A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Luanda, 29 de Agosto de 2009. Plano da Apresentação Introdução Perspectivas éticas Concepções da empresa Ética empresarial Código Ético Empresarial Algumas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Luanda, 29 de Agosto de 2009. Plano da Apresentação Introdução Perspectivas éticas Concepções da empresa Ética empresarial Código Ético Empresarial Algumas."— Transcrição da apresentação:

1 Luanda, 29 de Agosto de 2009

2 Plano da Apresentação Introdução Perspectivas éticas Concepções da empresa Ética empresarial Código Ético Empresarial Algumas vantagens da ética empresarial Concluindo

3 Introdução O cristianismo pretende evangelizar a totalidade da existência humana, incluindo a dimensão política. Por isso critica aqueles que tendem a reduzir o espaço da fé à vida pessoal e familiar, excluindo a ordem profissional, económica, social e política, como se o pecado, o amor, a oração e o perdão não tivessem importância aí. CELAM, Documento de Puebla 1979

4 Introdução Estou ciente dos desvios e esvaziamento de sentido que a caridade não cessa de enfrentar com o risco, daí resultante, de ser mal entendida, de excluí-la da vida ética e, em todo o caso, de impedir a sua correcta valorização. Nos âmbitos social, jurídico, cultural, político e económico, ou seja, nos contextos mais expostos a tal perigo, não é difícil ouvir declarar a sua irrelevância para interpretar e orientar as responsabilidades morais. Bento XVI, Caritas in Veritate, 2

5 Mentalidade dominante... A ética atrapalha os negócios… O que um ganha, o outro perde… O segredo é a alma do negócio… Ganhar… não interessa como…

6 Perspectivas Éticas Perspectiva normativa Perspectiva normativa O agir ético cumpre as regras morais estabelecidas Perspectiva aristotélica Perspectiva aristotélica O agir ético conduz à felicidade A prudência segundo S. Tomás de Aquino A prudência segundo S. Tomás de Aquino Os princípios abstractos não são suficientes; é necessário um agir orientado pela prudência – a virtude de agir correctamente orientado pela razão prática.

7 Concepção Tradicional da Empresa Capita- lista Empresa

8 Concepção Tradicional da Empresa Proprietário: Proprietário: capitalista(s) [claramente definido] Gestão: Gestão: pelo proprietários ou na sua estrita dependência Finalidade: Finalidade: maximizar o lucro Crítica marxista

9 Concepção Moderna da Empresa Empresa Trabalha-dores AccionistasClientes Sociedade (ambiente,…)

10 Concepção Moderna da Empresa Proprietário: Proprietário: muitas grandes empresas são possuídas por fundos de pensões e por outras empresas não se identificando claramente os proprietários Gestão: Gestão: A equipa de gestão responde perante os accionistas, os trabalhadores, os clientes e a sociedade (responsabilidade social) Finalidade: Finalidade: produzir riqueza, conjugando os interesses dos quatro elementos acima citados.

11 Ética Empresarial A ética da empresa nasce, reside e afirma-se nas ideias e nos actos concretos dos parceiros em presença, do topo à base. Constitui uma necessidade objectiva – por razões de responsabilidade institucional, para que se possam prosseguir finalidades e alcançar objectivos traçados e por motivos de aprendizagem e inserção social.

12 Ética Empresarial São valores morais, hábitos, costumes positivos, que se assimilam e integram e têm como finalidade intervir de forma útil na sociedade, actuando para modificar para melhor os comportamentos que devem ser mudados. Carlos Saraiva Alves - Docente do ISG

13 Consequências do agir não ético Um comportamento não ético acaba por ameaçar o próprio sistema económico Um comportamento não ético acaba por ameaçar o próprio sistema económico Primeiras greves violentas Especulação financeira desligada da economia real Monopólios Custos ambientais Crise financeira internacional 2008

14 Regulação / Desregulação O mercado é capaz de se auto-regular: O mercado é capaz de se auto-regular: A que preço? Com que custos sociais? Há que investir na regulação dos mercados: Há que investir na regulação dos mercados: A existência de regulação não é garantia de mudança de comportamentos

15 Ética e sociedade Os limites éticos devem inscrever-se e aperfeiçoar-se no quadro da evolução qualitativa da economia e da sociedade. Não são as normas que os determinam, são as boas práticas. Não são as normas que os determinam, são as boas práticas. A over-regulation típica das multinacionais americanas, não é exemplo a seguir por não corresponder a um quadro cultural sinceramente aceitável.

16 Ética e sociedade Existem vias que podemos trilhar nos negócios e nas relações com o Estado: Retomar o valor dos princípios e da palavra dada, da confiança mútua; Preservar o valor da continuidade nas relações de mercado e do equilíbrio de interesses das partes; Responsabilizar as entidades pelas suas acções/opções. Como é que estes princípios estão presentes na formação em Ciências Empresariais?

17 Código Ético Empresarial Quando existe – escrito ou não escrito, mas evidentemente assumido – o código ético é uma ferramenta estratégica poderosa, que exige saber e competência no exercício da gestão. Serve para exprimir a identidade e a razão de ser, para explicar o que queremos ser e quais as nossas finalidades, para reforçar os comportamentos positivos, para resolver dilemas e gerar auto regulação, para assumir compromissos fundamentais (como queremos fazer, para fazer bem) e para proporcionar credibilidade.

18 Código Ético Empresarial O código ético deve abordar, na perspectiva da empresa, o quadro geral de relações – com os colaboradores, com os clientes e com os mercados e com os accionistas. Também com os concorrentes e, de um modo geral, com a comunidade em que a empresa exerce influência institucional.

19 Algumas vantagens da ética empresarial Favorece a reputação e a longevidade da empresa, contribuindo para a obtenção de bons resultados Afirma-se pela qualidade, pela aprendizagem, pela referência de boas práticas, pela busca da excelência,… A sociedade pós-capitalista afirma-se pelo saber, não pelo dinheiro… Pretender apenas maximizar o lucros é matar a galinha dos ovos de ouro (economia de saque).

20 Algumas vantagens da ética empresarial É um instrumento de intervenção social para influenciar mudanças positivas na sociedade (por exemplo: campanhas publicitárias solidárias, fundos éticos, economia solidária, mecenato,…). É preciso propor às pessoas um grande objectivo; sofrem por serem convidadas apenas para o medíocre (L. J. Lebret). Na perspectiva cristã, é uma forma de construir o Reino de Deus no mundo empresarial.

21 Concluindo No mundo em que vivemos, os cidadãos que desejam ser, além de prósperos, verdadeiramente livres, terão que se orientar para uma cultura de conhecimento responsável, para uma moral de trabalho e solidariedade e para uma visão da vida com amanhã.

22 Concluindo A ética é a grande questão subjacente para que se afirmem, na sociedade e nas empresas, o primado do saber, a coragem de ser, a determinação de viver cada dia, a esperança para continuar!


Carregar ppt "Luanda, 29 de Agosto de 2009. Plano da Apresentação Introdução Perspectivas éticas Concepções da empresa Ética empresarial Código Ético Empresarial Algumas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google