A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AVALIAÇÃO EM SAÚDE BUCAL COLETIVA ANÁLISE DOS ACHADOS DE CAMPO PLANALTINA SANTA MARIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AVALIAÇÃO EM SAÚDE BUCAL COLETIVA ANÁLISE DOS ACHADOS DE CAMPO PLANALTINA SANTA MARIA."— Transcrição da apresentação:

1 AVALIAÇÃO EM SAÚDE BUCAL COLETIVA ANÁLISE DOS ACHADOS DE CAMPO PLANALTINA SANTA MARIA

2 REFERÊNCIA 0 A 5 ANOS PLANALTINA/DF

3 REFERÊNCIA 0 A 5 ANOS PLANALTINA/DF POPULAÇÃO-ALVO PROGRAMÁTICA TODAS AS CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS ATENDIDAS NO PAISC ( SALA DA CRIANÇA, CD E PEDIATRIA ) NO CENTRO DE SAÚDE 3 OCORRE LIVRE DEMANDA E SÃO ATENDIDAS CRIANÇAS VINDAS DE FORMOSA E BRASILINHA 2- MECANISMO DE ACESSO EM TODOS OS CENTROS DE SAÚDE, O ACESSO É ATRAVÉS DO CARTÃO DE SAÚDE BUCAL EXCEÇÃO PARA AS EMERGÊNCIAS

4 4- NATUREZA DAS PRÁTICAS PREVENTIVO : EVIDENCIAÇÃO DE PLACA COM FUCSINA, ESCOVAÇÃO SUPERVISIONADA E APLICAÇÃO TÓPICA DE FLÚOR FEITAS PELOS THDS. EM CRIANÇAS COM RISCO DE CÁRIE É FEITA APLICAÇÃO DE VERNIZ COM FLÚOR PROMOCIONAL : SÃO FEITAS PALESTRAS PARA OS RESPONSÁVEIS ONDE SÃO ABORDADAS NOÇÕES DE HIGIENE E ESPORADICAMENTE APRESENTADAS FITAS DE VÍDEO ( CENTRO 1) 3- ESPAÇO DE REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS CENTROS DE SAÚDE 1, 2, 3

5 CURATIVO : TODOS OS PROCEDIMENTOS DE DENTÍSTICA, PULPOTOMIA, EXODONTIA. PROCEDIMENTOS MAIS COMPLEXOS SÃO ENCAMINHADOS AO CS 3 5- MECANISMO DE REFERÊNCIA E CONTRA- REFERÊNCIA CENTRO 3 ( CLÍNICA DO BEBÊ )

6 6-ROTINA DE ATENÇÃO A CRIANÇA CHEGA AO CD ONDE É FEITO O PESO, ESTATURA, PERÍMETRO CEFÁLICO ( 0 18 MESES ), MEDIDA A TEMPERATURA SALA DE ENFERMAGEM, SÃO AVALIADOS OS ACHADOS, VERIFICA-SE O CARTÃO DE VACINAS, FAZ-SE ORIENTAÇÃO ALIMENTAR ORIENTAÇÃO SOBRE HIGIENE BUCAL E CORPORAL ENCAMINAMENTO AO ESCOVÓDROMO PREENCHIMENTO DO CARTÃO DE SAÚDE PELO THD ENCAMINHAMENTO PARA TRATAMENTO CURATIVO ATF NO FINAL DO TRATAMENTO ORIENTAÇÃO PARA LEVAR AESCOVA DE DENTES A CADA CONSULTA

7 7- CAPACIDADE INSTALADA ESCOVÓDROMOS CENTRO 1 - VÍDEO DE TV, 3 PIAS, 3 ESPELHOS E 1 CADEIRA CENTRO 2 - ESCOVÓDROMO ADAPTADO CENTRO TORNEIRAS E 1 PIA UNIDA, SALA ESPECÍFICA PARA PALESTRAS CENTRO EQUIPOS, 2 PUAS, 1 COMPRESSOR, 2 ARMÁRIOS,1 AMALGAMADOR, 1 FOTO, 1 ESTUFA, 2 AUTOCLAVES

8 CENTRO EQUIPOS, 1 ESTUFA, 1 AUTOCLAVE ( TODO O CENTRO ), 1 AMALGAMADOR, ETC CENTRO EQUIPOS, 1 ESTUFA, 1 AUTOCLAVE ( TODO O CENTRO ), AR- CONDICIONADO 8- RECURSOS HUMANOS E COMPETÊNCIAS CENTRO 1 : 5 CDS, 2 THDs (QUE DESEMPENHAM ESTA FUNÇÃO) CENTRO 2 : 2 CDs, 1 THD E 1 ACD CENTRO 3 : 1 CD E 3 THDs ( QUE DESEMPENHAM FUNÇÃO DE ACD )

9 9- RECURSOS MATERIAIS AMÁLGAMA, RESINA FOTO, IONÔMERO, IRM, ZOE, FORMOCRESOL, ABRIDOR DE BOCA, ISOLAMENTO ABSOLUTO INCOMPLETO 10- MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS 1 TÉCNICO PARA PLANALTINA

10 11- GERÊNCIA DE INFORMAÇÃO, CONTROLE E AVALIAÇÃO COLETA DIÁRIA DE DADOS AVALIAÇÃO ANUAL DE DESEMPENHO 5 PROCEDIMENTOS/HORA + EMERGÊNCIAS 12- CAPACITAÇÃO E TREINAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CEDRHUS

11 ANÁLISE APÓS ENCONTROS, DISCUSSÕES, FÓRUNS DOS QUAIS PARTICIPARAM PROFISSIONAIS DA FHDF, UnB, NNO, CHEGOU-SE A UMA PROPOSTA DE PROGRAMAÇÃO DE SAÚDE BUCAL COLETIVA PARA PLANALTINA ABRANGENDO CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS, ONDE SE PRETENDIA UMA INTEGRAÇÃO COM ÁREAS AFINS ( MEDICINA, ENFERMAGEM, NUTRIÇÃO ) ESTIMULANDO A DESMONOPOLIZAÇÃO DO SABER. O OBJETIVO ERA QUE TODA VEZ QUE A CRIANÇA CHEGASSE AO CS ( SALA DA CRIANÇA, CD ) ELA FOSSE AVALIADA DE FORMA INTEGRAL, INCLUINDO UMA AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE SUA SAÚDE BUCAL PELO MÉDICO E AUXILIARES DE ENFERMAGEM. PORÉM, ESTA NÃO É A REALIDADE. A CRIANÇA É ENCAMINHADA AO ESCOVÓDROMO ONDE O THD É DESLOCADO DE SUAS FUNÇÕES DO CONSULTÓRIO PARA REALIZAR TAIS PROCEDIMENTOS.

12 FOI ALEGADO PELAS AUXILIARES DE ENFERMAGEM FALTA DE TEMPO,MUITAS CRIANÇAS PARA ATENDER, SOBRECARGA DE TRABALHO E QUE ISTO É COMPETÊNCIA DA EQUIPE DE ODONTOLOGIA. NO CENTRO 2, AS AUXILIARES DE ENFERMAGEM, APRESENTARAM MAIOR DISPOSIÇÃO E ESTÃO REALIZANDO ESTAS ORIENTAÇÕES, DA MESMA FORMA QUE ALGUNS PEDIATRAS. NO QUE DIZ RESPEITO ÀS PRÁTICAS PROMOCIONAIS E PREVENTIVAS, ESTAS ESTÃO SENDO REALIZADAS DE FORMA SATISFATÓRIA, MESMO LEVANDO-SE EM CONTA O PEQUENO NÚMERO DE PROFISSIONAIS DESIGNADOS PARA TAL FUNÇÃO. UM ÍTEM INTERESSANTE É QUANTO À MARCAÇÃO DE RETORNO AO ESCOVÓDROMO ONDE OS HORÁRIOS NÃO SÃO RÍGIDOS. O THD MARCA UM PERÍODO PROVÁVEL DEIXANDO PARA O RESPONSÁVEL A DECISÃO DA MELHOR DATA. O NÚMERO DE ATENDIMENTOS À CRIANÇA É GRANDE, PORÉM, COM DEMANDA CRESCENTE EM FUNÇÃO DE COMOUNICAÇÃO INFORMAL E BOA ACEITAÇÃO DO PRAGRAMA. O NÚMERO DE PROFISSIONAIS ESTÁ INSUFICIENTE,SOBRECARREGANDO OS MESMOS.

13 QUANTO À CAPACIDADE INSTALADA, DEIXA A DESEJAR. A ANATOMIA DA CADEIRA NÃO É A IDEAL PARA SE ATENDER CRIANÇAS PEQUENAS E TAMBÉM PREJUDICA O DESEMPENHO DO PROFISSIONAL. RECURSOS MATERIAIS SÃO DE EXCELENTE QUALIDADE, NÃO DEIXAM NADA A DESEJAR. UM PROBLEMA DETECTADO EM TODOS OS CENTROS FOI A FALTA DE CURSOS DE TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO ESPECÍFICOS PARA OS PROFISSIONAIS.

14 PACIENTES ESPECIAIS PLANALTINA/DF

15 PACIENTES ESPECIAIS PLANALTINA/DF POPULAÇÃO-ALVO PROGRAMÁTICA PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL SÍNDRÓME DE DOWN DEFICIENTES MENTAIS AUDITIVOS, VISUAIS,OUTROS

16 2- MECANISMO DE ACESSO COMUNIDADE ( LIVRE DEMANDA ) CENTRO DE ENSINO ESPECIAL SALA DE ACOLHIMENTO E PEDIATRIA DO CS 2 MANUTENÇÃO DOS PACIENTES QUE JÁ RECEBERAM TRATAMENTO 3- ESPAÇO DE REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS DOMCÍLIO - NÃO EXISTE UNIDADE DO PSC - NÃO ESTÁ ACONTECENDO CENTRO DE SAÚDE 2

17 4- NATUREZA DAS PRÁTICAS PREVENTIVO E PROMOCIONAL CENTRO DE SAÚDE : REVELAÇÃO DE PLACA COM FUCSINA, HIGIENE BUCAL SUPERVISIONADA E ATF GEL OU VERNIZ CENTRO DE ENSINO ESPECIAL PROCEDIMENTOS COLETIVOS( EQUPE DE ODONTOLOGIA E PROFESSORES ) CURATIVO DENTÍSTICA, PERIO, EXODONTIA

18 5-MECANISMO DE REFERÊNCIA E CONTRA- REFERÊNCIA CENTRO DE SAÚDE 2 HRAN HRS 6- ROTINA DE ATENÇÃO PACIENTE ESPECIAL TEM PREFERÊNCIA AGENDAMENTO ACOMPANHAMENTO DE RESPONSÁVEL HIGIENE BUCAL NA CADEIRA CURATIVO - 4 SESSÕES PRIMEIRO - EXODONTIAS, RESTAURADOR PERIODONTIA, ATF NO FINAL

19 7- CAPACIDADE INSTALADA 8- RECURSOS HUMANOS E COMPETÊNCIAS 9 - RECURSOS MATERIAIS 10- MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS 11- GERÊNCIA DE INFORMAÇÃO, CONTROLE E AVALIAÇÃO

20 12- CAPACITAÇÃO E TREINAMRNTO DE RECURSOS HUMANOS

21 ANÁLISE NA REGIONAL DE PLANALTINA NÃO EXISTE UMA PROGRAMAÇÃO ESPECÍFICA PARA O PACIENTE ESPECIAL, FICANDO O CD DO CS 2( O ÚNICO QUE ATENDE PACIENTE ESPECIAL NA REGIONAL) COM LIBERDADE DE PROGRAMAR SUA ROTINA DE TRABALHO. A EQUIPE TRABALHA SEM RIGIDEZ DE NORMAS NUM AMBIENTE DE APOIO MÚTUO, DE FORMA HUMANIZADA E INFORMAL EXISTE UMA FALTA DE TREINAMENTO ESPECÍFICO DAS AUXILIARES PARA TRABALHAR COM PACIENTE ESPECIAL, A EQUIPE TRABALHA COM BOA VONTADE MAS SEM UMATÉCNICA. A COORDENAÇÃO EXIGE PRODUTIVIDADE, MUITAS VEZES ESQUECENDO DE QUE A CD TAMBÉM ATENDE PACIENTES ESPECIAIS O QUE TOMA MUITO DO SEU TEMPO. QUANTO À CAPACIDADE INSTALADA, UMA REIVINDICAÇÃO GERAL É UMA CADEIRA MAIS APROPRIADA PARA O ATENDIMENTO DESTES PACIENTES E UM AR- CONDICIONADO. É NOTÁVEL A EXCELÊNCIA DA QUALIDADE DA MANUTENÇÃO DOS SERVIÇOS GERAIS ( LIMPEZA, ASSEIO, BOA APARÊNCIA ) NESTE CS.

22 GESTANTES PLANALTINA/DF

23 GESTANTES PLANALTINA/DF 1- ESPAÇO DE REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS CENTRO DE SAÚDE 3 2- POPULAÇÃO -ALVO PROGRAMÁTICA GESTANTES QUE ESTÃO FAZENDO O PRÉ-NATAL NOS CENTROS DE SAÚDE E USC E ALGUMAS VINDAS DO ENTORNO

24 3- MECANISMO DE ACESSO SÃO ATENDIDAS ATRAVÉS DO CARTÃO DE SAÚDE BUCAL O QUE COMPROVA A SUA PARTICIPAÇÃO NAS PALESTRAS E HIGIENE BUCAL SUPERVISIONADA NO ESCOVÓDROMO 4- NATUREZA DAS PRÁTICAS PREVENTIVO : EVIDENCIAÇÃO DE PLACA, HIGIENE BUCAL SUPERVISIONADA E ATF PROMOCIONAL: PALESTRAS REALIZADAS POR AUXILIARES DE ENFERMAGEM, AGENTES DE SAÚDE E THDs

25 CURATIVO : FEITA APENAS ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL ( IONÔMERO DE VIDRO ), EXODONTIAS, TARTARECTOMIA E PULPECTOMIA 5- MECANISMO DE REFERÊNCIA E CONTRA- REFERÊNCIA CENTRO DE SAÚDE 3 ( DRA. RITA ) HRP ( GESTANTES DE ALTO RISCO )

26 6- ROTINA DE ATENÇÃO TODA VEZ QUE A GESTANTE VAI SER ATENDIDA NO PRÉ-NATAL, INICIALMENTE ELA REALIZA OS PROCEDIMENTOS PREVENTIVOS E PROMOCIONAIS BÁSICOS QUE SÃO EVIDENCIAÇÃO DE PLACA BACTERIANA COM FUCSINA, ESCOVAÇÃO SUPERVISIONADA COM CREME DENTAL E FLÚOR GEL NAS PALESTRAS, SÃO PASSADAS NOÇÕES BÁSICAS DE SAÚDE, ORIENTAÇÕES QUANTO AOS CUIDADOS COM O BEBÊ, E A NECESSIDADE DE INSCREVÊ-LO NO PROGRAMA ASSIM QUE NASCER E TAMBÉM É ENFATIZADA A IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO, A REDUÇÃO DO CONSUMO DE AÇÚCAR NA MAMADEIRA, A REDUÇÃO DAS MAMADAS NO PERÍODO NOTURNO

27 ORIENTAM A IMPORTÂNCIA DE SE LIMPAR A CAVIDADE BUCAL DO BEBÊ ( FRALDINHA EMBEBIDA EM ÁGUA FILTRADA ) MESMO QUE ESTA NÃO APRESENTE DENTES. ESTÁ SENDO REALIZADA APENAS A ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL A FIM DE EVITAR INFECÇÃO PÓS-PARTO.AS RESTAURAÇÕES DEFINITIVAS DEVERÃO SER REALIZADAS FUTURAMENTE PELOS PROFISSIONAIS DO PSC NAS UNIDADES. CONFORME A NECESSIDADE SÃO FEITAS EXODONTIAS E TARTARECTOMIA. É REALIZADA A HIGIENE BUCAL. A EVIDENCIAÇÃO SÓ É FEITA QUANDO A GESTANTE APRESENTA UM ALTO ÍNDICE DE PLACA. GESTANTES DE ALTO RISCO SÃO ENCAMINHADAS PARA O HRP O TRATAMENTO CURATIVO DEVE SER CONCLUÍDO EM 2 ÚNICAS SESSÕES ( 2 HEMIARCOS POR SESSÃO )

28 7- CAPACIDADE INSTALADA 8- RECURSOS HUMANOS E COMPETÊNCIAS 9- RECURSOS MATERIAIS 11- GERÊNCIA DE INFORMAÇÃO, CONTROLE E AVALIAÇÃO 12- CAPACITAÇÃO E TREINAMENTO DE RECURSOS HUMANOS

29 ANÁLISE O OBJETIVO DO PROGRAMA À GESTANTE É QUE TODA VEZ QUE ELA FOR AO CS PARA O EXAME PRÉ-NATAL QUE SEJA FEITA A EVIDENCIAÇÃO DE PLACA E HIGIENE BUCAL SUPERVISIONADA, PORÉM ISTO AINDA NÃO SE TORNOU ROTINA, NÃO POR FALHA DOS PROFISSIONAIS DO CENTRO DE SAÚDE, MAS POR DESCUIDO DA PRÓPRIA GESTANTE QUE NÃO SE LEMBRA DE TRAZER CONSIGO A ESCOVA DE DENTES. SOMENTE QUANDO A HIGIENE BUCAL ESTÁ DEFICIENTE, É FEITA A EVIDENCIAÇÃO DE PLACA PELA THD. SÃO AGENDADAS 12 GESTANTES DIARIAMENTE, ALÉM DAS EMERGÊNCIAS QUE NÃO SÃO RECUSADAS, BEM COMO PACIENTES DO ENTORNO PARA UMA ÚNICA CD. A CADEIRA ONDE SÃO ATENDIDAS NÃO TEM UMA ANATOMIA IDEAL, É DESCONFORTÁVEL, NÃO TEM UMA BASE SEGURA PARA EVITAR QUE ELA SE MOVIMENTE.

30 NO MOMENTO EXISTEM 17 VAGAS DE ODONTOLOGIA PARA GESTANTES, QUE DEVEM PROCURAR A MARCAÇÃO DA PALESTRA INICIALMENTE. PARA QUE SE ATINJA A UNIVERSALIDADE EM RELAÇÃO A ESTA POPULAÇÃO-ALVO, SERIA NECESSÁRIO UM MAIOR NÚMERO DE PROFISSIONAIS TREINADOS E PREPARADOS PARA ESTA PRÁTICA. FALTAS NÃO JUSTIFICADAS IMPLICAM EM PERDA DA VAGA. APÓS UM ANO É FEITO O RETORNO E AVALIADA A CONDIÇÃO DE SAÚDE BUCAL EM QUE A GESTANTE SE ENCONTRA, CASO NÃO SEJA SATISFATÓRIA, A GESTANTE CORRE O RISCO DE NÃO MAIS CONSEGUIR TRATAMENTO, VISTO QUE ELA JÁ HAVIA SIDO ORIENTADA QUANTO À MANUTENÇÃO. O TEMPO PREVISTO PARA ACONCLUSÃO DO TRATAMENTO É DE 2 SESSÕES. EM ALGUMAS GESTANTES ESTE É VIÁVEL, PORÉM EM OUTRAS ISTO SE TORNA IMPOSSÍVEL.

31 ALUNAS DANUZE BATISTA LAMAS GRAVINA MARIA DE JESUS RAMOS LEAL MARIANGELA DE ALMEIDA MOTA MARIA TERESA DE ALMEIDA MOTA SOARES ROSA VIRGÍNIA RAMOS


Carregar ppt "AVALIAÇÃO EM SAÚDE BUCAL COLETIVA ANÁLISE DOS ACHADOS DE CAMPO PLANALTINA SANTA MARIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google