A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

E SPAÇO A GRÁRIO P ROFESSORA : TALITA NEVES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "E SPAÇO A GRÁRIO P ROFESSORA : TALITA NEVES."— Transcrição da apresentação:

1 E SPAÇO A GRÁRIO P ROFESSORA : TALITA NEVES

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15 João Cabral de Melo Neto O poema é narrativo com seu gênero dramático. Consiste em duas partes: antes de chegar em Recife e depois. Antes de chegar chamamos de caminho ou fuga da morte; e depois em o presépio ou encontro.

16 M ORTE E V IDA S EVERINA Morte e Vida Severina O RETIRANTE EXPLICA AO LEITOR QUEM É E A QUE VAI O meu nome é Severino, não tenho outro de pia. Como há muitos Severinos, que é santo de romaria, deram então de me chamar Severino de Maria; como há muitos Severinos com mães chamadas Maria, fiquei sendo o da Maria do finado Zacarias. Mas isso ainda diz pouco: há muitos na freguesia, por causa de um coronel que se chamou Zacarias e que foi o mais antigo senhor desta sesmaria. Como então dizer quem falo ora a Vossas Senhorias? Vejamos: é o Severino da Maria do Zacarias, lá da serra da Costela, limites da Paraíba. Mas isso ainda diz pouco: se ao menos mais cinco havia com nome de Severino filhos de tantas Marias mulheres de outros tantos, já finados, Zacarias, vivendo na mesma serra magra e ossuda em que eu vivia. Somos muitos Severinos iguais em tudo na vida: na mesma cabeça grande que a custo é que se equilibra, no mesmo ventre crescido sobre as mesmas pernas finas e iguais também porque o sangue, que usamos tem pouca tinta. E se somos Severinos iguais em tudo na vida, morremos de morte igual, mesma morte severina: que é a morte de que se morre de velhice antes dos trinta, de emboscada antes dos vinte de fome um pouco por dia (de fraqueza e de doença é que a morte severina ataca em qualquer idade, e até gente não nascida). Somos muitos Severinos iguais em tudo e na sina: a de abrandar estas pedras suando-se muito em cima, a de tentar despertar terra sempre mais extinta, a de querer arrancar alguns roçado da cinza. Mas, para que me conheçam melhor Vossas Senhorias e melhor possam seguir a história de minha vida, passo a ser o Severino que em vossa presença emigra.

17 C ONFLITOS AGRÁRIOS NO B RASIL MST ( Movimento Social rural de caráter reformista – busca mudar apenas um setor da sociedade, nesse caso, a função da propriedade rural); Grileiros e Posseiros Povos das florestas Indígenas Seringueiros Quilombolas

18

19 1 – A PRODUÇÃO AGRÍCOLA NO B RASIL

20 A política agrícola brasileira sempre incentivou os produtos de exportação em detrimento dos produtos necessários ao mercado interno. Em 1995, produtos como feijão, mandioca e milho receberam bons incentivos governamentais. O que resultou em aumento da área cultivada e da produção desses produtos.

21

22

23 1.1 – N OSSOS PRINCIPAIS PRODUTOS D A AGRICULTURA

24 SOJA Pouco utilizada na alimentação humana. Grande parte da produção é para exportação. Foi primeiro introduzida como cultivo na Região Sul. Principais estados produtores – Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul.

25 CAFÉ As áreas de cultivo de café, atualmente, estão em Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia e Rondônia.

26 CANA-DE-AÇÚCAR Sofre concorrência com a beterraba no mercado internacional, o que corresponde a 35% do consumo mundial. Principais estados produtores – São Paulo,Minas Gerais, Paraná, Goiás, Mato Grosso do Sul e Alagoas

27 LARANJA 1960 – expansão em São Paulo. São Paulo produz 79% da produção nacional. A produção nacional de suco concentrado é quase que totalmente para a exportação.

28 FEIJÃO O Brasil tem o maior consumo mundial. Importa do México e dos EUA para suprir o mercado. O maior produtor nacional é o Paraná.

29 MILHO Em todos os estados existem lavouras. Maiores produtores: Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e São Paulo.

30 ARROZ Dois tipos são cultivados: arroz irrigado (de maior rendimento); arroz de sequeiro (depende das chuvas). O maior produtor nacional é o Rio Grande do Sul.

31 ALGODÃO Iniciou-se o cultivo no Nordeste e depois no Oeste de SP e Norte do PR. O maior produtor nacional é o Ceará.

32 2 – R EANALISANDO A QUESTÃO FUNDIÁRIA NO B RASIL

33 De 1500 até 1822, nossas terras pertenciam a Portugal que as doava para os nobres com a finalidade de: defesa colonização exploração agrícola Assim surgiram as capitanias hereditárias e as sesmarias. Com elas nasce o latifúndio.

34 Na década de 1930, com a quebra da bolsa de Nova York, a economia agroexportadora brasileira entrou em crise. As grandes fazendas são divididas, surgindo as pequenas propriedades no Sudeste. As pequenas propriedades já predominavam em área no Sul, em função da imigração. A ditadura militar promoveu a plantation, incentivando o grande capital agrícola e a concentração de terras.

35 PROBLEMAS AGRÍCOLAS BRASILEIROS A maior parte da produção visa atender ao mercado externo; Financiamento e isenções fiscais para produtos de exportação; Queimadas (COIVARA). Falta de estrutura para a comercialização interna; Concentração fundiária; Subutilização do espaço agrícola; Uso indiscriminado de agrotóxicos.

36 A INDA EXISTE ESCRAVIDÃO NO BRASIL

37

38 A TIVIDADE 1 1) Diferencie espaço agrário e espaço agrícola. 2)Explique porque o nosso país com grande extensão territorial e como grande produtor agrário apresenta baixa produtividade. 3)O que é produtividade? 4)Analise a afirmativa: O espaço agrário brasileiro atual é uma herança colonial. 5)O Nordeste brasileiro foi marcado por três fatores: a monocultura, o latifúndio e o trabalho escravo. Quais as consequências desses fatores no espaço geográfico da região nordestina? 6)Por que o MST é considerado um movimento social reformista? ( fazer agora rsssss)

39 ATIVIDADE 2 1)CARACTERIZE O ESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO. 2)Apresente a relação histórica existente entre as sesmarias, capitanias hereditárias e a estrutura fundiária no Brasil. 3)A estrutura fundiária brasileira está fundamentada no trinômio: Latifúndio, monocultura e o trabalho escravo.Comente. 4)Quais os riscos econômicos da monocultura para uma região? 5)Dentre os principais problemas do espaço agrário brasileiro, está o problema da subutilização do espaço agrícola. Comente. 6)As técnicas utilizadas no Brasil são consideradas arcaicas. Cite exemplos de técnicas e explique. 7)Cite as consequências do uso indiscriminado de agrotôxico. 8) O que são transgênicos? Quais as regras para utilização dos transgênicos no Brasil?

40 A AGRICULTURA EMPRESARIAL NOS EUA A agricultura norte americana nasceu com a colonização de povoamento e desenvolveu-se sob o signo da expansão demográfica para as grandes planícies do oeste. A homestead act e a colonização privada transformaram as infindáveis pradarias em áreas agricultáveis. contemporanea/marcha-para-oeste.htm contemporanea/marcha-para-oeste.htm Os imigrantes europeus constituíram uma vasta classe de farmers ( fazendas familiares) dedicadas à produção mercantil.

41 HTTP :// PT. WIKIPEDIA. ORG / WIKI /E VOLU %C3%A7 %C3%A3 O _ TERRITORIAL _ DOS _E STADOS _U NID OS

42 A construção de ferrovias, modernas redes fluviais abriram os mercados urbanos da costa leste e os mercados europeus para os produtos agropecuários norte americanos.

43 A CONCENTRAÇÃO FUNDIÁRIA E A CRISE DE 29 A agricultura farmer começa a ser radicalmente transformada com a Grande Depressão da década de 30. a retração do mercado interno e internacional arruinou centenas de milhares de propietários que possuíam suas terras hipotecadas e que não puderam honrar suas dívidas e perderam suas propriedades para os bancos Os: atualmente, grandes fazendas familiares respondem pela maior parte da produção agropecuária.

44 M ECANISMOS DE CONCENTRAÇÃO FUNDIÁRIA


Carregar ppt "E SPAÇO A GRÁRIO P ROFESSORA : TALITA NEVES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google