A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estudo: Mensagem do Dr. Bezerra de Menezes Tema - abordagem: O Brasil e sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho” Data: 19 de agosto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estudo: Mensagem do Dr. Bezerra de Menezes Tema - abordagem: O Brasil e sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho” Data: 19 de agosto."— Transcrição da apresentação:

1 Estudo: Mensagem do Dr. Bezerra de Menezes Tema - abordagem: O Brasil e sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho” Data: 19 de agosto de 2013 Expositor: Mauro Valle União Espírita Dr. Bezerra de Menezes

2 O Reformador – abril de 2000 Mensagem do Dr. Bezerra de Menezes Meus filhos: Prossegue o Brasil na sua missão histórica de “Pátria do Evange- lho” colocada no “Coração do Mundo”. (...) Jesus, meus filhos, confia em nós e espera que cumpramos com o nosso dever de divulgá-LO, custe-nos o contributo do sofrimento silencioso e das noites indormidas em relação à dificuldade para preservar a pureza dos nossos ideais, ante as licenças morais perturbadoras que nos chegam, sutis e agressivas, conspirando contra nossos propósitos superi- ores. Divulgá-LO, vivo e atuante, no espírito da Codificação Espírita, é compromisso impostergável, que cada um de nós deve realizar com perfei- ta consciência de dever, sem nos deixarmos perturbar pelos hábeis sofis- tas da negação e pelas arengas pseudo-intelectuais dos aranzéis apresen- tados pela ociosidade dourada e pela inutilidade aplaudida.(...)

3 O Reformador – abril de 2000 (...)Chamados para essa luta que começa no país da consciência e se exterioriza na indimensionalidade geográfica, além das fronteiras do lar, do grupo social, da Pátria, em direção do mundo, lutais para serdes escolhidos. Perseverai para receberdes a eleição de servidores fiéis que perderam tudo, menos a honra de servir; que padeceram, imolados na cruz invisível da renúncia, que vos erguerá aos páramos da plenitude. (...) (...) O Brasil prossegue, meus filhos, com a sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho”, (...) O Brasil prossegue, meus filhos, com a sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho”, mesmo que a descrença habitual, o cinismo rotulado de ironia, o sorriso em gargalhada estrídula e zombeteira tentem diminuir, em nome de ideologias materialistas travestidas de espiritu- alismo e destrutivas em nome da solidariedade.(...) (...) O Brasil prossegue, meus filhos, com a sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho”,

4 Bezerra, antes de ser o Dr. Bezerra... Para melhor compreender Bezerra de Menezes: A história de Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti começa no mundo espiritual, quando o Anjo Ismael, que trabalha diretamente com Jesus e cuida do Brasil, o convocou para importante missão na Terra: “Descerás às lutas terrestres com o objetivo de con- centrar as nossas energias no país do Cruzeiro, dirigindo-as para o alvo sagrado dos nossos esforços. Arregimentarás todos os elemen- tos dispersos, com a dedicação do teu espírito, a fim de que possa- mos criar o nosso núcleo de atividades espirituais, dentro dos eleva- dos propósitos de reforma e regeneração. (...) Se a luta vai ser grande, considera que não será menor a compensação do Senhor, que é o ca- minho, a verdade e a vida.” Encarnado em 1831, Dr. Bezerra teve o “primeiro” contato com o Espiritismo quando contava já com 44 anos. Encarnado em 1831, Dr. Bezerra teve o “primeiro” contato com o Espiritismo quando contava já com 44 anos.

5 O despertar do Espírita, em 1875 Conheceu a Doutrina Espírita quando do lançamento da tradução em língua portuguesa de O Livro dos Espíritos (em 1875), através de um exemplar que lhe foi oferecido com dedicatória pelo seu tradutor, Dr. Joaquim Carlos Travassos. Sobre o contato com a obra, o próprio Bezerra escreveu, posterior- mente: “Deu-mo na cidade e eu morava na Tijuca, a uma hora de viagem de bonde. Embarquei com o livro e, como não tinha distração para a longa viagem, disse comigo: ora, adeus! Não hei de ir para o inferno por ler isto… Depois, é ridículo confessar-me ignorante desta filosofia, quando tenho es- tudado todas as escolas filosóficas. Pensando assim, abri o livro e prendi - me a ele, como acontecera com a Bíblia. Lia. Mas não encontrava nada que fosse novo para meu Espírito. Entretanto, tudo aquilo era novo para mim!... Eu já tinha lido ou ouvido tudo o que se achava no 'O Livro dos Espíritos'. Preocupei- me seriamente com este fato maravilhoso e a mim mesmo dizia: parece que eu era espírita inconsciente, ou, mesmo como se diz vulgarmente, de nascença... Eu era espírita e não sabia!"

6 Influência espiritual na história DESTINAÇÃO ESPIRITUAL DO BRASIL Segundo o realismo histórico cristão, a História se desenrola con- forme a vontade de Deus, sempre soberana, sem prejuízo, porém, do papel do homem, que executa o planejamento divino, de acordo com seu preparo para a missão e seu livre-arbítrio, que o leva, muitas vezes, a desvios histó- ricos conhecidos. Esse mecanismo é comentado por Hermínio Correa de Miranda, no artigo “Arquivos Espirituais da Independência do Brasil”, no “Reforma- dor” de setembro de 1972 na seguinte forma: “(...) sou daqueles que vêem na História a presença inequí- voca de Deus e, por isso, também, a importância das lições que elas en- cerram para melhor entendimento do presente e mais lúcida projeção do futuro. (...) É assim que os poderes espirituais fazem a História, escreven- do-a primeiro na memória e no coração dos seres que devem, por assim dizer, materializá-la no plano humano. Há falhas, às vezes, porque os Es- píritos não são constrangidos; são convidados. Fica-lhes o livre-arbítrio e, por isso, estão sujeitos a deslizes que podem retardar o programa, mas nunca invalidar o objetivo superior traçado no mundo espiritual”.

7 Influência espiritual na história O PREPARO DA RAÇA BRASILEIRA O Brasil é um país mestiço, de raça não pura, de população cruza- da. O povo brasileiro formou-se, inicialmente, da mistura: - do português - elemento invasor, desbravador, aventureiro, ro- mântico a seu modo; - do índio, elemento nativo, corajoso, amante da liberdade; - do negro, elemento importado, sofredor, que veio como escravo, saudoso de sua terra, mas desprendido e humilde (a escrava amamentava o filho da Sinhá, enquanto o seu filho chorava de fome); e - posteriormente, de outras raças... As influências recebidas foram assimila- das, absorvidas. Surgiu um povo de gran- de simpatia, marcado pela solidariedade humana, com uma consciência coletiva e fraterna.

8 sem compromissos políticos, sem profissionalismo religioso, Cabe ressaltar o alerta contido no livro BEZERRA, CHICO E VOCE, também psicografado por Chico Xavier, Bezerra de Menezes evidencia al- gumas coisas que fazem da Doutrina Espírita uma religião diferente: “É indispensável manter o Espiritismo qual foi entregue pelos Mensageiros Divinos a Allan Kardec, sem compromissos políticos, sem profissionalismo religioso, sem personalismos deprimentes, sem pruridos de conquista e poderes terrestres transitórios.” No livro Brasil, coração do mundo... Para melhor compreendermos a mensagem de Bezerra de Menezes, precisaremos abordar alguns tópicos do livro BRASIL, CORAÇÃO DO MUNDO, PÁTRIA DO EVANGELHO, ditada pelo espírito Humberto de Campos, psicografada por Francisco Cândido Xavier (primeira edição em 1938). É injuriosa a acusação, dos que vêem nessa obra, a presunção de brasileiros quanto à posição de povo eleito, privilegiado, com pretensão de superioridade e ânsia de hegemonia sobre os demais. Mas há, mesmo en- tre nós, espíritas.

9 O CORAÇÃO DO MUNDO No prefácio da obra escreveu Emmanuel: “O Brasil não está somente destinado a suprir as necessi- dades materiais dos povos mais pobres do Planeta, mas, também, a facultar ao mundo inteiro uma expressão conso- ladora da crença e de fé raciocinada e a ser o maior celeiro de claridades espirituais do Orbe inteiro”. O autor da obra esclarece, na introdução: “Jesus transplantou da Palestina para a região do Cruzeiro a árvore magnânima do seu Evangelho, a fim de que os seus rebentos delicados florescessem de novo, frutificando em obras de amor para todas as criaturas.(...) No livro Brasil, coração do mundo...

10 Transcrito do Capítulo I: a tristeza do Mestre. “(...) Foi após essa época, no último quartel do século XIV, que o Senhor desejou realizar uma de suas visitas periódicas à Terra, a fim de observar os progressos de sua doutrina e de seus exemplos no coração dos homens.(...) - Helil – disse a voz suave e meiga do Mestre a um dos seus mensageiros, encarregado dos problemas sociológicos da Terra -, meu coração se enche de profunda amargura, vendo a incompreensão dos homens, no que se refere às lições do meu Evangelho. Por toda a parte é a luta fratricida, como polvo de infinitos tentáculos, a destruir todas as espe- ranças; recomendei-lhes que se amassem como irmãos e vejo-os em movi- mentos impetuosos, aniquilando-se uns aos outros como Cains desvaira- dos. (...) Era preferível que Saladino guardasse, para sempre, todos os po- deres temporais na Palestina, a que caísse um só dos fios de cabelo de um soldado, numa guerra incompreensível por minha causa, que, em todos os tempos, deve ser a do amor e da fraternidade universal ”.

11 No livro Brasil, coração do mundo... O diálogo continua, vindo, em dado momento, Jesus a perguntar: “ – Helil (...) onde fica, nestas terras novas, o recanto pla- netário do qual se enxerga, no infinito, o símbolo da redenção humana? - Esse lugar de doces encantos, Mestre, onde se vêem, no mundo, as homenagens dos céus, aos vossos martírios na Terra, fica mais para o Sul.(...) - Para esta terra maravilhosa e bendita será transplantada a árvore do meu Evangelho de piedade e de amor. No seu solo dadivoso e fertilíssimo, todos os povos da Terra aprenderão a lei da fraternidade uni- versal. Sob estes céus serão entoados os hosanas mais ternos à miseri- córdia do Pai Celestial. (...) Aproveitamos o elemento simples de bondade, o coração fraternal dos habitantes destas terras novas, e, mais tarde, orde- narei a reencarnação de muitos Espíritos já purificados no sentimento da humildade e da mansidão, entre as raças sofredoras das regiões africanas, para formarmos o pedestal de solidariedade do povo fraterno que aqui flo- rescerá, no futuro, a fim de exaltar o Meu Evangelho, nos séculos gloriosos do porvir. Aqui, Helil, sob a luz misericordiosa das estrelas da cruz, ficará localizado o CORAÇÃO DO MUNDO!”

12 No livro Brasil, coração do mundo... Henrique de Sagres (o Helil), (...) confia ao Senhor as suas vacilações e os seus receios: - Mestre – diz ele -, (...) Temo, Senhor, que as nações am- biciosas matem as nossas esperanças, invalidando as suas possibilidades e destruindo os seus tesouros.... Jesus, porém, confiante, por sua vez, na proteção de seu Pai, não hesita em dizer com a certeza e a alegria que traz em si: - Helil, afasta essas preocupações e receios inúteis. A região do Cruzeiro, onde se realizará a epopéia do Meu Evangelho, estará, antes de tudo, ligada eternamente ao meu coração. As injunções políticas terão nela atividades secundárias, porque, acima de todas as coisas, em seu solo santificado e exuberante estará o sinal da fraternidade universal, unindo todos os espíritos. Sobre a sua volumosa extensão pairará constan- temente o signo da minha assistência compassiva e a mão prestigiosa e potentíssima de Deus pousará sobre a terra de minha cruz, com infinita misericórdia.”

13 A mensagem... Atual! Uma preocupação que persiste aos dias de hoje: “(...)Apesar dos graves problemas que nos comprometem em rela- ção ao porvir – não obstante o cepticismo que desgoverna as mentes em relação aos dias do amanhã (...) Sem dúvida, o cinturão da miséria sócio-econômica que envolve as grandes cidades brasileiras alarma a consciência nacional.(...) Inegável a nossa preocupação ante a onda crescente de violência e de agressividade urbana... Sem dúvida, os fatores do desrespeito à consciência nacional e a maneira incorreta com que atuam alguns homens nas posições relevantes e representativas do País fazem que o vejamos, momentaneamente, em uma situação de derrocada irreversível. Tenha-se, porém, em mente que vivemos uma hora de enfermida- des graves em toda a Terra, na qual, o vírus da descrença gera as doenças do sofrimento individual e coletivo, chamando o homem a novas reflexões.”

14 A mensagem... Humildes... Nações Antigas - os humildes serão exaltados “As grandes nações do passado, que escravizaram o mundo medi- terrâneo, não se eximiram à derrocada das suas edificações, ao fracasso dos seus propósitos e programas (...) As maravilhas da Humanidade reduziram-se a escombros (...) Mas, o Herói Silencioso da Cruz, de braços abertos, transformou o instrumento de flagício em asas para a libertação de todas as criaturas, e a luz fulgurou no topo da cruz converteu-se em perene madrugada para a Humanidade de todos os tempos. O Brasil recebeu das Suas mãos, através de Ismael, a missão de implantar no seu solo virgem de carmas coletivos, (...)a cruz da libertação das consciências (...) apon- tando o rumo novo do amor para que res- taurem no coração a esperança e a cora- gem para a luta de redenção.”

15 A mensagem... Confia! Bezerra de Menezes incita-nos a confiar ! “Permaneçam confiantes, os espíritas do Brasil, na missão espiri- tual da “Pátria do Cruzeiro” (...) Jesus, meus filhos, confia em nós e espera que cumpramos com o nosso dever de divulgá-LO, custe-nos o contributo do sofrimento silencioso e das noites indormidas em relação à dificuldade para preservar a pureza dos nossos ideais, ante as licenças morais perturbadoras que nos chegam, sutis e agressivas, conspirando contra nossos propósitos superiores. Divulgá-LO, vivo e atuante, no espírito da Codificação Espírita, é compromisso impostergável, que cada um de nós deve realizar com perfei- ta consciência de dever, sem nos deixarmos perturbar pelos hábeis sofis- tas da negação e pelas arengas pseudo-intelectuais dos aranzéis apresen- tados pela ociosidade dourada e pela inutilidade aplaudida (...)”

16 A missão dos espíritas do Brasil... Nossa missão ! (...) Chamados para essa luta que começa no país da consciência e se exterioriza na indimensionalidade geográfica, além das fronteiras do lar, do grupo social, da Pátria, em direção do mundo, lutais para serdes escolhidos. Perseverai para receberdes a eleição de servidores fiéis que perderam tudo, menos a honra de servir; que padeceram, imolados na cruz invisível da renúncia, que vos erguerá aos páramos da plenitude.(...) Levai esta bandeira luminosa: “Deus, Cristo e Caridade” insculpida em vossos sen- timentos e trabalhai pela Era Melhor, que já se avizinha, divulgando o Espiritismo Liberta- dor onde quer que vos encontreis, sem o fa- natismo dissolvente, mas, sem a covardia co- nivente, que teme desvelar a verdade para não ficar mal colocada no grupo social da ilusão. (...) A mensagem... Nossa missão...

17 A mensagem... Nossos atos... Nossa conduta: sejamos o exemplo para outros! “Agora, quando se abrem as portas para apresentar a mensagem do Cristo e de Kardec ao mundo, e logo mais, preparai-vos para que ela seja vista em vossa conduta, para que seja sentida em vossas realizações e para que seja experimentada nas Casas que momentaneamente admi- nistrais, mas que são dirigidas pelo Senhor de nossas vidas, através de vós, de todos nós.” No último capítulo do livro CORAÇÃO DO MUNDO, PÁTRIA DO EVANGELHO, Humberto de Campos diz o seguinte: “ (...) Só o legítimo ideal cristão, reconhecendo que o reino de Deus ainda não é deste mundo, poderá, com a sua esperança e o seu exemplo, espiritualizar o ser humano, espalhando com os seus labores e sacrifícios as sementes produtivas na construção da sociedade do futuro.”

18 A mensagem... Missão histórica. A missão histórica do Brasil, é para com o Evangelho !! “(...)Não se confunda missão histórica do País com a competição lamentável, em relação às megalópoles do mundo. (...) Não se pretenda colocar o Brasil no comando intelectual do Orbe terrestre, através de celebrações privilegiadas que se encarreguem de deflagrar as guerras de aniquilamento da vida física.” Não se pretenda colocar o Brasil no comando intelectual do Orbe terrestre, através de celebrações privilegiadas que se encarreguem de deflagrar as guerras de aniquilamento da vida física.” “O Brasil prossegue, meus filhos, com a sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho”, mesmo que a descrença habi- tual, o cinismo rotulado de ironia, o sorriso em gargalhada estrídula e zom- beteira tentem diminuir, em nome de ideologias materialistas travestidas de espiritualismo e destrutivas em nome da solidariedade.”

19 Uma tarefa a fazer... A DIVULGAÇÃO DOUTRINÁRIA O Espiritismo ensina que, planejadas na Espiritualidade as nossas tarefas, com vistas a garantir nosso progresso intelectual e espiritual, cabe- nos a responsabilidade de executá-las, e as fazemos de acordo com a nos- sa vontade, bem ou mal, apressando ou retardando nossa própria evolução. Estas tarefas podem até ser postergadas, mas nunca frustradas. No artigo “Uma avaliação do Espiritismo no Brasil”, publicado em “Reformador” de março de 1978, Hermínio Corrêa de Miranda assim se manifesta a respeito da missão atribuída aos espíritas brasileiros, pela obra “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”: “É certo, pois, que o nosso país está investido de uma grande responsabilidade na implementação desse esquema de trabalho e tudo se fará conforme planejado, mesmo porque, segundo Humberto, “todos os obstáculos serão, um dia, removidos para sempre do caminho ascensional no progresso”. Está, porém, nas mãos dos homens a faculdade de influir no ritmo da caminhada.”

20 Uma tarefa a fazer... A IMPORTÂNCIA DO BRASIL NA DIVULGAÇÃO DOUTRINÁRIA - A difusão do Espiritismo, com o empenho da FEB, que vem publi- cando e distribuindo milhões de exemplares de obras específicas, muitas das quais em língua estrangeira; - A façanha mediúnica de Francisco Cândido Xavier, que psicogra- fou livros que abrangem os mais diversos assuntos, como poesia, roman- ce, conto, crônica, histórias, ciência, filosofia, religião ( mensagens de Emmanuel, André Luiz e outros); - A divulgação da Doutrina Espírita no Exterior feita, em palestras, principalmente por Divaldo Pereira Franco, que também responde por mui- tos títulos editoriados; - A ação elucidativa e renovadora de doutrinadores, expositores, jornalistas e escritores espíritas...

21 Aceita o chamado! Muitos são os chamados... Quando foi convidado para presidir a FEB, Bezerra hesitou, então Santo Agostinho, pelo médium Frederico Júnior, fez-lhe o seguinte apelo: “Aceita o convite. É um chamado. Já te dissemos mais de uma vez que a união dos espíritas e a sua orientação te foram confiadas. Não duvi- des nem te preocupes com as dificuldades. Faze o trabalho do homem, sem cuja boa-vontade nada podemos. Cumpre o teu dever e cumpriremos o nosso.” “Aceita o convite. É um chamado. Já te dissemos mais de uma vez que a união dos espíritas e a sua orientação te foram confiadas. Não duvi- des nem te preocupes com as dificuldades. Faze o trabalho do homem, sem cuja boa-vontade nada podemos. Cumpre o teu dever e cumpriremos o nosso.” Podemos não ser um espírito de escol (ainda), mas um convite nos foi feito, não com estas mesmas palavras que foram dirigidas ao médico do pobres, Dr. Bezerra, mas, sem dúvida, com a mesma finalidade: divulgar o Espiritismo. Cabe a nós fazer o que nos prontificamos quando ainda na espiri- tualidade. Aceitemos este chamado, e continuemos a nossa caminhada evo- lutiva!

22 A mensagem do Médico dos pobres “Que nos abençoe Jesus, o Amigo de ontem – que já era antes de nós -, o Benfeitor de hoje – que permanece conosco -, e o Guia para amanhã – que nos convida a tomar do Seu fardo e receber o Seu jugo, únicos a nos darem a plenitude e a paz. Muita paz, meus filhos! São os votos do servidor humílimo e paternal de sempre, Bezerra” Muita Paz! Mauro Valle


Carregar ppt "Estudo: Mensagem do Dr. Bezerra de Menezes Tema - abordagem: O Brasil e sua missão histórica de “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho” Data: 19 de agosto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google