A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RIODE JANEIRO NOS TRILHOS Seminário Linha 3 do Metrô Rio de Janeiro, 21/11/06 José Ribeiro Aires PETROBRAS/ABASTECIMENTO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RIODE JANEIRO NOS TRILHOS Seminário Linha 3 do Metrô Rio de Janeiro, 21/11/06 José Ribeiro Aires PETROBRAS/ABASTECIMENTO."— Transcrição da apresentação:

1 RIODE JANEIRO NOS TRILHOS Seminário Linha 3 do Metrô Rio de Janeiro, 21/11/06 José Ribeiro Aires PETROBRAS/ABASTECIMENTO

2 Agenda Introdução Localização Bases e Premissas O Projeto 3ª Geração Centro de Integração Cronograma

3 Aspectos Estratégicos do Empreendimento Uso de petróleo Marlim como matéria- prima; Complexo petroquímico será integrado; Aumento de competitividade da indústria; Agregação de valor à cadeia produtiva; Vantagem competitiva em logística de matéria-prima e produtos; Melhoria da balança comercial na cadeia de petróleo, derivados e petroquímicos; Geração de empregos na cadeia produtiva. É uma alternativa competitiva para o crescimento da indústria petroquímica brasileira.

4 Localização

5 COMPLEXO PETROQUÍMICO REDUC RioPol Polibrasil APA de Guapimirim CENTRAL DE ESCOAMENTO DE SÃO GONÇALO Ilhas d´Água e Redonda Faixa de dutos Cabiunas - REDUC CENPES CENTRO DE INTEGRAÇÃO DE SÃO GONÇALO - CISG

6 Oportunidade de Revegetação

7 Bases e Premissas Matéria-Prima Mercado

8 Matéria-Prima Petróleo Marlim – Bacia de Campos Quantidade: 150 mil bpd COMPERJ – utilização de matéria-prima não convencional (petróleo pesado produzido na Bacia de Campos), com tecnologia desenvolvida ou adaptada pela Petrobras.

9 Mercado Estado do Rio de Janeiro –Proximidade da fonte de matéria-prima; –Inserido no mercado consumidor dos produtos de segunda geração.

10 O Projeto Fluxograma do Processo Produção

11 Fluxograma do Processo Mercado bbl/d Marlim Exploração e Produção UPB – Unidade de Petroquímicos Básicos Transformadores Petroquímicos Básicos (Eteno, Benzeno, p-Xileno, Propeno) Combustíveis Eteno Benzeno p-Xileno Propeno Estireno Etileno Glicol Polietileno Polipropileno UPA – Unidade de Petroquímicos Associados Investimento US$ 8,3 bilhões

12 Alguns dados do Projeto Investimento – em torno de US$ 8,3 bilhões, sendo US$ 5,2 bilhões na UPB (1ª Geração); Equipamentos – estimados 5 mil itens de projeto, sem incluir as downstream; Centro de Integração do COMPERJ - capacitação de profissionais ao longo da construção; Geração de 212 mil empregos diretos, indiretos e efeito renda; Efeito sobre a balança comercial brasileira Redução dos volumes exportados, agregando valor ao petróleo nacional; Redução da importação de petroquímicos. Economia de Divisas: US$ 2,3 bilhões/ano

13 Produção Produto Produção (kta) 1ª Geração Diesel535 Nafta284 Coque700 Eteno1.300 Propeno881 Benzeno608 Butadieno157 p-Xileno700 Enxofre45 Produto Produção (kta) 2ª Geração Polipropileno850 Polietilenos800 Estireno500 Etilenoglicol600 PTA500 PET600

14 A 3 a Geração Potencial

15 A 3ª Geração O segmento de transformação de resinas termoplásticas é caracterizado por um grande número de empresas dos mais variados portes e localizadas, principalmente nas regiões sul e sudeste do país: Capacidade instalada – cerca de 3,0 MM toneladas/ano, sendo 1,8 MM toneladas/ano em São Paulo; –Número de empresas – em torno de 8 mil, destacando-se Dixie Toga S.A., Engepack, Jacuzzi, Ortobom, Tigre, Bic etc.

16 Processos de Transformação das Resinas O processo de extrusão pode ser utilizado para obtenção de filmes de PEBD, para uso como saco plástico ou tubos de PVC ou PE. A moldagem por sopro permite a confecção de peças ocas como bolsas, frascos ou garrafas. A moldagem por injeção é o processo que permite a confecção de utensílios plásticos em geral – bacias, tampas, caixas, pára-choques, calotas etc.

17 Polietileno Linear de Baixa Densidade - PELBD Principais aplicações: Sacolas; Filmes para empacotamento de alimentos; Filmes especiais para empacotamento de alimentos, p.e. CRIOVAC.

18 Polietileno de Alta Densidade - PEAD Principais aplicações: Embalagens para produtos de higiene e limpeza e óleos lubrificantes; Sacolas de supermercado; Dutos para cabos de telecomunicações e fibras óticas; Tubos para rede de distribuição de gás natural; Tanques para combustíveis; Utilidades domésticas.

19 Polipropileno - PP Principais aplicações: Filmes para embalagens de alimentos; Pára-choques, painéis e outros acessórios para automóveis; Eletrodomésticos; Utilidades domésticas; Ráfia para sacaria; Tecidos não tecidos; Fibras para tapetes.

20 Poliestireno - PS Principais aplicações: Eletro-eletrônicos; Caixas de CDs e vídeos; Produtos descartáveis (bandejas, copos, pratos); Utilidades domésticas; Embalagens para alimentos; Isopor.

21 Tereftalado de Polietileno - PET Principais aplicações: Garrafas para refrigerantes e bebidas em geral; Frascos para alimentos e cosméticos; Filmes para áudio e vídeo; Fibras têxteis.

22 Centro de Integração

23 Objetivos: Capacitar e qualificar a população circunvizinha para o desenvolvimento das vocações locais, em bases competitivas e sustentáveis, para implantação do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. Objetivo do Centro de Integração

24 Silva Jardim Casimiro de Abreu NiteróiGuapimirim Maricá Rio Bonito Tanguá Cachoeiras Macacu São GonçaloMagé Itaboraí Qualificar a mão-de-obra para o desenvolvimento das vocações locais, em bases competitivas e sustentáveis, para implantação do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. Grupo de Notáveis de Avaliação Qualitativa dos Cursos Prefeituras GT Multidisciplinar Sociedade Civil Conleste Estrutura do Centro de Integração do COMPERJ

25 Macro Fluxo do Centro de Integração Elaboração do Plano de Trabalho Diagnosticar a Vocação do Município Elaboração Diagnóstico Oferta X Demanda Visita Técnica Instituições de Ensino Definição das Instituições Definição do Conteúdo Programático Processo Seletivo Qualificação Profissional Reunião Inaugural com o Município

26 Diagnóstico da Demanda e Oferta de Recursos Humanos Demanda Comperj Treinamento Centro de Integração PICO DE DEMANDA X TREINAMENTO Existem basicamente 2 picos de demanda na fase de Construção e Montagem, ocorridos no início do segundo ano, devido a construção civil e no meio do terceiro ano pela montagem eletromecânica Pico 1 Pico 2 Demanda de profissionais na Região

27 SENAT SEBRAE Universidades SINE SENAI EMBRAPA Escolas Técnicas Instituições de Ensino Centro de Integração Mapeamento das Instituições de Ensino Instituições Âncoras com o objetivo de potencializar a capacitação da região

28 Patrimônio Cultural


Carregar ppt "RIODE JANEIRO NOS TRILHOS Seminário Linha 3 do Metrô Rio de Janeiro, 21/11/06 José Ribeiro Aires PETROBRAS/ABASTECIMENTO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google