2) Tecnologia 2) Tecnologia Domínio do fornecedor do equipamento Referências: Forno elétrico e arco276 Aciaria LD 42 Lingotamento contínuo673 Laminador de fio máquina e barras453

8 3) Gestão 3) Gestão Desempenho operacional três laminadores

9 4) Governo 4) Governo Os governos estão saindo do negócio siderúrgico Percentagem da produção global pertencente aos governos 36% U.E. China e CIS

10 ,63% ao ano ,24% ao ano ,64% ao ano Milhões de toneladas 4) Governo 4) Governo Consumo aparente de aço no mundo Empregados

11 5) Custo do capital 5) Custo do capital Resultados comparativos ano 2000 % da receita líquida

12 5) Custo do capital 5) Custo do capital Comparação entre países EUA Países desenvolvidos Brasil Fonte : Relatório Anual exercício 2000 Brasil (média entre Belgo, Gerdau, Usiminas e CSN)

13 6) Internacionalização 6) Internacionalização Exportações brasileiras de aço kt

14 6) Internacionalização 6) Internacionalização Slabs / Placas A estratégia de produzir placas em países de baixo custo e laminá-las em países consumidores mostra-se acertada Milhões t - o mercado mundial já atinge 23 MT - Principais produtores : CST Imexsa Magnitogorsh Novolipetsh

15 6) Internacionalização 6) Internacionalização Globalização Clientes globais, consolidados em poucas grandes companhias Exigem uniformidade das matérias primas Reduzem o número de fornecedores, escolhendo os melhores Parcerias mundiais Exemplo: indústria automotiva, pneus, eletrodomésticos Fio máquina para cordonéis de aço: Usina de Monlevade abastece 24 plantas em 12 países de poucos clientes

16 7) Competitividade 7) Competitividade Capacidade acumulada ( milhões de t ) fonte: World Steel Dynamics Alemanha EUA Japão França Austrália Coréia S. BRASIL CEI México Taiwan Inglaterra Canadá US$ / t Preço das Bobinas a Frio da siderurgia brasileira

17 8) Preços internacionais 8) Preços internacionais Evolução US$ / t Jul/01 Bobina a quente Preços no Mercado spot - USA Aço inoxidável Preços no Mercado Europeu

18 Custos das bobinas a quente e preços FOB porto Capacidade acumulada ( milhões de t ) US$ / t Dez/2000 Dez/1998 Mai/2001 Dez/1995 Custo Preço 8) Preços internacionais 8) Preços internacionais

19 9) Finanças 9) Finanças Fraca performance do preço das ações Índice Mercado Europeu Setor Siderúrgico O setor siderúrgico não participou da alta ocorrida a partir de 1995

20 9 ) Finanças 9 ) Finanças Baixa atratividade Valor de mercado do setor siderúrgico é muito pequeno Telecom Aço Valor total do mercado de ações europeu Pequeno valor de mercado em relação a outros setores... US$ bilhões

21 Número de empresas 18 Capacidade instalada 25,6 Mt Empregados Aposentados ) Economia 10 ) Economia Crise na Siderurgia Americana

22 10 ) Economia 10 ) Economia Crise na Siderurgia Americana (Causas) Falta de visão e liderança Indústria fragmentada Dólar forte Grande suporte do governo: proteção comercial e empréstimos Custo da mão de obra Custo das aposentadorias

23 10 ) Economia 10 ) Economia Visão Americana Dados fundamentais Excesso de produção de aço no mundo Todos os governos financiam as siderúrgicas no mundo Os EUA são importadores de aço e vão restringir a importação Com isto, a maioria dos países vai adotar ações anti-dumping e haverá redução na produção Rompimento do modelo atual Provocará uma mudança estrutural que terá efeitos a longo prazo Ações Salvaguarda 201 Negociação em nível mundial para reduzir produção Redução de subsídios e combate aos cartéis Reestruturação da siderurgia americana

24 Aço: Maiores exportadores e importadores líquidos milhões de t ExportadoresImportadores 10 ) Economia 10 ) Economia

25 Redução de Capacidade Usinas ineficientes de alto custo Controle de excedentes por país ou blocos econômicos x

26 Muito obrigado !


Carregar ppt "Antônio José Polanczyk TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL TENDÊNCIAS DA SIDERURGIA MUNDIAL 19 de julho de 2001 ABM - Associação Brasileira de Metalurgia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google