A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Como elaborar Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Educador: Osmar Barbalho 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Como elaborar Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Educador: Osmar Barbalho 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Como elaborar Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Educador: Osmar Barbalho 2009

2 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Interpretar textos Estabelecer conexões Calcular Ter foco e planejamento Projeto = logística Benchmark funciona em qualquer atividade. É a busca das melhores práticas de um setor que conduzem ao desempenho superior. É visto como um processo positivo e pró-ativo por meio do qual uma empresa/produtor cultural examina como outra realiza uma função específica a fim de melhorar como realizar a mesma ou uma função semelhante. (definição da wikipedia)wikipedia Vivemos no mundo do remix (Não inventamos nada) Entender as melhores práticas do setor.

3 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas A seleção pública de projetos e iniciativas culturais por editais é uma prática cada vez mais adotada pelo Ministério da Cultura, por empresas públicas e privadas, por secretarias estaduais e municipais de cultura, fundações e instituições culturais. Cada vez mais novos agentes institucionais utilizam-se dessa ferramenta democrática e republicana. A seleção pública é um instrumento de escolha dos melhores projetos e iniciativas!

4 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Características da seleção pública Comunicação por edital público ou regulamento; Objeto específico; Inscrição aberta a todos; Regras claras; Critérios de avaliação divulgados previamente; Presença de comissão de seleção. É um canal de diálogo com a sociedade civil. Tem enorme repercussão. Com um grande número de inscrições possibilitando a descentralização dos investimentos.

5 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Critérios (básicos na maioria dos Editais): * Impacto social da proposta Quantitativo: número de pessoas beneficiadas. Qualitativo: características socioeconômicas da população envolvida; duração e profundidade das ações de fruição, sensibilização, capacitação ou formação. * Relevância cultural Valor simbólico, histórico e cultural das ações e das manifestações culturais e artísticas envolvidas. * Capacidade do proponente de execução do projeto Tempo de fundação, atividades já desenvolvidas, reconhecimento social, currículo da equipe envolvida

6 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Objetos de Editais – Área de Literatura Publicação de romances Publicação de coletâneas de contos inéditos Publicação de crônicas Formação de novos leitores Criação e circulação de acervos bibliográficos Ampliação e renovação de bibliotecas Publicação de folhetos de cordel Publicação de revistas Publicação de história em quadrinhos, Publicações eletrônicas Publicação de pesquisas culturais e similares Publicação de fanzines

7 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Reedição e distribuição de livros Realização de bienais, mostras, seminários, congressos, concursos literários Lançamentos de livros em Espaços Culturais Concurso de Monografias Bolsas de estímulo literário Ações de fortalecimento, estímulo e fomento a leitura. Concurso de Poesia ou de contos Recitais de poesia Festivais, Mostras e Feiras

8 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Editais – Área de Literatura Fonte: newsletter da Representação NNE do MINC – à partir de agosto/2008 SESC DE LITERATURA Publicação de romances ou coletâneas de contos inéditos. CAIXA CULTURAL Projetos culturais para os espaços da Caixa Cultural em Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo para, palestras, encontros, cursos, workshops, oficinas e lançamento de livros PRÊMIO FCRB – Fundação Casa Rui Barbosa Concurso de Monografias com temática livre e trabalhos inéditos.

9 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas BNB/BNDES DE CULTURA 2009 Incentivo à leitura e formação de novos leitores, Valorização e estímulo à criação e circulação de acervos bibliográficos, Ampliação e renovação de bibliotecas públicas e escolares, além de práticas promotoras do acesso e da democratização da leitura; Produção literária individual ou coletiva de autores em todos os estilos, dirigidas ao público adulto e/ou infantil, compreendendo a edição de livros, folhetos de cordel, revistas, história em quadrinhos, publicações eletrônicas, pesquisas culturais e similares; Realização de bienais, mostras, seminários, congressos, concursos literários e outros eventos direcionados a categorias de públicos infantil, adulto, da terceira idade, ou pessoas com deficiência, que possibilitem o acesso ao consumo da literatura, ou estimulem a formação e o desenvolvimento profissional de escritores e leitores.

10 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Bolsa Funarte de Criação Literária A Bolsa viabiliza o desenvolvimento de projetos de criação literária individual, nos gêneros lírico e narrativo (conto, crônica, novela, poesia, romance), resultando em obras inéditas para publicação ou divulgação pública. BOLSAS DA UNESCO Encorajar a mobilidade de jovens artistas e promover a criatividade e a diversidade cultural por meio de residências artísticas no estrangeiro, na área de criação literária incluindo transporte aéreo, atelier, apartamento e apoio logístico durante dois meses em diversas residências pelo mundo

11 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas OCUPAÇÃO DOS CENTROS CULTURAIS BNB Programação dos Centros Culturais BNB em Fortaleza, Juazeiro do Norte e Sousa com atividades na área da literatura. PONTOS DE LEITURA Selecionar até 600 iniciativas culturais que mantenham ações de fortalecimento, estímulo e fomento a leitura. PETROBRAS CULTURAL Contemplar, por meio de uma bolsa de criação literária (durante 10 meses), a manifestação de escritores de ficção e poesia, com inteira liberdade de formas e gêneros

12 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas SELEÇÃO PÚBLICA/Sebrae, Finep e MCT Para apoio as empresas do segmento da economia da cultura ligadas à criação, produção, circulação, difusão e consumo de bens e serviços culturais nas cadeias produtivas da área editorial. PRÊMIO VIVA LEITURA Fomentar a leitura e reconhecer as boas práticas que acontecem em todo o Brasil dividido em três categorias: Bibliotecas Públicas, Privadas e Comunitárias; Escolas Públicas e Privadas; e Sociedade (empresas públicas e privadas, ONGs, pessoas físicas, universidades e instituições sociais)

13 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas POESIA- revista cultural Oca das Letras Contempla poesias concebidas nas línguas portuguesa, espanhola e Guarani para fazer parte de uma antologia poética contendo três poemas de cada um dos 20 primeiros colocados. Microprojetos MAIS CULTURA Ações que contemplem criação literária, revistas, jornais, fanzines e demais impressos, mídias eletrônicas, oficinas literárias, pesquisas e outras formas de criação e apresentação que propiciem a compreensão e o acesso à obra realizada, em todos os estilos literários (conto, romance, crônica, poesia, cordel, histórias em quadrinhos, poesia visual, poesia virtual, entre outras).

14 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas OI FUTURO Para financiamento, total ou parcial, de projetos aprovados em leis de incentivo à cultura nos Estados da sua área de atuação ou na Lei Rouanet. Exemplos de projetos aprovados: LEITURA EM AÇÃO - 2 | RJ | ESPAÇOS CULTURAIS Realização de uma série de rodas de leitura com foco na formação de novos leitores com oficinas de capacitação, contação de história, e os "dias do Come Livro" de incentivo à leitura. LITERATURA - XIII FENART | PB | PATRIMÔNIO CULTURAL Compreende palestras, mesas de discussões temáticas, oficinas, feira de livros com lançamentos de obras literárias dos convidados do evento e escritores locais.

15 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Lei de Incentivo à Cultura do Recife Publicação de obras literárias (inclusive cordel), revistas e realização de exposições e oficinas Correios Edição de livros que retratem a história, as características e os costumes locais, regionais e/ou nacionais, obras de referência, biografias de personalidades brasileiras e literatura histórico- filatélica. FUNCULTURA LITERATURA, inclusive obras de referência e cordel

16 16 a. Fomento de Leitura ,00 b. Publicação de periódicos e/ou jornais de literatura pelo período de 12 meses ,00 c. Publicação de revista mensal de literatura pelo período de 12 meses ,00 d. Recitais (para o valor limite terão que ser realizadas, no mínimo, 20 apresentações) ,00 e. Publicação de livro de contos ou poesias (mínimo de 500 exemplares) ,00 f. Publicação de livro de romances ou crônicas (mínimo de 500 exemplares) ,00 g. Publicação de literatura de cordel (mínimo de 500 exemplares) ,00 h. Publicação de livro de qualquer gênero – em edição popular de baixo custo (mínimo de 500 exemplares) ,00 i. Festivais, Mostras e Feiras ,00 j. Apoio a projetos de difusão da literatura através da utilização de site ,00 l. Apoio a encontros intermunicipais de escritores e poetas envolvendo municípios de, pelo menos, 04 Regiões de Desenvolvimento ,00 m. Publicação de HQ tendo como tema a história e personagens da cultura pernambucana ,00 n. Publicação de livros em mídia digital, contemplando áudio e vídeo (mínimo de 1000 exemplares) ,00 o. Reedição e distribuição de livros (apenas 1 reedição) ,00

17 17 A idéia O início: um sonho e/ou um desejo... Um mais um é igual a dois. Mas a soma de uma idéia mais uma idéia não são duas idéias, e sim milhares de idéias Samuel Klein, fundador das CASAS BAHIA.... se originam de sonhos e desejos cultivados ao longo do tempo e...de oportunidades.... as idéias surgem de um processo lógico estruturado, decorrente de informações, observações e impressões captadas no ambiente.... as idéias aparecem, crescem, apresentam-se viáveis, tomam formas mais estruturadas e viram projetos.

18 18 Foco O ponto para onde convergir! Ter foco é perceber algo de uma forma muito nítida. No gerenciamento de uma IDÉIA isto é fundamental, pois somos tentados a nos desviar dos caminhos que traçamos. é a habilidade que nos chamará a atenção, que nos trará de volta, que nos fará perceber o norte da bússola. Sem foco corremos um risco muito grande de despender esforços e recursos em processos que não nos conduzirão ao nosso objetivo.

19 19 ELEMENTODESCRIÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Ações que vamos realizarO QUÊ 2. JUSTIFICATIVA Análise da realidade. Justificação da idéia e do Projeto. POR QUÊ 3. OBJETIVOS Objetivos gerais e específicos do projeto. PARA QUÊ 4. PÚBLICO ALVO E LOCALIZAÇÃO A quem está dirigido o projeto Locais onde vai se intervir QUEM ONDE 5. ESTRATÉGIAS DE AÇÃO Descrição de atividades e como vão se realizar COMO 6. RECURSOS (humanos, técnicos e materiais) Organização e divisão de tarefas O que e de quanto necessita? COM QUEM COM QUÊ 7. CUSTOS Determinação dos custos do projetoQUANTO 8. CRONOGRAMA Calendário de trabalhoQUANDO

20 20 Título Qual o nome do Projeto? Todo projeto deve ter um título que seja capaz de dar uma idéia concisa e clara da sua proposta. Um bom título orienta a construção do projeto e preferencialmente deverá ser mantido até o produto final. Deve responder sinteticamente às perguntas: O que? Onde?...o título é o menor resumo possível... (Evite generalidades e abstrações.)

21 21 Apresentação Quem somos? É um resumo objetivo do que se pretende realizar. A apresentação esclarece do que se trata o projeto. O que é? Quem vai fazer? Quando será realizado? Qual o público beneficiado? Exige precisão e ritmo no texto....uma introdução bem objetiva... É por meio dela que um avaliador poderá entender – de forma rápida e objetiva – a proposta integral do projeto.

22 22 Objetivos O que se pretende fazer? Um objetivo é uma situação no futuro a qual as pessoas consideram desejáveis....respondem claramenteO QUE o projeto pretende atingir Construa frases curtas e diretas usando verbos no infinitivo... Na formulação dos objetivos respondemos: Quais mudanças e transformações esperamos ver no público-alvo? Qual a dimensão dessa mudança? Quando poderá ocorrer? Os resultados esperados podem ser facilmente previstos a partir do objetivo? O objetivo está coerente com as metas e o resultado final? O objetivo conecta todos os interesses dos grupos envolvidos ou publico alvo?

23 23 Objetivos Gerais Para quê? O objetivo geral descreve o principal propósito do projeto. É a ação mais distante, a mais longe, o ponto de partida para todas as ações do projeto. Uma vez formulado o objetivo geral do projeto, é conveniente assegurar-se que: Apresenta uma justificação suficiente do projeto; Define explicitamente o público-alvo; Se expressa de forma verificável. Identifique qual o resultado...qual o foco que e por quê... O objetivo geral expressa a intenção de atingir um determinado fim. Por isso não deve ser quantificado (quando se transformaria no resultado esperado) nem expressar a forma como se vai trabalhar (quando se transformaria em ações).

24 24 Objetivos específicos O quê? Os objetivos específicos são alvos concretos que se buscam alcançar no âmbito do projeto. Portanto, cada objetivo específico deve ter uma clara correspondência com os resultados esperados. Cada objetivo específico deve ser claro, ao apontar com lucidez o que se pretende atingir....podem ser chamados de resultados esperados. São os efeitos diretos das atividades ou ações do projeto. Devem ser sempre formulados de forma a serem: Concretos; Mensuráveis; Precisos; Realistas; e Alcançáveis no tempo previsto.

25 25 Objetivos específicos O quê? Evite termos e adjetivos genéricos e subjetivos, como melhorar, otimizar, maximizar. Utilize termos que denotem ação transformadora, como aumentar, reduzir, capacitar, implantar, entre outros.....são passos estratégicos para que o objetivo geral possa ser alcançado, isto é, eles são capazes de mostrar as estratégias que serão utilizadas pelo Projeto. Quanto mais gente envolvida nessa elaboração, melhor poderá ser a produção de objetivos específicos claros e consistentes

26 26 Metas Como fazer para alcançar os objetivos? Um projeto cultural não deixa de ser uma pretensão, ou seja, algo que se pretende construir, fazer, elaborar, tendo sempre como norteador as suas Metas. Metas são muito semelhantes aos objetivos, mas uma característica os diferencia fundamentalmente: quantificação. São passos, etapas, trajetos que devemos estabelecer para que nos auxiliem a clarear o caminho entre a situação atual e o objetivo - ou objetivos – que traçamos. As Metas devem ter um prazo para sua realização.

27 27 Justificativa Por que fazer? É a forma pela qual é explicada a importância e significação do projeto, o porquê do mesmo....um aval aos objetivos....mostra a relevância do projeto no universo cultural, em função do público a que se destina. Neste item deve apresentar as razões pelas quais o projeto deve ser realizado. Porque é importante que o projeto seja realizado?; Qual a contribuição que ele dará para a sociedade, para a cultura, para a sua área específica? Qual a sua contribuição do ponto de vista artístico, social, histórico, etc? Quais os benefícios para o público alvo?

28 28 Estratégias de ação Como fazer? A estratégia de ação, ou memorial descritivo, ou base operacional, explica como o projeto será realizado, detalhando suas etapas, apresentando as datas de início e término para o mesmo. Uma boa estratégia de ação é aquela que: Demonstra a capacidade do Proponente em viabilizar o projeto; Detalha os objetivos e mostra claramente as etapas da realização; Prevê o tempo de duração de cada etapa; Relaciona e descreve as parcerias (institucionais: órgãos públicos, fundações e instituições; promocionais: veículos de comunicação associados; e empresariais: apoio e colaboração em recursos humanos, materiais ou financeiros); e Demonstra coerência com o orçamento.

29 29 Orçamento Quanto vai custar? O orçamento é o planejamento financeiro do projeto. O orçamento físico-financeiro deverá refletir e detalhar o valor total do projeto, considerando as etapas de trabalho descritas na estratégia de ação, considerando a incidência de todas as tributações previstas em lei, inclusive as trabalhistas e de direitos autorais. A elaboração de um orçamento deve permitir a previsão e o controle dos gastos que o projeto terá. Nessa perspectiva, responde à questão: quanto? Todos os recursos devem aparecer no orçamento... Procure ser rigoroso nas cotações deve ser a estimativa mais coerente possível...

30 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas No caso de produto LIVRO, especifique: a) Tiragem, em número de exemplares; b) Preço médio para comercialização, em Reais; c) Quantidade de exemplares que se pretende oferecer gratuitamente; d) No caso de publicação impressa, especifique dimensões, papel, cores, número de páginas, número e dimensões das reproduções;

31 31 Orçamento Quanto vai custar? O que deve ser preenchido em cada item do Orçamento? a) Meta – nesta coluna relacione em ordem crescente as metas a serem alcançados pelo projeto. Numere cada meta a ser atingida. Essa numeração deve corresponder àquela da Estratégia de Ação.. b) Etapa ou fase – nesta coluna relacione todas as ações que serão promovidas. Para cada numero de metas associe o número das etapas. Essa numeração deve corresponder àquela utilizada na Estratégia de Ação.

32 32 Orçamento Quanto vai custar? c) Especificação – descreva primeiramente a meta e nas linhas seguintes as atividades que correspondem às etapas. Exemplo: um projeto de Oficina de Criação literária pode ter como Meta 1 – Realização de Oficina de Criação Literária; Etapa 1.1 – Contratação de digitação; Etapa 1.2 – Contratação de revisor; Etapa 1.3 – Compra de material de consumo (resma de papel, tinta para impressora, etc.), e assim por diante. d) Quantidade – quantifique em números a etapa que você especificou, não é necessário quantificar a Meta. Exemplo: número de páginas digitadas (referente à etapa 1.1) ou de Revisor a serem contratados (referente à etapa 1.2).

33 33 Orçamento Quanto vai custar? e) Unidade – especifique a medida que você usou para quantificar cada etapa. As unidades variam de projeto para projeto, mas, de maneira geral, as mais utilizadas são: Mês/ Hora/ Dia/ Serviço Locação Cachê Unidade Verba Litro Material Mês/Dia/Hora/Semana quando o cálculo de algo é feito através da duração de um período. Essas unidades são muito utilizadas para quantificar serviços técnicos. Ex.: mixagem de CD, edição de vídeo, etc. Mas pode também ser usada para pagamento de pessoa. Ex.: professor que dará aulas em OFICINAS por 4 meses.

34 34 Orçamento Quanto vai custar? Serviço pode ser usada tanto para contratação de Pessoa Física ou Pessoa Jurídica. Ex.: contratação de 1 serviço de uma Gráfica. Locação usada para indicar s contratação de alguma empresa que irá alugar algo. Ex.: aluguel de dois automóveis, de um equipamento de data show para Oficina Cachê mais indicado para pagamentos de artistas e grupos culturais.

35 35 Orçamento Quanto vai custar? Unidade tudo que possa ser quantificado e expresso por números. Ex.: aquisição de 5 cartuchos de impressora;. Verba quando a especificação individual de todos os itens de um mesmo grupo é difícil de ser estipulada. Esses itens em geral são de baixo custo. Ex.: 1 verba no valor de R$ 500,00 para compra de material de consumo (lápis, borracha, caneta, copo plástico).

36 36 Orçamento Quanto vai custar? Litro quando a especificação refere-se a líquido que possa ser comprado. Ex.: compra de 50l de gasolina. Material usualmente são utilizadas como unidades de medida para compra.

37 ORÇAMENTO

38 38 Cronograma Quando vai acontecer? O cronograma permite o acompanhamento e o controle de todo o processo, uma vez que estabelece prazos e períodos para a execução das tarefas. Um dos seus objetivos é estimar o tempo gasto em uma atividade, fazendo um paralelo entre o tempo ideal (previsto) e o real (realizado)....deve responder à pergunta: quando? Ele sistematiza o processo por datas ou períodos, especificando, quando desejado, os responsáveis por cada uma das etapas do trabalho.

39 39

40 40 Público alvo Quem é? Identifique nas suas pesquisas e observações quem é o público e seus interesses, em relação aos objetivos que o projeto vai tratar. Neste ponto é importante: Refletir quem é público-alvo e referir os potenciais destinatários e beneficiários diretos e indiretos do projeto (pessoas e/ou instituições); Descrever brevemente quais são as suas necessidades e problemas; Descrever quais serão os efeitos positivos que estima-se resultar do projeto; Descrever e justificar qual será a localização do projeto e referir.

41 41 Anexos Não se esquecer! Plano de Comunicação Plano de Cotas Ficha técnica Currículo Carta de anuência Material gráfico Se houver direito autoral Cartas de Apoio ao Projeto...e outros...

42 42 Recomendações gerais Preste Atenção! seguir as orientações do respectivo Edital e/ou normas da instituição financiadora... 2.Não abordar temas "panorâmicos", globais ou amplos demais. 3.O Projeto cultural deve ser escrito de forma tal que pessoas não especialistas no tema, possam compreender o avaliador a quem será encaminhado o projeto, deve ler muitos outros projetos. 5.Uma redação sintética, bem feita, é sinal de que o proponente tem idéias bem claras e precisas do que pretende fazer. 6.Uma linguagem rebuscada dá ao leitor uma sensação de insegurança.

43 43 Recomendações gerais Preste Atenção! 7.Reveja se todos os itens do formulário estão devidamente preenchidos. 8.Faça uma pré-análise técnica do projeto, seguindo os critérios apresentados no Edital de Patrocínio. 9.Observe se constam todos os membros da equipe técnica de execução e suas respectivas identificações. 10.Não se esqueça de encaminhar os anexos solicitados pelo Edital. 11.Faça uma revisão ortográfica e gramatical criteriosa do texto. 12.Não se esqueça de conferir se a documentação requerida pelo Edital está completa. 13.Verificar se as cópias da documentação estão autenticadas.

44 44 Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Boa sorte! Osmar Barbalho com


Carregar ppt "Como elaborar Projetos Culturais para Literatura: orientações e dicas Educador: Osmar Barbalho 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google