A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dra. Ana Maria Nogueira Silva Coordenadora do Departamento de Atenção à Saúde da Mulher Secretaria do Estado de Saúde do Maranhão 10/2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dra. Ana Maria Nogueira Silva Coordenadora do Departamento de Atenção à Saúde da Mulher Secretaria do Estado de Saúde do Maranhão 10/2012."— Transcrição da apresentação:

1 Dra. Ana Maria Nogueira Silva Coordenadora do Departamento de Atenção à Saúde da Mulher Secretaria do Estado de Saúde do Maranhão 10/2012

2 Comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Na última década do século 20 foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure

3 Em 1997, entidades dos EUA, começaram efetivamente a comemorar e fomentar ações voltadas a prevenção do câncer de mama, denominando como Outubro Rosa. Em 2002, a primeira iniciativa no Brasil, foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo-SP. Aos poucos o Brasil foi ficando iluminado em rosa: em São Paulo-SP, Santos-SP, Rio de Janeiro-RJ, Porto Alegre-RS, Brasília-DF, Salvador-BA, Teresina-PI, Poços de Caldas- MG e outras cidades. Obelisco do Ibirapuera São Paulo-SP 02/10/2002 Fortaleza da Barra Jornal A TRIBUNA Santos-SP 12/maio/2008

4 Em outubro de 2009, se multiplicam as ações relativas ao Outubro Rosa em todas as partes do Brasil. Novamente as entidades relacionadas ao câncer de mama e empresas se unem para expandir a campanha. A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em torno de tão nobre causa. Isso faz que a iluminação em rosa assuma importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo. Estatua do Cristo Redentor Rio de Janeiro-RJ - Outubro/2008 Pinacoteca Benedicto Calixto Santos-SP - Outtubro/2008

5

6 PROGRAMA DE CONTROLE DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO E MAMA SISCOLO E SISMAMA PROGRAMA DE CONTROLE DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO E MAMA SISCOLO E SISMAMA REDE CEGONHA PREVENÇÃO DA MORTALIDADE MATERNA E NEONATAL COMITÊ - MMI ASSISTÊNCIA AO CLIMATÉRIO ASSISTÊNCIA A MULHER EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA SEXUAL E DOMÉSTICA PLANEJAMENTO FAMILIAR PROGRAMA ESTADUAL DE PARTEIRAS TRADICIONAIS REDE CEGONHA AÇÕES DO DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA PARA POPULAÇÃO LGBT

7

8 Segundo tipo mais frequente no mundo, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom. Consiste na doença que ocorre devido à perda da capacidade das células de limitar e controlar o seu próprio crescimento, multiplicando-se rapidamente e sem controle. Estimativa de novos casos: (INCA, 2012) No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%.

9

10 O Câncer de Mama é uma das maiores causas da morte de mulheres por Câncer no mundo e no Brasil, apesar de ser uma doença com alta chance de cura desde que descoberta no início. Se diagnosticado precocemente, o Câncer de Mama tem atualmente, 95% de chance de cura.

11 sexo feminino menarca precoce (antes dos 11 anos) menopausa tardia (após os 55 anos) nuliparidade primeira gestação a termo após 30 anos mãe ou irmã com história de câncer de mama dieta rica em gordura animal dieta pobre em fibras obesidade (principalmente após a menopausa) atividade física regular hábitos alimentares saudáveis Fatores de riscoFatores protetores

12 Autocuidado das Mamas/ Detecção precoce; Exames de rotina; Mamografia a partir dos 40 anos; Saiba o que é normal para você; Conheça as suas mamas; Escolha hábitos saudáveis

13 A Secretaria do Estado da Saúde, por meio do Departamento de Atenção à Saúde da Mulher, vem desenvolvendo Ações de Capacitações, Monitoramentos e Avaliação junto aos municípios para profissionais da Estratégia de Saúde da Família, objetivando uma melhora significativa dos indicadores do Maranhão.

14 A Atenção Primária em Saúde é responsável por: – ações preventivas; – Transmissão do conhecimento acerca dos sinais e sintomas de alerta para o Câncer de Mama; – Realização do exame clínico das mamas (auto- exame das mamas) – Solicitação de Mamografias.

15 Existe um sistema denominado SISMAMA (Sistema de Informação do Câncer de Mama) que foi desenvolvido pelo DATASUS em parceria com o INCA. Foi criado para apoiar o desenvolvimento de ações mais eficazes para controle da doença, seja em prevenção, vigilância ou assistência a partir de um mapeamento pioneiro da doença em todo o país.

16 Trata-se de uma ferramenta eletrônica de gestão que centralizará todas as informações das pacientes que realizam mamografias no SUS, assim como resultados de exames, qualidade dos serviços, e seguimento dos casos alterados.

17

18 A razão da mamografia estabelecida pelo MS em 2011, foi igual ou maior a 0,23%. Isso nos leva a observar que apesar do aumento do número de mamografias realizadas no Estado, ainda estamos distante da meta a ser alcançada. Os serviços de mamografia são distribuídos de forma concentrada nos grandes centros urbanos o que dificulta o acesso a estes. Meta BrasilMeta Maranhão 2012 Razão de exames de mamografia realizados em mulheres de 50 a 69 anos e população da mesma faixa etária. maior ou igual 0,350,20

19 Atualmente, tem-se como estratégia para impulsionar o aumento deste índice. O funcionamento de uma carreta móvel, disponibilizando o uso do mamógrafo, em rotatividade na capital e nos municípios com objetivo de colaborar para a mudança deste indicador. É importante salientar, que o seguimento de mulheres com câncer de mama deve ocorrer conforme meta do MS (100%), sendo que não podemos esquecer novamente de destacar a deficiência na alimentação do sistema.

20

21 Uma boa relação médico-paciente para que o diálogo, garanta uma boa construção da anamnese. ETAPAS DO EXAME DAS MAMAS Inspeção Estática Inspeção Dinâmica Palpação das Axilas Palpação das Mamas

22

23 Mamografia

24

25 Obrigada!


Carregar ppt "Dra. Ana Maria Nogueira Silva Coordenadora do Departamento de Atenção à Saúde da Mulher Secretaria do Estado de Saúde do Maranhão 10/2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google