A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IMPOSTO ÚNICO CPMF DESONERAÇÃO DA FOLHA Pesquisa Quantitativa de Opinião Pública – 9 capitais Julho/ agosto de 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IMPOSTO ÚNICO CPMF DESONERAÇÃO DA FOLHA Pesquisa Quantitativa de Opinião Pública – 9 capitais Julho/ agosto de 2007."— Transcrição da apresentação:

1 IMPOSTO ÚNICO CPMF DESONERAÇÃO DA FOLHA Pesquisa Quantitativa de Opinião Pública – 9 capitais Julho/ agosto de 2007

2 2 Temas abordados

3 3 Nota metodológica UNIVERSO: moradores de nove capitais brasileiras a partir de 18 anos de idade. AMOSTRAGEM: abordagem em pontos de fluxo populacional, com controle de quotas de sexo e idade e sorteio aleatório dos entrevistados. AMOSTRA: foram realizadas entrevistas ponderadas para entrevistas. A abordagem foi pessoal (face a face). MARGEM DE ERRO: até ±3,0 pontos percentuais, para os resultados totais, com intervalo de confiança de 95%. Data do campo: 24 de julho a 02 de agosto de 2007 Observação (1)Para obter leitura analítica para cada capital, a amostra foi desbalanceada e ponderada posteriormente de acordo com seu peso populacional. (2) Foi realizada uma sub-amostra de 134 entrevistas com empregadores para leitura analítica deste segmento, que posteriormente foi somado ao conjunto da amostra.

4 4 Perfil da amostra

5 5 TT 1º grau 28% TT 2º grau 43%

6 6 Perfil da amostra

7 7

8 8 IMPOSTO ÚNICO Capítulo I

9 9 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE O IMPOSTO ÚNICO [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

10 10 GRAU DE INFORMAÇÃO ALTA (TOTAL 15%) (está informado) Rio de Janeiro (23%) Salvador (25%) Escolaridade superior (25%) Renda familiar +5/10 sm (27%) e +10 sm (38%) Classe social A (40%) Empregador (25%) Aposentado (22%) GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE O IMPOSTO ÚNICO GRAU DE INFORMAÇÃO MÉDIA (TOTAL 32%) (mais ou menos informado) Salvador (37%) Brasília (39%) Escolaridade superior (42%) Renda familiar +5/10 sm (47%) e +10 sm (44%) Classe social A (43%) e B (40%) Empregador (53%) DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

11 11 NÃO ESTÁ INFORMADO (TOTAL 29%) Manaus (48%) Renda familiar até 2 sm (34%) Desempregado (37%) Somente estuda (40%) GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE O IMPOSTO ÚNICO NUNCA OUVIU FALAR (TOTAL 24%) Belo Horizonte (33%) Curitiba (62%) Porto Alegre (38%) Recife (41%) Escolaridade até o 1o grau (34%) Renda familiar até 2 sm (36%) Classe social C (29%) e D/E (33%) Não tem conta corrente (41%) Desempregado (32%) Dona de casa (35%) DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

12 12 CONCEITO IMPOSTO ÚNICO APRESENTADO AOS ENTREVISTADOS O IMPOSTO ÚNICO É A COBRANÇA DE UM IMPOSTO SOBRE A MOVIMENTAÇÃO BANCÁRIA QUE SUBSTITUIRIA TODOS OS IMPOSTOS FEDERAIS, ESTADUAIS E MUNICIPAIS. POR EXEMPLO, ACABARIA O IMPOSTO DE RENDA, ICMS, ISS, IPVA, IPTU E TODOS OS DEMAIS IMPOSTOS.

13 13 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE IMPOSTO ÚNICO - [em %] EMPREGADOR TOTAL DA AMOSTRA

14 14 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE IMPOSTO ÚNICO - [em %] GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE O IMPOSTO ÚNICO A favorabilidade em relação à implantação de um sistema de imposto único aumenta conforme cresce o grau de informação que a população tem sobre o Imposto Único.

15 15 A FAVOR (TOTAL 78%) Salvador (87%) Renda familiar +10 sm (85%) CONTRA (TOTAL 9%) Porto Alegre (18%) FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE IMPOSTO ÚNICO DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

16 16 É MAIS PRÁTICO PAGAR VÁRIOS IMPOSTOS OU UM ÚNICO IMPOSTO DE MESMO VALOR? - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

17 17 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE O IMPOSTO ÚNICO É MAIS PRÁTICO PAGAR VÁRIOS IMPOSTOS OU UM ÚNICO IMPOSTO DE MESMO VALOR? – [em %] FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE IMPOSTO ÚNICO Entre os que são favoráveis à implantação do sistema de imposto único, a grande maioria diz que é mais prático pagar um único imposto de mesmo valor. Entre os que são contrários, a maior parte também tem essa opinião, apesar de uma parcela considerável achar que é mais prático pagar vários impostos. As taxas referentes aos que afirmam que é mais prático pagar um único imposto de mesmo valor são majoritárias e mantém-se praticamente uniformes, independente do grau de informação sobre o Imposto Único. Válido notar também, que é um pouco superior a taxa dos que acham que é mais prático pagar vários impostos entre os que se dizem informados.

18 18 MAIS PRÁTICO UM ÚNICO IMPOSTO DE MESMO VALOR (TOTAL 86%) Curitiba (91%) Salvador (95%) MAIS PRÁTICO PAGAR VÁRIOS IMPOSTOS (TOTAL 9%) Belo Horizonte (29%) Empregador (14%) É MAIS PRÁTICO PAGAR VÁRIOS IMPOSTOS OU UM ÚNICO IMPOSTO DE MESMO VALOR? DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

19 19 VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O IMPOSTO ÚNICO? - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

20 20 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE O IMPOSTO ÚNICO FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE IMPOSTO ÚNICO VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O IMPOSTO ÚNICO? - [em %] Apesar de majoritária, a intenção de votar num partido que defende o Imposto Único diminuiu um pouco conforme cresce o nível de informação sobre o Imposto Único. Ocorre o inverso em relação aos que não votariam: aumenta, conforme cresce o grau de informação sobre o Imposto Único. A grande maioria dos que se posicionam favoravelmente à implantação do sistema de imposto único votariam num partido que defende o Imposto Único. Entre os que se posicionam contrariamente, mais da metade não votaria (apesar de quase 1/3 afirmar que votaria).

21 21 AVALIAÇÃO GOVERNO LULA E PARTIDO DE PREFERÊNCIA VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O IMPOSTO ÚNICO? - [em %] A intenção de votar num partido que defende o Imposto Único é majoritária independente da avaliação que a população tem do governo Lula (um pouco inferior entre os que o desaprovam). Segundo a preferência partidária, as maiores taxas de intenção são notadas entre os peemedebistas e entre os petistas.

22 22 VOTARIA (TOTAL 69%) Curitiba (77%) Salvador (82%) Recife (79%) Manaus (77%) NÃO VOTARIA (TOTAL 13%) Porto Alegre (18%) Brasília (18%) Renda familiar +10 sm (20%) VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O IMPOSTO ÚNICO? DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

23 23 CPMF Capítulo II

24 24 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

25 25 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF GRAU DE INFORMAÇÃO ALTA (TOTAL 41%) (bem informado) Rio de Janeiro (51%) Belo Horizonte (50%) Brasília (47%) Escolaridade superior (66%) Renda familiar +5/10 sm (66%) e +10 sm (76%) Classe social A (58%), B (76%) e C (54%) Pertencem ao mercado formal de trabalho (51%) Empregador (66%) Aposentado (48%) GRAU DE INFORMAÇÃO MÉDIA (TOTAL 37%) (mais ou menos informado) Curitiba (51%) Dona de casa (42%) Somente estuda (48%) DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

26 26 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF GRAU DE INFORMAÇÃO BAIXA (TOTAL 16%) (mal informado) Salvador (27%) Recife (23%) Manaus (34%) Escolaridade até 1o grau (26%) Renda familiar até 2 sm (24%) Desempregado (36%) Dona de casa (27%) Somente estuda (25%) NUNCA OUVIU FALAR (TOTAL 6%) Porto Alegre (11%) Recife (18%) Escolaridade até o 1o grau (11%) Somente estuda (12%) DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

27 27 CONCEITO CPMF APRESENTADO AOS ENTREVISTADOS A CPMF - CONTRIBUIÇÃO PROVISÓRIA SOBRE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA -, É UM IMPOSTO QUE RECOLHE O VALOR DE 0,38% SOBRE TODA A MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA.

28 28 CONCORDÂNCIA EM RELAÇÃO À ALGUMAS FRASES RELACIONADAS À CPMF - [em %] A CPMF por ser um imposto arrecadado sobre movimentação bancária: TOTAL DA AMOSTRA Saldo concorda menos discorda (em p.p)

29 29 CONCORDÂNCIA EM RELAÇÃO À ALGUMAS FRASES RELACIONADAS À CPMF - [em %] Saldo concorda menos discorda (em p.p) EMPREGADOR A CPMF por ser um imposto arrecadado sobre movimentação bancária:

30 30 CONCORDÂNCIA EM RELAÇÃO À ALGUMAS FRASES RELACIONADAS À CPMF

31 31 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF CONCORDÂNCIA EM RELAÇÃO À ALGUMAS FRASES RELACIONADAS À CPMF Quanto maior o grau de informação acerca da CPMF, mais alta é a discordância em relação aos atributos positivos relacionados à CPMF. Exceto no que se refere ao argumento Alcança operações modernas como o comércio eletrônico, que obtém concordância considerável entre os que se dizem bem informados sobre à CPMF´. Saldo concorda menos discorda (em pontos percentuais)

32 32 A CPMF É UM IMPOSTO MELHOR OU PIOR SE COMPARADA A OUTROS IMPOSTOS? - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

33 33 A CPMF É UM IMPOSTO MELHOR OU PIOR SE COMPARADA A OUTROS IMPOSTOS? - [em %] GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF Entre os que se dizem mal informados sobre a CPMF é maior a percepção de que a CPMF é melhor ou igual aos outros impostos. A avaliação de que a CPMF é pior que os outros impostos cresce à medida em que a população se considera bem informada sobre a CPMF. Entre os que se dizem bem ou mais ou menos informados sobre a CPMF são maiores as taxas dos que afirmam que a CPMF é um imposto igual aos outros.

34 34 A CPMF É MELHOR (TOTAL 22%) São Paulo (27%) Belo Horizonte (29%) Porto Alegre (28%) Recife (40%) Escolaridade até o 1o grau (27%) Renda familiar até 2 sm (27%) A CPMF É PIOR (TOTAL 28%) Curitiba (40%) Brasília (36%) Escolaridade superior (35%) Renda familiar +10 sm (39%) Classe social A (33%) e B (43%) Empregador (37%) A CPMF É UM IMPOSTO MELHOR OU PIOR SE COMPARADA A OUTROS IMPOSTOS? A CPMF É IGUAL (TOTAL 39%) Rio de Janeiro (48%) Belo Horizonte (46%) Salvador (45%) Manaus (52%) Renda familiar +5/10 sm (45%) Dona de casa (46%) Somente estuda (46%) DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

35 35 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À CPMF COMO ÚNICO IMPOSTO A SER PAGO - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA PERGUNTA: Se acabassem todos os impostos ficando somente a CPMF com uma taxa de 2,65% como único imposto a ser pago, diante disto você diria que é a favor ou contra a CPMF como imposto único, lembrando que acabariam os outros impostos tais como Imposto de Renda que tem taxa de 15% a 25%, ICMS de 17%, IPVA, IPTU e todos os demais?

36 36 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À CPMF COMO ÚNICO IMPOSTO A SER PAGO - [em %] A favorabilidade em relação à CPMF se tornar o único imposto a ser pago é majoritária e apresenta- se com taxas uniformes independente do grau de informação sobre a CPMF (entre os que nunca ouviram falar da CPMF, é um pouco superior). Nota-se que entre os que se dizem bem informados, um em cada quatro mostra-se contrária.

37 37 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À CPMF COMO ÚNICO IMPOSTO A SER PAGO - [em %] A CPMF É MELHOR QUE OUTROS IMPOSTOS? Entre os que têm a percepção de que a CPMF é melhor que os outros impostos, é significativa a parcela dos que são favoráveis a que a CPMF se torne o único imposto a ser pago. Entre os que acham que a CPMF é pior, pouco mais de ¼ é contrária a que a CPMF se torne o único imposto (embora também entre estes seja majoritária a taxa de favorabilidade).

38 38 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE IMPOSTO ÚNICO FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À CPMF COMO ÚNICO IMPOSTO A SER PAGO - [em %] Entre os que são favoráveis à implantação de um sistema de imposto único, três em cada quatro são a favor de que a CPMF se torne o único imposto a ser pago. Mesmo entre os que são contrários à implantação de um sistema de imposto único, metade é favorável a que a CPMF se torne o único imposto, apesar de uma parcela semelhante ser contra.

39 39 A FAVOR (TOTAL 68%) Curitiba (75%) Porto Alegre (81%) Salvador (73%) Recife (79%) Classe social B (73%) CONTRA (TOTAL 19%) Rio de Janeiro (32%) Manaus (29%) Escolaridade superior (29%) Renda familiar +10 sm (25%) FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À CPMF COMO ÚNICO IMPOSTO A SER PAGO DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

40 40 A CPMF E O FIM DA CONTRIBUIÇÃO PATRONAL AO INSS Capítulo III

41 41 CONCEITO CPMF E O FIM DA CONTRIBUIÇÃO AO INSS APRESENTADO AOS ENTREVISTADOS EXISTE UMA PROPOSTA PARA O FIM DA CONTRIBUIÇÃO AO INSS PATRONAL SOBRE A FOLHA DE SALÁRIOS DAS EMPRESAS. PARA QUE ISSO ACONTEÇA A CPMF AUMENTA DE 0,38% PARA 0,88%, MAS ESSE AUMENTO É REEMBOLSADO PELAS EMPRESAS PARA OS SEUS FUNCIONÁRIOS. COM ESSA MUDANÇA, ESTUDOS INDICARAM QUE EXISTE UMA TENDÊNCIA DOS PREÇOS DOS PRODUTOS DIMINUÍREM E DE AUMENTAR O NÚMERO DE EMPREGADOS CONTRATADOS.

42 42 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À MEDIDA [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

43 43 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À MEDIDA [em %] GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF O apoio à medida é majoritário independente do grau de informação sobre a CPMF. Vale notar, que entre os que se dizem bem informados em relação à CPMF, 1/3 são contrários à medida.

44 44 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À MEDIDA [em %] A CPMF É MELHOR QUE OUTROS IMPOSTOS? Cerca de oito em cada dez dos que acham que a CPMF é melhor que os outros impostos, são favoráveis à medida. Mesmo entre os que dizem que a CPMF é pior ou igual a outros impostos, a favorabilidade em relação à medida atinge percentuais expressivos. Nota-se também, que entre os que acham que a CPMF é pior cerca de 1/3 é contrária à medida.

45 45 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE IMPOSTO ÚNICO FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À MEDIDA [em %] Entre os favoráveis à implantação de um sistema de imposto único, sete em cada dez são a favor da medida. Entre os que contrários à implantação de um sistema de imposto único, as opiniões encontram-se divididas no que se refere à medida.

46 46 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À MEDIDA [em %] FAVORABILIDADE QUANTO À CPMF COMO ÚNICO IMPOSTO A SER PAGO Entre os que se mostram favoráveis à CPMF como único imposto a ser pago, cerca de oito em cada dez são favoráveis à medida. Entre os que se mostram contrários, a maioria absoluta é contrária à medida (embora pouco menos de 1/3 seja favorável).

47 47 A FAVOR (TOTAL 64%) Salvador (86%) Recife (78%) Escolaridade até o 1o grau (69%) Desempregado (74%) CONTRA (TOTAL 25%) Rio de Janeiro (33%) Curitiba (30%) Manaus (30%) Escolaridade superior (35%) Renda familiar +10 sm (35%) Classe social B (36%) Empregador (36%) FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO À MEDIDA DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

48 48 ESSA MEDIDA PODERÁ TRAZER BENEFÍCIOS AO CRESCIMENTO DAS EMPRESAS? - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

49 49 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF ESSA MEDIDA PODERÁ TRAZER BENEFÍCIOS AO CRESCIMENTO DAS EMPRESAS? - [em %] Quanto maior o grau de informação em relação à CPMF, maior o percentual dos que acham que a medida poderá trazer muitos benefícios ao crescimento das empresas. Entre os que se dizem mais ou menos informados sobre a CPMF, é um pouco maior a taxa dos que acham que a medida poderá trazer algum benefício.

50 50 A CPMF É MELHOR QUE OUTROS IMPOSTOS? ESSA MEDIDA PODERÁ TRAZER BENEFÍCIOS AO CRESCIMENTO DAS EMPRESAS? - [em %] Entre os que percebem a CPMF como melhor que outros impostos, a maior parte acha que a medida poderá trazer muito benefício para o crescimento das empresas (uma parcela considerável entre estes também acha que poderá trazer algum benefício). Mesmo entre os que acham que a CPMF é pior ou igual aos outros impostos, é considerável a taxa dos que acham que a medida poderá trazer muito ou algum benefício para as empresas.

51 51 MUITO BENEFÍCIO (TOTAL 31%) Curitiba (39%) Salvador (52%) Recife (50%) ALGUM BENEFÍCIO (TOTAL 36%) Porto Alegre (50%) Manaus (48%) Renda familiar +2/5 sm (41%) Classe social C (41%) Pertence ao mercado informal de trabalho (41%) NENHUM BENEFÍCIO (TOTAL 13%) Belo Horizonte (23%) Classe social B (25%) Empregador (25%) ESSA MEDIDA PODERÁ TRAZER BENEFÍCIOS AO CRESCIMENTO DAS EMPRESAS? DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

52 52 CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS SIMPLIFICARIAM A ARRECADAÇÃO E FICARIAM REGULARES COM O INSS? - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

53 53 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS SIMPLIFICARIAM A ARRECADAÇÃO E FICARIAM REGULARES COM O INSS? - [em %] A concordância quanto às empresas simplificarem a arrecadação e ficarem regulares com o INSS com essa medida é majoritária e uniforme, independente do grau de informação dos entrevistados sobre a CPMF (entre os que não ouviram falar, a concordância é um pouco superior) A discordância, embora minoritária, cresce um pouco conforme o nível de informação sobre a CPMF.

54 54 A CPMF É MELHOR QUE OUTROS IMPOSTOS? CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS SIMPLIFICARIAM A ARRECADAÇÃO E FICARIAM REGULARES COM O INSS? - [em %] Entre os que acham a CPMF melhor que os outros impostos, nota-se que as taxas de concordância são consideráveis, e mesmo entre os que acham que é a CPMF é pior ou igual, as taxas de concordância são majoritárias. Por outro lado, entre estes (acham a CPMF pior ou igual), pouco mais de um em cada quatro entrevistados, discordam.

55 55 CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS SIMPLIFICARIAM A ARRECADAÇÃO E FICARIAM REGULARES COM O INSS? - [em %] FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO AO AUMENTO DA CPMF E O FIM DA CONTRIBUIÇÃO AO INSS Entre os favoráveis ao aumento da CPMF e o fim da contribuição ao INSS, a concordância de que com essa medida as empresas simplificariam a arrecadação e ficariam regulares com o INSS atinge taxas expressivas. Entre os contrários, metade discorda do aumento da CPMF e o fim da contribuição ao INSS.

56 56 CONCORDA (TOTAL 58%) São Paulo (64%) Porto Alegre (65%) Salvador (81%) Recife (76%) Desempregado (68%) DISCORDA (TOTAL 21%) Rio de Janeiro (27%) Curitiba (30%) Manaus (29%) Escolaridade superior (26%) Classe social B (33%) CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS SIMPLIFICARIAM A ARRECADAÇÃO E FICARIAM REGULARES COM O INSS? DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

57 57 CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS QUE TRABALHAM NA INFORMALIDADE NÃO FICARIAM MAIS EM SITUAÇÃO IRREGULAR COM O INSS? - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

58 58 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS QUE TRABALHAM NA INFORMALIDADE NÃO FICARIAM MAIS EM SITUAÇÃO IRREGULAR COM O INSS? - [em %] As taxas de concordância referentes à essa medida - as empresas que trabalham na informalidade não ficariam mais em situação irregular com o INSS -, são majoritárias e uniformes, independente do grau de informação sobre a CPMF. Válido notar, que a taxa de discordância cresce conforme o nível de informação sobre a CPMF.

59 59 A CPMF É MELHOR QUE OUTROS IMPOSTOS? CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS QUE TRABALHAM NA INFORMALIDADE NÃO FICARIAM MAIS EM SITUAÇÃO IRREGULAR COM O INSS? - [em %] Entre os que acham que a CPMF é melhor que os outros impostos, nota-se que as taxas de concordância são significativas, e mesmo entre os que acham que a CPMF pior ou igual, as taxas de concordância são majoritárias. Por outro lado, entre estes (acham a CPMF pior ou igual), pouco mais de um em cada quatro entrevistados, discordam.

60 60 FAVORABILIDADE EM RELAÇÃO AO AUMENTO DA CPMF COM O FIM DA CONTRIBUIÇÃO AO INSS CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS QUE TRABALHAM NA INFORMALIDADE NÃO FICARIAM MAIS EM SITUAÇÃO IRREGULAR COM O INSS? - [em %] Entre os que são favoráveis ao aumento da CPMF e o fim da contribuição ao INSS, a concordância atinge taxas expressivas. Entre os que contrários, quase a metade discorda.

61 61 CONCORDA (TOTAL 58%) São Paulo (64%) Porto Alegre (67%) Salvador (81%) Recife (70%) Desempregado (65%) DISCORDA (TOTAL 23%) Rio de Janeiro (35%) Manaus (30%) Escolaridade superior (33%) Renda familiar +10 sm (35%) Classe social B (42%) Empregador (28%) CONCORDA QUE COM ESSA MEDIDA AS EMPRESAS QUE TRABALHAM NA INFORMALIDADE NÃO FICARIAM MAIS EM SITUAÇÃO IRREGULAR COM O INSS? DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

62 62 SE FOSSE UM TRABALHADOR COM REGISTRO DE AUTONÔMO, ACEITARIA PAGAR ESSE AUMENTO? - [em %] EMPREGADOR PERGUNTA: As pessoas que trabalham no regime de autônomo pagam, hoje, 20% de INSS. Se você fosse um trabalhador com registro de autônomo, você aceitaria pagar esse aumento de 0,50% da CPMF para substituir a contribuição de 20% de INSS? TOTAL DA AMOSTRA

63 63 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF A CPMF É MELHOR QUE OUTROS IMPOSTOS? SE FOSSE UM TRABALHADOR COM REGISTRO DE AUTONÔMO, ACEITARIA PAGAR ESSE AUMENTO? - [em %] A aceitação quanto a pagar o aumento cresce conforme o nível de informação sobre a CPMF. A aceitação é significativamente maior entre os que acham a CPMF melhor que os outros impostos, e mesmo entre os que acham a CPMF pior ou melhor, as taxas de aceitação são majoritárias. Vale notar também, que pouco mais de 1/3 dos que acham a CPMF pior, não aceitaria pagar o aumento.

64 64 ACEITARIA (TOTAL 58%) Curitiba (69%) Salvador (70%) Renda familiar +5/10 sm (66%) Classe social B (67%) NÃO ACEITARIA (TOTAL 28%) Recife (36%) SE FOSSE UM TRABALHADOR COM REGISTRO DE AUTONÔMO, ACEITARIA PAGAR ESSE AUMENTO? DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

65 65 VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O FIM DAS CONTRIBUIÇÕES PATRONAIS SOBRE A FOLHA DE SALÁRIOS DAS EMPRESAS, PARA GERAR MAIS EMPREGOS E REDUZIR O TRABALHO INFORMAL? - [em %] EMPREGADORTOTAL DA AMOSTRA

66 66 GRAU DE INFORMAÇÃO SOBRE A CPMF A CPMF É MELHOR QUE OUTROS IMPOSTOS? VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O FIM DAS CONTRIBUIÇÕES PATRONAIS SOBRE A FOLHA DE SALÁRIOS DAS EMPRESAS, PARA GERAR MAIS EMPREGOS E REDUZIR O TRABALHO INFORMAL? - [em %] Votariam sobretudo os que estão mais ou menos informados, mal informados ou nunca ouviram falar da CPMF, embora entre os que estão bem informados também é expressiva a intenção de votar. Entre os que acham a CPMF melhor que outros impostos, a intenção de votar é consideravelmente alta. Entre os que acham a CPMF pior ou igual, também é expressiva (porém menor), a intenção de votar.

67 67 VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O FIM DAS CONTRIBUIÇÕES PATRONAIS SOBRE A FOLHA DE SALÁRIOS DAS EMPRESAS, PARA GERAR MAIS EMPREGOS E REDUZIR O TRABALHO INFORMAL? - [em %] AVALIAÇÃO GOVERNO LULA E PARTIDO DE PREFERÊNCIA A intenção de votar é majoritária independente da avaliação que os entrevistados têm do governo Lula (entre os que desaprovam, é um pouco menor e a não intenção um pouco superior ao total geral). Segundo a preferência partidária, entre os peemedebistas e entre os petistas, a intenção é maior.

68 68 VOTARIA (TOTAL 63%) São Paulo (70%) Curitiba (76%) Salvador (79%) Recife (79%) Desempregado (71%) NÃO VOTARIA (TOTAL 21%) Rio de Janeiro (36%) Porto Alegre (36%) Classe social B (26%) VOTARIA NUM PARTIDO QUE DEFENDE O FIM DAS CONTRIBUIÇÕES PATRONAIS SOBRE A FOLHA DE SALÁRIOS DAS EMPRESAS, PARA GERAR MAIS EMPREGOS E REDUZIR O TRABALHO INFORMAL? - DESTAQUES COM PERCENTUAIS ACIMA DO TOTAL GERAL (Capitais, renda familiar, grau de instrução, classe social, possui conta corrente e condição de atividade econômica)

69 69 CONSIDERAÇÕES FINAIS

70 70 A implantação de um sistema de imposto único, que reúna todos os impostos em um único imposto, é amplamente aceita pela população e pelos empregadores. CONSIDERAÇÕES FINAIS O argumento testado e aprovado pela maioria – é mais prático pagar um único imposto de mesmo valor do que pagar vários impostos -, é uma das variáveis que dão sustentação à aceitação de um sistema de imposto único. A CPMF, que hoje tem uma imagem mais negativa que positiva (já que comparada a outros impostos é pior ou igual), obtém apoio considerável como o substituto de todos os outros impostos, com uma taxa de 2,65% como único imposto a ser pago.

71 71 Quanto à proposta para o fim da contribuição ao INSS patronal sobre a folha de salários das empresas, é amplamente aceita desde que o aumento da CPMF seja reembolsado pela empresas para os seus funcionários e a tendência de queda dos preços dos produtos aconteça de fato e aumente o número de empregados contratados. CONSIDERAÇÕES FINAIS Os benefícios que a proposta traria para o crescimento das empresas são relativos para a população (mais ainda para os empregadores), mas os argumentos de que com a medida as empresas simplificariam suas arrecadações e ficariam regulares com o INSS, juntamente com a afirmação de que as empresas que trabalham na informalidade, não ficariam mais em situação irregular com o INSS, são fatores que sustentam positivamente a medida perante a opinião pública, e em particular, perante os empregadores.

72 72 A intenção majoritária de votar em um partido que defende o Imposto Único reflete a aceitação da população em relação à implantação de um sistema de imposto único. CONSIDERAÇÕES FINAIS Também, a intenção de votar num partido que defende o fim das contribuições patronais sobre a folha de salários das empresas para gerar mais empregos e reduzir o trabalho informal, reflete a aceitação da população em relação à proposta, sobretudo se associada à geração de mais empregos. É válido ressaltar também, que a maior parte dos argumentos favoráveis à CPMF não obtém a concordância majoritária da opinião pública (e em especial dos empregadores), porque os impostos, de uma maneira geral - e a CPMF é percebida hoje mais como um imposto ou uma taxa e menos como uma contribuição -, têm uma imagem mais negativa que positiva: para os entrevistados, o que é arrecadado através de impostos transita por caminhos desconhecidos e não se reverte em benefícios. Isso explica porque a CPMF perde credibilidade quando é associada com a diminuição da corrupção, com a transparência dos impostos, com a sonegação e com o baixo custo para o contribuinte.


Carregar ppt "IMPOSTO ÚNICO CPMF DESONERAÇÃO DA FOLHA Pesquisa Quantitativa de Opinião Pública – 9 capitais Julho/ agosto de 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google