A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminários Enade 2012 Diretoria de Avaliação da Educação Superior/DAES/INEP 19 a 22 de junho de 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminários Enade 2012 Diretoria de Avaliação da Educação Superior/DAES/INEP 19 a 22 de junho de 2012."— Transcrição da apresentação:

1 Seminários Enade 2012 Diretoria de Avaliação da Educação Superior/DAES/INEP 19 a 22 de junho de 2012

2 Avaliação da Educação Superior no INEP   Implementar o Sinaes  Aprimorar os instrumentos e os procedimentos de avaliação;  Produzir indicadores de qualidade;  Divulgar os resultados;  Realizar estudos para a melhoria da qualidade da educação superior.

3 •Constituição Federal – 88 •LDB – Lei / 96 •PNE – 2001 e PNE – 2011 •Lei do SINAES – DE 2004 •Decreto de 2006 •Portaria Normativa nº 40 consolidada em dezembro de 2010 SINAES - Legislação

4 •Melhorar a qualidade da educação superior, orientar a expansão da oferta •Identificar mérito e valor das instituições, áreas, cursos e programas nas dimensões de ensino, pesquisa, extensão, gestão e formação •Promover a responsabilidade social das IES, respeitando a identidade institucional e a autonomia. OBJETIVOS DO SINAES

5 Concepção de Avaliação •Aprendizagem •Diagnóstica •Ações Formativa •Prática evolutiva •Sistêmica •Integrada Processual •Produz autoconhecimento •Construção para uma cultura de avaliação •Permanente tomada de consciência sobre sua missão Emancipatória

6 O SINAES promove a avaliação de InstituiçõesEstudantesCURSOS

7 Panorama da Educação Superior (Censo da Educação Superior -2010) Instituições de Educação Superior IES (11,7% - públicas) matrículas (25,8% em IES públicas; 14,6% EAD) cursos de graduação (31,3% em IES públicas) -Número de IES – Brasil - Evolução – Fonte: Resumo Técnico- Censo 2009/Censo da Educação Superior/MEC/INEP/DEED IES públicas IES privadas

8 MECCONAESINEPCTAASERESCNE Instâncias de Avaliação CNS OAB CONFEA Outros....

9 Sinaes – alguns marcos  Comissão Especial da Avaliação da Educação Superior (CEA) - analisar, oferecer subsídios, fazer recomendações, propor critérios e estratégias para a reformulação dos processos e políticas de avaliação da Educação Superior e elaborar a revisão crítica dos seus instrumentos, metodologias e critérios utilizados.  2004 – implementação do Sinaes  2007 – criação do sistema e-MEC - fluxo dos processos de regulação e avaliação  aplicação do CPC - para fins dos processos de renovação de reconhecimento no ciclo avaliativo do SINAES.  institui o IGC - autonomia às IES para autorização de cursos  2009 – o Enade passa a ser censitário.

10  definição das áreas no Ciclo Avaliativo - ano I, II e III  2010 – abertura do BASis para novos avaliadores  criação do BNI da educação superior.  2011 – o Enade passa a considerar o Enem como resultado válido para os estudantes ingressantes dos cursos avaliados.  2011 – muda a sistemática de dispensa do Enade.  revisão dos indicadores do instrumento de avaliação de curso  2012 – capacitação dos avaliadores na plataforma moodle  2012 – avaliação dos avaliadores e autoavaliação da Comissão  2012 –Enade para concluintes que formam até julho de 2013

11 Desafios...  reconstrução do CPC  2012 – construção de novos indicadores de qualidade  2012 – revisão do instrumento de avaliação institucional  Articular PDI, missão, dimensão pedagógica, desenvolvimento profissional, sustentabilidade financeira.... (dimensões do Sinaes)  2012 – definição de metodologia para avaliação dos cursos a distancia

12 O ciclo avaliativo compreende a realização periódica de avaliação de instituições e cursos superiores, com referência nas avaliações trienais de desempenho de estudantes, as quais subsidiam, respectivamente, os atos de recredenciamento e de renovação de reconhecimento. ( Art. 33. Portaria nº 40/2007, republicada em 29 de dezembro de (NR)) Ciclo Avaliativo do Sinaes

13 Calculado para o curso da IES, localizada em um município, considerada uma área de avaliação. A nota do curso inclui o desempenho dos alunos nas provas de formação geral e componente específico. Conceito Enade

14 O Conceito Preliminar de Curso – CPC consubstancia diferentes variáveis que traduzem resultados da avaliação de desempenho de estudantes, infraestrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente. O conceito preliminar se constitui elemento de referência nos processos de avaliação para subsidiar a renovação de reconhecimento dos cursos de graduação. CPC Portaria nº40

15 O Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC) é um indicador de qualidade de instituições de educação superior que considera, em sua composição: •A média dos últimos CPCs, contando o ano do cálculo e os dois anteriores, ponderada pelo número de matrículas em cada curso. •Média dos conceitos CAPES, também ponderada pelo número de matriculas de cada um dos programas de pós graduação. •Distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino. O Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC) é um indicador de qualidade de instituições de educação superior que considera, em sua composição: •A média dos últimos CPCs, contando o ano do cálculo e os dois anteriores, ponderada pelo número de matrículas em cada curso. •Média dos conceitos CAPES, também ponderada pelo número de matriculas de cada um dos programas de pós graduação. •Distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino. IGC Portaria nº40

16 Cursos avaliados no ENADE 2010 AgronomiaOdontologia BiomedicinaServiço Social Educação FísicaTerapia Ocupacional EnfermagemZootecnia FarmáciaCST em Agroindústria FisioterapiaCST em Agronegócio FonoaudiologiaCST em Radiologia MedicinaCST em Gestão Hospitalar Medicina VeterináriaCST em Gestão Ambiental Nutrição

17 Cursos avaliados no ENADE 2011 Arquitetura e Urbanismo Artes VisuaisBiologia Ciências SociaisComputaçãoEducação Física EngenhariasFilosofiaFísica GeografiaHistóriaLetras MatemáticaMúsicaPedagogia Química CST em Análise e Des. de Sistemas CST em Automação Industrial CST em Construção de Edifícios CST em Fabricação Mecânica CST em Alimentos CST em Gestão da Produção Industrial CST em Manutenção Industrial CST em Processos Químicos CST em Redes de Computadores CST em Saneamento Ambiental

18 ENADE 2012 Prova – 25 novembro CURSOS (CENSO 2010) CONCLUINTES (CENSO 2010) ESTIMATIVA mil AdministraçãoCiências Contábeis Ciências Econômicas Comunicação Social DesignDireitoPsicologiaTurismo Secretariado Executivo Relações Internacionais CST em Gestão Comercial CST em Gestão em Recursos Humanos CST em Gestão Financeira CST em Logística CST em Marketing CST em Processos Gerenciais

19 Objetivos - Enade Contribuir para a avaliação dos cursos de graduação por meio da verificação das competências, habilidades e conhecimentos desenvolvidos pelos estudantes; Aferir o desempenho dos estudantes no que se refere ao uso, síntese e integração de conhecimentos adquiridos ao longo do curso; Possibilitar aos cursos o acompanhamento dos resultados de suas ações pedagógicas; Avaliar comparativamente a formação oferecida pelas IES aos estudantes das respectivas áreas avaliadas.

20 •ENADE 2012: •Portaria Normativa MEC no 6, de 14/03/2012 •Edital n º 2/2012 – CERES/BNI, de 02/05/2012 •Portarias de designação de Comissões Assessoras de Área •Portarias de diretrizes para a prova – por área avaliada Enade 2012 – Legislação Específica

21 • BASis – Banco de Avaliadores do Sinaes • CERES – Cadastro Nacional de Elaboradores e Revisores de Itens • Comissões Assessoras de Área • Atuar durante o Ciclo Avaliativo (três anos): • Diretrizes da prova • Capacitação e elaboração de itens de prova (BNI) • Acompanhar os indicadores de qualidade dos cursos • Orientação da avaliação in loco

22 Contribuições – Ciclo Avaliativo 2012 PROVA 2013 INDICADORES DE QUALIDADE 2014 AVALIAÇÃO IN LOCO

23 •A constituição do modelo do Banco Nacional de Itens conta com a participação de docentes universitários de todo o País, promovendo o aumento da participação da comunidade acadêmica nos processos de avaliação da educação superior. Banco Nacional de Itens da Educação Superior - BNI

24 •O BNI tem por objetivo armazenar itens de qualidade técnica que permitam a montagem de instrumentos de avaliação capazes de estimar com maior precisão: •o desenvolvimento de competências e habilidades específicas para os diferentes perfis profissionais e •a proficiência dos estudantes com relação aos respectivos conteúdos de seus cursos de graduação. Banco Nacional de Itens da Educação Superior - BNI

25 •Prova •10 questões de Formação Geral – 8 questões de múltipla escolha e 2 questões discursivas; •30 questões do Componente Específico da área avaliada – 27 questões de múltipla escolha e 3 questões discursivas; •Questionário de percepção sobre a prova. Enade – Instrumentos de Avaliação e Questionários aplicados

26 •Questionário do Estudante •Busca levantar, junto aos estudantes, informações socioeconômicas e acadêmicas (preenchimento via Internet) •Questionário destinado ao Coordenador •Busca reunir informações que contribuam para a definição do perfil do curso (coletado nos quinze dias subsequentes à prova via Internet). Enade – Instrumentos de Avaliação e questionários aplicados

27 •Relatórios de IES •Traz informações detalhadas acerca do desempenho geral dos cursos avaliados de uma IES. •Relatórios de Curso •Apresenta informações detalhadas sobre o desempenho dos estudantes na prova e resultados do questionário de impressões sobre a prova e do questionário do estudante (QE). Enade – Principais Relatórios

28 •Relatórios-Síntese de Área •Apresenta resumidamente os resultados nacionais ENADE em cada área avaliada no Exame. •Boletim de Desempenho do Estudante •Apresenta a nota detalhada obtida pelo estudante e quadros comparativos de seu desempenho. •Relatório de regularidade junto ao ENADE (presença) •Apresenta os estudantes em situação regular junto ao ENADE. Enade – Principais Relatórios

29 Novo sistema de requerimentos de dispensa do ENADE O sistema de pedidos de dispensa do ENADE 2011 foi modificado para atender às modificações estabelecidas pela Portaria Normativa n o 40/2007, em sua atual redação, e pela Portaria n o 436/2011. A principal modificação foi o ajustamento, no ambiente do coordenador de curso, de funcionalidade que permite o cadastramento de dispensa de estudantes por parte da própria IES. Após o momento inicial de dispensa de estudantes pela IES, o Inep também analisará solicitações de dispensa apresentadas eletronicamente.

30 Consequências da avaliação •informação para a Sociedade •desenvolvimento de políticas públicas para o Estado •desenvolvimento do seu PDI, revisão de sua missão, planos, métodos e trajetória para a IES •orientação para os Estudantes

31 Agradeço pela atenção! •Claudia Maffini Griboski Diretora de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP


Carregar ppt "Seminários Enade 2012 Diretoria de Avaliação da Educação Superior/DAES/INEP 19 a 22 de junho de 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google