A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ensino e Pesquisa em Física Médica no Brasil Profa. Ana Figueiredo Maia Novembro de 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ensino e Pesquisa em Física Médica no Brasil Profa. Ana Figueiredo Maia Novembro de 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Ensino e Pesquisa em Física Médica no Brasil Profa. Ana Figueiredo Maia Novembro de 2009

2 Física Médica O que é? –É o ramo da Física que compreende a aplicação dos conceitos, modelos e métodos da física para a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças É uma profissão difundida no mundo? –Sim. Há organizações nacionais de física médica em diversos países. AAPM, fundada em 1958 ABFM, fundada em 1969 (Comemorando 40 anos) –Organizações internacionais oficiais como a OMS, OPS, IAEA e OIT consideram o especialista em Física Médica de primordial importância para as práticas em medicina

3 Perfil do Físico Médico Profissional com formação básica em física com disciplinas complementares em Medicina e Biologia Campo de trabalho principal: instituições de saúde, públicas e privadas, e empresas de prestação de serviço de controle de qualidade e de proteção radiológica Possibilidades adicionais: ensino e pesquisa Formação em pós-graduação é muito importante para atuação profissional –Aprimoramentos e especializações – opções mais diretas –Mestrados e Doutorados Stricto Sensu Dúvida que vem sendo levantada no mundo inteiro: –É um profissional da área da saúde ou da física?

4 Formação do Profissional, no Brasil Graduação –Bacharéis em física com formação complementar –Recentemente, bacharéis em física médica –12 cursos de graduação específicos (habilitação/ênfase) 9 universidades e 3 centros universitários –Administração 50% privada filantrópica 50% pública –Grande maioria está em Departamentos e Institutos ligados a cursos de Física (bacharelado e licenciatura) ou Centro de Ciências Exatas (excessão: Unesp - Botucatu)

5 Cursos de Graduação 02 Nordeste (SE,PE) 08 Sudeste (MG,SP,RJ) ~67% 02 Sul (RS) 01 Nordeste (SE) 08 Sudeste (MG,SP,RJ) ~67% 02 Sul (RS)

6 Número de Cursos Gradução PUC-RS FFCLRP-USP, FTESM-RJ PUC-SP UFS-SE, UNIFRA-RS UFRJ-RJ UNICAMP-SP, UNESP-SP UNICAP-PE UNIFEB-SP UFU-MG

7 Mercado de Trabalho Pesquisa conduzida pela ABFM em 2008: –32% - radioterapia; –30% - ensino e/ou pesquisa; –18% - proteção radiológica; –14% - radiodiagnóstico –1% - outra –Salário bruto médio de R$7.100,00 American Institute of Physics (AIP)

8 Formação complementar 08 aprimoramentos - 7 (SP) e 1 (PR) 02 especializações - 1 (SP) e 1 (RJ)

9 Formação complementar: Mestrado e doutorado em áreas afins 12 pós-graduações: 9 Mestrado e Doutorado (6 SE, 2 NE, 1 S) 3 Mestrado (2 RJ e 1 MG) Todos em Física (5) ou Engenharia (7)

10 Portanto, nacionalmente, o profissional em física médica está mais diretamente associado à área de Física, tanto na formação universitária, quanto nos grupos de pesquisa Aprimoramentos e especializações – todos em instituições de saúde Em diversos países, incluindo os EUA e a maioria dos países europeus, muitos dos grupos de pesquisa são sediados em instituições de saúde.

11 Grupos de Pesquisa em Física Médica Levantamento feito pela plataforma do CNPq. Total: 44

12 Grupos de Pesquisa em Física Médica Levantamento feito pela plataforma do CNPq.

13 Principais linhas de pesquisa Dosimetria Ex: Aplicação de diversas técnicas dosimétricas (TL, OSL, SC, Ionometria) para medidas de dose in vivo ou em objetos simuladores Qualidade da Imagem em Radiodiagnóstico Ex: Avaliação da qualidade da imagem utilizando parâmetros físicos e/ou anatômicos, elaboração de indicadores de qualidade em radiologia, relação qualidade da imagem versus dose Proteção Radiológica Ex: Avaliação de risco, otimização Controle de Qualidade Ex: Avaliação de desempenho de equipamentos, desenvolvimento de dispositivos de testes e simuladores, aprimoramento de metodologias de testes)

14 Principais linhas de pesquisa Desenvolvimento e caracterização de materiais dosimétricos Ex: desenvolvimento de novos materiais para fins de dosimetria, determinação das características dosimétricas Efeitos biológicos associados a radiações ionizantes e não ionizantes Ex: avaliação dos efeitos biológicos por meio de análises in vivo ou in vitro Dosimetria Numérica Ex: Aplicação de técnicas de monte-carlo para simulação de procedimentos médicos para estimativa de doses, dosimetria interna

15 Principais linhas de pesquisa Instrumentação Ex: Desenvolvimento de instrumentação eletrônica aplicada à medicina ou à detecção de radiação, desenvolvimento de dispositivos para equipamentos médicos Metrologia das Radiações Ex: Elaboração de protocolos de padronização de campos de radiação e de protocolos de calibração de detectores de radiação Ressonância magnética Ex: Processamento de imagem, qualidade da imagem, controle de qualidade Ultrassonografia Ex: Desenvolvimento de transdutores, qualidade da imagem, controle de qualidade

16 Principais linhas de pesquisa Aplicação de lasers em medicina Ex: desenvolvimento de dispositivos para aplicações médicas, odontológicas e estéticas, efeitos biológicos, dosimetria Desenvolvimento de equipamentos eletromédicos Análises e processamento de imagens médicas Processamento de sinais elétricos Aplicação de radiação não ionizante para terapia

17 Pesquisa na UFS Estrutura laboratorial: –Laboratórios de caracterização de materiais –Instrumentos para medida de sinais TL e de radioluminescência –Fontes radioativas (Beta e Gama) –Dispositivos de testes de controle de qualidade para radiologia –Detectores de radiação (câmaras de ionização, TLDs)

18 Linhas de pesquisa Dosimetria e desenvolvimento de materiais e instrumentos para Radioterapia Estudo de sinais elétricos para fins de diagnóstico Imagens por Ressonância Magnética Procedimentos de controle de qualidade em medicina nuclear Dosimetria em Medicina Nuclear Dosimetria UV Efeitos biológicos associados à radiação UV Métodos de monte-carlo aplicados à medicina

19 Pesquisa em Radiodiagnóstico – Profa. Ana

20 Dosimetria

21 Projetos de Pesquisa em Dosimetria Dosimetria em Tomografia Computadorizada utilizando técnicas de Monte Carlo Avaliação de doses nos procedimentos radiológicos para implantes odontológicos Avaliação das doses ocupacionais e do público associadas à utilização de equipamentos móveis de radiação X Avaliação da dose de entrada na pele em exames de tórax em hospitais públicos do estado

22 Dosimetria –Medida de dose: cálculos estimados por meio dos parâmetros radiográficos, medidas in vivo, medidas com objetos simuladores, simulação por métodos de monte-carlo. –Dosimetria do paciente, ocupacional e do público Controle de qualidade Pesquisa em Radiodiagnóstico – Profa. Ana

23 Projetos de Pesquisa em CQ Construção de um objeto simulador antropomórfico de tórax para medidas dosimétricas em feixes clínicos Desenvolvimento de um kit postal para aferição de parâmetros de qualidade em Radiodiagnóstico Construção de um Simulador Para Medidas de Dose em Tomográfos Baseado nos Simuladores de Radioterapia Estudo de Materiais para Utilização em Objetos Simulador Para Aplicação em Tomografia Computadorizada Desenvolvimento de metodologias para avaliação da qualidade da imagem em exames de tórax adulto e infantil Estudo de desempenho de um equipamento de fluoroscopia

24 Dosimetria –Medida de dose: cálculos estimados por meio dos parâmetros radiográficos, medidas in vivo, medidas com objetos simuladores, simulação por métodos de monte-carlo. –Dosimetria do paciente, ocupacional e do público Controle de qualidade –Projeto e construção de objetos de testes –Avaliação de desempenho dos equipamentos no estado –Avaliação da qualidade da imagem Proteção Radiológica Pesquisa em Radiodiagnóstico – Profa. Ana

25 Projetos de Pesquisa em CQ Avaliação de Risco em Radiologia Intervencionista Estabelecimento de parâmetros para avaliação do risco em exames de fluoroscopia Avaliação da otimização da prática em exames de tórax

26 Dosimetria –Medida de dose: cálculos estimados por meio dos parâmetros radiográficos, medidas in vivo, medidas com objetos simuladores, simulação por métodos de monte-carlo. –Dosimetria do paciente, ocupacional e do público Controle de qualidade –Projeto e construção de objetos de testes –Avaliação de desempenho dos equipamentos no estado –Avaliação da qualidade da imagem Proteção Radiológica –Avaliação de risco –Limites de dose e níveis de referência –Otimização Pesquisa em Radiodiagnóstico – Profa. Ana

27 Projetos Aprovados ( ) Instituto Nacional em Metrologia das Radiações em Medicina Projetos de Cooperação Acadêmica IPEN-FFCLRP-UFS para Pesquisa em Física Aplicada a Medicina e Biologia IPEN-CRCN/NE-UFS para Pesquisa em Desenvolvimento de Novos Materiais Dosimétricos Universal (Fapitec-SE): Desenvolvimento de metodologias para avaliação da qualidade da imagem e das doses nos exames de radiodiagnóstico Universal (CNPq): Desenvolvimento de dispositivos e metodologias para avaliação de dose e de desempenho de equipamentos em radiodiagnóstico PAIRD (UFS): Estudo dosimétrico em tomografia computadorizada

28 Professores da UFS em FM Albérico B. Carvalho Jr Ana Maia Divanízia Souza Emerson Santa Helena Márcia Attie Susana Lalic

29 MUITO OBRIGADA

30


Carregar ppt "Ensino e Pesquisa em Física Médica no Brasil Profa. Ana Figueiredo Maia Novembro de 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google