A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sociologia – Unidade 1. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sociologia – Unidade 1. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia."— Transcrição da apresentação:

1 Sociologia – Unidade 1

2 Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia

3 Cronograma: Turma ADG0096 Sociologia DataAtividade 11/08 2º Encontro 1ª Avaliação Disciplina 04/08 1º Encontro 18/08 3º Encontro 2ª Avaliação Disciplina 25/08 4º Encontro 3ª Avaliação Disciplina (FINAL)

4 Objetivos da Disciplina: •Demonstrar a origem histórica e a constituição do conhecimento na Sociologia; 1/42 •Contribuir para dotar os acadêmicos de capacidade analítica, de modo que possam analisar, com espírito crítico, as diferentes situações e problemas susceptíveis de ocorrerem na sociedade; •Demonstrar a existência de diferentes visões da sociedade, quer numa perspectiva mais crítica, quer do ponto de vista mais conservador; •Desenvolver a capacidade de análise e prospecção dos acadêmicos acerca dos fenômenos sociais e das possibilidades de ação e intervenção sobre a realidade social; •Apresentar dilemas fundamentais da condição humana, em particular daqueles associados aos impactos da globalização, da técnica moderna e da sustentabilidade; •Oferecer subsídios para a associação entre teoria e prática e para análise dos fatos sociais;

5 Unidade 1 SOCIOLOGIA: HISTÓRIA E CIÊNCIA 2/42

6 Objetivos da Unidade: •Os antecedentes históricos da Sociologia; •A natureza e as origens da Sociologia; •O estudo da Sociologia e a sua importância; •O pensamento sociológico clássico; •A importância do papel desempenhado por Comte, Marx, Durkheim e Weber; •O que são fatos sociais e a sua força coercitiva; •Como ocorrem as ações sociais e os seus diferentes tipos; •Os dois tipos de solidariedade cuja coesão procura garantir; •Os conceitos centrais do pensamento de Pierre Bourdieu mobilizados para descrever e explicar as lógicas de funcionamento da sociedade e as práticas dos agentes; 3/42

7 TÓPICO 1 Raízes históricas da Sociologia 4/42

8 1 Introdução Na história diversas teorias foram elaboradas para entender a sociedade, que dependem de época para época, de sociedade para sociedade e de pensador para pensador. A área que tem se dedicado ao estudo do funcionamento da sociedade é a Sociologia. (Estamos na página 4 da apostila) 5/42 Tópico 1

9 2 Antecedentes da Sociologia A visão do mundo predominante no período medieval era a teocêntrica. A visão que se tinha era a que o mundo se constituía daquela maneira em virtude da vontade divina. O período medieval era balizado pela vontade de Deus. As novas ideias que surgiram no final da Idade Média contribuíram de certa forma para o surgimento da Sociologia. (Estamos na página 4 da apostila) 6/42 Tópico 1

10 3 Surgimento da Sociologia A cultura teocêntrica perde espaço para a cultura antropocêntrica (Deus deixa de ser o centro – que passa a ser o homem). O homem é valorizado como um ser individual e que busca descortinar as suas potencialidades humanas. Assim o homem moderno deseja superar seus obstáculos e desenvolver a si mesmo e o mundo no qual faz parte. (Estamos na página 5 da apostila) 7/42 Tópico 1

11 3 Surgimento da Sociologia Eventos mais importantes •Renascimento Comercial (capitalismo, mercantilismo, burguesia); * Renascimento Urbano (Burgos); * As Grandes Navegações (Descobrimento da América e tomada do Brasil); * As Invenções (pólvora, bússola); * Renascimento científico (descobertas científicas); * Reforma Religiosa ou Protestante (Lutero); * Renascimento Cultural (movimento intelectual, artístico e literário). (Estamos na página 6 da apostila) 8/42 Tópico 1

12 3 Surgimento da Sociologia 3.1 Mentalidade Medieval e Mentalidade Renascentista: Diferenças (Estamos na página 8 da apostila) 9/42 Tópico 1 Visão MedievalVisão Renascentista Teocentrismo (Deus é o centro de tudo. O prédio de maior destaque era a igreja. Antroponcentrismo (Homem é o centro das atenções) e valoriza-se a vida terrena. Verdade está na Bíblia, na autoridade da igreja e nos escritos dos santos. Verdade está na observação e por meio de experiências guiadas pelo uso da razão (ciência). Ser humano é desprezado, pois é pecador. Sofrimento é consequência do pecado. Homem é a mais perfeita das criaturas, capaz de fazer coisas maravilhosas, responsável por seu destino.

13 3 Surgimento da Sociologia 3.1 Mentalidade Medieval e Mentalidade Renascentista: Diferenças (Estamos na página 8 da apostila) 10/42 Tópico 1 Visão MedievalVisão Renascentista Bens materiais e o corpo tinham pouca importância. O que valia era a salvação da alma. Vida material é importante e valoriza em muito o corpo. Tudo o que ocorre na natureza é pela vontade de Deus. Os fenômenos naturais devem ser explicados pelo homem com o uso da ciência, que consegue conhecê-la. Conformismo com a situação do mundo pois é a vontade de Deus. Homem cria seu próprio destino e domina a natureza.

14 3 Surgimento da Sociologia 3.1 Mentalidade Medieval e Mentalidade Renascentista: Diferenças (Estamos na página 8 da apostila) 11/42 Tópico 1 Visão MedievalVisão Renascentista A natureza é fonte do pecado.O homem deve conhecer a natureza para conhecer a si mesmo. Capacidade humana de pensar deve estar subordinada à fé. Razão prevalece sobre a fé quando o assunto é estudo da natureza.

15 Tópico 1 Teocentrismo Antropocentrismo

16 3 Surgimento da Sociologia A Sociologia surge como consequência da necessidade de as pessoas compreenderem os problemas sociais que estavam aparecendo. Dentre os quais podemos destacar: (Estamos na página 9 da apostila) 12/42 Tópico 1

17 3 Surgimento da Sociologia * Processo de industrialização iniciado no século XVIII; * Revolução Industrial; * Independência dos EUA; * Revolução Francesa. (Estamos na página 9 da apostila) 13/42 Tópico 1

18 Revolução Industrial Surgimento da Sociologia

19 Tópico 1 Independência dos EUA Surgimento da Sociologia

20 Tópico 1 Revolução Francesa Surgimento da Sociologia

21 3 Surgimento da Sociologia A mudança de comportamento social levou os pensadores a desenvolver uma nova concepção dos mundos natural e social. A Sociologia passa a ser vista como uma luz que orienta sábios e ignorantes em direção à verdade, tendo como guia os postulados do conhecimento científico. Comte primeiro chamou-a de Física Social. Mais tarde, em 1836, alterou o nome para Sociologia significando o estudo do social. (Estamos na página 11 da apostila) 14/42 Tópico 1

22 4 Concepções de Sociologia De modo bem simples, é o estudo sistemático do comportamento social e dos grupos humanos. Ela focaliza as relações sociais e como essas relações influenciam o comportamento das pessoas e como as sociedades, a soma de tais relações se desenvolve e muda. (SCHAEFER, 2006, p. 3). (Estamos na página 12 da apostila) 15/42 Tópico 1

23 TÓPICO 2 Breve aproximação com os clássicos da Sociologia 16/42

24 1 Introdução A Sociologia tem importantes consequências práticas. Ela permite compreendermos um determinado conjunto de acontecimentos sociais, aumentando nossa sensibilidade cultural e possibilitando, principalmente, o autoconhecimento. (Estamos na página 17 da apostila) 17/42 Tópico 2

25 2 Auguste Comte: o pensamento positivista e as relações sociais Auguste Comte cria em sua residência, o curso de Filosofia Positiva. Na busca de fazer com que a Sociologia fosse reconhecida como ciência e para que o homem se desenvolvesse completamente, a sociedade deveria passar por Três Estados, nos quais o homem deveria aprender a utilizar sua inteligência como fonte de inspiração nas suas atitudes. (Estamos na página 18 da apostila) 18/42 Tópico 2

26 Auguste Comte (1798 – 1857)

27 2.1 Ordem e Progresso Os trabalhos de Comte se baseiam na construção de uma “religião da humanidade”, cuja liturgia é baseada no catolicismo romano, estabelecida em O Catecismo Positivista. Assim, a doutrina ganha força religiosa com credo na ciência. (Estamos na página 19 da apostila) 19/42 Tópico 2

28 Positivismo no Brasil

29 2.1 Ordem e Progresso Influências do Positivismo no Brasil * Ordem e Progresso da bandeira; * Separação da igreja e do Estado; * Decreto dos feriados; * Estabelecimento do casamento civil; * Exercício de liberdade religiosa e profissional; * Fim do anonimato de imprensa... (Estamos na página 21 da apostila) 20/42 Tópico 2

30 3 Émile Durkheim Durkheim salienta que a compreensão da sociedade deve ser feita como sendo um conjunto de ideias continuadamente alimentadas pelos homens que fazem parte dela. Em 1895, escreve as Regras do Método Sociológico, dando caráter científico à Sociologia. Ressaltou que uma vez criadas pelo homem, as estruturas sociais funcionam de modo isolado dos indivíduos. A sociedade age sobre o indivíduo, impondo a ele um conjunto de normas de conduta social. (Estamos na página 22 da apostila) 21/42 Tópico 2

31 Émile Durkheim (15/08/1858 – 15/12/1917)

32 3 Émile Durkheim Os fatos sociais possuem três características fundamentais: 1. Coerção Social: força dos fatos que levam os indivíduos ao conformismo; 2. Fatos Sociais Exteriores ao indivíduo: as regras, costumes, leis, etc existem antes do nascimento do indivíduo; 3. Generalidade: é social todo fato que é geral e se repete em todos os indivíduos. (Estamos na página 23 da apostila) 22/42 Tópico 2

33 4 Karl Marx A partir de Marx a Sociologia assume uma postura mais crítica, buscando desmascarar e criar um novo sistema que supere o sistema capitalista. Além de sua vigorosa crítica ao sistema capitalista, Marx foi um modelo de intelectual que soube muito bem unir a teoria com a prática. A maioria de suas obras aborda os assuntos mais variados possíveis, desde filosofia, política, história, religião e economia, por isso tentar entender seu pensamento é complexo. (Estamos na página 25 da apostila) 23/42 Tópico 2

34 Karl Marx (05/05/1818 – 14/03/1883)

35 5 Max Weber Estudar os escritos de Max Weber é tentar compreender muito do que está acontecendo nos dias atuais. Sem dúvida, ele continua a influenciar a Sociologia em razão de seu interesse em isolar e entender as forças motrizes das sociedades modernas. Preocupou- se com o surgimento e funcionamento do Capitalismo, a dominação da vida social pelas burocracias, o poder crescente do Estado, o significado das leis nas relações sociais, os processos de urbanização da populações nas cidades, as consequências dos sistemas de crenças e valores, ou seja, da cultura. (Estamos na página 32 da apostila) 24/42 Tópico 2

36 Max Weber (21/04/1864 – 14/06/1920)

37 TÓPICO 3 Lições Importantes da Sociologia Contemporânea 25/42

38 1 Introdução Nesta unidade serão estudados os sociólogos que têm investigado ou escrito na atualidade. (Estamos na página 43 da apostila) 26/42 Tópico 3

39 2 Pierre Bourdieu Crítico acérrimo do liberalismo econômico, Bourdieu é considerado uma das maiores referências das ciências sociais no mundo contemporâneo. Sua sociologia cresceu em torno de uma idéia força, que ele desenvolveu e aplicou em diferentes problemáticas. São elas: (Estamos na página 44 da apostila) 27/42 Tópico 3

40 2 Pierre Bourdieu * Habitus: hábitos sociais e familiares; * Hexis Corporal: maneira de se portar, andar, sentir e pensar; * Campo: espaço social aonde ocorrem as interações de todos os tipos (profissional, cultural, poder e político); * Capital: material, cultural, linguístico e escolar; (Estamos nas páginas 46 e 47 da apostila) 28/42 Tópico 3

41 2 Pierre Bourdieu * Poder Simbólico: designa numerosas formas de exercício do poder; * Violência Simbólica: designa as virtudes que honram a moral do honrado. Opõe-se à violência declarada; * Distinção: sentimento de superioridade ou inferioridade de acordo com a posição social; (Estamos na página 47 da apostila) 29/42 Tópico 3

42 2 Pierre Bourdieu * Legitimidade: autoridade legítima, reconhecida pelos outros; * Sociabilização: processo que se desenvolve ao longo de uma produção de habitus distintos; * Reprodução: apoio aos mecanismos do exercício de poder, legitimação e sociabilização através do ascetismo, malthusianismo e a boa vontade cultural. (Estamos na página 48 da apostila) 30/42 Tópico 3

43 Pierre Bourdieu (01/08/1930 – 23/01/2002)

44 3 Zygmunt Baumann Conhecido como profeta da pós- modernidade, foi reconhecido pela sua expressão intelectual por intermédio de diversas obras. (Estamos na página 49 da apostila) 31/42 Tópico 3

45 3 Zygmunt Baumann Modernidade Líquida (2000): a modernidade líquida é leve, fluida e dinâmica. Diferente dos sólidos, não mantêm a forma com tanta facilidade, estando em constante prontidão para mudar. (Estamos na página 49 da apostila) 32/42 Tópico 3

46 3 Zygmunt Baumann Amor Líquido: sobre as fragilidades dos laços humanos (2003): na modernidade líquida os laços humanos tendem a ser mais frágeis tornando as relações menos seguras, incertas, duvidosas, no qual os laços entre as pessoas não são de longo prazo. (Estamos na página 50 da apostila) 33/42 Tópico 3

47 3 Zygmunt Baumann O mal-estar da Pós-Modernidade (1997): o mundo em que nos encontramos é um mundo de incertezas, insegurança, medo, tecnologia que exclui, desemprego e ameaças diversas. Além disso, têm sofrido mudanças a grande velocidade, gerando um “mal-estar” nas pessoas. (Estamos na página 50 da apostila) 34/42 Tópico 3

48 Zygmunt Baumann

49 TÓPICO 4 Percorrendo a Sociologia Brasileira 35/42

50 2 Um autor para estudar, não para ler: Gilberto Freyre Publicou sua tese de mestrado com o título Casa-Grande e Senzala (1933) que teve repercussão mundial e tornou-se referência para os estudos sociológicos sobre o Brasil. Para completar sua trilogia, escreveu Sobrados e Mocambos (1936) e Ordem e Progresso (1959). Ganhou diversos prêmios internacionais e teve suas obras traduzidas para vários países. (Estamos na página 60 da apostila) 36/42 Tópico 4

51 2 Um autor para estudar, não para ler: Gilberto Freyre Casa-Grande e Senzala: fez um estudo da colonização portuguesa, descrevendo a formação da família e do patriarcado brasileiro, bem como a importância da miscigenação étnica como traço cultural, além dos motivos econômicos para a monocultura latifundiária por detrás das relações raciais. (Estamos na página 60 da apostila) 37/42 Tópico 4

52 2 Um autor para estudar, não para ler: Gilberto Freyre Sobrados e Mocambos: apresenta a decadência do patriarcado rural e o desenvolvimento das elites urbanas (europeização das elites brasileiras). Descreve a substituição feita pelos homens das mulatas pelas mulheres francesas; a troca dos instrumentos de percussão na sala pelos pianos; o aparecimento das carruagens, das instituições bancárias, dos cafés e dos hotéis; e o surgimento do romantismo no meio intelectual brasileiro. (Estamos na página 61 da apostila) 38/42 Tópico 4

53 2 Um autor para estudar, não para ler: Gilberto Freyre Ordem e Progresso: apresenta a derrocada final do patriarcado no Brasil, após o surgimento do trabalho livre. Aborda o Brasil republicano aonde está nascendo a industrialização, a chegada de imigrantes e a urbanização. (Estamos na página 61 da apostila) 39/42 Tópico 4

54 Gilberto Freyre (15/03/1900 – 18/07/1987)

55 3 Pensador Marxista: Florestan Fernandes Sociólogo e professor universitário com mais de 50 obras publicadas, transformou as Ciências Sociais no Brasil e estabeleceu um novo estilo de pensamento. Foi reconhecido internacionalmente e foi mestre de sociólogos renomados como Octavio Ianni e Fernando Henrique Cardoso. Florestan sempre incentivou o uso da crítica sociológica para o entendimento das contradições profundas da sociedade brasileira. O ponto de partida para uma análise crítica da sociedade estava em seus padrões ou estruturas (fundamentos da organização social). Seu conjunto de obras está relacionado com a dominação burguesa e a busca de uma alternativa para acabar com essa dominação. (Estamos na página 64 da apostila) 40/42 Tópico 4

56 Florestan Fernandes (22/07/1920 – 10/08/1995)

57 4 O intelectual influente: Fernando Henrique Cardoso FHC teve uma bem-sucedida carreira acadêmica e intelectual, além da luta pela redemocratização do Brasil. Foi autor e co-autor de diversos livros. Lecionou Ciência Política no Brasil e faculdades do exterior. Para ele, dependência econômica e crescimento econômico não são incompatíveis. Crescimento não significa entrar no “Primeiro Mundo”. (Estamos nas páginas 67 a 69 da apostila) 41/42 Tópico 4

58 Fernando Henrique Cardoso (FHC)

59 5 Sérgio Buarque de Holanda e o homem cordial Raízes do Brasil, revela alguns aspectos importantes da cultura brasileira e do comportamento dos brasileiros. Na obra ele também compara a colonização portuguesa com a espanhola na América, evidenciando e criticando a formação patrimonialista brasileira. No capítulo V, Sérgio Buarque apresenta o “Homem Cordial”. Ali ele critica as “virtudes brasileiras”. Ser cordial não quer dizer ser bom. Em suma, Sérgio Buarque discute em sua compreensão que o famoso jeitinho brasileiro e sua suposta informalidade fariam com que ele fosse avesso à impessoalidade da burocracia estatal. (Estamos nas página 77 e 76 da apostila) 42/42 Tópico 4

60 Sérgio Buarque de Holanda (1902 – 1982)

61 Parabéns!!! Terminamos a Unidade.

62 PRÓXIMA AULA: Sociologia 2º Encontro da Disciplina 1ª Avaliação da Disciplina (Redação com consulta)


Carregar ppt "Sociologia – Unidade 1. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google