A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Região Norte Colégio Maria Imaculada 7º ano D Rebecca Mingorance nº 08 Fernanda Correia nº 02.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Região Norte Colégio Maria Imaculada 7º ano D Rebecca Mingorance nº 08 Fernanda Correia nº 02."— Transcrição da apresentação:

1 Região Norte Colégio Maria Imaculada 7º ano D Rebecca Mingorance nº 08 Fernanda Correia nº 02

2 Apresentação No trabalho de hoje, viemos explicar um pouquinho sobre a região Norte. Após alguns meses estudando a regionalização do brasil, resolvemos pesquisar e saber mais sobre cada uma das regiões, e a historia dela. Neste trabalho iremos explicar um pouquinho da historia, clima, relevo e outra curiosidades da região Norte, como danças típicas da região, cultura etc. Esperamos que gostem!

3 Índice Capa..........................................................................pág.01 Apresentação............................................................pág.02 Índice.........................................................................pág.03 Ocupação e exploração do território......................................pág.04 Danças típicas.....................................................págs.05,06 Comidas típicas.................................................págs.07,08 Culturas da região..............................................págs.09,10 Devastação da Amazônia......................................pág.11 Características físicas da região............................pág.12

4 Ocupação e exploração do território Diversos grupos indígenas habitavam as terras que hoje correspondem a Região Norte, quando os colonizadores portugueses iniciaram a ocupação e a exploração econômica desse território. Os rios foram as vias de circulação que viabilizaram essa expansão exploratória. Até 1800, a expansão tinha como objetivo a retirada das drogas do sertão, e capturar e escravizar índios. Havia uma grande preocupação em proteger essas terras de outros povos, para isso, foram construídos fortes na região.

5 Danças típicas : Dança do Maçarico: Essa dança é formada de dançarinos em duplas que fazem cinco movimentos durante a Dança do Maçarico: Charola, Roca-roca, Repini- co, Maçaricado e 'Geleia de Mocotó'. Os passos variam entre lentos e ligeiros e a umbigada. As músicas que embalam os dançarinos são tocadas com a ajuda da viola, tambores, rabeca e sanfonas. Carimbó : O nome da dança é de origem indígena com os nomes Curi, que significa pau oco, e M'bó que significa furado. Os homens devem trajar uma calça curta no estilo pescador e uma camisa que contenha estampas. As mulheres utilizam uma saia rodada e com estampas, uma blusa, colares e flores presas aos cabelos. Os dançarinos a executam com os pés no chão. Os homens batem palmas para as dançarinas e quer dizer que elas estão sendo chamadas para dançar. Em forma de roda, as mulheres balançam a saia para que ela atinja a cabeça de seu parceiro.

6 Desfeiteira : Essa dança é constituída de pares que dançam de forma livre e os dançarinos devem apenas passar pelo menos uma vez na frente do grupo musical. Caso a banda encerre a música no momento em que um casal estiver passando, é feita a escolha do homem ou da mulher para que declame versos. Caso ele não consiga esse feito, a pessoa será vaiada e terá que pagar uma prenda, ou seja, será 'desfeitado'. Camaleão: Essa dança utiliza pares separados, que fazem uma coreografia com passos distintos, chamados de jornadas. São duas fileiras de mulheres e homens, realizando diversos passos, os quais terminam no passo inicial. As roupas também são importantes; os homens usam fraque de abas, colete, meias longas, gravata e sapato preto. Já para as mulheres, a vestimenta é composta por saias longas, meias brancas, sapatos e blusas folgadas. A música que embala os dançarinos utiliza o violão, cavaquinho e rabeca.

7 Comidas típicas : Açaí O açaí, é uma palmeira que produz um fruto bacáceo de cor roxa muito utilizado na confecção de refrescos. O açaí é de grande importância para a sua região de cultivo em virtude de sua utilização constante por grande parte da população, principalmente os ribeirinhos. Nas condições atuais de produção e comercialização, a obtenção de dados exatos é quase impossível, devido à falta de controle nas vendas, bem como à inexistência de uma produção racionalizada, uma vez que a matéria- prima consumida se apoia pura e simplesmente no extrativismo e comercialização direta. Nos estados do Amazonas e Pará, principais produtores, o consumo de açaí, em litros, chega a ser o dobro do consumo de leite. Tacacá É uma comida típica da região Amazônica, em particular do Amazonas, Roraima, Acre, Amapá, Pará e Rondônia. É preparado com um caldo fino e bem temperado geralmente feito com sal, cebola, alho, coentro do norte, coentro e cebolinha e, principalmente, um caldo amarelado, chamado tucupi. Coloca-se esse caldo por cima da goma de tapioca, também servida com camarão seco e jambu. Serve-se muito quente, temperado com pimenta, em cuias. O tucupi e a tapioca, são resultados da massa ralada da mandioca que, depois de prensada para fazer farinha, resulta num líquido leitoso- amarelado. Após deixado em repouso, a tapioca fica depositada no fundo do recipiente e o tucupi na sua parte superior.

8 Castanha do Pará A Bertholletia excelsa, popularmente conhecida como castanha-do- pará, castanha-do-acre, castanha-do- brasil, tocari e tururi é uma árvore de grande porte, muito abundante no norte do Brasil e na Bolívia, cujo fruto (ouriço) contém a castanha, que é sua semente. É uma árvore da família botânica Lecythidaceae, nativa da Floresta Amazônica. Tapioca A tapioca também é conhecida como beiju, é o nome de uma iguaria tipicamente brasileira, originária do Norte do país, de origem indígena, feita com a fécula extraída da mandioca, também conhecida como goma da tapioca, tapioca, goma seca, polvilho ou polvilho doce. Esta, ao ser espalhada em uma chapa ou frigideira aquecida, coagula-se e vira um tipo de panqueca ou crepe seco, em forma de meia-lua (ou disco, como em algumas regiões). O recheio varia, mas o mais tradicional é feito com coco e queijo coalho. http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v= yd4vnkXX0pw Tapioca. http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=y d4vnkXX0pw http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=y d4vnkXX0pw Castanha do pará

9 Culturas da região : Círio de Nazaré e Boi bumbá Por causa de questões religiosas ou por vaidade os populares indígenas usam acessórios e pinturas para celebrar as celebrações. As duas festas populares do Norte são: Festival de Parintins (boi-bumbá) em junho no Amazonas e Círio de Nazaré, no segundo domingo do mês de outubro com média de público fixada em dois milhões de pessoas. Cultura Popular Círio de Nazaré: Desde o século XIX é realizada na capital do Pará, Belém. Conhecida procissão católica do Brasil com capacidade de atrair público em nível mundial. Considerado evento sagrado de fiéis católicos. Multidões de romeiros caminham com fé nas ruas em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, a mãe de Cristo. Boi-Bumbá: Representa espécie de bumba meu boi, cuja prática acontece em outros estados brasileiros. Representa modo antigo de distração introduzida por colonizadores da Europa. A história aponta que simboliza primeira expressão popular do teatro nacional. Festival de Parintins O evento tem três noites de apresentações de costumes dos ribeirinhos, rituais indígenas, aspectos regionais, alegorias de encenações. A manifestação cultural marcante no norte do país está no carimbó, tipo de musica com origem negra onde dança é feita com pares que formam duas fileiras entre mulheres e homens.

10 Divido e Juerusalém da Amazonia A Festa do Divino também possui origem do colonialismo português, evento festeja na região de Rondônia que reúne público em massa entre os meses de abril e junho. Espetáculo com repercussão positiva dentro de fora do país. Jerusalém da Amazônia representa segunda grande cidade cenográfica no globo terrestre, local no qual se encena a Semana Santa e a Paixão de Cristo – evento com significância fundamental para Rondônia. Cavalhadas em Taguatinga No sul de Tocantins, na região de Taguatinga, as Cavalhadas são realizadas desde o ano de 1937 para homenagear Nossa Senhora do Abadia. Acontecem nos dias 12 e 13 de agosto. No começo do ritual acontece a benção que o sacerdote concede aos cavalheiros. Eles demonstram as lanças usadas no treino para batalha, simbolizando que estão preparados para travar a luta em nome de fé católica e do imperador. Outro evento considerado comum é a Folia de Reio, comemorada no nascimento de Cristo, que encena a visita dos três reis magos à Belém para adorar Jesus, o Messias. Historiadores dizem que a origem portuguesa do fato cultural tinha por costume comemorar o nascimento de Cristo.

11 Devastação da Amazonia Legal O desmatamento da Floresta Amazônica é um dos principais problemas ambientais do mundo atual, em função de sua grande importância para o meio ambiente. Este desmatamento causa extinção de espécies vegetais e animais, trazendo danos irreparáveis para o ecossistema amazônico. Principais causas : - Degradação provocada pelo corte ilegal de árvores, destinadas ao comércio ilegal de madeira; - Queimadas ilegais para abertura de pastagens para o gado ou áreas agrícolas (principalmente para a cultura de soja); - Assentamentos humanos em função do crescimento populacional na região. Principais consequências : - Extinção de espécies vegetais e animais; - Desequilíbrio no ecossistema da região; - Aumento da poluição do ar nos casos de queimadas; - Aumento de casos de erosão do solo

12 Características físicas da região Possui 3.853.327 km², corresponde a quase metate do território brasileiro. É composta pelos estados: Amazonas, Acre, Amapá, Tocantins, Roraima, Rondônia e Pará. www.redebrasileira.com

13 Clima O clima que predomina na região Norte, é o equatorial úmido. Caracterizado por elevadas temperaturas e grande quantidade de chuva ao longo do ano todo. Já no noroeste do Pará e leste de Roraima o clima que predomina é o equatorial semiúmido, com períodos curtos de seca, temperaturas sempre elevadas durante todo o ano e índices pluviométricos inferiores ao clima do tipo equatorial úmido. índices pluviométricos = É medido em milímetros, é a somatória da precipitação num determinado local durante um período de tempo estabelecido. geografalando.blog spot.comgeografalando.blog spot.com

14 Relevo A região Norte tem o relevo muito caracterizado por baixas altitudes. A região também há serras, ao norte e ao sul, como exemplos a do Imeri no Amazonas, Pacaraima em Roraima, entre outras. O relevo dominante da Região Norte é a planície, chamada de Planície Amazônica, que fica localizada entre dois planaltos. Ao norte da região, temos o Planalto das Guianas, onde encontramos algumas serras, localizando-se o Pico da Neblina, ponto mais alto do brasil, com 2.994 metros de altitude. portaldoprofessor.mec.gov.br

15 Vegetação A vegetação dessa região é uma das razões pelas quais ela é mais conhecida. Prova disso é que, aproximadamente, 90% da área dessa região é ocupada pela Floresta Amazônica (isso sem considerar a devastação dessa floresta). Tendo uma imensa variedade de espécies dentro da principal floresta do mundo, a vegetação dessa região também apresenta algumas variedades. O que prevalece é a formação de árvores entrelaçadas, largas e altas, chamada de floresta latifoliada equatorial. Também existem mangues (especialmente no litoral), cerrado e campos de hiléia. pt.wikipedia.org

16 Hidrografia Na região Norte, podemos encontrar a mais extensa e volumosa bacia hidrográfica do mundo: a Bacia do Rio Amazonas Bacia hidrográfica é Uma bacia hidrográfica é o conjunto de meios hídricos (aquáticos) cujos cursos (ou leitos) se interligam. É um conjunto de terras banhadas por um rio principal e seus tributários (afluentes, subafluentes etc.) A formação da bacia hidrográfica dá-se através dos desníveis dos terrenos que direcionam os cursos da água, sempre das áreas mais altas para as mais baixas. E é essa tendência que a água tem em seguir uma determinada orientação dada pelo relevo e pelo efeito da gravidade pode ser chamada de bacia hidrográfica. Obs.:Imagem da Bacia Do Rio Amazonas na Galeria de Fotos/imagens

17 Desenvolvimento sustentável Desenvolvimento sustentável significa obter crescimento econômico necessário, garantindo a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento social para o presente e gerações futuras. Portanto, para que ocorra o desenvolvimento sustentável é necessário que haja uma harmonização entre o desenvolvimento econômico, a preservação do meio ambiente, a justiça social (acesso a serviços públicos de qualidade), a qualidade de vida e o uso racional dos recursos da natureza (principalmente a água). revista.brasil.gov.br

18 Obras e projetos de desenvolvimento Além da abertura de estradas e dos asfaltamento já existente, outras ações foram tomadas pelos governos militares da Amazônia: Criação da Superintendência para o desenvolvimento da Amazôni (Sudam), substituindo a SPVEA; Criação da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa); Implantação de programas de colonização que incluíam o assentamento de famílias de trabalhos rurais; Desenvolvimento de projetos agropecuário; Implementação de projetos de exploração mineral Contrução de obras de infra-estrutura, como hidrelétricas e portos para o escoamento da produção

19 www.ogirassol.com.br

20 Reservas extrativistas Acre Alto Juruá, criada pelo de decreto 98.863 de 23.01.1990, com 506.186 ha. Alto Tarauacá, criada pelo decreto S/N de 08.11.2000, com 151.199 ha. Cazumbá-Iracema, criada em setembro de 2002, com 750.794 ha. Cachoeira, com 24.098 ha. Chico Mendes, criada em março de 1990, com 970.570 ha. Figueira, com 25.973 ha. Macauã, com 103.106 ha. Porto Dias, com 22.145 ha. Remanso, com 43.502 ha. Riozinho, com 35.896 ha. Riozinho da Liberdade, criada em fevereiro de 2005, com 325.026 ha. Santa Quiteria, com 43.247 ha.

21 Amapá Rio Cajarí, criada pelo decreto 99.145 de 12.03.1990, com 481.650 ha. Amazonas Médio Juruá, criada pelo decreto S/N° de 04.03.1997, com 253.226 ha. Baixo Juruá, criada pelo decreto S/N° de 01.08.2001, com 187.982 ha. Auati-Paraná, criada pelo decreto S/N° de 07.08.2001, com 146.950 ha. Rio Jutaí, criada em 16.07.2002, com 275.532,88 ha. Lago do Capanã Grande, criada em 03.06.2006, com 304.146 ha. Rio Unini, criada em 21.06.2006, com 833.352 ha. Arapixi, criada em 21.06.2006, com 133.637 ha.Médio Purus, criada em 08.05.2008, com 604.290 ha. Ituxi, criada em 05.06.2008, com 776.940 ha.

22 Pará Tapajós-Arapiuns, criada pelo decreto S/N° de 06.11.1998, com 647.610 ha. Marinha de Soure, criada pelo decreto S/N° de 22.11.2001, com 27.463 ha. Chocoaré-Mato Grosso, criada pelo decreto S/N de 13.12.2002, com 2.785,72 ha. Maracanã, criada em 13.12.2002, com 30.018,88 ha. Mãe Grande de Curuçá, criada em 13.12.2002, com 37.062 ha. São João da Ponta, criada pelo decreto S/N 13.12.2002, com 3.203,24 ha. Verde Para Sempre, criada em 08.11.2004, com 1.288.717 ha. Riozinho do Anfrísio, criada em 08.11.2004, com 736.340 ha. Mapuá - criada em 20.05.2005, com 94.436 ha.

23 Ipaú-Anilzinho- no município de Baião,sob jurisdição do EsReg Tucuruí, e criada pelo decreto S/N de 14.06.2005, com 55.816 ha. Arioca Pruanã - criada em 16.11.2005, com 83.445 ha. Marinha de Araí-Peroba - criada em 20.05.2005, com 11.479 ha. Rios Peroba, Araí e Emburanunga.Marinha de Caeté-Taperaçu - criada em 20.05.2005, com 42.068 ha. Rios Caeté, Furo Grande e desembocadura do rio Taperaçú.Marinha de Gurupi-Piriá - criada em 20.05.2005, com 74.081 ha. Rio Gurupi, Rio Limondeua, Rio Bombom e Rio Piriá, margem direita do Rio Emburanunga e região das ilhas de Apeú Salvador, Itacupim, Taperebateua e dos dos Pássaros, furos do Gato e Cajueiro, Tucundeua, Sarnambi, igarapés e bordas das baías do Chuna, Piriá e Gurupi.Marinha de Tracuateua - criada em 20.05.2005, com 127.153 ha. Rios Quatipuru e Maniteua e das baías do Quatipuru e de Maiaú.Terra Grande - Pracuúba - criada em 05.06.2006, com 194.695 ha. Rio Iriri - criada em 05.06.2006, com 398.938 ha. Gurupá-Melgaço - criada em 30.11.2006, com 145.297 ha. Rio Xingu - criada em 05.06.2008, com 303.841 ha. Renascer - criada em 05.06.2009, com 211.741 ha.

24 Rondônia Jaci-Paraná, criada pelo decreto 7335 de 17.01.1996, com 191,324 ha. Lago do Cuniã, criada pelo decreto 3.238 de 10.11.1999, com 55.850 ha. Rio Ouro Preto, criada pelo decreto 99.166, de 13.03.1990, com 204.583 ha. Barreiro das Antas, criada em 07.08.2001, com 107.234 ha. Rio Cautário, criada em 07.08.2001, com 73.817 ha. Roraima : não possui reservas extrativistas Tocantins Extremo Norte do Tocantins, criada pelo decreto 535 de 20.05.1992, com 9.280 ha, situando-se ao norte da Estrada TO – 496 e ao sul do Rio Tocantins, abrangendo quase a totalidade município de Carrasco Bonito no Extremo Norte do Tocantins

25 Galeria de imagens www.infoescola.com Hidrografia região norte www.mundoeducacao.com População região norte

26 criandartes.blogspot.com Vitória régia pt.wikipedia.org Região norte

27 Bibliografia: Livro de Geografia 7º ano Progeto Araribá www.wikipédia.com.br www.infoescola.com www.arteblog.net www.danças-típicas.info www.descobrindoomundoemgeografia.blogspot.com www.suapesquisa.com


Carregar ppt "Região Norte Colégio Maria Imaculada 7º ano D Rebecca Mingorance nº 08 Fernanda Correia nº 02."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google