A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gerência de Projetos de TI 5. Tempo Adriano Graziosi & Márcio Moreira

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gerência de Projetos de TI 5. Tempo Adriano Graziosi & Márcio Moreira"— Transcrição da apresentação:

1

2 Gerência de Projetos de TI 5. Tempo Adriano Graziosi & Márcio Moreira

3 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 2 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Quanto maior a velocidade... Maior o risco!

4 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 3 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Tempo Grupo de ProcessoProcesso PlanejamentoPlanejar a Gestão do Tempo PlanejamentoDefinir as Atividades PlanejamentoSequenciar as Atividades PlanejamentoEstimar os Recursos das Atividades PlanejamentoEstimar as Durações das Atividades PlanejamentoDesenvolver o Cronograma MonitoramentoControlar o Cronograma

5 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 4 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Gerência do tempo do projeto  O que é?  Conjunto de processos que garantem a execução do projeto no prazo estabelecido  Processos:  Duração:  Quantidade de horas entre o início e final da atividade  Trabalho ou Esforço:  Quantidade de horas-homem necessárias para realização de uma atividade  Ex.: Planejar a Gestão do Tempo Definir as Atividades Seqüenciar as Atividades Estimar os Recursos Estimar as Durações Desenvolver Cronograma Controlar o Cronograma Recurso 1 Recurso 2 Recurso 1 Recurso 2 16:0017:00 Duração:1h Trabalho:2h

6 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 5 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Planejar a gestão do tempo

7 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 6 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Planejar a gestão do tempo  Missão:  Definir políticas, procedimentos e documentação do planejamento, desenvolvimento, gestão, execução e controle do cronograma do projeto  Técnicas analíticas:  Escolha de opções estratégicas para estimar e agendar o trabalho  Envolve: metodologia, ferramentas, técnicas (fast track, compressão, paralelismo, etc.), abordagens, formatos e softwares  Plano de Gestão do Tempo:  Contém: modelo de cronograma, nível de precisão, unidades de medidas, links com procedimentos da empresa, modelo de atualização, limites de controle, regras de medição de desempenho (ex.: Valor Agregado), formatos e processo EntradasFerramentas e TécnicasSaídas Plano de gestão do projeto Termo de abertura do projeto Fatores ambientais da empresa Ativos de processos organizacionais Opinião especializada Técnicas analíticas Reuniões Plano de gestão do tempo

8 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 7 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Exemplos de questões  1) O Prazo do projeto é o fim do ano. O projeto consiste em duas atividades. A atividade A tem duração de dois meses, e a atividade B tem duração de três meses. As atividades A e B podem ser executadas simultaneamente. A data de início do projeto está definida para o início de julho. Qual é a duração MÁXIMA do projeto?  A. Dois meses.  B. Três meses.  C. Seis meses.  D. Cinco meses.  2) Qual dos itens a seguir não é uma entrada do Planejar a gestão do tempo?  A. A estrutura definida no documento que integra todos os planos do projeto.  B. O documento que contém as razões de negócio que justificam o projeto.  C. O documento que diz como o cronograma será gerado, mantido e controlado.  D. As condições de mercado e a base de conhecimento da empresa.

9 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 8 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Definir as atividades

10 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 9 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Definir as atividades  Missão:  Identificar as atividades necessárias para realização das entregas do projeto  Decomposição:  Ação de subdividir os pacotes de trabalho em atividades (componentes menores e gerenciáveis)  Planejamento em ondas sucessivas:  No começo, detalhamos bem a 1ª fase e em alto nível as demais  No final da 1ª fase detalha-se a 2ª. No final da 2ª detalha-se a 3ª EntradasFerramentas e TécnicasSaídas Plano de gestão do tempo Linha de base do escopo Fatores ambientais da empresa Ativos de processos organizacionais Decomposição Planejamento em ondas Opinião especializada Lista de atividades Atributos das atividades Lista de marcos Fase 1Fase 2Fase 3 AtividadesPacotes de Trabalho Entregas

11 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 10 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Definir as atividades - saídas  Lista de Atividades:  Atividades necessárias, descritas com detalhes suficientes para a equipe executar o trabalho  Recomendação: Usar verbos no infinitivo. Ex.: Montar o servidor web  Atributos de Atividades:  Identificador, nome, descrição, predecessoras, sucessoras, recursos, datas, restrições, etc.  Lista de Marcos:  Marcos (milestones, etapas ou marcadores de ritmo):  São referências contratuais (datas impostas) ou gerenciais (opcionais)  Identificam o final de um conjunto de atividade, pacote ou uma entrega Uberlândia Uberaba Ribeirão Preto Campinas São Paulo 100Km500Km 0Km 250Km600Km

12 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 11 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Sequenciar as atividades

13 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 12 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Sequenciar as atividades  Missão:  Identificação e registro das dependências das atividades  Tipos de precedências:  Término – Início:a 1ª termina para a 2ª começar (padrão)  Término – Término:a 1ª termina para a 2ª terminar  Duas tarefas precisam terminar juntas  Início – Início:a 1ª inicia para a 2ª iniciar  Duas tarefas precisam iniciar juntas  Início – Término:a 1ª inicia para a 2ª terminar  É a Término – Início de forma invertida  É utilizada quando temos uma cascata invertida EntradasFerramentas e TécnicasSaídas Plano de gestão do tempo Lista de atividades Atributos de atividades Lista de marcos Declaração de Escopo Fatores ambientais da empresa Ativos de processos organizacionais Método diagrama de precedência Determinação da dependência Aplicação de antecipação e espera Diagramas de rede do cronograma Documentos atualizados (lista de atividades, atributos de atividades, lista de marcos, registro de riscos, etc.)

14 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 13 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Diagrama de precedência (ou de rede)  Mostra as relações de dependência entre as tarefas  Representação:  Tarefas:  Retângulos  Dependências:  Setas  Determinação da dependência:  Obrigatórias:restrições de execução impostas por contrato ou físicas  Discricionárias:lógica ou melhor prática para fazer a atividade  Externas:a atividade depende de algo fora do projeto  Internas:a atividade depende de outra dentro do projeto

15 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 14 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Antecipação & Espera  Antecipação (lead):  Para ganhar tempo, podemos iniciar a pintura sem ter concluído o reboco da parede  Sem antecipação:  Com antecipação:  Predecessora na T2: T1TI – x dias  Espera (latência ou lag):  Temos que esperar a coluna secar antes de tirar as tábuas do molde de madeira  Sem latência:  Com latência:  Predecessora na T2: T1TI + x dias T1 T2 T1 T2 Antecipação T1 T2 T1 T2 Latência

16 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 15 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Exemplos de questões  3) Com base no gráfico, se a duração(meses) da atividade D mudar para 9, o que você precisaria incluir em seu relatório de desempenho?  A. O projeto será concluído depois do esperado.  B. Tudo no projeto está indo como planejado.  C. O projeto será concluído antes do previsto.  D. O risco de o projeto não ser concluído agora é maior.

17 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 16 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Estimar os recursos da atividade

18 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 17 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Estimar os recursos da atividade  Missão:  Estimar o tipo e a quantidade dos recursos necessários para realizar cada atividade  Recursos: Pessoas, materiais, equipamentos, suprimentos, etc.  Dados publicados para estimativas:  Dados públicos ou pagos que ajudam na estimativa de recursos  Estimativa bottom-up:  Se a atividade for complexa e inédita, decomponha-a até que se consiga estimar os recursos de forma confiável EntradasFerramentas e TécnicasSaídas Plano de gestão do tempo Lista das atividades Atributos das atividades Calendários de recursos Registro de riscos Estimativa de custo das atividades Fatores ambientais da empresa Ativos de processos organizacionais Opinião especializada Análise de alternativas Dados publicados para estimativas Estimativa bottom-up Software de GP Requisitos do recurso da atividade Estrutura analítica dos recursos Documentos de projeto atualizados (lista de atividades, atributos de atividades, calendário de recursos, etc.)

19 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 18 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI P1 •Atividade 1 •Atividade 2 P2 •Atividade 3 •Atividade 4 P3 •Atividade 5 •Atividade 6  Pool de Recursos:  Conjunto de recursos da empresa  Calendário Padrão do Projeto:  Contém os dias e horários úteis para o projeto  As ferramentas geralmente trazem sábados e domingos como dias não úteis  Temos que acrescentar feriados nacionais e locais  Calendário do Recurso:  Um determinado recurso pode ter um calendário próprio, derivado ou não do calendário do projeto Calendários de recursos Pool de Recursos Projetos Recurso 1 P1P2P3 Recurso 2 Recurso 3... Calendário do Recurso Calendário do Projeto Calendário do Projeto

20 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 19 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Estimar os recursos da atividade - saídas Estrutura Analítica dos Recursos (EAR) GP Líder 1 Papel 1 Papel 2 Líder 2 Papel 3 Líder 3 Papel 4 Papel 5 Assessor EAR  Além de estimar os recursos, precisamos pensar nas relações de estrutura dos recursos, envolvendo:  Subordinação  Quem é responsável por quem  Agrupamento  Funções, processos, geografia, etc.  Comunicação Fonte: CER03

21 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 20 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Estimar as durações da atividade

22 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 21 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Estimar as durações da atividade  Missão:  Estimar o trabalho necessário para realizar as atividades do cronograma  Os processos de estimativa devem considerar:  Calendários, know-how da empresa, métricas de produtividade, mas essencialmente a Competências (= Conhecimento + Habilidade + Atitudes) dos recursos EntradasFerramentas e TécnicasSaídas Plano de gestão do tempo Lista das atividades Atributos das atividades Calendários dos recursos Requisitos do recurso da atividade Registro de riscos Estrutura analítica do projeto (WBS) Fatores ambientais da empresa Ativos de processos organizacionais Opinião especializada Estimativa analógica Estimativa paramétrica Estimativa de três pontos Técnicas de decisão em grupo Análise das reservas Estimativas da duração das atividades Documentos do projeto atualizados (Atributos e premissas das atividades) Fonte: PRA90 Conhe ciment o Habilid ade Atitud e Compe tência

23 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 22 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Estimativas  Analógica:  Usar a duração real de atividades similares anteriores  Paramétrica:  Considera a produtividade padrão (da empresa ou do mercado) ou alguma forma de inferir a duração de uma atividade:  Ex: Atividade 1 = 10U em 30h  Atividade atual = 2U x (30 / 10) = 6 horas  Pode considerar outros parâmetros: Complexidade, habilidade da equipe, etc.  Três Pontos:  Visões:  Otimista (tO)  Pessimista (tP)  Mais provável ou Realista (tM)  Duração Esperada:  PERT (Program Evaluation and Review Technique ou Técnica de Revisão e Avaliação de Programa):  DE = (tO + 4 * tM + tP) / 6  Segue Distribuição Beta com 50% de probabilidade  Desvio Padrão = (tP - tO) / 6  DE ± DP tem 90% de chance  Média (Distribuição Triangular):  DE = (tO + tM + tP) / 3

24 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 23 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Análise das reservas  Reservas (buffers) para contingências:  Estima-se a duração de uma atividade  Aplica-se a esta duração uma reserva de contingência (de tempo ou buffer)  Pode ser: % da duração, % da análise de risco, número fixo ou períodos de trabalho  Deve ser documentada, pode ser usada total ou parcialmente, ou ainda eliminada posteriormente  Equilíbrio:  Duração x Trabalho x Recursos x Unidades  Alterou um  Outro(s) muda(m)  Unidade:  % de alocação de um recurso na atividade DuraçãoTrabalhoRecursosUnidades

25 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 24 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Quem deve definir durações? Patrocinador Cliente & Usuários Gerente do Projeto Equipe do Projeto Impõe restrições Impõem restrições Concilia restrições e prazo Execução  Define o prazo Compromisso & Assertividade

26 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 25 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Desenvolver o cronograma

27 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 26 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Desenvolver o cronograma  Missão:  Analisar recursos, restrições, durações e sequências de atividades para atingir os objetivos do cronograma do projeto  Método do Caminho Crítico (CPM = Critical Path Method):  Caminho Crítico:  Conjunto de atividades cuja duração impacta diretamente na duração total do projeto EntradasFerramentas e TécnicasSaídas Plano de gestão do tempo Lista das atividades Atributos das atividades Diagramas de rede do projeto Requisitos do recurso da atividade Calendários dos recursos Estimativas de duração da atividade Declaração de escopo Registro de riscos Atribuições do staff do projeto Estrutura analítica dos recursos Fatores ambientais da empresa Ativos de processos organizacionais Análise de rede do cronograma Método do caminho crítico Método da cadeia crítica Otimização de recursos Técnicas de modelagem (análise de cenários e simulação) Aplicação de antecipações e esperas Compressão do cronograma Ferramenta desenvolvimento cronograma Linha base do cronograma Cronograma do projeto Dados do cronograma Calendários do projeto Plano de gestão do tempo atualizado Documentos do projeto atualizados (requisitos de recursos das atividades, atributos das atividades, calendários e registro de riscos)

28 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 27 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Método do Caminho Crítico 2d 3d 2d 4d 2d 1d 3d = 7d = 8d = 6d 2d 3d 2d 4d 2d 1d 3d = 7d = 8d = 6d 2d 3d 2d 1d 3d = 7d = 6d 2d 3d 2d 1d 3d = 7d = 6d 2d 1d 2d 1d 3d = 5d = 6d 2d 1d 2d 1d 3d = 5d = 6d Qual a duração do Projeto? Como melhorar a duração? Qual a nova duração do Projeto? Como melhorar a duração? Qual a nova duração do Projeto? Pode existir mais de um caminho crítico!

29 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 28 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Método da Cadeia Crítica  Considere o caminho crítico a seguir:  Se as atividades destacadas em azul forem executadas pela mesma pessoa, o que ocorre?  A duração do projeto acabou de ser impactada novamente  O caminho crítico gerado pelas restrições de recursos é chamado de Cadeia Crítica 2d 3d 2d 4d 2d 1d 3d = 7d = 8d = 6d

30 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 29 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Compressão do cronograma  Técnicas de compressão do cronograma:  Compressão:mais recursos  menor tempo  Paralelismo:executar atividades em paralelo  Fatores de ponderação: Custo x Benefícios x Riscos Recurso 1 Recurso 2 Recurso 1 Recurso 2 Recursos Duração Eficiente Inútil Atividade 1 Atividade 2 Atividade 1 Atividade 2 Retra balho Heurística: (Regra Geral) 35% a 50% do paralelismo Paralelismo

31 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 30 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Atividades típicas de projeto Tempo Recursos Validação Atenção especial do Gerente do Projeto

32 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 31 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Paralelismo (fast track) de recursos Tempo Recursos Validação Lançamento Paralelismo Atividade 1Atividade 2Atividade 3Atividade 4

33 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 32 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Folga (flutuação) & alocação 2d 3d 2d 4d 2d 1d 3d = 7d = 8d = 6d Qual a folga no caminho crítico? Neste caminho qual a folga total? Neste caminho, podemos alocar as atividades: - No início (IMC: Data de Início mais cedo): deixando as folgas para o final - No final (IMT: Data de Início mais tarde): utilizando as folgas no início Qual é mais prudente? Por quê? Qual a vantagem de deixar a folga para o final? Folga Total: tempo máximo que uma atividade pode atrasar sem atrasar a data de conclusão do projeto. Folga Livre: tempo máximo que uma atividade pode atrasar sem atrasar o início da próxima atividade. Folga do Projeto: tempo que o projeto inteiro pode atrasar sem atrasar uma data combinada com o cliente/patrocinador. Por quê este caminho é chamado de Caminho Quase Crítico?

34 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 33 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Buffers  Buffer:  Buffer é uma atividade, sem trabalho, colocada num caminho para gerenciar as incertezas da cadeia crítica  Buffer do Projeto:  Pode ser colocado um buffer no projeto, no final da cadeia crítica, para proteger a data alvo de incertezas no caminho  Buffer de Alimentação:  É um buffer colocado na junção de caminhos que alimentam as atividades da cadeia crítica, para protegê-la de problemas nos caminhos de alimentação  Ex.: Atividade 1 Buffer de Atividade Atividade 2 Atividade 3 Buffer Projeto Cadeia Crítica 2d 3d 2d 4d 2d 1d = 7d = 8d Buffer de Alimentação

35 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 34 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Método da cadeia crítica e ajustes  Técnica usada para gerir recursos limitados:  Usa abordagens determinísticas e probabilísticas  Adiciona buffers às atividades planejadas  As atividades planejadas são alocadas o mais tarde possível  O foco de gestão passa da folga total para os buffers de duração e recursos limitados  Ajustar antecipações e esperas (latência) pode ajudar na viabilidade do cronograma do projeto

36 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 35 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Otimização de Recursos - Nivelamento  Nivelamento dos recursos:  Após a determinação do caminho crítico é preciso verificar se a disponibilidade e o uso dos recursos (críticos ou não) estão compatíveis com a demanda. Usa o histograma de recursos para não deixar sobra nem falta de recursos, principalmente nas atividades do caminho crítico Recurso2ª3a4a5a6a Recurso1 Recruso2 Recurso2ª3a4a5a6a Recurso1 Recurso2

37 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 36 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Técnicas de Modelagem  Análise de cenários (e se):  E se tal cenário ocorrer, o que ocorre com o projeto?  Se temos 2 formas de executar uma entrega, qual é melhor para o projeto?  Faça uma análise de prós & contras, escolha uma alternativa e utilize-a  Simulação de Monte Carlo:  Calcula uma variável desejada (ex: a duração do projeto) usando valores diferentes de entrada que são obtidos numa distribuição de probabilidade  No final os cenários (provável, melhor e pior) são exibidos

38 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 37 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Desenvolver o cronograma - saídas  Cronograma do projeto:  Gráfico de barras (% concluído):  Gráfico de marcos:  Diagrama de rede do projeto:  Vide acima Diagrama de Rede

39 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 38 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Exemplos de questões  4) Qual dos itens a seguir EM GERAL é MELHOR ilustrado por gráficos de barras do que por diagramas de rede?  A. Relacionamentos lógicos  B. Caminhos críticos  C. Compensação de recursos  D. Progresso ou situação  5) Se o cronograma e o custo do projeto não forem tão importantes quanto o número de recursos usados a cada mês, qual das atitudes a seguir é a MELHOR?  A. Realizar uma análise de Monte Carlo  B. Fazer um paralelismo do projeto  C. Realizar o nivelamento de recursos  D. Analisar os custos do ciclo de vida

40 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 39 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Exemplos de questões  6) Uma atividade tem uma IMC (data de início mais cedo) de dia 3, uma IMT (data de início mais tarde) de dia 13, uma TMC (data de término mais cedo) de dia 9 e uma TMT (data de término mais tarde) de dia 19. Qual é a folga da atividade?  A. 10  B. 6  C. 3  D. 19  7) Uma atividade tem uma IMC (data de início mais cedo) de dia 3, uma IMT (data de início mais tarde) de dia 13, uma TMC (data de término mais cedo) de dia 9 e uma TMT (data de término mais tarde) de dia 19. Qual é a duração desta atividade?  A. 3  B. 6  C. 7  D. 10

41 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 40 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Controlar o cronograma

42 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 41 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Controlar o cronograma EntradasFerramentas e TécnicasSaídas Plano de gestão do projeto Cronograma do projeto Dados de desempenho do trabalho Calendários do projeto Dados do cronograma Ativos de processos organizacionais Análise do desempenho Software de gestão de projetos Técnicas de otimização de recursos Técnicas de modelagem Antecipações e esperas Compressão do cronograma Ferramentas de agendamento Informações de desempenho do trabalho Previsões de cronograma Solicitações de mudança Plano de gestão do projeto atualizado Documentos do projeto atualizados (dados do cronograma, cronograma e registro de riscos) Ativos de processos organizacionais atualizados  Missão:  Monitorar o andamento do projeto para reportar o progresso e gerir as mudanças na linha base do cronograma:  Determinar a situação atual do cronograma do projeto  Fazer revisões e ajustar os processos  Influenciar os fatores que criam as mudanças no cronograma  Determinar se o cronograma do projeto mudou e repriorizar o trabalho  Gerenciar as mudanças já aprovadas e manter o ritmo do projeto

43 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 42 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Controlar o cronograma - técnicas e saídas  Análise do desempenho:  Análise de variação (previsto – realizado)  Análise de tendências e previsões  Método do caminho e da cadeia crítica  Gestão por valor agregado  Antecipações e esperas:  Em caso de necessidade, elas podem ajudar  Plano de gestão do projeto:  Linha de base do cronograma  Plano de gestão do cronograma  Linha de base de custos

44 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 43 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Exemplos de questões  8) Com base no gráfico, que mostra atividades no caminho crítico, qual atividade ou atividades você comprimiria para ganhar exatamente quatro semanas?  A. Atividade F.  B. Atividades A e E.  C. Atividades A e G.  D. Atividades C e E. AtividadeLinha de baseCompressão TempoCustoTempoCusto A10US$ US$ B2 2 C14US$ US$ D6US$ US$ E9US$ US$ F8US$ US$ G7US$ US$

45 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 44 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Referências SiglaReferência BEC05 BECK, Kent; ANDRES, Cynthia. Extreme Programming explained: embrace change. 2. ed. Upper Saddle River: Addison-Wesley, CER03 CERTO, Samuel. Administração Moderna. 9ª. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, JAC98 Ivar Jacobson, Grady Booch, and James Rumbaugh. The Unified Software Development Process Addison Wesley Longman. PRA90 PRAHALAD, C. K., HAMEL, G. A Competência Essencial das Organizações. Harvard Business Review, RUP08 IBM Rational. RUP – Rational Unified Process – 7.5 – For Large and Small Projects IBM Rational.

46 Adriano Graziosi & Márcio MoreiraUnidade 05 - slide 45 de 45Gestão de Projetos de TI - GPTI Obrigado!


Carregar ppt "Gerência de Projetos de TI 5. Tempo Adriano Graziosi & Márcio Moreira"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google