A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Muitas vezes nossa família está em casa tranqüila, sem saber que está em companhia de ratos. Roedores.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Muitas vezes nossa família está em casa tranqüila, sem saber que está em companhia de ratos. Roedores."— Transcrição da apresentação:

1 Muitas vezes nossa família está em casa tranqüila, sem saber que está em companhia de ratos. Roedores

2 QUEM SÃO ELES? REINO ANIMALIA RAMOCHORDATA CLASSEMAMMALIA ORDEMRODENTIA SUB-ORDEMMYOMORPHA FAMÍLIAMURIDAE (Roedores urbano) FAMÍLIACRICETIDAE ( Roedores silvestres)

3 PRINCIPAIS ESPÉCIES URBANAS Ratazana ou Rato de Esgoto - Rattus norvegicus Rato de Telhado ou Rato Preto - Rattus rattus Camundongo - Mus musculus

4 Características em Comum  Andam sempre pelos mesmos caminhos (TRILHAS);  Filhotes nascem vulneráveis;  Baixa acuidade visual;  Não conseguem vomitar;  Animais onívoros (comem de tudo);  Lambem o corpo diariamente;  Possuem dois pares de dentes incisivos;  Pêlos táteis espalhados pelo corpo;  Vibrissas ou bigodes (tato - orientação);  Presença de diástema (espaçamento dentário);

5  Hábitos noturnos;  Ratos e ratazanas – neofóbicos;  Colônias (dominantes e dominados) - ratazanas e ratos;  Neofílicos (vivem em família) - camundongos;  Olfato apurado (não estranham odor humano);  Paladar bem apurado (memorizam diferentes gostos e não consomem comida estragada);  Podem saltar verticalmente;  Excelente capacidade de adaptação;  Ouvem muito bem, inclusive vibrações de ultra-som.

6 Habita o solo (terrestre) com característica extradomiciliar. É dotado de habilidades para escavar, nadar e roer, podendo girar em torno de seu ninho - a procura de água e comida - até 40 metros. Abriga tocas e galerias no subsolo, na beira de rios e córregos, esgotos e lixões. Alimenta-se até 30g/dia de lixo orgânico, cereais, raízes e carne e consome água até 30ml/dia. Rattus norvegicus Ratazana ou Rato de Esgoto

7  Sedentária e agressiva;  Abriga-se em tocas e galerias;  Onívoras;  Apresenta neofobia (medo do novo);  Excelente nadadora;  Gestação de 22 dias – até 10 filhotes por ninhada;  Presença de calos lisos e membranas interdigitais;  As fezes são grandes, cilíndricas e com extremidades rombudas (1,2 a 1,9 cm). Rattus norvegicus Ratazana ou Rato de Esgoto

8

9 Habita acima do solo, com característica intra e extra- domiciliar. Dotado de habilidades para escalar, equilibrar-se e roer, podendo explorar em torno de seu ninho até 60 metros. Habita o forro das casas, depósitos e armazéns. Costuma ser encontrado nas proximidades de áreas portuárias. Alimenta-se até 30g/dia de legumes, frutas, cereais, raízes e pequenos insetos e consome água até 30ml/dia. Rattus rattus Rato de Telhado ou Rato Preto

10  Corpo leve e delgado (agilidade);  A coloração varia entre o preto e o cinza escuro;  Apresenta neofobia (medo do novo);  A cauda é mais longa que a cabeça + corpo (dá equilíbrio ao animal);  Orelhas grandes e proeminentes;  Olhos grandes e focinho afilado; Rattus rattus Rato de Telhado ou Rato Preto

11  O abrigo é quase sempre acima do nível do solo;  São excelentes escaladores;  Presença de calos estriados;  Trilhas próximas ao teto;  As fezes são fusiformes (0,8 a 1,5 cm;  Gestação: 22 dias – 8 filhotes por ninhadas. Rattus rattus Rato de Telhado ou Rato Preto

12

13 Habita o solo e também partes superiores, com característica intradomiciliar. Dotado de habilidades como escalar e roer, pode explorar em torno de seu ninho até 9 metros. Constrói o mesmo em móveis, despensas, gabinetes de cozinha e qualquer orifício capaz de acomodá-lo. Alimenta-se até 3g/dia de cereais, pão, queijo e seu consumo de água é inexpressivo. Mus musculus Camundongo

14  Corpo pequeno e delicado;  A coloração dos pêlos é acinzentada;  A cauda tem o tamanho do corpo;  Cabeça pequena e orelhas proeminentes;  Olhos vivos e salientes;  Pés pequenos;  Fezes pequenas e finas com pontas afiladas; Mus musculus Camundongo

15  Formam casais por toda vida;  São errantes;  Apresenta neofilia (curiosidade);  Gestação de 19 dias com 8 filhotes por ninhada;  Onívoros mas preferem cereais;  São intra-domiciliares. Mus musculus Camundongo

16 Camundongo

17 Como Identificar a Presença Ninheiras Normalmente é um conjunto de galerias oblíquas em relação ao nível do solo, com 2 ou 3 acessos; A ninheira ativa apresenta a terra revolvida e até restos de alimentos.

18 Roeduras:  Em objetos que servem de obstáculo. Trilhas:  No ambiente externo as trilhas são estreitas, sem vegetação e sem detritos;  No ambiente fechado as trilhas são escuras e gordurosas, estendendo-se ao longo das paredes e teto. Como Identificar a Presença

19 Fezes:  Escuras, brilhantes e úmidas = presença recente;  Opacas, esbranquiçadas e quebradiças= infestação anterior. Rastros:  Pegadas ou marcas no solo úmido ou areia;  Excitação de cães e gatos;  Observação visual. Como Identificar a Presença

20 Doenças Transmitidas  Triquinose – alimento contaminado com o verme Trichinella spiralis;  Febre de mordedura – causa um processo infeccioso;  Peste bubônica – picada da pulga-do-rato contaminada pela bactéria Yersínia pestis;  Hantavirose – inalação de aerossóis de fezes secas contaminadas com o vírus Hantaan;

21  Leptospirose – alimento ou água contaminados com a urina que apresentem a bactéria do grupo Interrogans, chamada Leptospira;  Tifo murino – pela picada da pulga-do-rato contaminada com a bactéria Rickettsia mooseri;  Salmonelose – alimentos contaminados com a bactéria do grupo salmonela;  Vários tipos de micoses. Doenças Transmitidas

22 Medidas Preventivas  Não jogar lixo, entulhos e restos de obra em terrenos baldios, córregos, bueiros, rios e quintal;  Guardar alimentos em vasilhames de vidro ou metal e bem vedados;  Limpar diariamente os refeitórios, antes do anoitecer;  Recolher, ao entardecer, restos de alimentos e água dos animais domésticos.

23 Medidas preventivas para o controle de roedores sem uso de raticidas  Inspecionar periodicamente armários, depósitos e gavetas (camundongos);  Hábitos de higiene, constantes;  Estocar os alimentos em pallets (estrados) com 40cm de altura, afastados das paredes e uns dos outros para que uma pessoa possa inspecionar;

24 Medidas preventivas para o controle de roedores sem uso de raticidas  As tampas dos ralos devem ser pesadas (metal);  Utilizar rateiras, 70 cm acima do chão, para dificultar a entrada dos roedores. Vedar buracos em paredes, calçadas, rodapés, telhados, etc;  O material de obra não deve ficar encostado no muro ou na paredes;  Promover o entelamento com telas metálicas com a trama de no máximo 6 mm.

25 Desratização Todas as medidas empregadas para a eliminação dos roedores:  Métodos mecânicos - ratoeiras e gaiolas;  Métodos biológicos – gatos outros predadores e bactérias letais;  Métodos químicos – uso de raticida. Obs: A desratização deve ser acompanhada de medidas de saneamento, a fim de evitar a disseminação da população de roedores.

26 Métodos Mecânicos  Incruentos – capturam o animal vivo (gaiolas);  Cruentos – Produzem a morte do animal durante a captura (“ratoeiras quebra-costas”). São ótimas para camundongos, mas de baixa eficiência para ratazanas e ratos de telhado. Obs: Ultra-som também é considerado método mecânico.

27 Métodos Biológicos  O uso de cães e gatos parece não representar perigo contra os roedores, pois convivem com os mesmos alimentando-se dos restos de comida;  Na área rural, aves, carnívoros e ofídios exercem atuação no controle de roedores.

28 Métodos Químicos  São compostos químicos especialmente desenvolvidos para causar morte do animal;  Os raticidas podem ser classificados em agudos ou crônicos.

29 Raticidas Agudos Causam a morte do roedor nas primeiras 24 horas após a ingestão; São raticidas agudos a estricnina, o arsênico, o 1080 (monofluoracetato de sódio), 1081 (fluoracetamida), sulfato de tálio, piridinil uréia, sil vermelha, fosfeto de zinco, norbomida, castrix e antú. Obs: Foram proibidos no Brasil porque são inespecíficos, alguns deles não tem antídoto e podiam induzir tolerância no caso de ingestão de sub- doses.

30 Raticidas Crônicos  São os que provocam a morte do roedor alguns dias após a ingestão do mesmo;  São largamente utilizados no mundo devido à sua grande margem de segurança e existência de antídoto altamente confiável, a vitamina K1 injetável.

31 Raticida Mais Utilizado no Combate Aos Roedores Composição  Blocos Impermeáveis;  Bromadiolone;  Benzoato de Denatonium;  Corante;  Veículo/Atrativo. Ação  Anticoagulante de ação lenta;  Age no mecanismo de coagulação sanguínea, causando hemorragias internas (periotonite aguda);  Efeito crônico;  Antídoto: vitamina K1 injetável. MAKI – BROMADIOLONE OBS: Não use o produto Chumbinho como raticida, pois trata-se de um produto muito perigoso, à base de Aldicarb. Sua ingestão pode ser fatal.

32 Referências SAÚDE, Ministério da. Roedores, disponível em, NILÓPOLIS, Secretaria de Saúde de, Equipe IEC – Agravos em Saúde


Carregar ppt "Muitas vezes nossa família está em casa tranqüila, sem saber que está em companhia de ratos. Roedores."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google