A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dra.Márcia S.Sousa Chefe Centro Obstétrico Coord.Clínica Ginecológica HU-UFMA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dra.Márcia S.Sousa Chefe Centro Obstétrico Coord.Clínica Ginecológica HU-UFMA."— Transcrição da apresentação:

1 Dra.Márcia S.Sousa Chefe Centro Obstétrico Coord.Clínica Ginecológica HU-UFMA

2 Obstetrícia (Ciência e Arte) Do latim Obstare, ficar em frente Deriva da posição em que fica o parteiro (na frente da mulher)

3 Histórico Tradicionalmente, os partos e seus cuidados eram realizados por mulheres conhecidas popularmente como aparadeiras, comadres ou parteiras-leigas

4 Histórico A medicina como instituição incorporou esta prática (Tosi, 1888),intitulando-a Arte Obstétrica e denominou de parteiro ou médico- parteiro os profissionais por ela formados Historicamente, este processo se deu primeiro na Europa (nos séculos XVII e XVIII) se estendendo ao Brasil,ao se inaugurar as escolas de medicina e cirurgia na Bahia e Rio de Janeiro, em 1808

5 Abordagem Obstétrica No pré-natal No pré-parto No puerpério

6 Doutooor(a), pacienteeeee!!!! Enquanto isso no seu plantão...

7

8 Anamnese Identificação Idade - identificar fatores de risco inerentes Cor - vícios pélvicos e DHEG mais comuns em pretas e mestiças. Diabetes mais comum em brancas Profissão - importante nas predispostas a abortamento Estado civil-maior morbidade entre as solteiras Domicilio-rastrear doenças endêmicas (Chagas,malária,esquistossomose)

9 Anamnese Antecedentes Familiares diabetes,hipertensão,malformações,gemelar Pessoais Puberdade, telarca,pubarca,menarca Doenças anteriores (cardiopatia,neuropatia,nefropatia, pneumopatias) Miomectomias,perineoplastias,fístulas genitais Drogas

10 Anamnese Antecedentes O bstétricos Gesta e Para Primigesta: primeira gestação Primípara: pariu uma vez Multigesta: gestou muitas vezes (independente da duração) Nulípara: nunca pariu Nuligesta: nunca gestou Intervalo interpartal Evolução das gestações anteriores

11 Anamnese Determinação simbólica dos antecedentes obstétricos Utiliza-se algarismos romanos: GestaI I Para 0 Gesta I Para I Gesta III Para III Gesta II Para I Aborto I Gesta II Para III

12 Anamnese Data da Última Menstruação (DUM) Data Provável do Parto (DPP) A gestação do ser humano dura cerca de 40 semanas ou 280 dias. Para o cálculo da DPP podemos utilizar a Regra de Nagele Somamos 7 (sete) dias ao primeiro dia da última menstruação e adicionaremos 9 (nove) meses, ou diminuiremos 3 (três) meses ao mês em que ocorreu a última menstruação

13 Exemplificando... DUM: 10/03/2010 DUM: 25/08/ /+9/ /-3/2010 DPP: 17/12/2010 DPP: 01/06/2010 DUM: 18/11/ / -3/2010 DPP: 25/08/2010

14 Exame Físico Obstétrico Inspeção Cabeça hiperfunção do lobo anterior da hipófise,céls basófilas secretam horm. melanotrófico Sinal de Halban Cloasma gravídico

15 Exame Físico Obstétrico Inspeção Mamas 16ª semana – colostro Aréola secundária (gravídica) Rede de Haller – rede venosa Tubérculos de Montgomery

16 Mama

17 Exame Físico Obstétrico Inspeção Abdome Globoso ou ovóide Linea nigra Sobredistenção do retículo de fibras elásticas (víbices)

18 Exame Físico Obstétrico Inspeção Membros Inferiores Varizes Edema

19 Exame Físico Obstétrico Inspeção Genitália Externa Hiperpigmentação da pele Mucosas violáceas (sinal de Jacquemier ou Chadwick)

20 Exame Físico Obstétrico Palpação Do útero e do seu conteúdo Altura uterina Circunferência abdominal (90-92cm) Consistência uterina (elástica-pastosa-cística) Regularidade da superfície Conteúdo uterino (partes fetais)

21 Altura Uterina

22 Circunferência abdominal

23 Regularidade da Superfície

24 Miomatose + Gravidez

25 Manobras de Leopold-Zweifel 1ºTempo: fundo uterino Superfície irregular pólo pélvico Superfície regular e resistente pólo cefálico

26 Manobras de Leopold-Zweifel 2º Tempo: palpação lateral Superfície plana, resistente e contínua: dorso fetal Superfície irregular: partes fetais

27 Manobras de Leopold-Zweifel 3º Tempo: manobra de Leopold ou Pawlick Exploração da mobilidade do pólo em relação ao estreito superior Indica o grau de penetração da apresentação na bacia Fixa ou alta

28 Manobras de Leopold-Zweifel 4º Tempo:exploração da escava Penetra-se na pelve com as extremidades dos dedos Pólo cefálico – menor, liso,consistente,irredutível Pólo pélvico – maior,irregular, redutível Escava vazia – situação transversa

29 Manobras de Leopold-Zweifel

30 Exame Físico Pressão Arterial Decúbito lateral esquerdo Temperatura Pulso FR

31 Exame Físico Ausculta Clínica Pinard: 20 a 21 semanas Sonnar-Dopller: semanas Nunca são isócronos com o pulso materno Freqüência de 120 a 160 bpm (m=140bpm) Foco máximo de ausculta x apresentação

32 Exame Físico Toque Reduzido ao mínimo de vezes necessárias Esvaziados bexiga e reto Explicar o procedimento e sua necessidade Indispensável para acompanhar a dilatação cervical e progressão fetal Precisar o tipo de apresentação e variedade de posição fetal Integridade da membranas (bolsa amniótica)

33 Toque Vaginal Bidigital

34 Dilatação Cervical

35 Situação e Apresentação a.Fletida b.Defletida de primeiro grau ou apresentação de bregma c. Defletida de segundo grau ou apresentação de fronte d. Defletida de terceiro grau ou apresentação de face

36 Situação e Apresentação

37

38 Exames Laboratoriais Hemograma TS VDRL IgG e IgM (toxo,rubéola,CMV) Anti-HIV Glicemia jejum EAS

39 Ultra-sonografia Obstétrica Avaliação trimestral 13 semanas 23 semanas 33 semanas

40 Ultra-sonografia Obstétrica

41 Obstetrícia é... conhecimento técnico + compreensão dos sentimentos

42 Porque sim!!!

43 Obrigada! Até a próxima...


Carregar ppt "Dra.Márcia S.Sousa Chefe Centro Obstétrico Coord.Clínica Ginecológica HU-UFMA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google