A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema circulatório. Constituído por tubos, que são chamados: vasos sangüíneos, por onde circula o Sangue e vasos linfáticos, por onde circula a Linfa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema circulatório. Constituído por tubos, que são chamados: vasos sangüíneos, por onde circula o Sangue e vasos linfáticos, por onde circula a Linfa."— Transcrição da apresentação:

1 Sistema circulatório

2 Constituído por tubos, que são chamados: vasos sangüíneos, por onde circula o Sangue e vasos linfáticos, por onde circula a Linfa Envolvido no transporte de gases respiratórios, nutrientes, produtos residuais, hormônios, anticorpos, sais e outros materiais de varias regiões do corpo

3

4 Transporte de gases: os pulmões, responsáveis pela obtenção de oxigênio e pela eliminação de dióxido de carbono, comunicam-se com os demais tecidos do corpo por meio do sangue.

5 Transporte de nutrientes: No tubo digestivo, os nutrientes resultantes da digestão passam através de um fino epitélio e alcançam o sangue. Por essa verdadeira "auto-estrada", os nutrientes são levados aos tecidos do corpo, nos quais se difundem para o líquido intersticial que banha as células.

6 Transporte de resíduos metabólicos: A atividade metabólica das células do corpo origina resíduos, mas apenas alguns órgãos podem eliminá-los para o meio externo. O transporte dessas substâncias, de onde são formadas até os órgãos de excreção, é feito pelo sangue.

7 Transporte de hormônios: Hormônios são substâncias secretadas por certos órgãos, distribuídas pelo sangue e capazes de modificar o funcionamento de outros órgãos do corpo. A colecistocinina, por exemplo, é produzida pelo duodeno, durante a passagem do alimento, e lançada no sangue. Um de seus efeitos é estimular a contração da vesícula biliar e a liberação da bile no duodeno.

8 Intercâmbio de materiais: algumas substâncias são produzidas ou armazenadas em uma parte do corpo e utilizadas em outra parte. Células do fígado, por exemplo, armazenam moléculas de glicogênio, que, ao serem quebradas, liberam glicose, que o sangue leva para outras células do corpo.

9 transporte de calor: o sangue também é utilizado na distribuição homogênea de calor pelas diversas partes do organismo, colaborando na manutenção de uma temperatura adequada em todas as regiões; permite ainda levar calor até a superfície corporal, onde pode ser dissipado.

10 distribuição de mecanismos de defesa: pelo sangue circulam anticorpos e células fagocitárias, componentes da defesa contra agentes infecciosos.

11 coagulação sangüínea: pelo sangue circulam as plaquetas, pedaços de um tipo celular da medula óssea (megacariócito), com função na coagulação sangüínea. O sangue contém ainda fatores de coagulação, capazes de bloquear eventuais vazamentos em caso de rompimento de um vaso sangüíneo

12 Para que o sangue possa atingir as células corporais e trocar materiais com elas, ele deve ser, constantemente, propelido ao longo dos vasos sangüíneos. O coração é a bomba que promove a circulação de sangue por cerca de 100 mil quilômetros de vasos sangüíneos.

13

14 Circulação Pulmonar e Sistêmica

15 Circulação Pulmonar leva sangue do ventrículo direito do coração para os pulmões e de volta ao átrio esquerdo do coração. Ela transporta o sangue pobre em oxigênio para os pulmões, onde ele libera o dióxido de carbono (CO2) e recebe oxigênio (O2). O sangue oxigenado, então, retorna ao lado esquerdo do coração para ser bombeado para circulação sistêmica.

16 Circulação Sistêmica é a maior circulação; ela fornece o suprimento sangüíneo para todo o organismo. A circulação sistêmica carrega oxigênio e outros nutrientes vitais para as células, e capta dióxido de carbono e outros resíduos das células.

17 Vasos que compõem o sistema circulatório Artérias: vasos que conduzem o sangue do coração para as diversas partes do organismo. Têm paredes musculares espessas e muito elásticas. Veias: vasos que levam o sangue do corpo para o coração. Têm paredes musculares finas e pouco elásticas, e possuem também válvulas internas que impedem o refluxo de sangue.

18

19 CORAÇÃO

20 Apesar de toda a sua potência, o coração, em forma de cone, é relativamente pequeno, aproximadamente do tamanho do punho fechado, cerca de 12 cm de comprimento, 9 cm de largura em sua parte mais ampla e 6 cm de espessura. Sua massa é, em média, de 250g, nas mulheres adultas, e 300g, nos homens adultos.

21 O coração fica apoiado sobre o diafragma, perto da linha média da cavidade torácica, no mediastino, a massa de tecido que se estende do esterno à coluna vertebral; e entre os revestimentos (pleuras) dos pulmões. Cerca de 2/3 de massa cardíaca ficam a esquerda da linha média do corpo.

22

23 Limites do Coração:

24

25 Epicárdio: a camada externa do coração é uma delgada lâmina de tecido seroso. O epicárdio é contínuo, a partir da base do coração, com o revestimento interno do pericárdio, denominado camada visceral do pericárdio seroso.

26 Miocárdio: é a camada média e a mais espessa do coração. É composto de músculo estriado cardíaco. É esse tipo de músculo que permite que o coração se contraia e, portanto, impulsione sangue, ou o force para o interior dos vasos sangüíneos.

27 Endocárdio: é a camada mais interna do coração. É uma fina camada de tecido composto por epitélio pavimentoso simples sobre uma camada de tecido conjuntivo. A superfície lisa e brilhante permite que o sangue corra facilmente sobre ela. O endocárdio também reveste as valvas e é contínuo com o revestimento dos vasos sangüíneos que entram e saem do coração.

28

29

30 Configuração Interna: O coração possui quatro câmaras: dois átrios e dois ventrículos. Os átrios (as câmaras superiores) recebem sangue; os ventrículos (câmaras inferiores) bombeiam o sangue para fora do coração.

31

32

33 II. CORAÇÃO HUMANO: Átrio direito Átrio esquerdo Veia cava superior Aorta Artéria pulmonar Veia pulmonar Válvula bicúspide/mitral Válvula semilunar aórtica Ventrículo esquerdo Ventrículo direito Veia cava inferior Válvula tricúspide Válvula semilunar pulmonar

34 ÁTRIO DIREITO O átrio direito forma a borda direita do coração e recebe sangue rico em dióxido de carbono (venoso) de três veias: veia cava superior, veia cava inferior e seio coronário.

35 A veia cava superior, recolhe sangue da cabeça e parte superior do corpo, já a inferior recebe sangue das partes mais inferiores do corpo (abdômen e membros inferiores) e o seio coronário recebe o sangue que nutriu o miocárdio e leva o sangue ao átrio direito.

36

37 O sangue passa do átrio direito para ventrículo direito através de uma válvula chamada tricúspide (formada por três folhetos - válvulas ou cúspides). Na parede medial do átrio direito, que é constituída pelo septo interatrial, encontramos uma depressão que é a fossa oval.

38 ÁTRIO ESQUERDO O átrio esquerdo é uma cavidade de parede fina, com paredes posteriores e anteriores lisas, que recebe o sangue já oxigenado; por meio de quatro veias pulmonares. O sangue passa do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo, através da valva bicúspide (mitral), que tem apenas duas cúspides. O átrio esquerdo também apresenta uma expansão piramidal chamada aurícula esquerda.

39

40 VENTRÍCULO DIREITO No óstio atrioventricular direito existe um aparelho denominado valva tricúspide que serve para impedir que o sangue retorne do ventrículo para o átrio direito. Essa valva é constituída por três lâminas membranáceas, esbranquiçadas e irregularmente triangulares, de base implantada nas bordas do óstio e o ápice dirigido para baixo e preso ás paredes do ventrículo por intermédio de filamentos.

41

42 A valva do tronco pulmonar também é constituída por pequenas lâminas, porém estas estão dispostas em concha, denominadas válvulas semilunares (anterior, esquerda e direita).

43 VENTRÍCULO ESQUERDO O ventrículo esquerdo forma o ápice do coração. No óstio atrioventricular esquerdo, encontramos a valva atrioventricular esquerda, constituída apenas por duas laminas denominadas cúspides (anterior e posterior). Essas valvas são denominadas bicúspides. Como o ventrículo direito, também tem trabéculas carnosas e cordas tendíneas, que fixam as cúspides da valva bicúspide aos músculos papilares.

44

45 O sangue passa do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo através do óstio atrioventricular esquerdo onde localiza-se a valva bicúspide (mitral). Do ventrículo esquerdo o sangue sai para a maior artéria do corpo, a aorta ascendente, passando pela valva aórtica - constituída por três válvulas semilunares: direita, esquerda e posterior. Daí, parte do sangue flui para as artérias coronárias, que se ramificam a partir da aorta ascendente, levando sangue para a parede cardíaca; o restante do sangue passa para o arco da aorta e para a aorta descendente (aorta torácica e aorta abdominal). Ramos do arco da aorta e da aorta descendente levam sangue para todo o corpo.

46 O ventrículo esquerdo recebe sangue oxigenado do átrio esquerdo. A principal função do ventrículo esquerdo é bombear sangue para a circulação sistêmica (corpo). A parede ventricular esquerda é mais espessa que a do ventrículo direito. Essa diferença se deve à maior força necessária para bombear sangue para a circulação sistêmica.

47

48 Ciclo Cardíaco Um ciclo cardíaco único inclui todos os eventos associados a um batimento cardíaco. No ciclo cardíaco normal os dois átrios se contraem, enquanto os dois ventrículos relaxam e vice versa. O termo sístole designa a fase de contração; a fase de relaxamento é designada como diástole.

49

50 Quando o coração bate, os átrios contraem-se primeiramente (sístole atrial), forçando o sangue para os ventrículos. Um vez preenchidos, os dois ventrículos contraem-se (sístole ventricular) e forçam o sangue para fora do coração.

51 Valvas na Diástole Ventricular

52 Dinamismo das Valvas

53 Valvas na Sístole Ventricular

54 Para que o coração seja eficiente na sua ação de bombeamento, é necessário mais que a contração rítmica de suas fibras musculares. A direção do fluxo sangüíneo deve ser orientada e controlada, o que é obtido por quatro valvas já citadas anteriormente: duas localizadas entre o átrio e o ventrículo - atrioventriculares (valva tricúspide e bicúspide); e duas localizadas entre os ventrículos e as grandes artérias que transportam sangue para fora do coração - semilunares (valva pulmonar e aórtica).

55

56 Complemento: As valvas e válvulas são para impedir este comportamento anormal do sangue, para impedir que ocorra o refluxo elas fecham após a passagem do sangue.

57 Sístole é a contração do músculo cardíaco, temos a sístole atrial que impulsiona sangue para os ventrículos. Assim as valvas atrioventriculares estão abertas à passagem de sangue e a pulmonar e a aórtica estão fechadas. Na sístole ventricular as valvas atrioventriculares estão fechadas e as semilunares abertas a passagem de sangue.

58 As câmaras cardíacas contraem-se e dilatam-se alternadamente 70 vezes por minuto, em média. O processo de contração de cada câmara do miocárdio (músculo cardíaco) denomina-se sístole. O relaxamento, que acontece entre uma sístole e a seguinte, é a diástole.

59 Nódulo sinoatrial (SA) ou marcapasso ou nó sino-atrial: região especial do coração, que controla a freqüência cardíaca. Localiza-se perto da junção entre o átrio direito e a veia cava superior e é constituído por um aglomerado de células musculares especializadas.

60 A freqüência rítmica dessa fibras musculares é de aproximadamente 72 contrações por minuto, enquanto o músculo atrial se contrai cerca de 60 vezes por minuto e o músculo ventricular, cerca de 20 vezes por minuto.

61

62 Devido ao fato do nódulo sinoatrial possuir uma freqüência rítmica mais rápida em relação às outras partes do coração, os impulsos originados do nódulo SA espalham-se para os átrios e ventrículos, estimulando essas áreas tão rapidamente, de modo que o ritmo do nódulo SA torna- se o ritmo de todo o coração; por isso é chamado marcapasso.

63 Sistema De Purkinje ou fascículo átrio-ventricular: Composto de fibras musculares cardíacas especializadas, ou fibras de Purkinje (Feixe de Hiss ou miócitos átrio-ventriculares), que transmitem os impulsos com uma velocidade aproximadamente 6 vezes maior do que o músculo cardíaco normal, cerca de 2 m por segundo, em contraste com 0,3 m por segundo no músculo cardíaco.

64

65 Controle Nervoso do Coração O sistema nervoso é conectado com o coração através de dois grupos diferentes de nervos, os sistemas parassimpático e simpático.

66 A estimulação dos nervos parassimpáticos causa os seguintes efeitos sobre o coração: (1) diminuição da freqüência dos batimentos cardíacos; (2) diminuição da força de contração do músculo atrial; (3) diminuição na velocidade de condução dos impulsos através do nódulo AV (átrio- ventricular), aumentando o período de retardo entre a contração atrial e a ventricular; e (4) diminuição do fluxo sangüíneo através dos vasos coronários que mantêm a nutrição do próprio músculo cardíaco.

67 A estimulação dos nervos simpáticos apresenta efeitos exatamente opostos sobre o coração

68 Esses efeitos podem ser resumidos, dizendo-se que a estimulação simpática aumenta a atividade cardíaca como bomba, algumas vezes aumentando a capacidade de bombear sangue em até 100 por cento. Esse efeito é necessário quando um indivíduo é submetido a situações de estresse, tais como exercício, doença, calor excessivo, ou outras condições que exigem um rápido fluxo sangüíneo através do sistema circulatório. Por conseguinte, os efeitos simpáticos sobre o coração constituem o mecanismo de auxílio utilizado numa emergência, tornando mais forte o batimento cardíaco quando necessário.

69 Fatores que aumentam a freqüência cardíaca Queda da pressão arterial inspiração excitação raiva dor hipóxia (redução da disponibilidade de oxigênio para as células do organismo) exercício adrenalina febre

70 Fatores que diminuem a freqüência cardíaca Aumento da pressão arterial expiração tristeza

71 Eletrocardiograma O eletrocardiograma é um exame de saúde na área de cardiologia onde é feito o registro da variação dos potenciais elétricos gerados pela atividade elétrica do coração.

72 Bases Teóricas O coração apresenta atividade eléctrica por variação na quantidade relativa de ions de sódio presentes dentro e fora das células do miocárdio. Esta variação cíclica gera diferença de concentração dos referidos íons na periferia do corpo. Eletrodos sensíveis colocados em pontos específicos do corpo registam esta diferença eléctrica.

73 Eventos do eletrocardiograma

74

75

76

77

78 Onda P Corresponde a despolarização dos átrios, e sua amplitude máxima é de 0.25 mV. Tamanho normal: Altura: 2,5 mm, comprimento: 3,0 mm Hipertrofia atrial gera aumento da onda P

79

80 Complexo QRS Corresponde a despolarização ventricular. É maior que a onda P pois a massa muscular dos ventrículos é maior que a dos átrios. Anormalidades no sistema de condução geram complexos QRS alargados.

81

82 Onda T Corresponde a repolarização ventricular. Normalmente é perpendicular e arredondada. A inversão da onda T indica processo isquêmico. Onda T de configuração anormal indica hipercalemia. Arritmia não sinusal = ausência da onda P

83

84

85 Pressão arterial O resultado do batimento do coração é a propulsão de uma certa quantidade de sangue (volume) através da artéria aorta. Quando este volume de sangue passa através das artérias, elas se contraem como que se estivessem espremendo o sangue para que ele vá para a frente. Esta pressão é necessária para que o sangue consiga chegar aos locais mais distantes, como a ponta dos pés, por exemplo.

86 O QUE SIGNIFICAM OS NÚMEROS DE UMA MEDIDA DE PRESSÃO ARTERIAL? Significam uma medida de pressão calibrada em milímetros de mercúrio (mmHg). O primeiro número, ou o de maior valor, é chamado de sistólico, e corresponde à pressão da artéria no momento em que o sangue foi bombeado pelo coração.

87 O segundo número, ou o de menor valor é chamado de diastólico, e corresponde à pressão na mesma artéria, no momento em que o coração está relaxado após uma contração. Não existe uma combinação precisa de medidas para se dizer qual é a pressão normal, mas em termos gerais, diz-se que o valor de 120/80 mmHg é o valor considerado ideal.

88 IDADE EM ANOSPRESSÃO ARTERIAL EM MMHG 485/60 695/ / / /75 Adulto120/80 Idoso /90-100

89

90

91

92 . Freqüência cardíaca:. Câmaras cardíacas contraem-se e relaxam-se:. Repouso – 40x/min.. Atividade física – 180x/min. V. INFARTO/ENFARTE DO MIOCÁRDIO (A.V.C.):. LDL: colesterol ruim – lipoproteína + colesterol.. Alimentos de origem animal (gorduras saturadas).. Deposição nas paredes das artérias (ateriosclerose).. Diminuição da irrigação (isquemia) e dor (angina).. Morte do tecido (necrose) – infarto.

93 Stent coronáriano: colocação de uma tela de aço inoxidável para aumentar o diâmetro do vaso.

94 Ponte safena: desvio do sangue da obstrução da coronária. Cateterismo: análise do vaso através de um cateter (pequeno tubo).

95 V. SANGUE:. Tecido conjuntivo – substância intercelular líquida.. Transporte de substâncias. 1. Composição:. Plasma: (55%) parte líquida – água, íons, proteínas plasmáticas (albumina, fibrinogênio, imunoglobulinas), substâncias transpor- tadas (nutrientes, excretas, gases, hormônios).. Elementos figurados: (45%) células/partes delas -

96 A. Hemácias, eritrócitos ou glóbulos vermelhos: /mm 3.. Fabricadas na medula óssea vermelha (a partir dos eritroblastos).. Arredondadas, anucleadas e escavadas no centro (bicôncavas).. Transporte de gases.. Duração: 120 dias.. Destruição: fígado e baço. Hemácias infectadas pelo plasmódio.

97 B. Leucócitos ou glóbulos brancos: /mm 3. Fabricados na medula óssea vermelha, linfonodos e timo.. Nucleados.. Função: defesa (sistema imunológico).. Diapedese (atravessam dos vasos sanguíneos) - Neutrófilos: fagocitar elementos estranhos. - Eosinófilos: fagocitar alguns elementos. - Basófilos: liberação de histamina (alergia). - Linfócitos B: produção de anticorpos. - Linfócitos T: estimula os B na produção de anticorpos. - Monócitos: fagocitar vírus, bactérias e fungos. granulócitos agranulócitos

98

99 Linfócito T citotóxico atacando uma célula tumoral – 20 mil x (MEV) Finfócito T sendo atacado pelo HIV 20 mil x (MEV)

100 Neutrófilos: núcleo geralmente trilobulado

101 C. Plaquetas ou trombócitos: /mm 3. Pedaços de células fabricados na medula óssea vermelha.. Função: coagulação sanguínea. enzima enzima inativaenzima ativa proteína solúvelproteína insolúvel liberação Heparin a Antigoagulante Inibe a ação protrombina-trombina Inibida pela tromboplastina

102

103 Hemácias e plaquetasPlaquetas

104 VI. LINFA:. Circulação nos vasos linfáticos.. Composição semelhante ao sangue (menos hemácias).. Vasos linfáticos: drenar o plasma (linfa) que saiu do vaso sanguíneo e devolver ao mesmo. Termina em fundo cego.. Linfonodos (antigos gânglios linfáticos): estruturas ao longo dos vasos linfáticos para filtrar a linfa.

105 FIM


Carregar ppt "Sistema circulatório. Constituído por tubos, que são chamados: vasos sangüíneos, por onde circula o Sangue e vasos linfáticos, por onde circula a Linfa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google