A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DESPESAS E RECEITAS ZERAR debitar creditar Para ZERAR todas as contas de despesas, devemos debitar a conta RESULTADO DO EXERCÍCIO e creditar as contas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DESPESAS E RECEITAS ZERAR debitar creditar Para ZERAR todas as contas de despesas, devemos debitar a conta RESULTADO DO EXERCÍCIO e creditar as contas."— Transcrição da apresentação:

1 DESPESAS E RECEITAS ZERAR debitar creditar Para ZERAR todas as contas de despesas, devemos debitar a conta RESULTADO DO EXERCÍCIO e creditar as contas de DESPESAS. ZERAR creditar debitar Para ZERAR todas as contas de receitas, devemos creditar a conta RESULTADO DO EXERCÍCIO e debitar as contas de RECEITAS. Encerramento do Exercício Social *Apurar o Resultado Operacional Lançamentos de encerramento de:

2 APURAÇÃO dos ENCARGOS e sua CONTABILIZAÇÃO DEPRECIAÇÃO: CONCEITO: perda de uma parcela do valor investido na compra de bem do Imobilizado, devido seu desgaste físico ou diminuição de sua eficiência. EXCLUSÕES: Imóveis para Renda, Bens adquiridos com arrendamento (Leasing), Terrenos, Obras de arte. MÉTODO LINHA RETA ou LINEAR Fórmula D = I / t ou D = I x i D: Depreciação I: Investimento t: tempo de vida útil i: taxa (%)

3 DEPRECIAÇÃO CASO PRÁTICO: A CIA. ALPHA adquiriu um veículo em 01/ junho por R$ 15.000. Por ocasião do encerramento do exercício em 31/dez, efetuar o cálculo e a contabilização da depreciação ( 7 meses de uso do bem ). Cálculo: D = ( I x i ) / 12 x n* *nº meses ( 15.000 x 20% ) / 12 m x 7 m = R$ 1.750 LANÇAMENTO : Débito= Encargos de Depreciação 1.750 Crédito= Depreciação Acumulada 1.750 OBS: A conta ENCARGOS de DEPRECIAÇÃO será classificada na DRE, como uma Despesa Operacional. A conta DEPRECIAÇÃO ACUMULADA entrará no Balanço, no grupo do ATIVO Permanente sub-grupo Imobilizado, com o sinal ( – ).

4 DEPRECIAÇÃO VALOR RESIDUAL: estimativa do valor do bem no fim do período, para não ficar com saldo zero ! Fórmula D = ( I – r ) / t * r = valor residual Exemplo: Um Veículo adquirido em 01/10 por R$ 20.000 estimado um valor residual de R$ 2.000; tempo de vida útil 5 anos. Em 31/12, calcular e contabilizar a cota de depreciação: D= (20.000 – 2.000) /60 x 3 = 900 LANÇAMENTO em 31/12: Despesas de Depreciação a Depreciação Acumulada R$ 900

5 AMORTIZAÇÃO: conceito perda do valor do capital aplicado na aquisição de direitos da propriedade industrial / comercial, com duração limitada. Fórmula : A = I / t ou A = I x i onde A Amortização I Investimento t tempo de duração i taxa (%) Exemplo: As despesas de instalação da Cia. Beta, totalizaram $ 5.500 e irão beneficiar os 5 exercícios seguintes. O IR determina a amortização desses gastos *taxa anual 20%. Cálculo: 5.500 / 5 anos ou 5.500 x 20% ao ano = Quota de Amortização $ 1.100 Lançamento: Débito: Encargos de Amortização $ 1. 100 Crédito: Amortização Acumulada $ 1. 100 OBS : Encargos de Amortização entram na DRE como Despesas Operacionais. A conta Amortização Acumulada entrará com o sinal (-) no Balanço, classificada no grupo Ativo Permanente sub-grupo Diferido, abaixo da conta Gastos Pré-Operacionais.

6 EXAUSTÃO: conceito desgaste dos recursos gastos com a extração de recursos naturais. Objetiva distribuir o custo num determinado período. Essa perda será computada na DRE em 31/12 como despesa operacional. FÓRMULA E = RG / t ou E = RG x [ (QE / PE) x 100] E: cota de Exaustão t: tempo fixo contratual RG: Recursos Gastos PE: potencial a extrair QE: quantidade extraída no período Caso Prático: A empresa Y de mineração adquiriu em janeiro por R$ 60.000,00, o direito de extração de minério (potencial 100.000 ton). No 1º ano extraiu 10.000 ton. Qual a cota de Exaustão em 31/12? Cálculo: 60.000 x [(10.000 / 100.000) x 100] 60.000 x 10% = Exaustão $ 6.000 Débito: ENCARGOS DE EXAUSTÃO Crédito: Exaustão Acumulada $ 6.000

7 CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO – CSLL Criada pela Lei nº 7.689 (15 /12/ 1988) A partir do ano-base 1989 incide sobre o lucro líquido das P.J. no final do exercício. A partir do ano-base 1995 (Lei 8.981), as empresas poderiam efetuar balanços todo mês, recolhendo mensalmente a CSL sobre o Resultado Antes do I.de Renda. Caso Prático : Calcular e registrar a CSLL da Cia.XY, sabendo-se que a receita bruta em julho foi R$ 55.500 Cálculo: Alíquota (atual) de 9 % sobre a Base de Cálculo de 12% da Receita Total mensal (Lei 9.249/ 95). CSLL = (55.500 x 12%) x 9% = $ 599,40 ou cálculo direto 55.500 x 1,08% = 599,40 Débito: Contribuição Social a Compensar Crédito: Contrib.Social a Recolher 599,40

8 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA - IRPJ Instituído pelo Decreto-lei 5.844 -23/09/1943 Alíquota atual 15% (Lei nº 9.430, de 27/12/96) LUCRO REAL : lucro líquido contábil, após as adições, as exclusões e as compensações. Obrigatória sua demonstração no livro LALUR. Opção pelo pagamento mensal do I.R.P.J. por estimativa: 15% sobre a base de cálculo de 8% da receita bruta mensal ou pode calcular direto, aplicando 1,2% sobre o faturamento do mês. Exemplo: Em agosto, o faturamento da Cia. XY, foi R$ 55.500,00. Calcular e lançar o IRPJ. IRPJ = ( 55.500 X 8% ) X 15% = R$ 666,00 Lançamento: IRPJ a Compensar a IRPJ a Recolher R$ 666,00 LUCRO PRESUMIDO : se a empresa optar por esse regime e tiver receita bruta anual inferior a R$ 48 milhões fica dispensada de escrita regular

9 APURAÇÃO do LUCRO LÍQUIDO Na DRE, após a dedução da CSLL e do IR, apura-se o Resultado Líquido do Exercício: se positivo = Lucro ; se negativo = Prejuízo DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO: os acionistas decidirão sobre seu destino, segundo o artigo 192 da Lei 6.404/76 (S/A): DIVIDENDOS A PAGAR: parcela do lucro a ser distribuído aos sócios no decorrer do exercício seguinte. É classificada no Passivo Circulante (Balanço Patrimonial) 1 RESERVAS: formadas para que o lucro não seja todo distribuído. Devem ser reinvestidos na empresa (atendem a vários fins: Reserva Estatutária ou Legal, para Contingências, de Reavaliação)... São classificadas no Patrimônio Líquido. 2 3 LUCROS ACUMULADOS: valores do Lucro Líquido remanescente, sendo acumulações de exercícios anteriores.

10 DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO A CIA. BETA apurou na DRE, em 31/12, o Resultado Líquido do Exercício no valor de $ 33.520,00 e conforme seu estatuto social: 25% serão pagos no ano seguinte aos sócios como Dividendos a Pagar * Passivo Circulante 5% p/ Reservas de Lucros * Patrimônio Líquido 70% p/ Lucros Acumulados *Patrimônio Líquido Calcular e contabilizar a destinação do Lucro: Débito = Resultado do Exercício $ 33.520 Crédito = Dividendos a Pagar $ 8.380 Crédito = Reservas de Lucros $ 1.676 Crédito = Lucros Acumulados $ 23.464 LANÇAMENTO: Dividendos a Pagar 25% x 33.520 = 8.380 Reservas de Lucros 5% x 33.520 = 1.676 Lucros Acumulados 70% x 33.520 = 23.464

11 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Balanço Patrimonial - BP Demonstração do Resultado do Exercício – DRE Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados - DLPA Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido - DMPL Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos- DOAR Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC Demonstração do Valor Adicionado - DVA

12 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NORMAS GERAIS PARA AS S/A: PUBLICAÇÃO: NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO E EM JORNAL REGIONAL. FORMA COMPARATIVA: VALORES DO ANO-BASE E DO ANO-ANTERIOR. VALORES CONSOLIDADOS: SE A EMPRESA TIVER MAIS DE 30% DO SEU PATRIMÔNIO LÍQUIDO INVESTIDO EM OUTRAS EMPRESAS. REDUÇÃO DE DÍGITOS: INDICAÇÃO NO RELATÓRIO DOS VALORES EM MIL OU EM MILHÕES DE REAIS. TRANSCRIÇÃO OBRIGATÓRIA: DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA O LIVRO DIÁRIO. ASSINATURAS NAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: DO ADMINISTRADOR E DO CONTADOR HABILITADO, COM REGISTRO NO CRC DO SEU ESTADO.

13 BALANÇO PATRIMONIAL da empresa SOL & CIA, levantado em 31.12.XX (R$) A T I V O CIRCULANTE.... 225.610,00 Realizável a Longo Prazo 16.000,00 PERMANENTE.... 88.310,00 TOTAL... 329.920,00 P A S S I V O CIRCULANTE.... 135.283,32 Exigível a Longo Prazo. 20.000,00 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 174.636,68 TOTAL... 329.920,00

14 DEMONSTRAÇÃO do Resultado do Exercício – DRE, da SOL & CIA, em 31.12.XX (R$) Receita Bruta de Vendas: 396.988,00 - Dedução: Impostos.. : 62.030,00 = Receita Líquida Vendas: 334.958,00 - Custo mercadoria vendida 226.886,00 = Resultado Bruto (RV) = 108.072,00 + Resultado Financeira Líq: 10.796,00 - Despesas Operacionais: 75.965,00 = Resultado Operacional = 42.903,00 + Resultado Não Operacional 1.087,00 = Resultado antes CSL-IR: 43.990,00 - Contribuição Social 9% : 3.959,10 - Imposto de Renda 15% : 6.598,50 =Resultado Líquido Exercício 33.432,40

15 Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados Visa mostrar os elementos que provocaram modificação no saldo da conta. Obrigatória para as empresas, exceto para as S/A de capital aberto. Dem.Lucros ou Prejuízos Acumulados da SOL & Cia, elaborada em 31.12.XX: ====================================== Saldo inicial de Lucros Acumulados 21.234,00 - Retirada para aumento de capital 0,00 +Resultado Líquido Exercício DRE 33.432,40 – Transf.10% para Reserva Legal 3.343,24 – 30% p/ Dividendos a pagar _10.029,72 (=)Saldo Final de Lucros Acum: 41.293,44 ===================================

16 DMPL - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Obrigatória para S/A de capital aberto (Instrução CVM nº 59/86), visa mostrar as variações ocorridas em cada uma das contas do Patrimônio Líquido. Muta- ções Capi- tal Social Reser- vas de Lucros Lucros Acumu –lados TOTAL R$ Saldo inicial 130.000-21.234,00 151.234,00 + Lucro líq. Exerc --33.432,40 -10% p/ Res.Legal - 3343,24- 3.343,24 0,00 -30% p/ dividendos --- 10.029,72 Saldos Finais = 130.0003.343,2441.293,44 174.636,68 D.M.P.L. da SOL & CIA, em 31.12.XX

17 DOAR – Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos 1 – ORIGENS: (R$) Patrimônio Líquido (capital+lucros) 174.636,68 Exigível a Longo Prazo... 20.000,00 (1) TOTAL = 194.636,68 2 – APLICAÇÕES: (R$) Permanente: Inv +Imob +Diferido 88.310,00 Realizável a Longo Prazo... 16.000,00 (2) TOTAL = 104.310,00 3 – AUMENTO do CCL (1–2) = 90.326,68 4 – VARIAÇÃO do CCL: (R$) ATIVO CIRCULANTE 225.610,00 - PASSIVO CIRCULANTE 135.283,32 = VARIAÇÃO DO C.C.L. 90.326,68 DOAR da SOL & CIA, em 31.12.XX

18 Demonstração dos Fluxos de Caixa * Lei nº 11638/07 A – ATIVIDADES OPERACIONAIS: Recebimentos de clientes e de juros 34.800 Pagamentos a fornec/tributos/juros 36.600 =Caixa Líquido Consumido Ativ: -1.800 B – ATIVIDADES DE INVESTIMENTO: Recebimento pela venda imobilizado 15.000 Pagamento pela venda de imobilizado 20.000 =Caixa Líquido Consumido Ativ: -5.000 C – ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO: Aumento capital+ Emprést-Dividendo 18.500 =Caixa Líquido Gerado na Ativ: 18.500 D– Aumento Líquido na Disponibilid 11.700 E – Saldo em Caixa 31.12.2005 = 5.600 = Saldo em Caixa em 31.12.2006: 17.300 DFC da Cia.Solar, em 31.12.2006 *R$

19 DVA-Demonstração do Valor Adicionado *Lei nº 11638/07 GERAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Receitas de Vendas e Serviços 3.346.968 -Insumos adq.3ºs:M.Prima,Custo 1.908.918 = Valor Adicionado Bruto: 1.438.050 –Retenções: depreciação, amortiz -245.070 =Vl.Adicionado líq.produzido 1.192.980 +Receita financ.recebida transfer. 152.468 –Particip.minorit.e Perda equiv.patr -25.981 =Vl.Adicionado total a distrib: 1.319.467 DISTRIBUIÇÃO do VALOR ADICIONADO Remuneração do trabalho : pessoal 355.580 Financiadores : juros + aluguéis 289.181 Governo : impostos,taxas e contrib. 365.598 Acionistas : Dividendos distribuídos 171.775 Acionistas : Lucros Retidos.... 137.333 = SOMA........ 1.319.467 DVA da Klabin, em 31.12.2005 *R$ mil


Carregar ppt "DESPESAS E RECEITAS ZERAR debitar creditar Para ZERAR todas as contas de despesas, devemos debitar a conta RESULTADO DO EXERCÍCIO e creditar as contas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google