A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VALOR Questões : 1.O que é que determina o valor de um bem? 2.De que elementos dependem os valores atribuídos aos bens e serviços normalmente transacionados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VALOR Questões : 1.O que é que determina o valor de um bem? 2.De que elementos dependem os valores atribuídos aos bens e serviços normalmente transacionados."— Transcrição da apresentação:

1 VALOR Questões : 1.O que é que determina o valor de um bem? 2.De que elementos dependem os valores atribuídos aos bens e serviços normalmente transacionados ? VALOR – TRABALHO David Ricardo: O valor de um bem pode ser expresso em função do trabalho necessário para obtê–lo. As relações sociais entre os homens depende do tempo produtivo incorporado na produção de bens e serviços. O trabalho, portanto, é determinante do valor do bem. Teoria pertence ao grupo das teorias objetivas, conduzindo a análise do valor para o terreno da oferta e dos custos de produção.

2 CRÍTICAS: Na segunda metade do século XIX a teoria do valor trabalho foi duramente contestada VALOR – UTILIDADE (VISÃO UTILITARISTA) Surgimento das teorias subjetivas, considerando a escassez relativa dos bens e a sua utilidade, somadas às escalas das preferências individuais. O enfoque das teorias subjetivas conduziu a análise do valor para o campo da procura. Seus determinantes não estariam mais no terreno da oferta e dos custos da produção, mas na faixa da utilidade – variável da qual resulta o valor que os indivíduos, subjetivamente, atribuem aos bens e serviços disponíveis no mercado.

3 RESUMINDO : Teoria do Valor–Trabalho : Explica a formação do valor de uma mercadoria pela quantidade de trabalho inserida no seu processo de produção e enfoca os custos presentes. Teoria do Valor – Utilidade : Explica a produção e o consumo pela capacidade de satisfação que o bem/serviço provoca em produtores e consumidores. NA REALIDADE: A economia incorpora as duas propostas, sendo que a teoria valor-utilidade ainda permite distinguir o valor de uso (utilidade) do valor de troca (preço mercado) de um bem. Os Preços seriam a expressão monetária dos valores de bens e serviços produzidos por um sistema econômico.

4 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Fundamentos da Teoria da Demanda Baseia-se na teoria do Valor Utilidade. Dada uma Renda Dados os preços de mercado Consumidor Ao demandar um bem ou serviço Maximiza a utilidade (satisfação) que atribui ao bem ou serviço.

5 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Utilidade Total e Utilidade Marginal Aumenta quanto maior a quantidade consumida do bem Satisfação adicional (na margem) obtida pelo consumo de mais uma unidade do bem É decrescente porque o consumidor vai saturando-se desse bem, quanto mais o consome.

6 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO U mg = UtUt q Quantidade que o consumidor deseja consumir. Qtd. consumida Utilidade total Qtd. consumida Utilidade marginal Utilidade Total e Utilidade Marginal

7 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Paradoxo da Água e do Diamante Por que a água, sendo mais necessária, é tão barata, e o diamante supérfluo, tem preço tão elevado ? Ex: Utilidade Marginal Água Grande Utilidade Total Baixa Utilidade Marginal (encontrada em abundância) Diamante Grande Utilidade Marginal (escasso)

8 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Variáveis que afetam a Demanda Riqueza (e sua distribuição) Renda (e sua distribuição) Preço do bem Preço dos outros bens Fatores climáticos e sazonais Propaganda Hábitos, gostos, preferências dos consumidores Expectativas sobre o futuro Facilidades de crédito (disponibilidade, tx. juros, prazos)

9 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Variáveis que afetam a Demanda q d i = f( p i, p s, p c, R, G) q d i = quantidade procurada (demandada) do bem i p i = preço do bem i p s = preço dos bens substitutos ou concorrentes p c = preço dos bens complementares R = renda do consumidor G = gostos, hábitos e preferências do consumidor Função Geral da Demanda Obs.: Para estudar o efeito de cada uma das variáveis, deve-se recorrer à hipótese ceteris paribus

10 Ceteris Paribus Expressão latina traduzida como “outras coisas sendo iguais”. É utilizada para lembrar que todas as variáveis, que não aquela que está sendo estudada, são mantidas constantes; portanto, verifica o efeito de variáveis isoladas, independentemente dos efeitos de outras variáveis. “tudo o mais constante”. Analisar um mercado isoladamente Supor todos os demais mercados constantes Ex.: Preço sobre a procura de determinado bem Independente Outras variáveis:renda do consumidor,gostos,preferências,etc.

11 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO q d i = f( p i ) Relação entre a quantidade demandada e o preço do próprio bem Supondo p s, p c, R e G constantes Função Convencional qdiqdi pipi < 0 Lei Geral da Demanda Tudo o mais constante (ceteris paribus), a quantidade demandada de um bem ou serviço varia na relação inversa de seu preço. Por que ?

12 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Relação entre a quantidade demandada e o preço do próprio bem Efeito preço total: Efeito substituição Efeito renda O bem fica mais barato relativamente Aos concorrentes, fazendo com que a qtd. demandada aumente. Com a queda do preço, o poder aquisitivo Do consumidor aumenta, e a quantidade demandada do bem deve aumentar.

13 Representa o efeito do preço de um bem sobre a quantidade do bem que os consumidores estão dispostos a comprar e não a compra efetiva (ceteris paribus). Como o preço e a quantidade demandada têm relação nega- tiva, a curva de demanda se inclina para baixo. Ex.: Gráfico Curva de Demanda – Função Linear ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Preço do Livro(R$) Quantidade adquirida de livros Ex.Renda de R$ 2 mil q d i = 25 – 0,25p i q d i = a – b.p i

14 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Relação entre a quantidade demandada e preços de outros bens e serviços Bem substituto = o consumo de um bem substitui o Consumo ou concorrente do outro. Dois bens para os quais, tudo o mais man- tido constante (ceteris paribus), um aumento no preço de um deles aumenta a demanda pelo outro. Ex.: Manteiga e margarina. q d i = f( p s ) Supondo p i, p c, R e G constantes qdiqdi psps > 0

15 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Relação entre a quantidade demandada e preços de outros bens e serviços Ex.: 1- Carne de vaca, frango e peixe. 2- Cerveja Antarctica e Brahma. 3- Coca-cola e Guaraná. Bem substituto ou concorrente Preço da Coca-cola(R$) Qtd. consumida de Coca-cola (Supondo um aumento no preço do guaraná) D0D0 D1D1

16 ANÁLISE DA DEMANDA DE MERCADO Relação entre a quantidade demandada e preços de outros bens e serviços Bens complementares = são bens consumidos em conjunto. q d i = f( p c ) Supondo p i, p s, R e G constantes qdiqdi pcpc < 0 Bens para os quais o aumento no preço de um dos bens leva a uma redução na demanda pelo outro bem. Ex.: Computador e software.

17 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a quantidade demandada e preços de outros bens e serviços Ex.: 1- Camisa social e gravata; 2- Pneu e câmara. 3- Pão e manteiga. 4- Sapato e meia. 5- Litro de gasoli- na e automóvel. Bens complementares Preço do litro de gasolina (R$) Qtd. de litros de gasolina (Supondo um aumento no preço dos automóveis) D0D0 D1D1

18 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a demanda de um bem e renda do consumidor (R) q d i = f( R ) Supondo p i, p s, p c e G constantes Em relação à renda dos consumidores, há três situações distintas: qdiqdi R > 0 Bem Normal = tudo o mais constante, um aumento na renda provoca um aumento na quantidade demandada do bem.

19 Análise da Demanda de Mercado qdiqdi R < 0 Relação entre a demanda de um bem e renda do consumidor (R) Bem Inferior = tudo o mais constante, um aumento na renda provoca uma diminuição na quantidade demandada do bem. Ex.: Passagem de ônibus, carne de segunda. qdiqdi R = 0 Bem de consumo saciado = se aumentar a renda do consumidor, não aumentará a demanda do bem. Caso da demanda de alimentos básicos, como o açucar, sal, arroz.

20 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a demanda de um bem e renda do consumidor (R) Essa classificação depende da classe de renda dos Consumidores. Para consumidores de baixa renda não existem muitos bens inferiores. Com a renda mais elevada, maior nº de produtos passa a ser classificado como bem inferior.

21 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a demanda de um bem e renda do consumidor (R) BEM NORMAL Preço da carne de 1ª (R$) Qtd. de carne de 1ª (Supondo um aumento na renda do consumidor) D0D0 D1D1

22 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a demanda de um bem e renda do consumidor (R) BEM INFERIOR Preço da carne de 2ª (R$) Qtd. de carne de 2ª (Supondo um aumento na renda do consumidor) D1D1 D0D0

23 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a demanda de um bem e renda do consumidor (R) Preço do arroz (R$) Qtd. de arroz(Supondo um aumento na renda do consumidor) BEM SACIADO

24 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a demanda de um bem e hábitos dos consumidores (G) q d i = f(G ) Supondo p i, p s, p c e R constantes Hábitos, preferências ou gostos (G) podem ser alterados, “manipulados”por propaganda e campanhas promocionais, incentivando ou reduzindo o consumo de bens.

25 Análise da Demanda de Mercado Relação entre a demanda de um bem e hábitos dos consumidores (G) Campanha do tipo “beba mais leite” Preço do Bem (R$) Quantidade adquirida do bem Redução Aumento D 1 -Cigarro D0D0 D 1 -Leite Campanha do tipo “o fumo é prejudicial à saúde” Desloca p/ direita Desloca p/ esquerda

26 Análise da Demanda de Mercado Resumo Principais variáveis determinantes da função de demanda, bem como as relações entre essas variáveis e a demanda do consumidor, podem ser assim resumidas: q d i = f( p i, p s, p c, R, G) Função Geral da Demanda qdiqdi pipi < 0 qdiqdi psps > 0 qdiqdi pcpc < 0 qdiqdi R qdiqdi G > < = 0e

27 Análise da Demanda de Mercado Curva de Demanda de Mercado de um Bem ou Serviço A demanda de Mercado é igual ao somatório das demandas individuais. D mercado = d consumidores individuais i = 0 n i = 1,2,...,n consumidores. A cada preço, a demanda de mercado é a soma das demandas dos consumidores individuais.

28 Análise da Demanda de Mercado Preço do Bem (R$) Qtd - Consumidor A Preço do Bem R$) Qtd - Consumidor B Curva de Demanda de Mercado de um Bem ou Serviço

29 Análise da Demanda de Mercado Curva de Demanda de Mercado de um Bem ou Serviço Preço do Bem R$) Total do Mercado

30 Análise da Demanda de Mercado Observações adicionais sobre a demanda Variações na Demanda e variações na quantidade demandada Variações na demanda = Dizem respeito ao deslocamento da curva da demanda, em virtude de alterações em p s, p c, R, G (ou seja, mudança na condição ceteris paribus). Variações na quantidade demandada = refere-se ao movi- mento ao longo da própria curva de demanda, em virtude da variação do preço do próprio bem p i, mantendo as demais variáveis constantes (ceteris paribus).

31 Renda Preços de bens relacionados Gostos Expectativas Número de compradores Desloca a curva de demanda Análise da Demanda de Mercado Variações na Quantidade Demandada Preço do próprio bem Movimento ao longo da curva de demanda Variações na Demanda

32 Movimento ao longo da curvaDeslocamento da curva Variação na quantidade demandada Demanda Preço do Cigarro (R$) No. Cigarros fumados/dia. Ex.: Imposto que aumenta o preço do cigarro. D Preço do Cigarro (R$) No. Cigarros fumados/dia. Ex.: Política de combate ao fumo. DD’ Análise da Demanda de Mercado

33 Paradoxo (Bem) de Giffen É uma exceção à Lei Geral da Demanda, em que a curva é positivamente inclinada (relação direta) entre a quanti- dade demandada e o preço do bem. Preço da Batata (R$) Qtd demandada de Batata

34 Análise da Demanda de Mercado Paradoxo (Bem) de Giffen Comunidade Inglesa muito pobre. Ocorreu uma queda no preço da Batata. Como a população gastava a maior parte da renda com esse produto, o seu poder aquisitivo aumentou e como estavam saturados de batata, passaram a gas- tar com outros produtos. O preço da Batata caiu, bem como a qtd. demandada (curva positivamente inclinada). Bem de Giffen (nome do economista) é um tipo de bem inferior, embora nem todo bem de Giffen seja um bem de Giffen.

35 Análise da Oferta de Mercado Oferta é a quantidade de determinado bem ou serviço que os produtores desejam vender, em função dos preços, em um determinado período. Considera-se que os produtores são racionais, já que estão produzindo com o lucro máximo, dentro da restrição de custos de produção.

36 Análise da Oferta de Mercado Variáveis que afetam a Oferta de um bem ou serviço q o i = f( p i, p fp, p n, T, M) q o i = quantidade ofertada do bem i p i = preço do bem i P fp = preço dos fatores e insumos de produção m (matéria- prima, mão-de-obra, etc.) p n = preço de outros n bens, substitutos na produção T = tecnologia M = objetivos e metas de empresário

37 Análise da Oferta de Mercado qoiqoi pipi > 0 Tudo o mais constante (ceteris paribus), se o preço do bem aumenta, estimula as empresas a produzirem mais. Para pro- duzir mais, os custos serão maiores, e o preço do bem deve ser aumentado. Função Geral da Oferta Como os empresários reagem, quando se altera o preço do bem ou serviço, ceteris paribus. Aumentando a qtd. ofertada

38 Análise da Oferta de Mercado Preço do Livro(R$) Quantidade oferecida de livros O Função Geral da Oferta

39 Análise da Oferta de Mercado Relação entre a oferta de um bem e preço do fator (Insumo) de produção ( P fp ) q o i = f(P fp ) Supondo p i, p n, T, M constantes Preço do Fator de produção ( P fp ). Se o preço do fator mão-de-obra aumenta, diminui a oferta do bem, ceteris paribus, (haverá um deslocamento). O mesmo vale para os demais fatores de produção, como terra, matérias- primas, etc. qoiqoi P fp < 0

40 Análise da Oferta de Mercado Deslocamentos da curva Preço do Livro(R$) Quantidade oferecida de livros Redução Aumento da oferta. OO’O” a) b) a) Aumento do preço do fator de produção, ceteris paribus, há uma redução na oferta do bem. b) Redução do preço do fator de produção, ceteris paribus, há um aumento na oferta do bem.

41 Análise da Oferta de Mercado Relação entre a oferta de um bem e preço de outros bens, substitutos na produção ( P n ) q o i = f(P n ) Supondo p i, p fp, T, M constantes Preço de outro bem substituto na produção ( P n ). Ex.: Se o preço do bem substituto aumenta, e dado o preço do bem (ceteris paribus), os produtores diminuirão a pro- dução do bem, para produzir mais do bem substituto. qoiqoi PnPn < 0

42 Análise da Oferta de Mercado Deslocamentos da curva Preço do Livro(R$) Quantidade oferecida de livros Redução Aumento da oferta. OO’O” a) b) a) Aumento do preço do bem substituto, ceteris paribus, há uma redução na oferta do bem. b) Redução do preço do bem substituto, ceteris paribus, há um aumento na oferta do bem.

43 Análise da Oferta de Mercado Relação entre a oferta de um bem e tecnologia (T) q o i = f(T) Supondo p i, p fp, p n, M constantes qoiqoi T > 0 Tecnologia (T). Um aumento na tecnologia, ceteris paribus, aumenta a oferta do bem.

44 Análise da Oferta de Mercado Deslocamentos da curva Preço do Livro(R$) Quantidade oferecida de livros Redução Aumento da oferta. OO’O” b) a) a) Aumento da tecnologia, ceteris paribus, há um aumento na oferta do bem. b) Redução da tecnologia, ceteris paribus, há uma redução na oferta do bem.

45 Análise da Oferta de Mercado Relação entre a oferta de um bem e os objetivos e metas do empresário (M) q o i = f(M) Supondo p i, p fp, p n, T constantes qoiqoi M > < = 0 Objetivos e Metas dos empresários. Poderá haver interesse do empresário de aumentar ou reduzir a produção.

46 Análise da Oferta de Mercado Curva de Oferta de Mercado de um Bem ou Serviço A Oferta de Mercado é igual ao somatório das ofertas das firmas individuais, que produzem um dado bem ou serviço. O mercado = q firmas individuais j = 0 n j = 1,2,...,n firmas. A cada preço, a oferta de mercado é a soma das ofertas das firmas individuais.

47 Análise da Oferta de Mercado Curva de Oferta de Mercado de um Bem ou Serviço Preço do Bem (R$) Quantidade oferecida pela Firma A O Preço do Bem (R$) Quantidade oferecida pela Firma B O

48 Análise da Oferta de Mercado Preço do Bem (R$) Quantidade oferecida pelo mercado O Curva de Oferta de Mercado de um Bem ou Serviço

49 Observações sobre a oferta de um Bem ou Serviço Variação da oferta e Variação da quantidade ofertada Variação da Oferta = Deslocamento da curva de oferta, em virtude de alterações em p fp, p n, T, M (ou seja, mudança na condição ceteris paribus). Variações na quantidade ofertada = refere-se ao movimento ao longo da própria curva de oferta, em virtude da variação do preço do próprio bem p i, mantendo-se as demais variáveis constantes (ceteris paribus). Análise da Oferta de Mercado

50 Variações na quantidade ofertada Preços dos Insumos Preços dos Bens Subst. Tecnologia Objetivo do empresário Número de Vendedores Desloca a curva de oferta Preço Movimento ao longo da curva de oferta Variações na oferta

51 1.7. – A Oferta e a Procura • Definições: Mercado: local de encontro entre compradores e vendedores de um produto ou serviço e caracteriza-se pelo equilíbrio entre a oferta e a procura.

52 1.7. – A Oferta e a Procura • O equilíbrio de mercado verifica-se com o preço e a quantidade com que as forças da oferta e da procura se equiparam, isto é, o preço em que as curvas da oferta e da procura se cruzam.

53 1.8. – Estruturas de Mercado OFERTA PROCURA Uma única empresa Algumas Empresas Muitas Empresas Um só comprador Monopólio Bilateral Monopsónio Muitos Compradores MonopólioOligopólioConcorrência perfeita

54 Classificação dos Mercados - Concorrência Perfeita – é um mercado em que existe um grande número de empresas oferecendo um mesmo produto. - Monopólio Puro – é um mercado em que existe apenas uma empresa oferecendo um bem, para qual não existe substitutos satisfatórios. - Oligopólio – é um mercado em que existe um número de empresas pequeno o suficiente para que as ações de uma afetem as outras.Essas empresas produzem bens diferenciados, mas substituíveis entre si. - Concorrência monopolística – é um mercado em que há um número razoável de empresas produzindo um mesmo bem, que aos olhos do consumidor são diferenciados.

55 O Equilíbrio de Mercado O Equilíbrio de Mercado (Oferta e Demanda) de um Bem ou Serviço O preço em uma economia de mercado é determinado tanto pela oferta como pela demanda. O equilíbrio se encontra onde as curvas de oferta e de demanda se cruzam. Ao preço de equilí- brio, a quantidade oferecida é igual a quantidade demandada (quantidade de equilíbrio) Preço do Bem Quantidade do Bem. Oferta Demanda Equilíbrio

56 O Equilíbrio de Mercado O Equilíbrio de Mercado (Oferta e Demanda) de um Bem ou Serviço Demanda Lei da Oferta e da Demanda O preço de qualquer bem se ajusta de forma a equilibrar a oferta e a demanda desse bem (Mecanismo de Preço). Não há excesso de oferta, nem excesso de demanda (qte que os consumidores querem comprar = qte que os produtores desejam vender).

57 O Excesso de Oferta Situação em que a quantidade oferecida (Ex.: 15 unidades) é maior que a quantidade demandada (Ex.: 5 unidades). Excesso do Bem Fornecedores reduzem preços Mercado atinge o Equilíbrio Preço do Bem Quantidade do Bem. O D Excesso de Oferta O Equilíbrio de Mercado

58 O Excesso de Demanda Situação em que a quantidade demandada (Ex.: 15 unidades) é maior que a quantidade oferecida (Ex.: 5 unidades). Escassez do Bem Fornecedores aumentam preços Mercado atinge o Equilíbrio Preço do Bem Quantidade do Bem. O D Excesso de Demanda O Equilíbrio de Mercado

59 O Excesso de Oferta / Demanda / O Equilíbrio Excesso de Demanda O Equilíbrio de Mercado Equilíbrio Preço do Bem Quantidade do Bem. O D Excesso de Oferta

60 Como um aumento na Demanda afeta o Equilíbrio. Ex:As pessoas passam a cultivar o hábito de leitura (ceteris paribus). 1- O “hábito” aumenta a demanda A oferta permanece inalterada, pois este determinante não afeta direta- mente as livrarias. 2 - A curva de demanda se desloca para a direita. 3 - O preço e a qtd são aumentados (novo ponto de equilíbrio) Preço do Livro Quantidade de livros O D2D2 D1D1 O Equilíbrio de Mercado

61 Como um redução na Oferta afeta o Equilíbrio. Ex: Um terremoto destrói várias editoras. 1- O terremoto afeta a curva de oferta. A curva de demanda perma- nece inalterada, pois o terremoto não muda diretamente a quantidade demandada pelos compradores. 2- A curva de oferta se desloca para a esquerda (a qualquer preço a qtd ofertada é menor). 3- O preço aumenta e a qtd diminui (novo ponto de equilíbrio) Preço do Livro Quantidade de livros O’ D O O Equilíbrio de Mercado

62 Uma Mudança simultânea na Oferta e na Demanda Ex:As pessoas passam a cultivar o hábito de leitura e ao mesmo tempo, um terremoto destruindo várias editoras. 1- Ambas as curvas se deslocam. 2- A curva de Demanda se desloca para direita e a de Oferta para a esquerda. 3- Há dois resultados possíveis dependendo da extensão dos deslo- camentos das curvas. (a) A qtd o preço aumentam Preço do Livro Quantidade de livros O1O1 D2D2 D1D1 65 O2O2 1o 1 o Caso O Equilíbrio de Mercado

63 Uma Mudança simultânea na Oferta e na Demanda Ex:As pessoas passam a cultivar o hábito de leitura e ao mesmo tempo, um terremoto destruindo várias editoras. 1- Ambas as curvas se deslocam. 2- A curva de Demanda se desloca para direita e a de Oferta para a esquerda. 3- Há dois resultados possíveis dependendo da extensão dos deslo- camentos das curvas. (b) A qtd diminui e o preço aumenta Preço do Livro Quantidade de livros O1O1 D2D2 D1D1 65 O2O2 1o 2 o Caso O Equilíbrio de Mercado

64 FIM


Carregar ppt "VALOR Questões : 1.O que é que determina o valor de um bem? 2.De que elementos dependem os valores atribuídos aos bens e serviços normalmente transacionados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google