A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Música...3:44 Música é arte???

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Música...3:44 Música é arte???"— Transcrição da apresentação:

1 Música...3:44 Música é arte???

2 Isso cai no vestibular??? a(Ufsm 2012) Tolstoi apelava para a moral por achar óbvio que o fato de gostarmos de uma obra de arte ou a apreciarmos de um jeito ou de outro era uma questão exclusivamente subjetiva. Qualquer tentativa de prescrever padrões objetivos de gosto está condenada ao fracasso. Depende da música? Existem música boa e música ruim? 3:05 Brasileiros são conquistados pela musica sertanejaBrasileiros são conquistados pela musica sertaneja???

3 Voltando a Tolstoi e (Ufsm 2012)...Mas havia um modo de julgar objetivamente uma obra de arte: quanto ao seu conteúdo moral. Assim, por exemplo, ao avaliar se um romance é bom ou ruim, estamos apenas manifestando as nossas opiniões. Mas quando indagamos se o romance transmite uma mensagem moralmente virtuosa, podemos chegar a uma conclusão com que todos os julgadores sensatos podem concordar. Esse argumento é importante, porque tem consequências para a subvenção pública da arte. Tolstoi achava injustificável subvencionar as artes se o valor delas estava apenas no prazer que proporcionavam. Por que subsidiar alguns prazeres, como a ópera e a dança, e não outros, como a bebida?

4 Considere as seguintes afirmativas: I. Segundo o texto, o conteúdo moral de uma obra de arte é uma questão objetiva. II. Segundo o texto, o conteúdo estético de uma obra de arte não é uma questão subjetiva. III. Segundo o texto, o Estado deve subvencionar a bebida. Está(ão) correta(s) a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. e) apenas II e III.

5 c. (Ufpa) Desde Platão se discute a função sociocultural da arte, o que confere à sua autonomia uma certa relatividade. Recentemente, com a Escola de Frankfurt, cunhou-se para a determinação social da arte termos como indústria cultural e cultura de massa, porque, como diz Theodor Adorno, no regime econômico capitalista sacrifica-se o que fazia a diferença entre a lógica da obra [de arte] e a do sistema social. Com relação à interpretação de Adorno sobre a função social da arte no regime capitalista, considere as afirmativas abaixo: I. Na sociedade capitalista, o desenvolvimento técnico-industrial conduziu à padronização do gosto em beneficio do mercado. II. Não há gozo da arte, na sociedade liberal, se a criação for massificada. III. Ao sacrificar a lógica da obra às determinações do sistema, o artista está garantindo não só seu lucro como a própria sobrevivência da arte, já que a nossa economia é capitalista. IV. Com a indústria cultural, ocorre a perda completa da ideia de autonomia da arte. V. Adorno não concorda com Platão quanto à ideia de que a experiência estética, como acontece hoje em dia, necessita de um nexo funcional para cumprir seu papel na vida social e política do homem. Estão corretas as afirmativas: a) I e II b) II e V c) I e IV d) II, III, V e) I, III, IV e V

6 A Sociologia sempre se utilizou de metáforas para construir sua visão sobre a sociedade. Desde a sociedade como um organismo vivo de Spencer até a sociedade líquida de Baumann. A analogia sociedade de massas faz referência à uma forma de desenvolvimento do capitalismo, onde os desejos e os interesses de vida dos indivíduos são produzidos em massa, como em uma grande fábrica de pessoas. O conceito que melhor define a sociedade de massas é o de indústria cultural, desenvolvido pelos sociólogos Theodor Adorno e Max Horkheimer (2002), da famosa Escola de Frankfurt.

7 escola-de-frankfurt

8

9

10 Para estes pensadores, a indústria cultural atua como uma forma de padronização dos gostos e desejos dos seres humanos, voltando-os para o consumo, a vida para o trabalho e a diversão como forma de alienação, como uma forma dos homens não conseguirem reconhecer que são retirados de sua própria existência. A mídia e a propaganda atuam como principais elementos de massificação dos sujeitos. Pela mídia todos desejam imitar a estrela da vez ou cantar a música sucesso, mesmo que seja uma música que ofenda a mulher, a religião, a paz, dentre outros exemplos. Não se produz mais objetos para pessoas comprarem, mas pessoas que desejam comprar objetos... O maior exemplo disso seria...

11 Arq.N parte 1...7:16 n/v/veja-como-madonna-comecou-a- carreira/ /

12 R$ 2,02 Bilhões

13 b. (Ufu) A indústria cultural tem sido objeto de intensos debates na sociedade e nas ciências sociais, marcados por duas posições básicas e divergentes. Há os que a consideram uma das bases do totalitarismo moderno, promovendo a alienação do homem, que se torna incapaz de analisar racionalmente seus produtos seriados, repetitivos e deteriorados, tais como os filmes de enredos violentos, a música popular massiva, as notícias curtas e superficiais. De outro lado, há os que a defendem como sistema que democratiza a cultura, por permitir a todos o acesso à informação e ao consumo de produtos simbólicos em geral, combatendo, portanto, a mesma alienação. (Cf. TEIXEIRA, Coelho. O que é indústria cultural. 13ª. Ed, São Paulo, Brasiliense, 1989.)

14 Tendo em vista essas divergências, considere as alternativas que as expressam, tendo como referência o atual gênero musical popular funk no Brasil. I. O funk é, dentre outras coisas próprias da indústria cultural, resultado de uma estratégia de marketing da indústria fonográfica, que impõe o seu consumo sem nenhum senso crítico. II. O funk tornou-se um aliado de grupos sociais marginalizados por facultar- lhes a presença na mídia. III. O funk expressa cabalmente a identidade cultural da juventude em geral, não merecendo qualquer crítica dos que não o apreciam. IV. O funk, nascido espontaneamente nas periferias das grandes cidades, não necessitou do apoio da indústria cultural para tornar-se um gênero musical de consumo massivo. Assinale a alternativa correta. a) O argumento da alternativa II critica a indústria cultural e o da alternativa III não tem sentido. b) As alternativas I e II traduzem as posições teóricas divergentes sobre a indústria cultural. c) Os argumentos das alternativas I e III defendem a indústria cultural. d) Os argumentos das alternativas I e IV não são contraditórios. Música, arte, funk...3:02

15 10. (Uem-pas 2012) A televisão me deixou burro, muito burro demais...3:27 Agora todas as coisas que eu penso me parecem iguais. (Televisão, Titãs) A partir desse trecho da letra da canção Televisão, gravada pelo grupo de rock Titãs, é correto afirmar que 01) o compositor acha que a televisão é um veículo de comunicação essencial para a boa formação dos cidadãos. 02) o compositor faz uma crítica contundente à televisão. 04) o compositor considera o conteúdo da televisão inofensivo. O telespectador pode se distrair sem se preocupar, pois não sofrerá nenhum efeito dela. 08) o compositor sugere que a televisão padroniza as formas de pensamento e reduz a capacidade de pensar do indivíduo. 16) a televisão, segundo o compositor, é um veículo de comunicação contrário às instituições dominantes na sociedade capitalista.

16 29. (Uem-pas 2011) No livro Dialética do Esclarecimento, os filósofos alemães, da Escola de Frankfurt, T. Adorno e M. Horkheimer, cunharam a expressão indústria cultural para caracterizar a transformação das expressões artísticas a partir do surgimento da sociedade industrial capitalista. Sobre a indústria cultural, é correto afirmar que 01) os meios de comunicação surgidos com o desenvolvimento tecnológico, como o rádio e o cinema, contribuíram para a criação de um mercado consumidor dos objetos artísticos. 02) a reprodução técnica das obras de arte tem como finalidade única promover o acesso universal e democrático aos bens culturais. 04) a indústria cultural transforma em bens de consumo tanto as artes populares, próprias da cultura de massa, quanto as artes eruditas, voltadas para um público educado e restrito. 08) as produções artísticas perdem seu caráter crítico, à medida que são submetidas ao domínio econômico das regras do mercado. 16) a massificação das expressões artísticas promove a difusão da cultura, resultando em um padrão de gosto médio, comum a todo o público.

17 d. (Uel) A indústria cultural vende Cultura. Para vendê-la, deve seduzir e agradar o consumidor. Para seduzi-lo e agradá-lo, não pode chocá-lo, provocá-lo, fazê-lo pensar, fazê-lo ter informações novas que perturbem, mas deve devolver-lhe, com nova aparência, o que ele sabe, já viu, já fez. A média é o senso-comum cristalizado que a indústria cultural devolve com cara de coisa nova [...]. Dessa maneira, um conjunto de programas e publicações que poderiam ter verdadeiro significado cultural tornam-se o contrário da Cultura e de sua democratização, pois se dirigem a um público transformado em massa inculta, infantil, desinformada e passiva. (CHAUÍ, Marilena. Filosofia. 7. ed. São Paulo: Ática, p ) Com base no texto e nos conhecimentos sobre meios de comunicação e indústria cultural, considere as afirmativas a seguir. I. Por terem massificado seu público por meio da indústria cultural, os meios de comunicação vendem produtos homogeneizados. II. Os meios de comunicação vendem produtos culturais destituídos de matizes ideológicas e políticas. III. No contexto da indústria cultural, por meio de processos de alienação de seu público, os meios de comunicação recriam o senso comum enquanto novidade. IV. Os produtos culturais com efetiva capacidade de democratização da cultura perdem sua força em função do poder da indústria cultural na sociedade atual. Estão corretas apenas as afirmativas: a) I e II. b) I e III. c) II e IV. d) I, III e IV. e) II, III e IV.

18 A. (Uel 2013) Leia o texto a seguir. O modo de comportamento perceptivo, através do qual se prepara o esquecer e o rápido recordar da música de massas, é a desconcentração. Se os produtos normalizados e irremediavelmente semelhantes entre si, exceto certas particularidades surpreendentes, não permitem uma audição concentrada, sem se tornarem insuportáveis para os ouvintes, estes, por sua vez, já não são absolutamente capazes de uma audição concentrada. Não conseguem manter a tensão de uma concentração atenta, e por isso se entregam resignadamente àquilo que acontece e flui acima deles, e com o qual fazem amizade somente porque já o ouvem sem atenção excessiva. (ADORNO, T. W. O fetichismo na música e a regressão da audição. In: Adorno et all. Textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, 1978, p.190. Coleção Os Pensadores.) As redes sociais têm divulgado músicas de fácil memorização e com forte apelo à cultura de massa. A respeito do tema da regressão da audição na Indústria Cultural e da relação entre arte e sociedade em Adorno, assinale a alternativa correta. a) A impossibilidade de uma audição concentrada e de uma concentração atenta relaciona-se ao fato de que a música tornou-se um produto de consumo, encobrindo seu poder crítico. b) A música representa um domínio particular, quase autônomo, das produções sociais, pois se baseia no livre jogo da imaginação, o que impossibilita estabelecer um vínculo entre arte e sociedade. c) A música de massa caracteriza-se pela capacidade de manifestar criticamente conteúdos racionais expressos no modo típico do comportamento perceptivo inato às massas. d) A tensão resultante da concentração requerida para a apreciação da música é uma exigência extramusical, pois nossa sensibilidade é naturalmente mais próxima da desconcentração. e) Audição concentrada significa a capacidade de apreender e de repetir os elementos que constituem a música, sendo a facilidade da repetição o que concede poder crítico à música.

19 Arq.N parte 2b...16


Carregar ppt "Música...3:44 Música é arte???"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google