A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RASTREABILIDADE CONCEITOS: Segundo os padrões internacionais (ISO 8402), rastreabilidade é definida como a habilidade de descrever a aplicação, processos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RASTREABILIDADE CONCEITOS: Segundo os padrões internacionais (ISO 8402), rastreabilidade é definida como a habilidade de descrever a aplicação, processos."— Transcrição da apresentação:

1 RASTREABILIDADE CONCEITOS: Segundo os padrões internacionais (ISO 8402), rastreabilidade é definida como a habilidade de descrever a aplicação, processos e localização, de um produto, a uma determinada organização, por meio de registros e identificação. Rastreabilidade – rastrear é manter os registros necessários para identificar e informar os dados relativos à origem e destino de um produto.

2 - CADEIA PRODUTIVA: MANGA, MAMÃO, FLORES, OLERÍCOLAS, CITRUS, ALGODÃO, SOJA, etc... - PARCERIA - público-público: MAPA-OEDSV - público-privado: OEDSV-RT OEDSV-produtor - privado-privado: RT-produtor ASPECTOS DA CERTIFICAÇÃO

3 APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA 1) GARANTIR A ORIGEM E A IDENTIDADE DE VEGETAIS, PARTES DE VEGETAIS E SEUS PRODUTOS CERTIFICADOS; 2) PERMITIR RASTREABILIDADE; 3) GARANTIR SEGURANÇA NA CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA DECLARADA.

4 COMPONENTES DA CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO DE ORIGEM – CFO CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO DE ORIGEM CONSOLIDADO – CFOC PERMISSÃO DE TRÂNSITO DE VEGETAIS – PTV CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO – CF CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO DE REEXPORTAÇÃO - CFR

5 A Certificação Fitossanitária de Origem - CFO É o documento emitido na origem, pelo RT Habilitado, para atestar a condição fitossanitária da partida de plantas, partes de vegetais ou produtos de origem vegetal, declarando o atendimento às exigências e requisitos fitossanitários. Identificação do CFO: Código UF (2) + município (5) + Propriedade (4) + ano (2) + UP (sequencial) Exemplo: São Paulo (35) / Araraquara (03208) + Propr. (0001) + ano (08) + UP (001)

6 Emissão do CFO Para: Mercado Interno: Impedir a disseminação de Pragas Quarentenárias Presentes e Pragas Não-Quarentenárias Regulamentadas ou para comprovar a condição de Áreas ou Locais Livres de Pragas e Sistema de Mitigação de Risco de Praga. Mercado Externo:- Exigência do país importador.

7 * Garantir a identidade e origem do produto, dar credibilidade ao processo de rastreabilidade e elevar a confiança na conformidade fitossanitária; *Instrumento fundamental para a defesa fitossanitária criar sustentabilidade para o setor; Objetivos da emissão do CFO

8 EXIGÊNCIAS PARA EMISSÃO DO CFO E CFOC DO CREDENCIAMENTO DO RT: Ser Engenheiro Agrônomo ou Florestal; O OEDSV submete o programa do curso ao DSV; Cursos para pragas Regulamentadas A legislação exige um conteúdo e carga horária mínima; O Credenciamento é específico por praga; O Credenciamento tem validade nacional e por cinco anos; O MAPA disponibilizará o Cadastro Nacional dos Profissionais Credenciados.

9 EXIGÊNCIAS PARA O USO DO CFO E CFOC O produtor, Unidade de Extrativismo ou Unidade Centralizadora/Processadora deverão se cadastrar no OEDSV e no MAPA; A origem é a Unidade de Produção: área de tamanho variável, delimitada e identificada por um ponto georeferenciado, cultivada com a mesma espécie vegetal, estágio fisiológico e manejo fitossanitário; O RT deverá manter livro de acompanhamento; A Unidade Centralizadora/Processadora deverá garantir a origem dos lotes; O RT, OEDSV e o SEDESA/SFA deverão encaminhar relatórios.

10 Exigências para Emissão do CFO O CFO será emitido na propriedade; O CFO será emitido para cada partida da UP identificada, quantidade e DA; O CFO será emitido para um único produto e relacionado individualmente.

11 DAS INFRAÇÕES - OEDSV 1) Interceptação de pragas; 2) RT ou UP não credenciado ou cadastrado; 3) Documento emitido com irregularidades; 4) Falta de livro de acompanhamento; 5) Não encaminhamento dos relatórios MAPA – supervisão, auditorias no processo

12 c ertificação Fitossanitária de Origem Consolidado - CFOC Emitido na unidade centralizadora/processadora de produtos vegetais, a partir da qual saem cargas destinadas a outras Unidades da Federação ou a pontos de saída para o mercado internacional.

13 A PERMISSÃO DE TRÂNSITO DE VEGETAIS – PTV é o documento emitido pelo Orgão Estadual de Defesa Sanitária vegetal - OEDSV para acompanhar a partida de produtos com exigências fitossanitárias específicas, válida em todo o território nacional, a qual pode ter anexado, quando necessário, laudos ou qualquer outro documento comercial. O controle do trânsito interestadual envolve os transportes rodoviário, aéreo doméstico, hidroviário e ferroviário.

14 CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO – CF É o documento oficial emitido pelo MAPA, segundo modelo de certificado da CIPV/FAO, a pedido do interessado, para atestar a condição fitossanitária da partida, em atendimento aos requisitos estabelecidos pela ONPF do país importador.

15 DA EMISSÃO DO CFOC O CFOC será emitido na Unidade Centralizadora/Processadora - UC; O CFOC será emitido para lotes, formados ou fracionados, de partidas certificadas na origem; O CFOC será emitido para um único produto. Lote: conjunto de produtos da mesma espécie, tamanho definido e que apresentam conformdade fitossanitária semelhante.

16 VEGETAIS E SEUS PRODUTOS Vegetal com potencial de veicular pragas regulamentadas? Trânsito livre NÃO SIM Exigência de certificação Certificação de Origem – CFO (RT-credenciado) Fiscalização OEDSV/MAPA Permissão de Trânsito de Vegetais - PTV Mercado externo? NÃO Mercado interno Fiscalização Federal CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO SIM


Carregar ppt "RASTREABILIDADE CONCEITOS: Segundo os padrões internacionais (ISO 8402), rastreabilidade é definida como a habilidade de descrever a aplicação, processos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google