A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Os clérigos Por Marina Mesquita Camisasca Revisada por: Elaine Campos e Castro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Os clérigos Por Marina Mesquita Camisasca Revisada por: Elaine Campos e Castro."— Transcrição da apresentação:

1 Os clérigos Por Marina Mesquita Camisasca Revisada por: Elaine Campos e Castro

2 Leia atentamente os textos referentes aos padres do período colonial Texto 1 O padre das Minas [...] não leva seu trem de vida muito diferente de qualquer homem do século. É, tantas vezes, apenas um homem de batina. Quando a usa... O sacerdócio não é um apostolado, é uma profissão como qualquer outra... Ele é o filho- padre – fatalidade impostergável de legado familiar ou irresistível vontade materna, a vontade daquelas implacáveis viúvas do sertão brasileiro – que vai se tornar um desses muitos vigários displicentes da Igreja mineira. Esses párocos negligenciam o seu dever de combater os vícios, de verberar os abusos, de explicar a doutrina, de inculcar o bem e a virtude segundo a fórmula prescrita pelos cânones da Igreja.impostergável negligenciam verberar In: AZZI, Riolando. O clero. História da Igreja no Brasil - Você acredita que ser padre nesse período era apenas uma questão de vocação? Por quê? Texto 1

3 - Podemos afirmar que todos os clérigos respeitavam os mandamentos da Igreja? Justifique. Texto 2 Recebendo côngruas irrisórias, eram os padres forçados a procurar profissões mais lucrativas metendo-se às vezes até demasiadamente nas competições políticas, e tornando-se na realidade, donos de fazendas de criar. Decaídos na maioria da dignidade e correção do sacerdócio, esqueciam as suas obrigações e os interesses das suas paróquias, e para tanto concorria a sua formação intelectual e moral, mandados muitos deles ao santuário por imposição dos pais, vaidosos de ter um filho padre. Freqüentando cursos aligeirados, para os quais faltava a verdadeira vocação, faziam por fazer os votos sagrados, nem sempre respeitavam o da castidade, quantos deles constituindo famílias de concubinas teúdas e manteúdas. Legitimavam geralmente os filhos, e sabe-se como inúmeros destes vieram a ser homens ilustres na vida pública e nas letras.côngruasaligeirados In: Azzi Riolando. O clero. História da Igreja no Brasil Texto 2

4 Para refletir e comparar... Pense nos Padres atuais. Você consegue perceber semelhanças e diferenças com os clérigos do período colonial?

5 Conclusão Nas atividades, percebe-se que: a) ser sacerdote no período colonial era, muitas vezes, uma imposição familiar. b) muitos padres não cumpriam todos os seus deveres, como, por exemplo, o da castidade. c) vários sacerdotes constituíam família, desrespeitando, assim, as normas da Igreja. d) os clérigos eram remunerados: aqueles que eram vigários e ocupavam postos na hierarquia eclesiástica, recebiam salários (as côngruas) da Coroa, uma vez que Estado e Igreja estavam unidos os que eram capelães em engenhos e fazendas podiam receber remuneração dos proprietários. e) a remuneração recebida pelos padres era muito pequena, o que fazia com que os sacerdotes tivessem outras ocupações.

6 Vocabulário Impostergável: Não desprezível; inadiável. Aligeirados: Ligeiros, leves, rápidos. Negligenciar: Tratar com negligência; desatender; descuidar-se; descurar, desleixar. Côngruas: Pensão anual que se concedia aos párocos para sua conveniente sustentação. Verberar: 1. Açoitar, fustigar, flagelar. 2. Reprovar, censurar energicamente. Voltar Texto 2Voltar Texto 1


Carregar ppt "Os clérigos Por Marina Mesquita Camisasca Revisada por: Elaine Campos e Castro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google