A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A PENÍNSULA ARÁBICA ATÉ O SÉCULO VII d. C. •Região bastante desértica. •Diversas tribos nômades viviam do comércio e do pastoreio. •A cidade de Meca era.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A PENÍNSULA ARÁBICA ATÉ O SÉCULO VII d. C. •Região bastante desértica. •Diversas tribos nômades viviam do comércio e do pastoreio. •A cidade de Meca era."— Transcrição da apresentação:

1

2 A PENÍNSULA ARÁBICA ATÉ O SÉCULO VII d. C. •Região bastante desértica. •Diversas tribos nômades viviam do comércio e do pastoreio. •A cidade de Meca era um grande centro comercial e religioso.

3

4 •.•. A CAABA é uma construção cúbica de 15,24 metros de altura. Ela está permanentemente coberta por uma manta escura. Em seu exterior, encravada em uma moldura de prata, encontra-se a Hajar el Aswad ("Pedra Negra"), uma pedra escura, de cerca de 50 centímetros de diâmetro, que é uma das relíquias mais sagradas do islã. A Caaba é o centro das peregrinações (hajj) e é para onde o devoto muçulmano volta-se para as suas preces diárias (salat). É o lugar mais sagrado do Islã

5 MECA

6 MECA HOJE

7 MAOMÉ (570 – 632) •Membro do ramo pobre da tribo coraixita. •Casa-se com uma viúva proprietária de uma caravana kadidja •Tem contato em Jerusalém com o Judaísmo e o Cristianismo. • Em 610 – REVELAÇÃO: Recebe a “visita do Anjo Gabriel” • “Só há um Deus que é Alá, e Maomé é seu profeta”. •Tenta pregar o monoteísmo em Meca mas é perseguido. •Em 622 – HÉGIRA: fuga de Maomé e seus seguidores para Yatreb (posteriormente conhecida como Medina – a cidade do profeta). •Essa data marca o início do calendário muçulmano. •População local é convertida. •Proclamação da primeira Jihad: empenho em expandir o nome de Alá por todas as terras.

8 Em 630: Retorno a Meca  Destruição de divindades politeístas da Caaba.  Anistia a antigos opositores.  Península Arábica é completamente convertida ao islamismo. Em 632 – Maomé morre: Problemas sucessórios.  De um lado havia os que defendiam que o sucessor do profeta deveria ser obrigatoriamente, alguém que tivesse com ele laços sanguíneos ou, no mínimo, de parentesco. Encabeçando esse grupo estava Ali, primo e genro de Maomé. Os defensores de Ali passaram a ser chamados de Xiitas (partidários de Ali). Autoridade do islã deveria caber ao imãs, dirigentes espirituais da comunidade, e não aos califas.  Atualmente, representam 10% da população. Reconhece apenas o Corão.

9 •Em oposição aos Xiitas, havia um grupo que defendia a realização de eleições entre os representantes do Islã para a escolha dos chefes tribais. •Como aceitavam a autoridade das tradições (sunna), registradas no Hadith, paralelamente ao Corão, passaram a ser dominados de sunitas. •Os sunitas não encaravam o califa nem como o profeta nem como intérprete infalível da fé, mas como um chefe cujo dever era manter a paz e a justiça na comunidade.

10 •Califas continuam expansão do islamismo. •1º Califa: ABU BAKR – sogro de Maomé. • Motivações: crescimento populacional e busca de terras. •Justificativa ideológica: Jihad •Amplas conquistas territoriais: Norte da África, Península Ibérica, Império Persa até parte da Índia, Império Bizantino. •Séc. XIII – território comparável ao do Império Romano.

11 •O islamismo sofreu influência de diversas religiões. •Em comum com o Judaísmo: a crença no Deus único, a figura do profeta como mensageiro divino, a proibição da adoração de imagens e do consumo de carne de porco. •Do cristianismo herdou a crença no juízo final e na ressurreição do corpo, bem como na atuação dos anjos. •Comum às três religiões, por exemplo, é a importância dada a personagens como Abraão e Moisés. A RELIGIÃO ISLÂMICA

12 EXTENSÃO MÁXIMA DO IMPÉRIO ÁRABE

13

14 Livro sagrado Livro sagrado: •Corão ou Alcorão - Segundo a crença, esse livro foi ditado por Deus a Maomé, por intermédio do anjo Gabriel. •Além do Corão Sunna (livro complementar): coleção de palavras e atos de Maomé. Principais preceitos/pilares Principais preceitos/pilares:  Credo: Acreditar em um único deus Alá e que Maomé é o seu profeta.  Oração: Orar cinco vezes ao dia voltado para Meca.  Caridade: Dar esmolas.  Peregrinação: Peregrinar à Meca pelo menos uma vez na vida.  Jejum: Jejuar no mês de Ramadã.

15  A base econômica original das sociedades islâmicas era o trabalho agropastoril dos camponeses em terras pertencentes aos grandes chefes militares e religiosos.  A escravidão era muito difundida nas sociedades muçulmanas (escravos domésticos e serviçais).  Destaque cultivos de algodão, arroz e cana-de-açúcar.  O contato com outros povos favoreceu o avanço tecnológico dos islâmicos.  Metalurgia.  Instrumentos de crédito e promoveram a circulação de moedas  Os muçulmanos fizeram do Mediterrâneo no século VIII – Mare Nostrum. A ECONOMIA

16

17 •Ao contrário do que diz o senso comum, o Corão apresenta diversas disposições favoráveis à mulher: Poligamia: •Para que o homem case com uma segunda esposa, a primeira esposa deve consentir, bem como a futura esposa. Ambas devem concordar. •Não é permitida a poligamia se as leis do país não permitirem. A CONDIÇÃO FEMININA

18 •Todas esposas têm direito a mesma condição material e afetiva, é dever do marido. Alcorão: "Mas se temerdes não poder ser equitativos para com elas, casai, então, com uma só."4-3 •Nenhuma mulher pode ser forçada ao casamento. •Ao casar a mulher pode exigir a inserção de cláusula no contrato de casamento assegurando que o marido não se case com uma segunda esposa.

19 •Este instituto da poligamia obriga o homem a dar tratamento igualitário às mulheres e a todos os seus filhos, além de assegurar a todos eles a respeitabilidade de pertencerem a uma família. •O concubinato é proibido no Islam, sendo considerado adultério. Observe-se que no concubinato os direitos da mulher não estão garantidos e seus filhos não têm o amparo e a respeitabilidade de pertencerem a uma família reconhecida socialmente.

20 Divórcio: •Proporcionar o necessário às divorciadas (para sua manutenção) é um dever dos tementes."2-241 •Divórcio só se consuma após um período de espera de três menstruações ou três meses. Podem se reconciliar neste período sem necessidade de novo casamento. Após o período de espera só com novo casamento. •Se se divorciarem três vezes não podem mais casar a não ser que a mulher se case com outro homem com intenção de permanecer com ele e depois dele se divorcie.

21 Direitos: •A mulher tem direito inalienável à sua propriedade, podendo dela dispor sem interferência de quem quer que seja, mesmo pai, irmão, marido ou filho. •A propriedade da mulher não pode ser tocada mesmo que seu marido ou pai ou qualquer outro parente tenha dívidas que excedam seu próprio patrimônio. •Têm os mesmos direitos dos homens para aquisição de propriedades, pode herdá-las, recebê-las em doação ou como presente, ganhá-las como remuneração de seu trabalho e esforço. •Pode dispor de seus bens de forma absoluta.

22 •Direito a dote ao casar. •Direito à manutenção pelo marido: alimentos, vestuário, moradia, etc. •Pode, se quiser, trabalhar para aumentar a renda da família, ou para diminuir a despesa que se teria se ela não trabalhasse. •Se não quiser amamentar seu filho é dever do pai contratar uma ama de leite.

23 No entanto, o mesmo Corão estabelece que os homens são superiores as mulheres; que eles deviam encarcerar para sempre as mulheres adúlteras; que podiam impedir suas esposas de se enfeitarem como pagãs, obrigando-as a usar o véu para cobrir-se; que baixassem os olhos quando andassem em público. IMPORTANTE:

24

25 Na origem, a "burca" é o traje tradicional das tribos pashtuns no Afeganistão. Este longo véu, de cor azul ou marrom, cobre completamente a cabeça e o corpo da mulher muçulmana, e tem apenas uma rede sobre os olhos. Há alguns anos a "burca" virou, aos olhos do mundo ocidental, o símbolo do regime talibã no Afeganistão, que tornou seu uso obrigatório. BURCA

26 O "niqab" tem sua origem etimológica na palavra árabe "naqaba", que significa "esburacar", porque buracos no tecido às vezes servem para deixar os olhos livres. NIQAB

27 O chador (do persa "chaddar") é uma vestimenta tradicional das mulheres do Irã e cobre seu corpo dos pés à cabeça, sendo usado sobretudo pelas seguidoras do islamismo. CHADOR

28

29 O ISLAMISMO E O TERRORISMO Principais Grupos terroristas: AL QAEDA: •Significado: •Significado: "A Fundação" ou "A Base" é uma Organização Fundamentalista Islâmica internacional, •Objetivo •Objetivo: reduzir a influência não-islâmica sobre assuntos islâmicos. •Origens •Origens: A partir da invasão Soviética ao Afeganistão, na qual vários não-afegãos, lutadores árabes se uniram ao movimento anti-russo formado pelos Estados Unidos e Paquistão.

30 •Líder: •Líder: Osama Bin Laden, membro de uma abastada e proeminente família árabe-saudita, liderou um grupo informal (mujahedins) que se tornou uma grande agência de levantamento de fundos e recrutamento para a causa afegã. •Esse grupo canalizou combatentes islâmicos para o conflito, distribuiu dinheiro e forneceu logística e recursos, para as forças de guerra

31 TALEBAN: • Significado: Estudantes. Se dizem estudiosos do Alcorão e acreditam que as leis e o Estado devem seguir as escrituras sagradas. • Origem: Afeganistão • Durante o regime Taleban as mulheres eram proibidas de frequentar escolas e trabalhar. • Assistir televisão, ouvir músicas e ler alguns livros, principalmente os que continham imagens era proibido. • As mulheres só podiam sair à rua acompanhadas e o uso da burca era obrigatório.

32 •A Cultura Muçulmana: •O esplendor de Bagdá: Importante centro de difusão do conhecimento e da religião islâmica. •Recebeu diferentes culturas e tinha em seu acervo traduções em árabe de textos gregos, latinos, persas, hindus, etc. •Tinha museus, bibliotecas e observatórios astronômicos. •Recebia estudiosos de diversas localidades, o que possibilitou o contato com diversas formas de conhecimento e o desenvolvimento de instrumentos (como o astrolábio) e de teorias (como os algoritmos). • Assimilação de valores de outros povos (hindus, persas, chineses e bizantinos). •Tradução e conservação de obras clássicas (Aristóteles e Platão).

33 Nas artes, a influência islâmica é bastante atuante nos objetos decorativos e na tapeçaria, item muito presente nas mesquitas. Interior da Mesquita Azul, em Istambul (Turquia), coberta por tapetes.

34 CASTELO DE ALHAMBRA - GRANADA - ESPANHA

35 Interior do Palácio.

36 SUNITAS E XIITAS NO MUNDO HOJE:

37


Carregar ppt "A PENÍNSULA ARÁBICA ATÉ O SÉCULO VII d. C. •Região bastante desértica. •Diversas tribos nômades viviam do comércio e do pastoreio. •A cidade de Meca era."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google