A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O IMPÉRIO BIZANTINO. Contexto Histórico O declínio e a divisão do Império Romano, Conflitos administrativos, militares, políticos e culturais (luta entre.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O IMPÉRIO BIZANTINO. Contexto Histórico O declínio e a divisão do Império Romano, Conflitos administrativos, militares, políticos e culturais (luta entre."— Transcrição da apresentação:

1 O IMPÉRIO BIZANTINO

2 Contexto Histórico O declínio e a divisão do Império Romano, Conflitos administrativos, militares, políticos e culturais (luta entre os generais romanos, adesão ao Cristianismo, invasões); Constantino transfere a capital do Império para Bizâncio, reconstruindo-a e rebatizando com o nome de Constantinopla; Teodósio dividiu o Império entre seus filhos. O líder germano Odoacro ocupa Roma em 476. Arcádio mantém o domínio de Constantinopla, que sobrevive até a ocupação turca, em 1453.

3 Império Romano do Oriente ou Império Grego Constantinopla – capital. – Antiga Bizâncio, hoje Istambul (TUR). – Local privilegiado estrategicamente – contatos entre Oriente e Ocidente, rota de comércio. Comércio ativo + produção agrícola próspera = riquezas. Resistência às invasões bárbaras. Centralização política: Imperador. – CESAROPAPISMO: Imperador = chefe do exército + Igreja

4 JUSTINIANO (527 – 565) – auge do Império

5 – Conquistas territoriais. Península Itálica + Península Ibérica + Norte da África. – Compilação do Direito Romano a partir do séc. II. CORPUS JURIS CÍVILIS Poderes ilimitados ao imperador. Privilégios para a Igreja e para a nobreza. Marginalização de colonos e escravos. – Burocracia centralizada + gastos militares + impostos. Revoltas populares (Sedição de Nike) – Igreja de Santa Sofia (estilo bizantino – majestosidade)

6 CATEDRAL DE SANTA SOFIA

7

8 EXTENSÃO MÁXIMA DO IMPÉRIO BIZANTINO (JUSTINIANO

9 Influência de valores orientais. Grego – língua a partir do séc. VII. Surgimento de heresias: – MONOFISISTAS – negação da santíssima trindade (Cristo apenas com natureza divina); – ICONOCLASTAS – destruição de imagens (ícones). 1054: CISMA DO ORIENTE: – Igreja Cristã Ortodoxa (Patriarca de Constantinopla); – Igreja Católica Apostólica Romana (Papa).

10 Economia Comércio dinâmico favorecido pela localização geográfica. Agricultura concentrava-se nas terras da Igreja. Havia um controle de Estado sobre as atividades econômicas.

11 Decadência: – séc. VII e VIII – invasões de bárbaros e árabes; – séc. XI – XIII – alvo das Cruzadas; – 1453 – Conquistados pelos Turcos Otomanos (marco histórico que delimita oficialmente o fim da Idade Média e início da Idade Moderna.

12 O IMPÉRIO ÁRABE

13 Península arábica. Deserto predominante. Até o séc. VI: divididos em aproximadamente 300 tribos. – Beduínos – nômades, dedicados a saques, habitavam o deserto. – Tribos urbanas – habitantes das margens do Mar Vermelho ou ao sul da Península. Dedicavam-se a agricultura e acima de tudo ao comércio. Formaram as principais cidades da região (Meca e Iatreb). Meca: centro comercial e religioso. – Caaba (cubo) – santuário e depósito de imagens de deuses politeístas das diferentes tribos. – Administrada pela tribo dos coraixitas.

14 A CAABA - MECA

15

16

17 MAOMÉ (570 – 632) – membro do ramo pobre dos coraixitas. – Profeta que segue a linhagem de Noé, Abraão, Moisés e Jesus. 610 – REVELAÇÃO: Só há um Deus que é Alá, e Maomé é seu profeta. – Oposição dos administradores coraixitas de Meca. – Repressão aos seguidores de Maomé.

18 622 – HÉGIRA: fuga de Maomé e seus seguidores para Iatreb (posteriormente conhecida como Medina – a cidade do profeta). – Início do calendário muçulmano. – População local é convertida. – Proclamação da primeira Jihad (esforço coletivo).

19 630 – Retorno a Meca com exército de populações convertidas. – Destruição de divindades politeístas da Caaba. – Anistia a antigos opositores. – Península Arábica é completamente convertida ao islamismo.

20 EXTENSÃO MÁXIMA DO IMPÉRIO ÁRABE

21 POLITEÍSTAS E COMERCIANTES

22 Maomé e o Islamismo - Fundador do islamismo (ano 570). - Monoteísta: existência de um único deus: Alá. - Pedra Negra (Caaba): símbolo religioso.

23 Maomé e o aviso do anjo

24 Maomé

25 Pedra Negra (Caaba): Meca

26 A CIDADE SAGRADA

27 Monoteísmo: existência de um único deus: Alá.

28 Os princípios do Islamismo Corão ou Alcorão: livro Sagrado. Guerra Santa (DJIHAD): combate aos não- muçulmanos que ameaçavam a religião muçulmana. Promessa do paraíso para quem for fiel a Alá. Obrigações religiosas dos muçulmanos: crer em Alá, Rezar 5x por dia, dar esmolas, Jejuar no mês de Ramada, Ir a Meca pelo menos uma vez na vida.

29 Corão ou Alcorão: livro Sagrado

30 Guerra Santa (DJIHAD)

31 Expansão Árabe: O Império Muçulmano Califa (líder). Guerra Santa para expansão do islamismo. conquista de territórios.

32 Cultura Árabe - Comércio: cheques, recibos, cartas de crédito, etc. - Ciência: química (busca de pedra filosofal) e conhecimentos de medicina. - Literatura: Aladim e a lâmpada maravilhosa, Simbad, o marujo, Mil e uma noites, Ali baba e os 40 ladrões.

33 Cultura muçulmana: Assimilação de valores de outros povos (hindus, persas, chineses e bizantinos). Tradução e conservação de obras clássicas (Aristóteles e Platão). Medicina: AVICENA (980 – 1037) – referência mundial até o século XVII com seu compêndio sobre o corpo humano. Matemática: números arábicos, zero, avanços em trigonometria e álgebra. Física: fundamentos da óptica.

34 Química: descrição dos processos de destilação, filtração e sublimação; desenvolvimento do carbonato de sódio, nitrato de prata, ácidos nítrico e sulfúrico e álcool. Todas estas descobertas para tentar criar a pedra filosofal e o elixir da longa vida. Arquitetura: cúpulas, minaretes, arcos em ferradura, decoração com motivos geométricos e vegetais.

35 Cultura Árabe

36

37 Islamismo hoje Espalhado em diversos países do Mundo: principalmente no Oriente Médio e Ásia. Sociedade Patriarcal e pouca participação das mulheres. Conflitos e guerras no Oriente Médio (ex: Guerra do Iraque).

38 Jerusalém: Palco de conflitos

39

40

41

42

43 FIM

44 Os Bárbaros

45 Introdução O império romano do Ocidente caiu nas mãos dos bárbaros em 476. A palavra bárbaro ocultava uma grande carga de preconceito. Os bárbaros viviam fora da fronteiras do Império romano, tinham hábitos diferentes e não falavam o latim.

46 Formação da sociedade ocidental européia Entre vários grupos bárbaros, os germanos tiveram uma importância especial, pois foi o grupo que mais influenciou na formação da sociedade ocidental européia.

47 Habitavam na região da Europa, entre os rios Reno, Vístula e Danúbio; viviam em aldeias e vestiam-se com peles de animais. Suas casas eram de madeira revistas de barro e palha. E a base de sua sociedade era a família. Um conjunto de famílias formava uma estirpe e várias estirpes compunham uma tribo ou povo, chefiada por um rei.

48 Religião – Animistas – acreditavam na vida após a morte. O direito era baseado em costumes. Tinham relações com romanos. A partir do século IV, as relações deixaram de ser amistosas. Invadiram o Império Romano e fundaram vários reinos (Francos, anglo-saxãos e vizigodos).


Carregar ppt "O IMPÉRIO BIZANTINO. Contexto Histórico O declínio e a divisão do Império Romano, Conflitos administrativos, militares, políticos e culturais (luta entre."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google