A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Assistência ao parto Eura Martins Lage Faculdade de Medicina da UFMG 26/01/10 Naoli Vinaver.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Assistência ao parto Eura Martins Lage Faculdade de Medicina da UFMG 26/01/10 Naoli Vinaver."— Transcrição da apresentação:

1

2 Assistência ao parto Eura Martins Lage Faculdade de Medicina da UFMG 26/01/10 Naoli Vinaver

3 Objetivo •Principal: Promover a vigilância do bem estar materno e fetal, através suporte clínico e emocional, visando a saúde do RN e da mãe •Secundário: Interferir somente quando for necessário neste processo fisiológico, evitando causar desconforto e distócias (anomalias) do trabalho de parto

4 •A assistência ao parto exige conhecimento prévio da bacia óssea materna e do tamanho e posição do feto •Escolher a via de parto, acompanhar o mecanismo de parto e diagnosticar a existência ou não de proporção feto-pélvica Assistência ao parto

5 Roteiro da apresentação 1.O estudo do feto 2.O estudo da bacia 3.Assistência ao parto

6 Estudo do feto

7 O estudo do feto: pólo cefálico •Ossos frontais •Ossos parietais •Fontanelas •Suturas Bregmatica Lambdóide

8 O estudo do feto: diâmetros do pólo cefálico Occipito-frontal (12cm) Sub-occipito-bregmático (9,5cm) Occipito-mentoniano (13,5cm) Sub-mento-bregmático (9,5) Biparietal (9,5cm) Bitemporal (7,5cm)

9 O estudo do feto: Estática fetal (posição na cavidade uterina) •Situação – longitudinal / transversa / oblíqua •Apresentação (pólo fetal que chega ao estreito superior da bacia ) – cefálica / pélvica /córmica •Posição – direita e esquerda

10 Manobras de Leopold,

11 Variedades da apresentação cefálica (flexão ou deflexão do pólo cefálico ao penetrar na pelve) Vértice Face FronteBregma Fletido Defletido 1 º grau Defletido 2º grau Defletido 3º grau

12 Variedades da apresentação pélvica Incompleta Completa

13 Apresentação córmica

14 Variedade de posição na apresentação cefálica •É a relação que existe entre pontos de referência do pólo fetal (região occipital) com pontos de referência da bacia materna (D ou E; anterior e posterior) OEA OEP OE

15 Variedade de posição na apresentação cefálica ODA ODP OD

16 Altura do polo fetal: Planos de De Lee •Espinhas isquiáticas = plano ZERO •Acima da espinha isquiáticas = -1, -2, -3 •Abaixo da espinha isquiáticas = +1, +2,+3

17 Estudo da bacia óssea

18 Estudo da bacia óssea materna •Ginecóide (50%) •Antropóide (25%) •Andróide (25%) •Platipelóide (5%) Segundo WELL e MOLOY, (1933), as bacias dividem-se em 4 tipos fundamentais:

19 Estudo da bacia óssea materna Estreito superior Estreito médio Estreito inferior

20 Diâmetros do estreito superior Conjugata vera antômica (11cm) Conjugata vera obstétrica (10,5cm) Conjugata diagonalis (12cm) Conjugata vera = conjugata diagonalis – 1,5cm

21 Diâmetros do estreito médio Diâmetro bi- espinhas isquiáticas (10cm)

22 Diâmetros do estreito inferior Conjugata exitus

23 Pelvimetria interna (Moloy, 1950) DiagonalisExitus Espinhas isquiáticas

24 •Conhecimento da bacia óssea materna •Tamanho e posição do feto Assistência ao parto »Escolher a via de parto »Acompanhar o mecanismo de parto

25 •Assistênci a ao parto De Conceptu et Generatione Hominis de Jakob Rueff (1554),

26 Critérios para admissão •- Diagnóstico de trabalho de parto (Ministério da Saúde, 2000) - Contrações uterinas: ≥ 2/20”/10’ - Dilatação de colo uterino ≥ a 2cm, apagamento cervical progressivo em 2 horas

27 TÉCNICA Fora das contrações Inicialmente uni-digital Reconhecer as paredes vaginais Apoiar o fundo uterino com a mão externa Exame Genital •TOQUE Amplitude e elasticidade da vagina • Dilatação, apagamento e posição cervical • Integridade das membranas ovulares • Apresentação, variedade e altura do feto • Proporção feto-pélvica

28

29 Períodos clínicos do TP 1.Dilatação 2.Expulsão 3.Dequitação 4.Observação

30 Assistência ao primeiro período: Dilatação •Duração •Velocidade •Tricotomia? •Enema? •Alimentação: dieta líquida •Punção venosa e infusão de líquidos •Controle de sinais vitais maternos •Acompanhamento: •BCF: a cada 30 minutos •Toque: a cada 2 horas

31 Assistência ao Período de Dilatação Duração da Dilatação Gestante PrimíparaMultípara Tempo12 a 14 hs8 a 10 hs Velocidade0,8 a 1 cm/h1,5 a 2 cm/h


Carregar ppt "Assistência ao parto Eura Martins Lage Faculdade de Medicina da UFMG 26/01/10 Naoli Vinaver."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google