A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aeronautas & Aeronaves 3 Esta é uma cronologia da aviação. Alguns dos principais fatos que se perpetuaram na história:-

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aeronautas & Aeronaves 3 Esta é uma cronologia da aviação. Alguns dos principais fatos que se perpetuaram na história:-"— Transcrição da apresentação:

1

2 Aeronautas & Aeronaves 3 Esta é uma cronologia da aviação. Alguns dos principais fatos que se perpetuaram na história:-

3 07 de maio de 1927: A VARIG, companhia aérea brasileira conhecida mundialmente, é fundada. A VARIG (acrônimo em português de Viação Aérea Rio Grandense) é uma companhia aérea brasileira inoperante. Fundada em 07/05/1927 por Otto Ernst Meyer, ex-combatente do Exército e da Força Aérea Prussiana na Primeira Guerra Mundial que chegara a Porto Alegre em Observando a prosperidade local e esse vento favorável de progresso, acreditou que poderia realizar no Rio Grande do Sul o projeto de uma Cia. e Transporte Aéreo, que já vinha sonhando desde que viera da Alemanha, a 4 anos. Ele acreditava que o Brasil com seu território imenso, poucas estradas e ferrovias precisava de uma boa empresa de aviação e o Rio Grande do Sul, pela sua posição estratégica no Sul do país, precisava de melhores e mais rápidas comunicações para continuar a prosperidade... A primeira aeronave da Varig.

4 Dornier Wal Atlântico No final de 1926, negociou com a Condor Syndikat (subsidiária da Lufthansa) interessada em expandir seus negócios no Brasil, o fornecimento de aviões, pilotos e mecânicos. Ela ficaria restrita ao fornecimento de aeronaves e prestação de serviço de apoio. O primeiro avião fornecido foi o Dornier Wal Atlântico, prefixo P-AAAA, operado por tripulação alemã. Nos três primeiros anos a empresa limitou-se a “linha da lagoa”, com os hidroaviões Dornier P-AAAA e P-BAAA. Percorriam diariamente as linhas para Pelotas e Rio Grande, em vôos de baixa altura sobre a Lagoa dos Patos.

5 O governo do Estado indica Eric de Assis Brasil para suceder Meyer, mas este morre duas semanas depois, sendo substituído por Ruben Berta, braço direito de Otto na administração da empresa. Em 1937 implantou o programa de radio-comunicação, com montagem de estações terrestres e de bordo. Mesmo com as restrições de peças e combustíveis geradas pela guerra, em 1942 ela inaugura seu primeiro vôo internacional para Montevidéu, depois se estendendo para Buenos Aires, com o avião inglês Dragon Rapid De Havilland. Vôos curtos, mas simbólicos. De Havilland Dragon Rapid da Varig, exposto no MUSAL

6 Convair 240- RG123 VARIG Convair 240 Com o passar do tempo, Otto Meyer sentiu a necessidade de expandir a empresa, e operar aviões terrestres, que eram mais rentáveis. Com a revolução de 1930, deflagrada em três de outubro no rio Grande do Sul, houve uma proposta de aumento da participação do capital acionário, por parte do Governo local, que só veio a acontecer em Assim foram comprados os primeiros aviões terrestres, sendo inaugurada nova rotas – Santa Maria, Cruz Alta, Santo Ângelo, Bagé, Livramento, Uruguaiana, e outras localidades do interior gaúcho. Quando os Junkers, os Messerschmitt e os Fiat passavam, ainda sem rádio, voando baixo sobre as coxilhas para avistar as cidades e estradas em meio a neblina, dando rasantes para afastar animais dos “campos de pouso”, estavam abrindo caminho a uma nova etapa de arrojo e pioneirismo na história da VARIG. Naquela época, voar ainda era uma manobra desafiadora, que assombrava muitos moradores daquelas regiões do interior gaúcho. Em dezembro de 1941, já em plena 2ª Guerra Mundial, Otto renuncia a presidência da VARIG para não prejudicá-la, já que o Presidente Getúlio Vargas declarou estado de guerra no país, rompendo relações diplomáticas com a Alemanha, Itália e Japão.

7 Varig - Electra Em 1943 incorporou os pequenos Electra, de fabricação da norte-americana Lockheed. Os “eletrinhas” (como ficaram conhecidos) faziam as linhas para as capitais do sudeste, com melhores resultados. Em 1945, Ruben Berta cria a associação do funcionários da VARIG, que passava a ser a controladora da empresa, mais tarde batizada com seu nome. Após a criação da Fundação Rubem Berta, a empresa entra em fase de expansão acelerada no pós-guerra, como previra o próprio Berta, isto porque a guerra ajudou a impulsionar a aviação no aspecto técnico, mostrando ser um meio de transporte eficiente e viável.

8 Os americanos vendem seus estoques de DC-3 e C-46 em Natal, logo após a guerra sendo comprados por várias empresas aéreas, inclusive a VARIG, com preços reduzidos a um terço do valor. Com a aquisição dessas aeronaves entre 1946 e 1948, a VARIG consegue consolidar suas linhas entre o sul e o sudeste, e se prepara para operar a nível nacional. Adquirindo a Aero - Geral, em 1952, que atuava no nordeste, alavancou seus vôos do Rio de Janeiro à Natal. Neste mesmo ano, para aprimorar e ampliar seu quadro de pessoal especializado, abriu a primeira turma do curso de pilotos da EVAER - Escola VARIG de Pilotos. C- 46 PP-VCM Varig, DC-3

9 Em 1954, ao adquirir os primeiros Convair-240 (velozes bimotores que voavam a quase 400km/h). Neste momento a VARIG já cobria toda a região sul (trinta e seis cidades), alcançava São Paulo e Rio de Janeiro, e interligava todas a capitais estaduais do nordeste até Natal. Nesta época elaborava eficientes estratégias de marketing e preços reduzidos, competindo com as grandes Cias. Aéreas do país como a Cruzeiro do Sul, a Panair, a Real e a Vasp. Em agosto de 1955 fez seu vôo inaugural para Nova York (linha transferida da Cruzeiro do Sul para a VARIG) com as aeronaves quadrimotor Super Constellation, da Lockheed, que saiu do Rio de Janeiro e pousou em Nova York cerca de vinte e uma horas depois com escalas em Belém, Port of Spain (capital de Trinidad e Tobago) e Ciudad Trujilla (hoje Santo Domingo, capital da República Dominicana). Essa linha depois foi prolongada a Porto Alegre e de lá a Montevidéu e Buenos Aires. Super Constellation Varig

10 Para consolidar a rota e a posição destacada no mercado, em 1957 começaram as negociações para aquisição dos primeiros jatos. Inicialmente os birreatores franceses Caravelle, que entraram em operação já em 1959, marcando mais uma vez o pioneirismo da VARIG. Varig Caravelle.

11 E enfim, em 1960 entraram em operação os conhecidos e estimados Boeings da VARIG, iniciando a série com o quadrirreator Boeing 707, que faziam Rio-Nova York em aproximadamente 9 h., sem escalas. A VARIG deixava em definitivo de ser uma Cia. Aérea doméstica, regional e nacional. Sua Alta Diretoria foi transferida para o Rio de Janeiro, ainda que sua matriz permanecesse em Porto Alegre. Incorporou o consórcio Real Aerovias, em 1961, que cresceu muito após a guerra, mas não se sustentou. A VARIG deixava em definitivo de ser uma Cia. Aérea doméstica, regional e nacional. Sua Alta Diretoria foi transferida para o Rio de Janeiro, ainda que sua matriz permanecesse em Porto Alegre. Incorporou o consórcio Real Aerovias, em 1961, que cresceu muito após a guerra, mas não se sustentou. Por conta de encargos e dívidas enormes, a VARIG recebeu dezenas de aviões e incorporou milhares de funcionários, além de novas linhas domésticas e internacionais para Miami, Los Angeles e Tóquio, via Lima e Cidade do México. Em 1965 com a paralisação da Panair, a Varig recebeu a incumbência do Ministro da Aeronáutica de substituí-la nas linhas da Europa e Oriente - Médio, numa operação a ser feita em questão de horas. VARIG Boeing 707

12 Varig - Boeing 747 Em 1966 morre o então presidente da VARIG Ruben Berta, sendo substituído por seu vice- presidente Erik de Carvalho, oriundo da Panair, mas identificado com a cultura da Cia. Em 1970, a VARIG começou a introduzir os jatos Boeing em suas linhas domésticas.

13 VARIG 727 Cargo

14 Em 1973, anunciou a compra dos primeiros DC-10 da McDonnell Douglas, menores que os “jumbos” da Boeing porém mais adequados à demanda brasileira, além de apresentarem a mesma qualidade técnica dos Boeing 747, maior flexibilidade e menor custo operacional. Erik de Carvalho é afastado por doença meses antes de concluir seu mandato em 1979, sendo substituído neste período pelo vice-presidente Harry Schuetz. A VARIG encerra a década de 70 e entra nos anos 80 com sua posição de liderança plenamente consolidada e, em 1975, por intermédio da FRB (Fundação Ruben Berta), assume o controle da Cruzeiro do Sul, afetada por sérias dificuldades financeiras.

15 Varig 737 Esse crescimento permitiu à VARIG ampliar e atualizar a frota com aquisição dos Boeing , em Em 1976, funda a Rio-Sul Serviços Aéreos regionais, para atuar na chamada aviação regional.

16 E dos Airbus A-300, em 1980, já sob a direção do presidente Hélio Smidt. Air Bus A 300 VARIG

17 No setor internacional, outros grandes avanços foram a compra dos Boeing em 1981, e dos , em Boeing 727 Boeing 737

18 Varig – anos Brasil Em 1986 adquire os modernos Boeing ER. Em 1987 eram adquiridos os Boeing para o tráfego doméstico e em 1988 novos Boeing , para as linhas internacionais. No fim da década de 80 com 26,7 mil funcionários, uma frota de 86 aeronaves, com 73 escalas domésticas e 53 internacionais em mais de 30 países nos 5 continentes e cerca de 126 milhões de Km voados (número correspondente ao conjunto VARIG-Cruzeiro), a companhia atingiu o patamar mais elevado do reconhecimento público dentro e fora do Brasil. “Companhia de primeira classe” era a referência ouvida dos passageiros e imprensa especializada, destaque para o excepcional serviço de bordo e atendimento ao passageiro. Em entrevista a revista Senhor, em 1985, o então presidente Hélio Smidt fala: ” a Varig tornou-se, ao longo do tempo, uma empresa de “bandeira””, uma empresa-símbolo do seu país na aviação mundial semelhante à Air France, Lufthansa e Swissair. Sustentar esse padrão e manter-se como símbolo de modernidade do país nos corações e nas mentes dos brasileiros é sua gratificante missão no presente e no futuro. por Marco Lopes - RG034

19 A empresa, que é atualmente controlada pela Fundação Ruben Berta, atravessou um processo de recuperação judicial inédito no Brasil e atualmente não opera vôos. Em 20 de julho de 2006, após ter entrado no processo de recuperação judicial, teve sua parte estrutural e financeiramente boa isolada e vendida para a VARIG Logística S.A. através da constituição da razão social VRG Linhas Aéreas S.A., a qual, em 9 de abril de 2007, foi cedida para a Gol Transportes Aéreos. Varig

20 Devido ao fato de não poder operar vôos com a própria marca, que foi cedida juntamente à unidade produtiva que hoje está sob o domínio da VRG Linhas Aéreas S.A., a Fundação Ruben Berta criou a marca Flex Linhas Aéreas, que chegou a operar vôos regulares comissionados pela GOL Transportes Aéreos mas, atualmente, encontra-se temporariamente desativada.

21 Os tristes finais da Panair, da Cruzeiro, da Transbrasil, da Vasp e da Varig... O tempo que se foi...

22 Musicas: • Paul Whiteman’s Orchestre - Three o´ clock in the morning. • Ernesto Cortazar - A waltz towards eternity Pesquisas/Ilustrações: Google, gem.html forum.org/Historias_da_Aviacao_257206/A_Travessia_Aerea_do_Atlntico_Sul__19 22_384.html shtml

23 FIM Formatação: José Carlos Suman


Carregar ppt "Aeronautas & Aeronaves 3 Esta é uma cronologia da aviação. Alguns dos principais fatos que se perpetuaram na história:-"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google